A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

PLANEJAMENTO E AVALIAÇÃO DE PROJETOS Automação Residencial com aplicação em Arduino.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "PLANEJAMENTO E AVALIAÇÃO DE PROJETOS Automação Residencial com aplicação em Arduino."— Transcrição da apresentação:

1 PLANEJAMENTO E AVALIAÇÃO DE PROJETOS Automação Residencial com aplicação em Arduino

2 Componentes  Robson Monteiro;  Eryck Oliveira;  Hélio Andrade;  Emmanuel Júnior;  Hugo Santos; 2

3 SUMÁRIO  Produto:  Qual produto;  Destinatário;  Tipo;  Valor;  Características;  Funções. 3

4 SUMÁRIO  Projeto:  Viabilidade;  Restrições;  Stakeholder. 4

5 SUMÁRIO  Gerenciamento de Projetos:  Tipo de organização;  Perfil do gerente;  Habilidades pessoais para os stakeholders;  Ciclo de vida do produto ;  Ciclo de vida do projeto;  Subprojeto;  Fases;  Grupos de processos;  CONTROLE E MONITORAMENTO;  Conclusão 5

6 PRODUTO  Palpável e/ou agrega valor à uma organização;  Artefato (Pode ser vendido “Forma Direta”);  Serviço (Aplicação de Terceiros);  Resultado (Bom desempenho em relação “Entre Funcionários e Objetivo” da empresa com o produto).  Nosso organização trabalha com o produto Automação Residencial; 6

7 PRODUTO  O nosso serviço consiste em uma Central de Controle que contém:  Programação (referente à automação);  Hardwares (necessários para o controle e a obtenção de dados);  Placa de rede integrada (permitindo acesso remoto por um computador/celular com tecnologia); 7

8 DESTINATÁRIO  O Cliente final do produto (Importante da construção adequando sua ideia e fiscalizando o produto na sua confecção);  O Cliente do produto final em que se tenha interesse;  Nossos clientes são os que desejam (o maior conforto, inovação tecnológica, facilidade do dia- a-dia e segurança). 8

9 TIPO  Artefato:  Algo palpável passível de venda;  Serviço:  Trabalho prestado ao cliente, onde ele pode participar do processo do trabalho ou não;  Resultado:  Dentro de um cronograma em uma empresa, ou parte do produto pronta dentro do prazo. 9

10 TIPO  Nosso produto consiste na prestação de serviços nos sistemas de Automação Residencial;  Serviços de instalação e reparo nos sensores;  Na rede que integra os sensores;  No ambiente de programação que controla os sensores e sistemas de automação entre outros serviços. 10

11 VALOR  Direto:  Gerando lucro diretamente para o fabricante/empresa;  Indireto:  Ferramenta produzida que gera lucro aos produtos manufaturados por meio dela;  Nosso produto gera um valor DIRETO de rentabilidade. 11

12 CARACTERÍSTICAS  Atributos inerentes a existência, sua criação e a sua manutenção;  Características Técnicas da Interface do Sistema :  Linguagem: Wiring, IDE de desenvolvimento e Arduino IDE;  Arduino é o “coração” do sistema; Relés para a instalação elétrica;  Ethernet Shield (acesso à internet ); Programação web para as aplicações finais. 12

13 CARACTERÍSTICAS  Características Técnicas da Interface do Sistema :  Funcionamento constante;  Comandos manuais;  Processo de teste e Homologação do sistema;  Fácil mobilidade e instalação;  Interface amigável e agradável; 13

14 FUNÇÕES  Impacto direto ou indireto do produto;  1- Finalidade?  2- Função final?  3- Interesse?  4- Impactos Positivos causados ao destinatário? 14

15 FUNÇÕES  1- Sistemas de Controle baseados na automação para todas as funções encontradas no ambiente;  2- Integrar seus acionamentos/funções (praticidade, simplicidade e objetividade );  3- Ambiente prático, confortável, agradável, mais bonito, valorizado e seguro(interesse do usuário); 15

16 FUNÇÕES  4- Todas estas funções sem se desfazer da beleza, do conforto e valorizando o ambiente;  4 – Acessibilidade; Modernidade; Satisfação Pessoal.  Exemplos :  Automação de zonas de som ambiente em diferentes regiões e cômodos;  Controle integrado e remoto de toda a iluminação da casa; 16

17 FUNÇÕES  Exemplos:  Criação de estados pré-definidos das lâmpadas (dinamizadas) como filme/jantar/festas;  Integração de todos os comandos de áudio e vídeo;  Comandos de climatização integrados ao sistema de controle;  Abertura e fechamento de portas e portões remotamente. 17

18 VIABILIDADE  Vem aprofundada ao produto (durante a construção) verificando:  Produto é realmente rentável;  Se há demanda no mercado;  Competitividade nessa área. 18

19 VIABILIDADE  O nosso tem o baixo custo de fabricação do sistema;  Alta possibilidade de lucro;  Modernização do ambiente residencial;  Os atuais produtos (caros ou atendem as reais necessidades reais de um cliente). 19

20 VIABILIDADE  Alguns problemas de projeto:  Encontrar componentes no mercado nacional (gerando atraso na entrega do projeto/serviço);  Falta de produção de componentes locais (alto índice de importações);  Alto custo dos sistemas no mercado local ocorrendo a falta de acessibilidade aos sistemas; 20

21 RESTRIÇÕES  Limitação de recursos utilizados no produto;  O nosso produto tem acionamento imediato (controle de equipamentos mais complexos restritos);  Restrições Técnicas:  Forma embarcada em formato de Firmware e para a atualização do dispositivo; 21

22 RESTRIÇÕES  Restrições Técnicas:  O sistema deve estar constantemente alimentado;  Local com variações de temperatura/luminosidade uniformes;  Captação de presença deve estar direcionada para a área que se quer monitorar;  Alimentação em 220V. 22

23 STAKEHOLDERS  Pessoas ou organizações necessárias e envolvidas no projeto;  Valor (Direto ou Indireto) no produto;  Influência (Positiva ou Negativa) na confecção do produto. 23

24 STAKEHOLDERS  No nosso produto os principais stakeholders são:  Cliente;  Engenheiro Junior;  Gerente de Projetos;  Diretor;  Programador; 24

25 STAKEHOLDERS  Desenvolvedor;  Coordenador do Projeto;  Orientador de Pré-Projeto;  Analista de Teste e Desenvolvedores;  Engenheiro Civil;  CREA-MA. 25

26 TIPO DE ORGANIZAÇÃO  Forma de como as atividades e os recursos são administrados;  Atividades são moldadas para que esse objetivo final seja alcançado;  Nossa organização é voltada ao cliente(demanda depende do interesse); 26

27 TIPO DE ORGANIZAÇÃO  Cliente presente nas etapas de desenvolvimento (analisando os resultados obtidos e administrando os recursos);  E no final do projeto estará à frente da análise (dos resultados obtidos na execução com o que foi especificado e pedido no início do projeto). 27

28 GERENTE  Um dos mais importantes stakeholders do projeto;  Deverá:  Ditar tarefas;  Controlar o cronograma e o orçamento;  Ter plenos poderes sobre seus subordinados. 28

29 GERENTE  O gerente principal do projeto:  Responsável pelo gerenciamento do projeto;  Habilidades necessárias para que possa organizar as atividades;  Habilidade de liderança para designar as funções (stakeholders);  Conhecer cada área do projeto. 29

30 GERENTE  O gerente principal do projeto:  Habilidades em programação Arduino;  Conhecer bem a plataforma Web;  Conhecimento prévio sobre instalações elétricas. 30

31 HABILIDADES PESSOAIS PARA OS STAKEHOLDERS  Habilidades devem ser inerentes a cada stakeholder (cada função);  Cada um com sua obrigação com deveres a serem cumpridos e esses deveres exigem habilidades especiais para serem completados. 31

32 HABILIDADES PESSOAIS PARA OS STAKEHOLDERS  Stakeholders Não Usuários:  Programador (Garantir o uso de informações necessárias; Criar algoritmo e códigos; Tornar pensamentos em algo concreto);  Desenvolvedor (Garantir o fornecimento de informações necessárias; Utilizar os trabalhos realizados pelos programadores; Desenvolver interfaces de interação com o usuário; Desenvolver a programação do sistema); 32

33 HABILIDADES PESSOAIS PARA OS STAKEHOLDERS  Stakeholders Não Usuários:  Coordenador do Projeto (Avaliar as possibilidades de uso; Adaptar aos padrões de projeto e de mercado; Manter a ordem e gerenciar os caminhos e regras no desenvolvimento auxiliando o orientador);  Orientador de Pré-Projeto (Direcionar o projeto para os padrões de projeto final); 33

34 HABILIDADES PESSOAIS PARA OS STAKEHOLDERS  Stakeholders Não Usuários:  Engenheiro Junior (Gerente técnico da fase de Engenharia/Instalações; Responsável pela concepção do projeto de automação e pela supervisão das instalações dos produtos).  Stakeholders Usuários:  Cliente (Direcionar o projeto para os padrões de projeto final; Utilizar as funcionalidades do sistema; Informar eventuais erros de desenvolvimento do sistema); 34

35 HABILIDADES PESSOAIS PARA OS STAKEHOLDERS  Stakeholders Usuários:  Analista de Teste e Desenvolvedores (Emitir feedback das funcionalidades do sistema; Manter atualizadas as tecnologias do sistema; Requisitar atualização de novos componentes; Levantar requisitos necessários para o desenvolvimento do Sistema; Definir os padrões de desenvolvimento;) 35

36 CICLO DE VIDA DO PRODUTO  Conjunto de etapas necessárias ao completo aperfeiçoamento do produto;  De concepção e ideia do produto até a última etapa do encerramento;  Estudo de tecnologias; fabricação e entrega. 36

37 FASES DO CICLO DE VIDA DO PRODUTO  Estudo de tecnologias:  Visitação ao imóvel ou aquisição de sua planta baixa (1 turno/visita);  Reunião(ões) com consultores e stakeholders (30 a 60 minutos/reunião);  Fabricação:  Produção dos módulos genéricos (1dia/módulo);  Desenvolvimento, produção e teste dos módulos únicos (5 semanas/módulo); 37

38 FASES DO CICLO DE VIDA DO PRODUTO  Entrega:  Instalação dos módulos (1 semana);  Treinamento dos stakeholders (1 dia). 38

39 CICLO DE VIDA DO PROJETO  O ciclo de vida de um projeto consiste nas fases do mesmo, ou seja dentro do ciclo do produto, cada etapa do mesmo pode ser que haja a necessidade de um ciclo de projetos.  Organizadas Segundo a: Necessidades, a natureza e a área de aplicação. 39

40 CICLO DE VIDA DO PROJETO (INICIAÇÃO) Requisitos Visitação ao imóvel ou planta baixa. Objetivos Solucionar e implementar soluções de automação residencial ou predial. Entregas Produto de automação residencial; Módulos; Instalação dos módulos; Treinamento dos Stakeholders. Fases Estudo de tecnologias; fabricação; e entrega. Duração Somatório dos prazos de planejamento da solução, instalação dos módulos a serem utilizados, e treinamento dos Stakeholders. Custo Somatório dos custos de matéria-prima e valor de hora média utilizada por cada funcionário envolvido no processo, como analistas, consultores e instaladores. Recursos Fundos provenientes do saldo da organização e do investimento inicial do projeto. Stakeholders Pessoas físicas ou jurídicas com interesse em automação de imóveis; Detém total interesse, impacto e influência no projeto. Participação finalizada no processo de planejamento. 40

41 CICLO DE VIDA DO PROJETO (PLANEJAMENTO)  Elaboração do plano de gerenciamento de projeto;  Documento fundamental para o desenvolvimento e controle do projeto;  Descrição dos escopo, custos, recursos, métricas, e demais informações características. 41

42 CICLO DE VIDA DO PROJETO (PLANEJAMENTO)  Durante a fase de estudo de tecnologias pode ser necessário o agendamento de uma reunião;  O consultor será responsável por guiar os stakeholders no processo de soluções automotivas;  O tempo de reunião pode variar entre 30 e 60 minutos por reunião (sem custos); 42

43 CICLO DE VIDA DO PROJETO (PLANEJAMENTO)  Um dos recurso fundamental é o mostruário de módulos e portfólio da empresa;  Na fabricação os engenheiros passam a fabricar os módulos genéricos e a estudar a viabilidade da engenharia;  Na Entrega, módulos são instalados pelos técnicos responsáveis, e um consultor visita a residência para instruir os stakeholders na utilização do sistema; 43

44 CICLO DE VIDA DO PROJETO (EXECUÇÃO)  Desenvolvimento prático do projeto;  Documentos gerados nas fases anteriores serão usados bem como métricas e objetivos específicos. 44

45 CICLO DE VIDA DO PROJETO (MONITORAMENTO E CONTROLE)  Caracteriza-se pelo acompanhamento do projeto;  Controle de riscos, monitoramento da qualidade dos processos, e outras características do acompanhamento do sub-projeto. 45

46 CICLO DE VIDA DO PROJETO (ENCERRAMENTO)  Caracteriza o final do ciclo de vida de um projeto;  Os resultados obtidos são entregues aos stakeholders. 46

47 SUB-PROJETO: FABRICAÇÃO  A fase de fabricação é um subprojeto, e deve ser realizada cuidadosamente e bem acompanhada;  Estão descritos em etapas e grupo de processos referentes a este subprojeto:  Iniciação;  Planejamento;  Execução;  Monitoramento e Controle;  Encerramento. 47

48 SUB-PROJETO: FABRICAÇÃO  Iniciação: RequisitosListagem de módulos genéricos; Especificações de módulos únicos. ObjetivosFabricação de todos os módulos do projeto. EntregasOrçamento do projeto; Módulos. FasesViabilidade; Análise e estudo de requisitos; Fabricação; e testes. Duração1 semana para módulos genéricos; 5 semanas para módulos únicos. CustoMatérias-primas. RecursosInvestimento inicial de Stakeholders e fundos da organização. StakeholdersSolicitantes dos módulos. 48

49 SUB-PROJETO: FABRICAÇÃO  Planejamento:  Elaboração do plano de gerenciamento de projeto;  Na fabricação dos módulos genéricos basta atentar para os documentos sobre estes(mais fácil e seguro);  Na fabricação dos módulos únicos, é necessário realizar as seguintes fases: Viabilidade; Análise e estudo de requisitos; Fabricação e testes; 49

50 SUB-PROJETO: FABRICAÇÃO  Planejamento:  Na fase de análise e estudo de requisitos são estudados a melhor adaptação da solicitação dos stakeholders à realidade da organização;  Na fase de viabilidade são estudados fatores como a capacidade da empresa de fabricação do módulo, a disponibilidade dos materiais, complexidade, custo, materiais, valor e qualidade do produto; 50

51 SUB-PROJETO: FABRICAÇÃO  Planejamento:  Na fase de fabricação os módulos únicos são desenvolvidos;  Na fase de testes o módulo único é testado e avaliado; 51

52 SUB-PROJETO: FABRICAÇÃO  Execução:  Desenvolvimento prático do projeto;  Este processo é caracterizado pelo desdobramento das 4 (quatro) etapas que compõem o sub-projeto anteriormente. 52

53 SUB-PROJETO: FABRICAÇÃO  Monitoramento e Controle:  Acompanhamento do projeto, controle de riscos, monitoramento da qualidade dos processos;  Por exemplo: o olhar sobre as instalações já efetuadas, monitoramento das condições climáticas se há impactos sobre a obra, etc. 53

54 SUB-PROJETO: FABRICAÇÃO  Encerramento:  Final do ciclo de vida de um projeto;  Os resultados obtidos são entregues aos stakeholders gerando a entrega final dos relatórios essenciais ao fim da obra. 54

55 GRUPOS DE PROCESSOS  Processos de Iniciação (autorização do projeto ou fase):  Etapa importante para o correto funcionamento do projeto;  Datas, pessoal cadastrado, stakeholders, metas e trabalhos, etc.  Processos de Planejamento (definição e refinamento de objetivos (melhor caminho)):  Elaboração do plano de gerenciamento de projeto (documento fundamental); 55

56 GRUPOS DE PROCESSOS  Processos de Planejamento:  Serão descritos escopo, custos, recursos, métricas, e demais informações características do projeto  Requisitos necessários à instalação dos módulos de controle, a viabilidade dos módulos, meio de instalação e definição dos testes.  Processo de Execução (execução dos planos do projeto: coordenação de pessoas e outros recursos para executar o plano):  Desenvolvimento prático do projeto; 56

57 GRUPOS DE PROCESSOS  Processo de Execução:  Contemplando os documentos gerados nas fases anteriores (métricas, escopo, objetivos específicos, e custo);  Etapa de maior consumo nas despesas do projeto.  Processos de Monitoramento e Controle(nosso grupo); 57

58 GRUPOS DE PROCESSOS  Processos de Encerramento (aceitação formal do projeto (com verificação de escopo) ou fase para a sua finalização):  Marca o fim do tempo de vida dos grupos de processos anteriores;  Resultados obtidos são entregues aos stakeholders* *Contribuem para documentos gerados ao final deste grupo de processo; 58

59 CONTROLE E MONITORAMENTO  Processosrealizados para observar a execução do projeto;  Identificar erros e tomar decisões corretivas (controlar a execução do projeto);  Observar o desempenho do projeto (identificar variações em relação ao plano de gerenciamento);  É dividido em 8 DISCIPLINAS, descritas a seguir: 59

60 CONTROLE E MONITORAMENTO (DISCIPLINAS)  Gerenciamento da Integração ( Monitorar e controlar o trabalho do projeto e Realizar o controle integrado de mudanças):  Mudanças surgidas ao longo do projeto devem ser analisadas e monitoradas (aprimoramento).  Gerenciamento do Escopo (Verificação e Controle do escopo):  Definir todo o trabalho necessário para a aplicação dos módulos da central de controle; 60

61 CONTROLE E MONITORAMENTO (DISCIPLINAS)  Gerenciamento do Escopo:  Medição de desempenho (comparando o que foi planejado).  Gerenciamento das Aquisições (descreve os processos requeridos para adquirir bens e serviços de fora da organização "dona" do projeto):  Administrar aquisições;  Controlar e administrar compras junto aos fornecedores; 61

62 CONTROLE E MONITORAMENTO (DISCIPLINAS)  Gerenciamento dos Riscos (descreve os processos relacionados a identificar, analisar e responder aos riscos do projeto):  Monitoram os riscos físicos;  Riscos monetários da aplicação do produto;  Riscos de problemas com patentes dos artefatos utilizados;  Possíveis desistências de stakeholders ao longo do projeto; 62

63 CONTROLE E MONITORAMENTO (DISCIPLINAS)  Gerenciamento do Tempo (descreve os processos requeridos para garantir que o projeto seja completado dentro do prazo):  Controlar o cronograma(Definição inicial de prazos);  Gerenciar as tarefas interdependentes;  Nosso projeto deve ser concluído em tempo estimado de até 30 (trinta) dias. 63

64 CONTROLE E MONITORAMENTO (DISCIPLINAS)  Gerenciamento dos Custos (agrega os processos que envolvem planejamento, estimativa, orçamento e controle de custos que serão necessários para a conclusão do projeto a partir de uma previsão do orçamento):  Inicialmente a administração dos recursos fica dependente do tipo de cliente;  Avaliação dos custos gerados pelo projeto (mão de obra, ferramentas); 64

65 CONTROLE E MONITORAMENTO (DISCIPLINAS)  Gerenciamento dos Custos:  Gerenciar os custos no andamento do projeto;  Uma técnica: estimar os custos por meio de outros projetos anteriores;  Gerenciamento da Qualidade (descreve os processos requeridos para garantir que o projeto vai satisfazer as necessidades pelas quais ele foi feito); 65

66 CONTROLE E MONITORAMENTO (DISCIPLINAS)  Gerenciamento da Qualidade:  Nossos serviços estão sujeitos a erros (local de funcionamento, localização da central);  Fases de Teste na instalação (necessário seguir documentação);  Manutenção no serviço (Garantia de qualidade); 66

67 CONTROLE E MONITORAMENTO (DISCIPLINAS)  Gerenciamento da Qualidade:  Inspecionando todo o processo de conclusão obedecendo a todas as normas técnicas, ambientais relacionadas com o projeto.  Gerenciamento das Comunicações (descreve os processos requeridos para garantir rápida e adequada geração, coleção, disseminação, armazenamento e disposição final das informações do projeto):  Ato essencial para o sucesso do projeto; 67

68 CONTROLE E MONITORAMENTO (DISCIPLINAS)  Gerenciamento das Comunicações:  Fundamentam as ligações entre as pessoas, ideias e as informações;  Relatar desempenho, monitorar o desempenho e metas relatadas a cada stakeholder, monitorar a execução das tarefas. 68

69 CONCLUSÃO  Importância em aplicar os conceitos de planejamento e avaliação de projetos em diversas áreas;  Integração do meio tecnológico para automação residencial;  Monitorar e Controlar o Trabalho do Projeto !! 69

70 Obrigado!! 70


Carregar ppt "PLANEJAMENTO E AVALIAÇÃO DE PROJETOS Automação Residencial com aplicação em Arduino."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google