A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

RELATO DE UM CERTO ORIENTE Autor: Milton Hatoum. RELATO DE UM CERTO ORIENTE Autor: Milton Hatoum Escola Literária: Literatura Contemporânea Ano de Publicação:

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "RELATO DE UM CERTO ORIENTE Autor: Milton Hatoum. RELATO DE UM CERTO ORIENTE Autor: Milton Hatoum Escola Literária: Literatura Contemporânea Ano de Publicação:"— Transcrição da apresentação:

1 RELATO DE UM CERTO ORIENTE Autor: Milton Hatoum

2 RELATO DE UM CERTO ORIENTE Autor: Milton Hatoum Escola Literária: Literatura Contemporânea Ano de Publicação: 1989 Gênero: Romance Divisão da Obra: 8 capítulos Local: Manaus

3 VOZES NARRATIVAS: Capítulo 1 - narradora-protagonista Capítulo 2 – Hakim Capítulo 3 – Dorner Capítulo 4 – Dorner Capítulo 5 - Dorner e, depois, Hakim Capítulo 6 - narradora-protagonista Capítulo 7 - Hindié Conceição Capítulo 8 - narradora-protagonista

4 OS PERSONAGENS 1. Emilie Apesar de a imagem da mulher oriental ser ligada à submissão, Emilie é bem enérgica na relação familiar e consegue impor suas vontades mediante ao marido, aos filhos e à criadagem em geral. Cheia de mistérios e segredos, Emilie revela um deles a Anastácia, a empregada: "o rancor de um homem apaixonado se amaina com carinhos e quitutes. - São duas armas poderosas para acalmar o gênio de cão do meu marido..."

5 OS PERSONAGENS 1. Emilie Emilie é adorada pelos filhos e é também a responsável por perpetuar a cultura libanesa aos seus descendentes - como dito anteriormente, ela escolhe Hakim, o filho mais velho para ensinar o "alifebata", repetindo a tradição cultural - ela havia sido alfabetizada pela avó, antes de frequentar a escola.

6 OS PERSONAGENS 2. Narradora-Protagonista A narradora principal não é nomeada pelo autor. É ela quem tem a ideia de escrever uma carta ao irmão, o qual se encontra em Barcelona, para revelar-lhe detalhes do tempo em que eram crianças e da história da família e dos amigos. Para isso, colhe informações com outros personagens por meio de gravações de fitas e de anotações em cadernos. Porém declara "fui incapaz de ordenar coisa com coisa."

7 OS PERSONAGENS 2- Narradora-Protagonista Já no primeiro capítulo, ela conta seu retorno à casa da infância vinte anos depois e descreve uma parte da casa na qual acabara de acordar - dormira no pátio. Ao conversar com a empregada, obtém a informação de que a mãe havia viajado. Tratava-se da mãe biológica da narradora. Mas sua intenção verdadeira era se reencontrar com Emilie, sua mãe adotiva, encontro esse que ela adiara por muito tempo. Nesse dia, Emilie já está à beira da morte, mas a narradora ainda não sabe, e essa informação também não nos é dada no primeiro capítulo.

8 OS PERSONAGENS 2. Narradora-Protagonista Após a apresentação da família, a narradora se reporta ao ano de 1954 e faz referência a Soraya Ângela, filha de Samara Delia e neta de Emilie. Soraya é uma menina enigmática. As condições de seu nascimento e morte e o fato de ser surda-muda marcam muito essa personagem.

9 OS PERSONAGENS 2. Narradora-Protagonista A filha adotiva de Emilie narra também o sexto capítulo, o qual faz referência ao primeiro capítulo, narrando as horas que antecederam a morte de Emilie. Não tendo encontrado a mãe adotiva, ela sai a passear pela cidade, encontra Dorner e depois relata a morte de Emilie.

10 OS PERSONAGENS 2. Narradora-Protagonista Também o último capítulo (oitavo) é narrado por ela. Aqui são mostradas lembranças de quando estava internada na clínica, a visita de sua mãe biológica (e seus desencontros) nesse local, e referências ao primeiro capítulo.

11 OS PERSONAGENS 2. Narradora-Protagonista Essa personagem é a protagonista porque é ela a responsável por idealizar um documento maior formado pela reunião dos demais.

12 OS PERSONAGENS 3. Hakim Hakim é o primogênito de Emilie. É chamado de "tio" porque, já nas primeiras páginas, a narradora diz que ele e Samara se tornaram seus "tios" (mas, na verdade, é seu irmão adotivo). Hakim também contribui com a narradora-protagonista, apresentando suas histórias, extraídas a partir de conversas com Gustav Dorner, Hindié Conceição e de sua própria experiência de vida. Ele é responsável pela narração do segundo capítulo e de parte do quinto em que fala de sua relação com o fotógrafo e do grande enigma que circunda a morte do tio Emir.

13 OS PERSONAGENS 3. Hakim Curioso, Hakim conta que frequentava escondido o quarto de Emilie em busca de respostas aos mistérios da mãe como, por exemplo, sua adoração pelo relógio de parede, as correspondências enviadas por alguém que assinava V.B. (esse nome só é anunciado mais tarde: Virginie Boulad, irmã Vice-superiora), as orações em francês e a inscrição em francês no túmulo de Emir.

14 OS PERSONAGENS 3. Hakim Após sair de casa, Hakim troca correspondências com Emilie, mas nada por meio da escrita; o contato era feito somente por fotografias (e assim ele soube da morte do pai). Foram quase vinte e cinco anos de correspondências. Importante, também, lembrar que esse era o filho com quem Emilie tinha mais afinidade.

15 OS PERSONAGENS 4- Samara Délia É a filha de Emilie que teve uma menina quando ainda era adolescente e, por isso, foi rejeitada por toda a família. Depois da morte do pai ela foge sem retornar à família.

16 OS PERSONAGENS 5. Dorner Gustav Dorner é um alemão amigo da família libanesa. Ele também contribui com sua narrativa para compor o documento idealizado pela narradora principal - é responsável pelo terceiro, quarto e parte do quinto capítulo. Ele conseguiu apagar um pouco do silêncio do marido de Emilie e fazê-lo falar sobre sua vinda ao Brasil, acompanhou de perto a dor da morte de Emir, seu amigo, presenciou o momento em que Emilie e o marido se conheceram e acompanhou o nascimento e crescimento dos filhos do casal, bem como a adoção dos dois filhos. Dorner também acompanhou a história de Manaus e de muitas famílias do local por meio de suas fotografias.

17 OS PERSONAGENS 5. Dorner Nas poucas falas do irmão da narradora principal, ele caracteriza Dorner: "Nas tuas raras alusões a Dorner, falavas, não de um ser humano, e sim de uma ‘personagem misteriosa’, de um ‘náufrago enigmático que o acaso havia lançado à confluência de dois grandes rios, como uma gota de orvalho surge imperceptivelmente na pele de uma pétala escura num momento qualquer da noite’."

18 OS PERSONAGENS 6. Emir Emir é um dos irmãos de Emilie. Ele não contribui com a narrativa, pois morreu muito antes da chegada da narradora à casa de Emilie. Por isso, o que se sabe dele sempre vem do relato de outras pessoas e sempre é marcado por um clima de angústia por causa de sua morte trágica, envolvida em segredos nunca descobertos.

19 OS PERSONAGENS 6. Emir Emir veio do Líbano com a irmã Emilie e com o irmão Emin. Abandonada pelos pais, Emilie, inconformada, foge para o convento, local em que descobre sua vocação religiosa. Após dias de procura, Emir descobre o paradeiro da irmã e vai até o convento. Ao vê-la vestida com o hábito, desespera-se e a chantageia, dizendo que iria se matar caso ela não voltasse com ele. Para poupar a vida do irmão (que tinha um revólver apontado para sua própria cabeça), Emilie decide acompanhá- lo.

20 OS PERSONAGENS 6. Emir Ao vir para o Brasil, desembarcaram antes em Marseilie. Emir desapareceu, e Emilie foi achá-lo junto a uma moça. Já no Brasil, o rapaz não se adaptou ao novo ambiente, nem às pessoas e nem à língua - falava somente em árabe. Também não se interessava pelo comércio ou por algo que o prendesse. Era amigo de Dorner, mas o diálogo entre os dois era fragmentado, quase sem entendimento, pois cada um falava sua língua natal.

21 OS PERSONAGENS 6. Emir Dorner encontra-se com Emir minutos antes de sua morte, mas o que chama a atenção do fotógrafo, biólogo que era, é a flor que Emir carregava na mão (uma orquídea rara). Assim, ele não percebe o momento depressivo por que passava o amigo em direção ao porto.

22 OS PERSONAGENS 6. Emir O motivo do suicídio de Emir nunca foi conhecido pelos familiares ou amigos. Suspeita-se de um desgosto amoroso (possivelmente com a francesa) que o teria marcado profundamente. Mas também poderia ser pela inadaptação ao ambiente. Isso são somente suposições, nada é revelado pelo autor.

23 OS PERSONAGENS 7. O marido de Emilie O que se sabe da história do pai da família libanesa em questão é dito pelo alemão Dorner. No capítulo em que é narrada sua história, ele relata sua vinda para o Brasil, para o qual viera em busca de seu "tio Hanna".

24 OS PERSONAGENS 7. O marido de Emilie Leitor do ‘Alcorão’ e do livro ‘As mil e uma noites’, o homem misturava fantasia em suas narrativas ao contá-la ao fotógrafo. Foi essa a interpretação a que Dorner chegou. A tradição de contar histórias encontra ecos na tradição oral libanesa, sua origem.

25 OS PERSONAGENS 7. O marido de Emilie O pai de família era solitário e muito silencioso. Amava os filhos, mas foi muito rude com Samara Délia a ponto de ignorá- la quando esta engravidou muito nova e solteira. No entanto, depois de um tempo, quando começou a conviver com Soraya, a neta, fez questão de que filha e neta (que viviam enclausuradas no quarto) sentassem com a família à mesa. Infelizmente nunca conseguiu passar essa lição de perdão aos dois filhos (os quais não são nominados pelos narradores e que nunca perdoaram à irmã), por isso, desistiu deles.

26 OS PERSONAGENS 8. A empregada Anastácia Anastácia Socorro é a lavadeira da casa e empregada de confiança de Emilie, com quem a matriarca divide seus segredos e sua cumplicidade.

27 OS PERSONAGENS 8. A empregada Anastácia Mesmo sendo assim, tão próximas, Emilie faz questão de deixar clara a relação entre patroa e empregada. Anastácia, por exemplo, é proibida de comer frutas e guloseimas da casa. Aliás, os empregados eram muito maltratados pelos patrões (diversas empregadas sofreram abusos dos dois irmãos de Hakim, mas eles eram protegidos por Emilie, que sempre as culpava). Quem protegia Anastácia sempre que ela era flagrada comendo alguma coisa era Hakim, que dizia ter sido ele quem dera a guloseima ou a fruta à empregada.

28 OS PERSONAGENS 8. A empregada Anastácia Pelo fato de não concordar com essas e outras atitudes, dos pais e dos dois irmãos, tio Hakim saiu de casa - não suportava esse preconceito (também não entendia por que pessoas de sua casa, estrangeiras, discriminavam os nativos quando o normal deveria ser o contrário).

29 OS PERSONAGENS 9. Soraya Ângela Soraya era neta de Emilie e filha de Samara Delia. A personagem é enigmática e silenciosa, não só por ser surda-muda, mas, assim como a mãe, vivia solitária e longe de todos.

30 OS PERSONAGENS 9. Soraya Ângela Soraya teve vida curta e polêmica. Filha de pai desconhecido e de mãe solteira, a menina foi rejeitada por todos, mesmo ainda na barriga da mãe. A princípio, Samara Delia tentou esconder a gravidez, mas Emilie descobriu o relevo no ventre da filha, antes que Samara Delia o descobrisse. Negou durante três ou quatro meses, sem acreditar no outro corpo expandindo-se no seu corpo, até o dia em que não pôde mais sair de casa, até a manhã em que acordou sem poder sair do quarto.

31 OS PERSONAGENS 9. Soraya Ângela Samara Delis viveu cinco meses confinada, solitária, próxima demais àquele alguém invisível, a outra vida ainda flácida, duplamente escondida. Só Emilie entrava no quarto para visitá-la, como se aquele espaço vedado fosse um lugar perigoso, o antro do contágio e da proliferação da peste. E, na noite em que nasceu Soraya, a casa toda permaneceu alheia aos gemidos.

32 OS PERSONAGENS 9. Soraya Ângela “[...] Durante semanas e meses, ninguém passou diante da porta do quarto, e o pequeno mundo da reclusão continuou a existir, vigiado, lúgubre, a vida crescendo em segredo, em surdina: um aquário opaco e sem luz dentro da casa, onde nenhum ruído ou gemido, nenhuma extravagância de sons denunciasse, a presença dos dois corpos, como se mãe e filha tivessem renunciado a tudo, à espera da absolvição e do reconhecimento. Emilie era a única pessoa que lhes permitia sobreviver. Demorou quase um ano para que os irmãos aceitassem a companhia velada de ambas e, às vezes, esquecíamos por completo a existência dos dois seres alheios ao nosso convívio. Essa distância, essa invisibilidade acabaram por tornar-se um hábito.”

33 OS PERSONAGENS 9. Soraya Ângela Durante sua curta vida, Soraya, que sequer havia dito uma palavra, escreveu o nome da avó, com giz, no casco da tartaruga. Esse momento foi de estupefação para toda a família, afinal, ela não sabia falar e muito menos escrever. Mesmo depois disso, a menina continuou sendo rejeitada pela família e pelas crianças ("e ela mesma percebia isso"). Dos tios, apenas Hakim passeava com a menina, os outros dois a desprezavam.

34 OS PERSONAGENS 10. Hindié Conceição Hindié era amiga, vizinha e confidente de Emilie. Ela é importante relatora para o documento final da narradora- -protagonista, pois traz revelações sobre Emilie no sétimo capítulo. É a ela a quem Emilie revela o segredo do cofre e, consequentemente, de sua fortuna, "ao perceber que o marido já estava nas últimas".

35 OS PERSONAGENS 10. Hindié Conceição Em seus relatos, Hindié recorda da vida da amiga e também o quanto os dois filhos (que não possuem nome) a fizeram sofrer; ela narra os acontecimentos de seus últimos dias até a sua morte. Revela, também, que Samara era "uma flor rara para o pai", que ele a amava muito, mesmo à maneira dele.

36 OS PERSONAGENS 10. Hindié Conceição Finalmente, é importante lembrar do papel fundamental que exerceu Hindié para Emilie e como colaboradora da narrativa para o irmão da narradora- protagonista.

37 OS PERSONAGENS 10. Hindié Conceição Presença constante na casa, há muitos anos, foi Hindié Conceição quem acompanhou a amiga até seus últimos dias, uma vez que Emilie morava sozinha e já não tinha nenhum filho por perto.

38

39


Carregar ppt "RELATO DE UM CERTO ORIENTE Autor: Milton Hatoum. RELATO DE UM CERTO ORIENTE Autor: Milton Hatoum Escola Literária: Literatura Contemporânea Ano de Publicação:"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google