A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Prof. Hêlbert Borges Marins TEORIA E NORMAS DE SEGURANÇA.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Prof. Hêlbert Borges Marins TEORIA E NORMAS DE SEGURANÇA."— Transcrição da apresentação:

1 Prof. Hêlbert Borges Marins TEORIA E NORMAS DE SEGURANÇA

2 Prof. Hêlbert Borges Marins LISTA DE EXERCÍCIOS

3 CESPE – 2008 – TJDFT – Segurança 1. As prioridades de segurança para uma abordagem a um infrator devem obedecer à seguinte ordem: segurança do público, segurança dos responsáveis pela diligência e segurança do infrator. Certo

4 CESPE TJDFT 2. Abordar é o ato de aproximar-se de uma pessoa, ou de um grupo de pessoas, que emane indícios de suspeição da prática de ilícitos penais, com o objetivo de investigar, orientar, advertir, assistir, render etc. Nesse sentido, na realização de uma abordagem, os aspectos basilares que devem ser observados incluem a I. Surpresa. Certo II. Rapidez. Certo

5 III. Improvisação de ações. Errado IV. Arbitrariedade na dosagem da força. Errado V. Flexibilidade de comando. Errado

6 FCC – 2007 – Câmara dos Deputados 3. Na abordagem de um indivíduo suspeito, o agente de segurança deve observar a seguinte regra: a) Identificar-se antes de qualquer ato. b) Intimidar o indivíduo com uso de arma de fogo. c) Usar de força física para impedir reações. d) Ter sempre um companheiro na sua cobertura. e) Surpreender o indivíduo com gestos rápidos e decisivos.

7 CESPE – 2008 – TJDFT – Segurança 4. Considere que um profissional de segurança, em seu posto de serviço, tenha observado a presença de um estranho, em atitudes suspeitas, rondando o edifício à procura de uma possível entrada, e ostentando, sob as vestes, na altura da cintura, um objeto volumoso, que poderia ser uma arma de fogo. Nessa situação hipotética, cabe ao profissional de segurança realizar, de pronto, a abordagem do indivíduo, levando em conta o elemento surpresa. Errado

8 CESPE – 2008 – TJDFT – Segurança 5. São princípios gerais da abordagem: segurança, surpresa, rapidez, ação vigorosa e unidade de comando. Certo

9 CESPE – 2006 – TSE – Segurança 6. Entre as funções do agente de segurança está a responsabilidade de realizar busca pessoal, ou seja, recolher pessoas em atitude suspeitas ou comportamento irregular. A cerca dessa responsabilidade do agente de segurança, julgue os itens a seguir. a) A busca preliminar é aquela que se realiza em locais de acesso a eventos públicos ou a estabelecimentos para os quais o regulamento exija tal providência. Certo

10 b) Em caso de prisão em flagrante, a busca deverá ser feita independentemente de ordem ou mandado. Certo c) A busca pessoal em mulher deverá ser realizada por pessoa do sexo feminino. Caso essa pessoa não seja agente de segurança, ela deverá ser instruída de como proceder em relação às medidas de segurança pessoal. Certo d) A busca pessoal será sempre realizada quando houver fundada suspeita de que a pessoa esteja de posse de arma. Certo

11 CESPE – 2007 – TRE/PA – Segurança 7. Considere que uma equipe de três agentes de segurança esteja efetuando uma abordagem à pessoa suspeita. Nesse caso, dois deles devem concentrar-se no suspeito, e o terceiro deve posicionar-se onde possa vigiar o perímetro, protegendo seus companheiros e evitando aproximação de curiosos. Certo

12 FCC – 2007 – Câmara dos Deputados 8. Na abordagem de um veículo suspeito em movimento por dois veículos da força de segurança, é recomendado a) procurar colocar um veículo à frente e outro atrás do veículo suspeito. b) colocar ambos os veículos à frente do suspeito, fechando-o em triângulo.

13 c) seguir o veículo suspeito sem ser visto até que ele pare. d) colocar ambos os veículos atrás do suspeito e atirar no pneu. e) emparelhar pelas laterais com o veículo suspeito e determinar sua parada. Resposta: letra “a”

14 CESPE – 2007 – TRE/PA –Segurança 9. Quando há necessidade de se utilizar uma algema para dois detidos, deve-se algemá-los juntos, entrelaçando seus braços de modo que a mão esquerda de um encontre a mão direita do outro. Errado

15 CESPE – 2007 – TRE/PA –Segurança 10. Para utilizar a algema de forma eficaz, o agente de segurança deve batê-la no punho do suspeito. Errado

16 CESPE – 2006 – TSE – Segurança 11. Um vigilante deve ser capaz de identificar de forma precisa um local de crime para conservá-lo inalterado e, ainda, descrever pessoas, objetos, veículos, áreas e locais, recolher coisas e efetuar de maneira clara e objetiva o registro de ocorrências. A respeito dos procedimentos para preservar o local do crime, julgue os itens a seguir. a) Não se deve admitir trânsito de pessoas em torno do lugar onde se verificou o delito. Certo

17 b) Deve-se proteger os vestígios que podem desaparecer pela ação dos elementos da natureza, como manchas de sangue, pegadas digitais etc. Certo c) Caso existam objetos espalhados, deve-se concentrá- los em um único local para facilitar sua análise. Errado d) Não se deve permitir que se modifique a posição do cadáver. Certo

18 FCC – BACEN – Técnico 12. No que concerne a táticas e técnicas operacionais de execução de atividades de segurança, quaisquer que sejam elas, a) É mister que haja gradação ao empregá-las, ou seja, do modus operandis mais complexo para o mais simples. Errado

19 b) Deve-se considerar, enquanto planejamento, a adoção de uma metodologia, estabelecendo módulos e fases, realizando reuniões de coordenação preparatórias de organização de roteiros. Certo c) Deve-se, se necessário, realizar reconhecimentos e treinamentos, salvaguardando a discrição e o sigilo, selecionando, ainda, itinerários alternativos para os deslocamentos da equipe. Certo

20 CESPE – 2007 – TRE/PA 13. As medidas de prevenção a entradas de pessoas não autorizadas são aquelas que visam impedir ou detectar a entrada de alguém cujo objetivo seja praticar ato contra o patrimônio na instalação. Nesses casos, a peça mais importante no esquema de segurança é o serviço de guarda. Certo

21 CESPE – 2008 – TJ/DF 14. Havendo a necessidade de se algemar três presos com dois pares de algemas, recomenda-se, de regra, o seguinte procedimento: algemar a mão esquerda do que está no meio com a mão direita do que está à direita dele; após, algemar a mão direita do que está no meio com a mão esquerda do que está à esquerda dele. Certo

22 CESPE – 2008 – TJ/DF 15. Para a realização de uma abordagem a pé de um único suspeito por dois profissionais de segurança, recomenda-se que a equipe de segurança adote a posição triangular, mantendo o suspeito no ápice do triângulo, de modo a evitar fuga ou qualquer reação da pessoa abordada. Certo

23 CESPE – 2008 – TST 16. Suponha-se que um profissional de segurança tenha sido designado para realizar a escolta de um preso de alta periculosidade durante o seu julgamento perante o tribunal. Nessas circunstâncias, é recomendado que o preso seja algemado no braço do segurança, de preferência do lado oposto ao que este porta a arma. Errado

24 CESPE – 2008 – TST 17. Suponha-se que um profissional de segurança de um órgão público tenha constatado, em inspeção de rotina, a porta da tesouraria arrombada, e que, ao adentrar o recinto, tenha percebido que uma gaveta havia sido arrombada e que valores que estavam nela depositados tinham sido subtraídos. Nessa situação, deverá o profissional adotar, entre outras, providências no sentido de preservar o local até que se proceda ao competente exame pericial. Certo

25 CESPE – 2008 – TST - Técnico Judiciário 18. Suponha-se que um profissional de segurança de determinada repartição pública tenha flagrado um indivíduo no momento em que tentava subtrair uma bolsa deixada por um funcionário sobre uma das mesas da repartição. Suponha-se, ainda, que o profissional de segurança tenha dado voz de prisão ao cidadão e o tenha apresentado à coordenação de segurança para a sua condução à delegacia de polícia mais próxima. Nessa situação, dispondo a referida coordenação de uma viatura descaracterizada e sem cubículo apropriado para condução de presos, é correto que o detido seja conduzido no banco dianteiro direito da viatura, ao lado do motorista. Errado

26 CESPE – 2010 – MPU - Segurança 19. A busca pessoal só pode ser realizada mediante mandado, ainda que haja fundada suspeita de que uma pessoa esteja na posse de armas proibidas ou de objetos ou papéis que constituam corpo de delito. Errado

27 CESPE – 2010 – MPU - Segurança 20. O agente encarregado de proceder à busca preliminar deve tocar o suspeito antes que ele assuma a posição contra a parede ou qualquer outra superfície vertical. Errado

28 CESPE – PETROBRAS 21. São consideradas áreas livres no que tange à demarcação das áreas de acesso aquelas sem nenhuma restrição de acesso; áreas restritas são aquelas consideradas vitais para o funcionamento da instituição, como, por exemplo, caixas d’água e centrais telefônicas. Certo

29 CESPE – PETROBRAS 22. Barreiras artificiais — portões e muros, por exemplo — podem ser utilizadas para delimitar o acesso a determinada área. Todavia em nenhuma hipótese é aceitável que essa delimitação e essa proteção sejam efetuadas utilizando-se barreiras naturais como rios, lagos e precipícios. Errado

30 CESPE – PETROBRAS 23. O controle de entradas permitidas é fundamental para a segurança de qualquer estabelecimento e apóia- se basicamente no sistema de identificação e no sistema de guarda/vigilância. Certo

31 CESPE MPE/AM 24. A prevenção de danos ao patrimônio, a compatibilidade funcional, a discrição e o bom senso são atributos básicos do agente de segurança. Certo

32 CESPE MPE/AM 25. Em situações de tumulto generalizado dentro das instalações de uma edificação pública, a ação de segurança é dividir os envolvidos em grupos, de modo a enfraquecer a turba, para, depois, retirá-los do prédio aos poucos. Certo

33 CESPE – MPE/AM – As medidas de precaução legal que o agente de segurança deve observar na realização de uma busca pessoal são: adotar esse tipo de ação apenas em casos de absoluta necessidade, nunca proceder a revista desacompanhado e efetuar a revista em compartimento isolado, para evitar constrangimentos à pessoa revistada. Certo

34 CESPE – 2008 – TJ/DF 27. Considere que João, chefe de segurança de um edifício de 20 andares, com escritórios e salas comerciais, tenha recebido uma ligação anônima comunicando a existência de uma bomba em sala indeterminada do edifício. Nessa situação hipotética, as providências iniciais a serem adotadas por João devem ser a de acionar toda a sua equipe, comunicar o fato à polícia, iniciar a evacuação de todo o edifício e a sua varredura à procura de artefatos explosivos. Errado

35 CESPE – 2008 – TJ/DF 28. As medidas dinâmicas consideradas necessárias ao controle e à segurança física e patrimonial de instalações incluem barreiras perimetrais, sistemas de alarme, iluminação e vigilância. Errado

36 CESPE – 2008 – TJ/DF 29. Um plano de segurança física e patrimonial deve levar em conta os seguintes aspectos, entre outros: vias de acesso, adjacências do estabelecimento, barreiras perimetrais, portões, janelas, iluminação, corpo de vigilância, sistemas de alarme, estacionamento de veículos, número de empregados e pontos críticos. Certo

37 CESPE – 2008 – TJ/DF 30. O controle de entradas permitidas apóia-se basicamente em dois sistemas: o de identificação e o de guarda. Certo

38 CESPE – 2008 – TJ/DF 31. A identificação de funcionários mediante o uso de crachás é considerada atualmente o único método eficaz para o controle de entradas, devendo ser abolidos os demais dispositivos, por falta de segurança. Errado

39 CESPE – 2008 – TST 32. Entre as medidas de proteção e segurança das instalações não está incluída a revista pessoal, que se trata de procedimento típico dos organismos de segurança pública e é autorizada somente em casos de fundadas suspeitas. Errado

40 CESPE – 2008 – TST 33. Em serviço na recepção de determinado órgão com significativo trânsito de pessoas e funcionários, um profissional de segurança deverá concentrar sua atuação em dois fatores primordiais: identificação e guarda. Certo

41 CESPE – 2008 – TST 34. Considere-se que um profissional de segurança, no exercício de suas atividades, encontra, em ambiente restrito às autoridades do órgão, uma caixa lacrada de cujo interior se percebe, nitidamente, o barulho de um relógio. Nessa situação, o profissional de segurança, na suspeita de tratar-se de um artefato explosivo, deverá, inicialmente, abrir o invólucro da referida caixa para certificar-se de seu conteúdo. Errado

42 CESPE – 2006 – TSE 35. A segurança física e patrimonial de uma instalação poderá ser feita por agentes ostensivamente trajados e pessoal em atividade de inteligência. Certo

43 CESPE – 2006 – TSE 36. Resguardar as áreas onde são desenvolvidos procedimentos sigilosos ou onde são localizados aparelhos que merecem maior grau de segurança é um objetivo básico de um esquema de segurança física e patrimonial. Certo

44 CESPE – 2006 – TSE 37. No planejamento de segurança física de uma instalação, a organização de um serviço de guarda é o fator mais importante, pois constitui a área executiva de tal programação. Certo

45 CESPE – 2006 – TSE 38. Um serviço de guarda ostensiva constitui a força de proteção, a peça de comando de todo o mecanismo de defesa. Certo

46 CESPE – 2004 – STM 39. Do ponto de vista da segurança patrimonial, é recomendável que, no período noturno, os depósitos de material permaneçam com a iluminação ligada, apesar do dispêndio com energia elétrica, pois isso dificulta o ocultamento de eventuais tentativas de intrusão de malfeitores. Certo

47 CESPE – 2004 – STM 40. Entre as barreiras comumente usadas para se impedir a concretização de riscos, inclui-se a eclusa, dispositivo de segurança aplicável ao acesso tanto de pedestres quanto de veículos e que se constitui de dois ou mais portões ou portas em seqüência. Seu uso correto garante que o local de passagem nunca seja totalmente devassado. Certo

48 CESPE – 2004 – STM 41. No trabalho noturno de segurança patrimonial, ao deparar-se com uma interrupção no fornecimento de energia elétrica, o vigilante deve, em primeiro lugar, comunicar o fato à administração, para que ela possa executar o plano previsto para esse tipo de ocorrência. Errado

49 CESPE – TSE – O acionamento do cão da arma de fogo deve ser realizado de forma lenta e progressiva até ocorrer o disparo. Errado

50 CESPE – TSE – O tiro de ação simples é o mais empregado e é realizado com uma pressão contínua, mas firme, aplicada no gatilho até que o disparo seja executado. Errado

51 CESPE – TSE – A respiração pode influenciar na precisão do tiro. Para realizar um controle da respiração, deve-se suspender a respiração por segundos depois do disparo, para assim transferir maior estabilidade à arma. Errado

52 CESPE – TSE – Quanto ao tipo, o revólver calibre 38 é classificado como arma de porte. Certo

53 Revólver Arma curta, de repetição, de alma raiada ou lisa, de porte, de repetição, de uso individual, de retrocarga, na qual os cartuchos são colocados em um cilindro giratório (tambor) atrás do cano, podendo o mecanismo de disparo ser de ação simples ou ação dupla.

54 CESPE – TSE – Um corpo estranho no alojamento do cartucho é uma das causas que impede a arma de extrair. Certo

55 CESPE – TSE – Quando a mola do cão quebra, a arma não abre. Errado

56 CESPE – TRE/PA – Ao sacar uma arma, o atirador deve fazê-lo sem o dedo no gatilho, mas transportando-a com o cão armado. Errado

57 CESPE – TRE/PA – Em treinamento com arma de fogo, o atirador deve atirar em superfícies planas e duras ou em água, para evitar que os projéteis ricocheteiem. Errado

58 CESPE – TRE/PA – Os principais fundamentos do tiro são empunhadura, posição, visada, respiração, acionamento da tecla do gatilho. Certo

59 CESPE – TRE/PA – A arma somente pode ser apontada para alguém em caso de legítima defesa ou no estrito cumprimento do dever legal. Certo

60 Uso Progressivo da Força

61 CESPE – TJ/DF – Os termos alça de mira, alma e estojo correspondem, respectivamente, a: dispositivo situado na parte posterior de uma arma destinado a permitir a visada; face interna do cano de uma arma; e corpo cilíndrico, cônico ou em forma de garrafa da munição, onde se alojam o projétil, a pólvora e a espoleta. Certo

62 MASSA DE MIRAALÇA DE MIRA

63 A alma é a parte oca do interior do cano de uma arma de fogo, que vai geralmente desde a culatra até a boca do cano, destinada a resistir à pressão dos gases produzidos pela combustão da pólvora e outros explosivos, além de direcionar o projétil disparado. A alma de uma arma pode ser lisa ou raiada, dependendo do tipo de munição para o qual ela foi projetada.

64 ARMAS DE ALMA RAIADA: A alma de uma arma é raiada quando o interior do cano possui sulcos helicoidais dispostos no eixo longitudinal, destinados a forçar o projétil a um movimento de rotação, dando-lhe maior estabilidade, precisão e alcance. É o que ocorre, por exemplo, com o rifle, fuzil, carabina, revólver e pistola.

65 ARMAS DE ALMA LISA: São aquelas armas isentas de raiamentos, com superfície absolutamente polida, como ocorre, por exemplo, nas espingardas ou escopetas.

66 Armas de alma lisa x Armas de alma raiada ALMA RAIADA ALMA LISA RAIAMENTO PASSOS

67 CARACTERÍSTICAS DA MUNIÇÃO Espoleta Borda Propelente Estojo Projétil

68 ESTOJOS Existem diversas classificações dos estojos, quanto às suas formas. Uma delas diz respeito ao formato da “boca” do estojo, em relação ao seu “fundo”.

69 CESPE – TJ/DF – Arma de fogo é um instrumento que lança, por meio de um cano, um projétil, propelido pela expansão dos gases provenientes da queima de pólvora dentro de uma câmara. Certo

70 CESPE – TJ/DF – Considere que um profissional de segurança que porte um revólver de ação dupla entre em confronto armado com um oponente apontando arma de fogo em sua direção. Nessa situação, para garantir a própria defesa, o profissional deve sacar seu revólver e engatilhar o cão da arma antes de disparar, pois, para o acionamento do primeiro disparo, os revólveres só funcionam em ação simples. Errado

71 CESPE – TJ/DF – O calibre de uma munição vem expresso em polegadas ou milímetros, conforme o sistema de medida adotado, que pode ser o sistema inglês e (ou) norte- americano, em polegadas, e o sistema europeu, em milímetros. Certo

72 Calibre: É a medida do diâmetro interno do cano da arma.

73 CESPE – TJ/DF – A visada, uma das condicionantes para o sucesso do tiro, consiste no correto enquadramento de miras, obtido quando se faz o encaixe visual e geométrico da massa de mira dentro da alça de mira e destas duas sobre o alvo. Certo

74 - Linha de Visada: É a linha que parte do OLHO, passa pelo ENTALHE ou ALÇA DE MIRA nivelada na MASSA DE MIRA e termina no ALVO. ALVO OLHO ALÇA DE MIRA MASSA DE MIRA

75 FCC – TRT - Técnico Judiciário 57. O serviço de segurança de dignitários está sujeito a diversas vulnerabilidades. Dentre outras, NÃO é correto considerar como vulnerabilidade: a)excesso de informação. b) rotina. c) improvisação. d) falta de motivação. e) falta de interação do dignitário com o sistema de segurança.

76 CESPE MPU 58. Em eventos públicos de que participem autoridades, a equipe de vistoria é responsável pela verificação de pontos críticos, pelo estabelecimento de contato com o organizador do evento e pelo policiamento ostensivo, incluindo-se escolta e batedores. Errado

77 CESPE MPU 59. Para proteção contra emboscadas, o comboio que conduza, em velocidade reduzida, autoridade deve manter distância de 1,5 m entre as viaturas, e, em alta velocidade, distância de 2,5 m a 3 m. Certo

78 CESPE MPU 60. No que se refere à escolta a pé, o tipo de escolta que proporciona melhor segurança aproximada é representado por uma formação em losango em torno da autoridade, sendo um agente posicionado à frente dela, um ao lado esquerdo, um ao lado direito e um à retaguarda. Certo

79 CESPE TRE-BA 61. A equipe de segurança de um dignitário deve trajar roupa em estilo diferente do da autoridade, para que a equipe possa ser identificada pela população, tendo como objetivo inibir qualquer tipo de atentado. Errado

80 FCC TRF - 5ª Região 62. NÃO é um fator condicionante no planejamento e execução de um trabalho de segurança de Dignitários: a)Grau de risco. b) Importância da autoridade. c) Conjuntura atual. d) Potencial de perdas materiais. e) Disponibilidade de recursos materiais e humanos.

81 FCC TRF - 5ª Região 63. A formação que proporciona melhor segurança aproximada para a escolta de um Dignitário é do tipo: a)Profundidade. b) Linha ou “V”. c) Linha, apenas. d) Intercalada. e) Losango.

82 FCC TRF - 5ª Região 64. Em serviço de segurança aproximada, o Agente deve adotar condutas e procedimentos para evitar a ação de elementos adversos. Considerando o descrito acima, quando um transeunte dirigir-se à autoridade portando cartazes ofensivos ao cargo que o Dignitário ocupa, o Agente de Segurança, deverá a)empregar técnicas de defesa pessoal para detê-lo e revistá-lo. b) sacar sua arma e dissuadi-lo. c) impedir, por todos os meios, a aproximação. d) garantir que ele se mantenha a uma distância segura do Dignitário. e) detê-lo e autuá-lo por incitação e desrespeito.

83 FCC TST 65. Os incidentes relacionados a autoridades trazem consigo reflexos à imagem tanto do dignitário quanto do órgão público a que ela se vincula. As ações desenvolvidas no sentido de evitar ou interromper eventuais agressões devem observar princípios balizadores em quaisquer circunstâncias. Neste sentido, são princípios que devem nortear o uso da força por agentes de segurança pública na intervenção em uma ação delituosa contra o dignitário: a)legalidade, oralidade e transparência. b) legalidade e o princípio da ampla defesa, visando desmotivar a ação de agressores.

84 c) letalidade e proporcionalidade em quaisquer circunstâncias. d) legalidade, celeridade e publicidade. e) legalidade, proporcionalidade e necessidade.

85 FCC TRT/PE 66. Sobre a segurança de autoridades, patrimônio e documentos, é correto afirmar: a) Armas não letais não foram projetadas para a minimização de danos ao meio ambiente. b) O vigilante que estiver realizando a segurança pessoal da autoridade deve observar posicionamentos e regras básicas de segurança.

86 c) A atuação do vigilante é, principalmente, de caráter repressivo, de modo a agir quando a prevenção falhar. d) A imagem da autoridade deve, nesse caso, ser protegida durante a atuação do vigilante, devendo deixar de preservar a segurança física das autoridades. e) A inspeção visual realizada pelo vigilante é a única forma de manter o controle do acesso seguro de pessoas em uma edificação. Resposta: letra “b” Resposta letra “b”

87 FCC TRT/PE 67. Quanto à Segurança de Dignitários é correto afirmar: a)O reconhecimento do itinerário deve ser realizado antes de ser definido todo o esquema de segurança. b) A rotina faz parte da vida cotidiana da população e não faz diferença na segurança da autoridade.

88 c) Quaisquer que sejam as técnicas empregadas na segurança de dignitários, deve-se seguir a gradação da mais complexa para a mais simples quando se define o esquema de segurança. d) O emprego de um segurança de dignitários nunca envolve responsabilidades civis para esse agente. e) O uso de agentes oriundos das polícias e das Forças Armadas nunca é permitido na segurança de dignitários. Resposta: letra “a” Resposta letra “a”

89 FCC TRF - 2ª Região 68. Com relação à Segurança de Dignitários, é correto afirmar: a) Nos casos de eventos adversos, o protegido é quem dará a ordem final sobre a sua segurança. b) A formação policial já credencia e habilita o agente para o exercício da atividade de segurança de dignitários.

90 c) Quando o agente atua de forma descaracterizada, ainda assim, ele pode e deve agir de forma preventiva. d) Atuando de forma velada, o agente oculta completamente a sua condição e atua secretamente. e) Deve-se agir, principalmente, na forma repressiva.

91 CESPE STM 69. Acerca da segurança de dignitários, julgue o item a seguir. É vedada a utilização de telefonia móvel para a comunicação entre os agentes de segurança que realizam a segurança de dignitário. Errado

92 CESPE STM 70. Acerca da segurança de dignitários, julgue o item a seguir. Quando uma equipe de segurança de dignitários realiza a segurança próxima da autoridade e adota a formação em cunha ou V, ilustrada na figura abaixo, é porque a frente do dignitário encontra-se protegida. Esse tipo de formação chama menos a atenção e favorece a imagem da autoridade perante a imprensa e o público. Certo D Segurança Sentido do deslocamento

93 CESPE STM 71. Com relação à segurança das pessoas, é INCORRETO, afirmar: a)pode ser geral quando voltada para as pessoas ou grupos, ou institucional quando voltada para as atividades corporativas das instituições como um todo. b) a força é um recurso que deve ser utilizada assim que for percebido que houve falha nas medidas preventivas.

94 c) o principal foco é a ação preventiva. d) é essencial a cooperação do protegido para o sucesso nas ações. e) o bem-estar do protegido deve ser, juntamente com a proteção da integridade física, a preocupação fundamental. Resposta: letra “b”

95 FCC – TRT/RS - 4ª Região 72. NÃO constitui uma medida correta de segurança de dignitários a) despender tempo com a proposição e teste de itinerários alternativos. b) trabalhar priorizando as medidas mais simples e mais discretas.

96 c) agir preventivamente, evitando o confronto. d) utilizar-se de ações e táticas com a menor interferência possível no cenário externo. e) deixar o poder de decisão a cargo do protegido em caso de eventos adversos. Resposta: letra “e”

97 FGV TRE-PA 73. Para executar segurança pessoal, o profissional deve, primordialmente, usar técnicas a) preventivas. b) repressivas. c) defensivas. d) hostis. e) contingenciais. Resposta: letra “a”

98 FCC MPU 74. Ao transitar com familiares de dignitários, em situações tático-operacionais e de tráfego normais, o segurança teve que parar em um semáforo. Prevendo esse tipo de situação, o segurança deve saber que: I. É preciso ficar atento a tudo ao redor, não se distraindo com o movimento das ruas ou outros motivos. II. É imprescindível manter sempre a primeira marcha engatada, nas paradas durante o trajeto. III. Ao perceber um semáforo fechado, deve-se diminuir a velocidade do veículo, com o objetivo de ficar o menor tempo possível parado. Resposta: todos os itens “corretos”

99 FCC MPU 75. Visando a segurança da autoridade usuária de automóvel oficial, o segurança deverá atentar para as seguintes providências: I. Evitar rotinas; procurar diversificar os itinerários e, se possível, os horários de saída e de chegada. II. Não descuidar da manutenção preventiva dos veículos, mantendo pneus, faróis, sistema elétrico, travas, motor, bateria, entre outros, sempre em ordem, evitando sinistros ou quebras que obriguem a parada do veículo em local não previsto.

100 III. Se estiver dirigindo e algo líquido atingir o pára-brisa do veículo não se deve acionar os limpadores, pois há relatos de que um determinado tipo de resina, ao ser jogada no vidro e ser espalhada pelos limpadores, provoca embaçamento que obriga o motorista a parar. IV. Não parar se o carro for atingido por pedras ou qualquer outro objeto. V. Escolher itinerários apropriados, evitando áreas de riscos conhecidas. Resposta: todos os itens “corretos”

101 FCC MPU 76. O profissional da área de segurança que transporta dignitários em veículo oficial deve atentar para as seguintes premissas de segurança: I. Nunca se deve ficar dentro do carro estacionado com o dignitário, pois há possibilidade de ambos se transformarem nas "vítimas perfeitas". II. Não se deve deixar nenhum objeto dentro do carro, deslocando todos os pertences do dignitário e dos acompanhantes para o porta-malas antes do início dos trajetos.

102 III. Ao retornar para o veículo com o dignitário, deve-se embarcar rapidamente e deixar o local. IV. Se o trajeto com o dignitário obriga o segurança a estacionar sempre nas mesmas imediações e a tampa do tanque de gasolina do veículo for roubada, deve-se trocar todas as chaves do automóvel- alvo o mais rapidamente possível, pois sabe-se que roubam tais tampas para providenciar cópias das chaves do veículo a fim de abatê-lo oportunamente. V. Ao retornar para o veículo, o segurança observa que há um pneu furado, devendo trocá-lo rapidamente pelo sobressalente, enquanto o dignitário aguarda dentro do veículo, e, logo após, deixar o local. Estão corretos os itens I, II e IV, apenas.

103 FCC MPU 77. Com relação à segurança de dignitários, na escolha de trajetos apropriados a serem utilizados, a equipe de segurança deve considerar como adequados, dentre outros, os aspectos: a)o reconhecimento do planejamento do dignitário e as condições de tráfego do trajeto. b) a vontade do dignitário na decisão do trajeto e a execução das ações de segurança.

104 c) a preparação e o planejamento do dignitário, bem como a execução das ações de emergência. d) a determinação da vontade do dignitário e o reconhecimento da região de destino. e) o exame em carta (mapa), o reconhecimento dos trajetos e áreas de destino, bem como o planejamento das ações de segurança decorrentes. Resposta: letra “e”

105 FCC TRF - 1ª Região 78. Luiz Alberto, segurança do Desembargador Mário de Almeida, percebeu que várias pessoas estavam aglomeradas na saída do Fórum, protestando, de forma agressiva, contra uma decisão daquela autoridade. Luiz Alberto deveria a) não informar ao Desembargador, porque ele poderia ficar chateado com a resistência daquelas pessoas à sua justa decisão. b) sacar a sua arma e posicionar o dedo no gatilho, para ficar em condições de atirar em algum manifestante mais afoito, sem, contudo, tirar-lhe a vida.

106 c) solicitar ao chefe da segurança o envio de outros seguranças para garantir a efetiva proteção para a saída do Desembargador. d) aproveitar a situação, porque, como ele havia conquistado recentemente a faixa-preta de judô, era uma oportunidade de mostrar os seus conhecimentos em defesa pessoal para o seu Chefe. e) procurar desfazer a manifestação, mostrando aos manifestantes que a decisão do Desembargador, apesar de não lhes ser favorável, era totalmente justa, tendo o cuidado de manter sempre a arma em punho, para evitar qualquer provocação. Resposta: letra “c”

107 FCC TRT - 18ª Região 79. O segurança que está conduzindo uma autoridade, por medida de segurança e prevenção de possíveis riscos ou atentados nas ruas, necessita posicionar o veículo de tal forma que possa manobrá-lo rapidamente. Assim sendo, deverá manter o veículo a) próximo ao carro do lado esquerdo. b) a uma distância aproximada de um metro e meio do carro da frente.

108 c) continuamente na pista da direita. d) encostado no veículo da frente. e) a uma distância segura e aproximada de cinco metros carro da frente. Resposta: letra “e”

109 FCC TRT - 18ª Região 80. A atitude mais apropriada do técnico de segurança diante de pequenos defeitos do automóvel no qual conduz uma das autoridades do Tribunal, como um pneu furado, é a) informar imediatamente à central operacional, solicitando apoio. b) parar o veículo onde estiver e retornar de táxi à garagem para pedir auxílio.

110 c) tentar uma solução provisória, dispensar a autoridade e recolher o veículo. d) não tentar nenhuma solução e solicitar reboque. e) pedir a outro motorista do passeio para que o auxilie. Resposta: letra “a”

111 FCC TRT - 18ª Região 81. A segurança de dignitário tem como um de seus principais enfoques a proteção do segurado e, para atingir tal objetivo, deve-se I. evitar, tanto quanto possível, confrontos desnecessários e situações de perigo. II. prevenir e atuar nas situações de crise, provocando acidentes quando qualquer tipo de ameaça puder comprometer a integridade física do protegido.

112 III. atuar em emergências médicas, aplicando técnicas de salvamento, delegando a terceiros a organização e isolamento completo do local de atendimento. IV. selecionar, previamente, itinerários para deslocamentos com o dignitário. Estão corretos os itens I e IV, apenas.

113 FCC TRT - 18ª Região 82. Ao ver uma pessoa estranha se aproximar rapidamente de um juiz, com um objeto na mão, os seguranças devem a) usar de força física para parar e revistar esta pessoa. b) apontar sua arma para a pessoa para intimidá-la.

114 c) impedir, a qualquer custo, a aproximação da pessoa. d) agir com firmeza, observar cada gesto da pessoa, e determinar que ela se mantenha a uma distância segura da autoridade. e) despreocupar-se, pois o juiz já possui proteção pessoal. Resposta: letra “d”

115 FCC TRT - 18ª Região 83. Quando uma autoridade deixa seu local de trabalho protegido por sua equipe de proteção pessoal, os demais técnicos judiciários da área de segurança devem a) impedir, em conjunto com os seguranças pessoais, que pessoas estranhas se aproximem demasiadamente da autoridade. b) causar boa impressão à autoridade, afastando a todos com voz alta e em tom enérgico.

116 c) revistar as pessoas que aguardam para ver a autoridade na saída do prédio. d) organizar revista em pacotes que funcionários ou visitantes estejam carregando. e) impedir que o local seja danificado. Resposta: letra “a”

117 FCC TRT - 9ª Região (PR) 84. Sobre deslocamento de dignitários, considere: I - Os deslocamentos (a pé ou transportado) são as situações mais vulneráveis às quais uma autoridade pode se submeter. II - Um dos objetivos da segurança é se antecipar as ações de risco. III - O reconhecimento do itinerário deve ser realizado assim que for definido todo o esquema de segurança. Estão corretos os itens I e II, apenas.

118 CESPE TRE – BA 85. Os agentes de segurança devem ter uma postura preventiva, profissional e agir conforme procedimentos operacionais definidos, pois uma boa postura é fator inibidor e, frequentemente, a simples presença do agente evita que a segurança seja comprometida. Certo

119 CESPE TRE – BA 86. Quando a segurança de um dignitário for complexa e exigir grande número de agentes, devem ser estabelecidos códigos para identificação dos agentes e também do dignitário. Certo

120 FCC TRF - 5ª Região 87. As condições ou fatos significativos que podem criar uma situação de impossibilidade para a consecução dos objetivos estabelecidos no planejamento da segurança de um Dignitário definem a) um risco. b) uma ameaça. c) um dano. d) uma perda. e) um diagnóstico. Resposta: letra “a”


Carregar ppt "Prof. Hêlbert Borges Marins TEORIA E NORMAS DE SEGURANÇA."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google