A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Crianças após a morte. Ante os que partiram Emmanuel “Nenhum sofrimento, na Terra, será talvez comparável ao daquele coração que se debruça sobre outro.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Crianças após a morte. Ante os que partiram Emmanuel “Nenhum sofrimento, na Terra, será talvez comparável ao daquele coração que se debruça sobre outro."— Transcrição da apresentação:

1 Crianças após a morte

2

3 Ante os que partiram Emmanuel “Nenhum sofrimento, na Terra, será talvez comparável ao daquele coração que se debruça sobre outro coração regelado e querido que o ataúde transporta para o grande silêncio......quando semelhante provação te bata à porta, reprime o desespero e dilui a corrente na fonte viva da oraçãO, porque os chamados mortos são apenas ausentes e as gotas do teu pranto lhes fustigam a alma como chuva de fel....”

4 LAMENTAR A PERDA PREJUDICA O ESPÍRITO As lamentações, o choro e a fixação no ente querido que desencarnou prejudicam sua reabilitação no plano espiritual, fazendo com que ele sofra vendo tamanho desespero de seus familiares. A oração é o melhor remédio para todos. Pedir a Deus que proteja e auxilie seu filho no plano espiritual é a maneira correta de lhe fazer o bem.

5 Psicografias de espíritos de crianças, médium: Chico Xavier Pontos em comum: Pedem para que os pais para confiar em Deus e na Vida. Para não se deixarem dominar pelo sofrimento. Relatam que escutam o choro e as palavras ê vêem o que se passa, ainconformação dos pais e isso os faz sofrer, dificultando sua adaptação e restabelecimento. Normalmente foram recebidos por parentes (avós, tios…) nomeando-os. alguns acordaram em hospitais ou em instituições para crianças.

6 R: A curta duração da vida da criança pode representar para o Espírito que a animava, o complemento de existência precedentemente interrompida antes do momento em que deveria terminar, e sua morte, também não raro, constitui provação ou expiação para os pais.

7

8

9 Complemento existencial, em casos de suicídios; Acordar corações queridos para a aquisição de valores morais; O espírito em evolução pode passar por certas experiências visando adquirir certos valores para sua formação profunda.

10 „Conhecemos grandes almas que renasceram na Terra por brevíssimo prazo, simplesmente com o objetivo de acordar corações queridos para a aquisição de valores morais, recobrando, logo após o serviço levado a efeito, a respectiva apresentação que lhes era costumeira“. André Luiz

11 Crescimento das crianças no mundo Espiritual estará intimamente atrelado à retomada de consciência por parte do Espírito desencarnado, o que lhe permitirá plasmar as modificações necessárias em seu corpo fluídico.

12 „Acreditamos que o menino desencarnado retomasse, de imediato, a sua personalidade de adulto… Em muitas situações é o que acontece quando o Espírito já alcançou elevado estágio evolutivo. Contudo, para a grande maioria das crianças que desencarnaram, o caminho não é o mesmo. Almas ainda encarceradas no automatismo inconsciente, acham-se relativamente longe do autogoverno. Jazem conduzidos pela Natureza, à maneira de criancinhas no colo materno. É por esse motivo que não podemos prescindir de períodos de recuperação, para que se afasta do veículo físico, na fase infantil.“ André Luiz – Entre a Terra e o Céu

13 MUNDO ESPIRITUAL Assumir a forma da última existência; Conservar a forma infantil que vai se desenvolvendo à semelhança do que ocorre na Terra; Reencarnar pouco tempo depois do falecimento; TERRA PAIS: Resignação, Adaptação/administrar o sentimento de perda, Coragem Idealismo…

14 Crianças no Plano Espiritual André Luiz informa-nos que todas elas são recolhidas em Instituições apropriadas, não se encontrando Espíritos de crianças nas regiões umbralinas. Há inúmeras descrições de Escolas, parques, colônias e instituições diversas consagradas ao acolhimento e amparo de crianças que retornam do planeta através da Desencarnação. Ex: Colônia Raios do Amanhecer

15 Casa da Criança- Colônia Alvorada Nova Do livro: ALVORADA NOVA, autor: Abel Glaser, Espirito: Caibar Schutel „Não se estranhe em ouvir falar de crianças no mundo espiritual. Em cima é igual ao embaixo é a lei. O prédio ao lado é o maior da Colônia Alvorada Nova em área e engloba dormitório, alojamento e lazer….

16 O espírito André Luiz, no livro “Entre a Terra e o Céu” segundo nos conta visitou uma dessas instituições denominada “Lar da Bênção” onde havia várias crianças As crianças desencarnadas recebiam a visita de suas mães ainda encarnadas, cujos espíritos se encontravam emancipados pelo sono físico. As crianças permaneciam ali recebendo cuidados e instrução até recobrarem sua condição de adultos assumindo a consciência de seu patrimônio espiritual, ou reencarnarem sem ainda terem adquirido essa condição para na carne continuarem sua trajetória. A segunda opção, o reencarne rápido, seria o destino da maioria dos espíritos internados no Lar da Bênção. Reencontro no mundo Espiritual

17 Livro: Crianças no Além, Chico Xavier Mensagem de Marcos (12 anos)

18 A Mensagem Marcos Minha querida Mamãe, meu querido papai. Estou obedecendo ao meu avô Joaquim que me trouxe para escrever. Peço para que me abençoem Querida mamãe, a senhora pede notícias e rogou tanto, mas tanto, perante as orações que me vejo aqui para trazer a esperança ao seu coração e fortalecer em meu pai a confiança na vida. Não sei como fazer isso dirito : escrever falando o que se passa.

19 Meu avô está me auxiliando, mas por dentro de mim, estou como quem traz o pensamento tropeçando na vontade de chora. É preciso ser forte e ser homem para receber um compromisso desses.

20 Papai é calado e tantas vezes sem manifestações iguais às nossas, mas para ele também estou garatujando esta carta. Rogo a vocês para não se deixarem dominar pelo sofrimento, embora este conselho deva ser ditado para mim mesmo.

21 Estamos assim como num telefone direto, em que o fio do lápis vai formando as minhas palavras, sem que eu possa receber as palavras de meus pais queridos, ao mesmo tempo.

22 Sei tudo o que tem acontecido. Sei, mãezinha, que a senhora está sendo considerada uma pessoa em perturbação mental. Mas nós entendemos daqui as suas aflições. Três filhos esmagados quase ao chegarem em casa… E a nossa separação de repente. Isso transtornaria o cérebro de um gigante, quanto mais os nossos corações sempre ligados pelo carinho.

23 Desde que acordei aqui, ouço os seus gritos do coração: suas palavras que não são faladas, suas preces em aflição no silêncio e suas lágrimas que aí na Terra ninguém vê… Mas peço à senhora, em nome da nossa Sheilinha, do João Batista e em meu nome, para viver e viver com fé em nosso reencontro. Mamãe, se não fosse a falta que a gente experimenta de casa, se não fosse a voz da senhora e do papi por dentro de mim, eu diria que tudo está bem. Mas posso dizer agora, que tudo melhorará, quando melhorarem na paciência e na confiança.

24 Estamos num parque de crianças que vieram para cá apressadamente. Temos tratamentos, exercícios, lições e muito carinho.

25 Muitos meninos já crescidos ajudam os menores e são auxiliares de enfermeiras queridas que nos amparam, como sendo filhos do coração.

26 Temos repouso, mas o repouso é atravessado pelas recordações que se fazem tão vivas como se fossem relâmpagos coloridos e parados em nossas lembranças. Nessas telas da alma, vemos o que se pass à distância e, além disso, suas vozes, Mãezinha, nos alcançam por todos os meios. Peço a você – a você que é nosso querido anjo da guarda – entregar a Deus os acontecimentos de fevereiro. Não chore mais com desânimo e aflição.

27 A senhora, sempre carinhosa e sempre imensamente boa para nós, não choraria mais com tanta angústia se visse a nossa querida Sheila cair de aflição, querendo ir ao seu encontro sem poder.. Ajude-nos querida Mamãe.

28 Aqui temos muita gente dedicada ao bem. A Irmã Luíza nos abençoa – benfeitora que não conheci – e um santo a quem devemos chamar por Irmão Ukuru nos cerca de muito amor, quase todos os dia. O tio Diogo e o avô Joaquim são companheiros que tudo fazem por nosso auxílio. De tia Maria nada sei. Pergunto por ela, mas recebo apenas a notícia de que ela vai bem.

29 De certo modo, ainda não estou muito em mim. Se tivesse que retomar os estudos aí em casa, creio que não seria possível. Tenho a cabeça assim aflita, como quem não saiu de um susto muito grande e não posso lembrar com muita insistência aquela veraneio e nem a nossa casa em Perus, porque me sobe uma emoção ao cérebro que dá para tontear; mas o avô Joaquim me diz que tudo vai melhorar quando a senhora e papai estiverem mais fortes.

30 Nós estamos todos unidos sem que eu saiba como é isso. O pensamento é uma força, mas não sei ainda explicar o que sinto. Mamãe, não fique parando o olhar em nossas lembranças.

31 Tudo o que foi nosso – de nós três- dê a outras crianças em nosso nome. Ficará para nós o coração inteirinho, porque a senhora, papai, João Batista e Sheila e eu não nos separamos. Peça energias para nós nas preces do seu carinho de sempre. Mamãe, as lágrimas são forças de Deus em nossa vida, e por isso, nenhum de nós está livre de chorar, mas as nossas lágrimas devem ser orações de gratidão e amor, paz e fé.

32 Um dia estaremos todos juntos, mas não deseje vir para cá como quem força a entrada de uma casa desconhecida.

33 Pouco a pouco, entenderemos as razões de tudo o que sucedeu. Rogamos para que a ninguém seja atribuída qualquer culpa pelo acidente. O veículo poderia estar sendo guiado por nós. Ninguém cria problemas de trânsito por vontade própria, como no caso em que nos vimos. Mamãe, quereos a paz, a paz de todos. Ajudem, a senhora e meu pai a termos paz. Não se queixem. Vamos cultivar a saudade na igreja do amor ao próximo.

34 Temos tantos irmãos nas calçadas e nas ruas, pedindo auxílio! Sejam eles filhos também de seu coração. Aqui, muitos pais de meninos desamparados oram conosco pelos filhos que sofrem no mundo, mas eu sei que a senhora e meu pai serão auxílio e bênção para esses meninos, filhos de tantos amigos bons que nos amparam aqui.

35 Não posso continuar. Mamãe, abençoe os filhos que somos nós aqui, sem você, mas contando sempre com a senhora para ficar mais fortes. Deus nos auxiliará. Hoje, tenho mais fé. Em nome dos irmãos e em meu nome, deixo a vocês em casa o nosso beijo de respeito e de amor. E recebam, com o abraço do avô Joaquim, todo o coração do filho, sempre filho reconhecido. MARCOS Uberaba, 12 de dezembro de 1975.

36 Bibliografia Palestra de Jerri Almeida: Desencarnação de Crianças e a condição do Espírito O Livro dos Espíritos - Allan Kardec O Evangelho Segundo o Espiritismo - Allan Kardec Entre a Terra e o Céu - André Luiz/Chico Xavier Resgate e Amor - Tiaminho/Chico Xavier Escola no Além - Claudia/Chico Xavier Crianças no Além - Marcos/Chico Xavier


Carregar ppt "Crianças após a morte. Ante os que partiram Emmanuel “Nenhum sofrimento, na Terra, será talvez comparável ao daquele coração que se debruça sobre outro."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google