A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

“Levantou-se um doutor da lei e, para pô-lo à prova, perguntou: Mestre, que devo fazer para possuir a vida eterna? Disse-lhe Jesus: O que está escrito.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "“Levantou-se um doutor da lei e, para pô-lo à prova, perguntou: Mestre, que devo fazer para possuir a vida eterna? Disse-lhe Jesus: O que está escrito."— Transcrição da apresentação:

1

2 “Levantou-se um doutor da lei e, para pô-lo à prova, perguntou: Mestre, que devo fazer para possuir a vida eterna? Disse-lhe Jesus: O que está escrito na lei? O que lês nela? Respondeu ele: Amarás o Senhor teu Deus de todo o teu coração, de toda a tua alma, de todas as tuas forças e de todo o teu pensamento (Deut 6, 5); e a teu próximo como a ti mesmo. (Lev 19, 18) Disse-lhe Jesus: Respondeste bem, faze isso e viverás. Mas, ele querendo parecer que era um justo, perguntou a Jesus: E quem é o meu próximo? Jesus, então lhe diz: Um homem descia de Jerusalém a Jericó e caiu nas mãos de ladrões, que o despojaram, e depois de o terem maltratado cobrindo-o com muitos ferimentos, retiraram-se, deixando- o quase morto. Lucas 10,

3 Aconteceu em seguida, que um sacerdote desceu pelo mesmo caminho, viu-o e passou adiante. Igualmente um levita, chegando àquele lugar, viu-o e também passou adiante. Mas, um samaritano que viajava, chegando àquele lugar, viu-o e moveu-se de compaixão. Aproximando-se atou-lhe as feridas, deitando nelas azeite e vinho; colocou-o sobre a sua própria montaria e levou-o a uma hospedaria e tratou dele. No dia seguinte, tirou dois denários e os deu ao hospedeiro, dizendo- lhe: Trata bem dele e, o quanto gastares a mais, na volta te pagarei. Qual dos três te parece ter sido o próximo daquele que caiu nas mãos dos ladrões? Respondeu o doutor: Aquele que usou de misericórdia para com ele. Então Jesus lhe disse: Vai e faze o mesmo”. Lucas 10,

4 No final do século XI a.C., com a coroação de Saul, as tribos se uniram pela primeira vez sob um único líder. (Rúben, Simeão, Levi, Judá, Dã, Naftali, Gade, Aser, Issacar, Zebulom, José e Benjamim) Mas um movimento em Judá, liderado por Davi e apoiado pelos filisteus, terminou por vencer Saul. Davi foi coroado rei de Judá, enquanto o restante de Israel deveu lealdade ao filho de Saul, Isbosete. Após vários feitos militares contra povos estrangeiros, Davi uniu as 12 tribos sob seu cetro. Seu filho, Salomão, manteve sua autoridade sobre toda a Israel até sua morte. Uma diferença marcante na carga de impostos aplicados por Judá às outras tribos, foi o estopim para a desunião. Com a morte de Salomão ocorreu a divisão entre as tribos de Judá/Bejamim e as demais 10 tribos. Formou-se assim os reinos de Judá, ao sul, com sede em Jerusalém, e Israel, ao norte, com capital em Samaria ( a.C.). I e II Livro dos Reis, AT

5 Depois da dissidência, Samaria tornou-se a capital do reino de Israel (10 tribos). Destruída e reconstruída várias vezes e, sob o domínio romano, foi a sede da Samaria. Herodes, a embelezou e, para agradar Augusto, deu-lhe o nome de Augusta, em grego Sébaste. Uma aversão profunda, datando da separação, perpetuou-se entre os dois povos, que afastavam todas as relações recíprocas. Para tornar a dissidência mais profunda e não ter de ir a Jerusalém para celebração das festas religiosas, construíram um templo e adotaram certas reformas religiosas. Não admitiam senão o Pentateuco de Moisés, rejeitando todos os livros anexados depois. Para os judeus eles eram heréticos e, por isso, desprezados e perseguidos. O antagonismo era a opinião religiosa, embora suas crenças tivessem a mesma origem. O Evangelho Segundo o Espiritismo, Introdução

6 Com o objetivo de demonstrar a precariedade dos ensinamentos da religião oficial, Jesus figurava os samaritanos como sendo os que melhor haviam assimilado os seus ensinos, concretizando em atos aquilo que aprendiam através das suas palavras. O Mestre também os tomou como paradigmas em outras circunstâncias: A mulher samaritana (João 4, 5-30) e os dez leprosos (Lucas 17, 11-19). A parábola evidencia que o indivíduo que se intitula religioso e se julga virtuoso, nem sempre é o expoente de virtudes que julga possuir. Ensina aos outros como fazer caridade, que ele mesmo não pratica. O sacerdote que passou primeiro, certamente atribuía a si virtudes e se considerava cumpridor da Lei e dos preceitos religiosos. Ao se deparar com o moribundo, certamente fez uma prece em seu favor, mas não o ajudou diretamente. O levita também. Jornal Mundo Espírita de Janeiro de 1998

7 Levantou-se um doutor da lei e, para pô-lo à prova, perguntou: Mestre, que devo fazer para possuir a vida eterna? Disse-lhe Jesus: O que está escrito na lei? O que lês nela? Não penseis que vim destruir a Lei ou os profetas; não vim destruí-los, mas dar-lhes cumprimento. Em verdade vos digo que o céu e a Terra não passarão, até que não se cumpra tudo quanto está na Lei. Mateus 5, Jesus não veio destruir a Lei, ele veio cumpri-la, dar-lhe seu verdadeiro sentido e apropriá-la ao grau de adiantamento dos homens. Quanto às leis de Moisés de caráter civil ou disciplinar, ele as modificou profundamente, combatendo o abuso das práticas exteriores e as falsas interpretações. Reduziu-as a estas palavras: ‘Amar a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a si mesmo’, ao acrescentar: ‘Esta é toda a Lei e os profetas’. Ao dizer que ‘o céu e a Terra não passarão até que se cumpra tudo quanto está na Lei’, Jesus quis dizer que é necessário que a Lei de Deus seja praticada sobre toda a Terra. O Evangelho Segundo o Espiritismo, Cap. I

8 Respondeu ele: Amarás o Senhor teu Deus de todo o teu coração, de toda a tua alma, de todas as tuas forças e de todo o teu pensamento (Deut 6, 5); e a teu próximo como a ti mesmo. (Lev 19, 18) “Os fariseus reuniram-se em conselho e um deles, que era doutor da Lei, veio lhe fazer essa pergunta para o tentar: Mestre, qual é o maior mandamento da Lei? Jesus respondeu: Amarás o senhor teu Deus de todo o coração, de toda a tua alma e de todo o teu entendimento. Este é o maior e primeiro mandamento. E o segundo, semelhante a este é: Amarás ao teu próximo como a ti mesmo. Estes dois mandamentos contém toda Lei e os Profetas”. Mateus 22, Não se pode amar a Deus sem amar ao próximo, porque tudo quanto se faz contra o próximo, é contra Deus que se faz. Não se podendo amar a Deus sem praticar a caridade para com o próximo, todos os deveres do homem se encontram resumidos nesta máxima: fora da caridade não há salvação. O Evangelho Segundo o Espiritismo, Cap. XV, 5

9 Disse-lhe Jesus: Respondeste bem, faze isso e viverás. O viver não se circunscreve ao movimento do corpo, nem à exibição de certos títulos convencionais. A vida estende-se a esferas mais altas, a outros campos de realização superior. A mesma cena evangélica diariamente se repete. Grande números de aprendizes integrados no conhecimento do dever, tocam a pedir orientação aos Mensageiros Divinos, quanto à melhor maneira de agir na Terra... A resposta está neles mesmos, em seus corações que temem a responsabilidade, a decisão e o serviço áspero... Se já fostes banhado pelos princípios da fé viva, executa o que aprendeste do nosso Divino Mestre: faze isso, e viverás. Caminho, Verdade e Vida, Emmanuel, Lição 157

10 No ambiente judaico daquele tempo se discutia sobre quem devia ser considerado, para um judeu, o seu próximo. Chegava-se a compreender, na categoria de próximo, todos os compatriotas e os que haviam aderido ao judaísmo. Com a eleição dos personagens (um samaritano que socorre um judeu!) Jesus vem dizer que a categoria de próximo é universal, não particular. Tem como horizonte o homem, não o círculo familiar, étnico ou religioso. A parábola ensina que o amor ao próximo deve ser não só universal, mas também concreto e ativo. Jesus esclarece que o samaritano, considerado desprezível pelos judeus, que não se limitou a condoer-se do moribundo, também era seu próximo. Jesus de Nazaré, Joseph Ratzinger Mas, ele querendo parecer que era um justo, perguntou a Jesus: E quem é o meu próximo?

11 Jesus, então lhe diz: Um homem descia de Jerusalém a Jericó e caiu nas mãos de ladrões, que o despojaram, e depois de o terem maltratado cobrindo-o com muitos ferimentos, retiraram-se, deixando-o quase morto A Lei de Deus é a mesma para todos, mas o mal depende, sobretudo, da vontade que se tenha de fazê-lo A humanidade progride. Esses homens dominados pelo instinto do mal, que se encontram deslocados entre os homens de bem, desaparecerão pouco a pouco como o mau grão é separado do bom quando joeirado. Renascerão com outro invólucro, com mais experiência, compreenderão melhor o bem e o mal A perversidade do homem é bastante intensa, e não parece que está recuando. — Enganas-te. Observa bem o conjunto e verás que ele avança, pois vai compreendendo melhor o que é o mal, e dia a dia corrige seus abusos. É preciso que haja excesso do mal para fazer-lhe compreender a necessidade do bem e das reformas. “É impossível que não venham escândalos, mas aí daqueles por quem eles vierem”. Lucas 17, 1

12 Aconteceu em seguida, que um sacerdote desceu pelo mesmo caminho, viu-o e passou adiante A verdadeira adoração é a do coração. Em todas as vossas ações, pensai sempre que o Senhor vos observa. É sempre útil dar bom exemplo, mas o que o fazem só por afetação e orgulho, cuja conduta desmente sua aparente piedade, dão um exemplo antes mau do que bom, e fazem maior mal do que supõem Será suficiente não se fazer o mal para ser agradável a Deus? — Não; é preciso fazer o bem, pois cada um responderá por todo mal que ocorrer por causa do bem que deixou de fazer Não há ninguém que não possa fazer o bem; somente o egoísta não encontra jamais a ocasião de praticá-lo Entre todos os vícios, o que podemos considerar radical é o egoísmo. Dele se deriva todo o mal. Estudai todos os vícios e vereis que no fundo de todos existe o egoísmo Todos se tornarão perfeitos. Todos mudam, embora devagar, um pai justo e misericordioso não pode banir eternamente seus filhos.

13 Igualmente um levita, chegando àquele lugar, viu-o e também passou adiante. “Haverá entre vós um homem que, se o filho lhe pedir um pão, lhe dará uma pedra? Ou se pedir um peixe, lhe dará uma serpente? Se vós, embora sendo maus, sabeis dar coisas boas aos vossos filhos, quanto mais o vosso Pai que está nos céus dará coisas boas aos que lhe pedem! Por isso não façais aos outros o que não quereis que os outros vos façam”. Mateus 7, 9 e Lucas 6, 31 — Jesus vos disse: vede o quereríeis que vos fizessem ou não. Assim não vos enganareis Deus deixa ao homem a escolha do caminho, pior para ele se seguir o mal, sua peregrinação será mais longa. É necessário que o Espírito adquira experiência, e para isso é necessário que conheça o bem e o mal; eis porque existe a necessidade da união do Espírito ao corpo O Cristo vos disse: “Querer para os outros o que quereis para vós mesmos”, Deus pôs no coração do homem a regra da verdadeira justiça. Na incerteza do que fazer para o semelhante, que o homem pergunte a si mesmo como desejaria que agissem para com ele O homem, que é sujeito a errar, não pode enganar-se na apreciação do bem e do mal e crer que faz o bem, quando na realidade está fazendo o mal?

14 Benevolência: Boa vontade para com alguém; complacência; afeto. Indulgência: Pronto a perdoar; tolerante. Dic. Aurélio Mas, um samaritano que viajava, chegando àquele lugar, viu-o e moveu-se de compaixão. Aproximando-se atou-lhe as feridas, deitando nelas azeite e vinho; colocou-o sobre a sua própria montaria e levou-o a uma hospedaria e tratou dele Caridade como entendia Jesus: Benevolência para com todos, indulgência para com as imperfeições alheias, perdão das ofensas. Amar o próximo como a si mesmo e fazer pelos outros o que quereríamos que os outros fizessem por nós, é a expressão mais completa da caridade. O Evangelho Segundo o Espiritismo, Cap. XI, 4 O amor e a caridade são o complemento da Lei de Justiça, porque amar ao próximo é fazer-lhe todo o bem possível, que desejaríamos que nos fosse feito. Ela nos manda ser indulgentes, porque temos necessidade de indulgência e nos proíbe humilhar o infortúnio.

15 No dia seguinte, tirou dois denários e os deu ao hospedeiro, dizendo-lhe: Trata bem dele e, o quanto gastares a mais, na volta te pagarei. 888a. A esmola não é censurável, mas a maneira como ela é dada. A ostentação apaga aos olhos de Deus o mérito do benefício. Jesus disse: Que a vossa mão esquerda ignore o que faz a direita. Mateus 6, 12 É necessário distinguir a esmola da beneficência. O mais necessitado nem sempre é o que pede; o temor da humilhação retém o verdadeiro pobre. São Vicente de Paulo A caridade que consiste na esmola dada aos pobres é a mais fácil de todas. Há outra, muito mais penosa e muito mais meritória: a de perdoarmos aos que Deus colocou em nosso caminho para serem instrumentos do nosso sofrer e para nos porem à prova a paciência. O Evangelho Segundo o Espiritismo, Cap. IX, 7 O homem de bem, que compreende a caridade segundo Jesus, se antecipa ao infeliz sem esperar que ele lhe estenda a mão.

16 Qual dos três te parece ter sido o próximo daquele que caiu nas mãos dos ladrões? Respondeu o doutor: Aquele que usou de misericórdia para com ele. Caros amigos, sede severos convosco e indulgentes para as fraquezas dos outros. Esta é uma prática da caridade, que bem poucos observam. O Evangelho Segundo o Espiritismo, Cap. X, 18 A caridade, sem a fé, não basta, essa caridade, que só com abnegação se pratica, com constante sacrifício de todo interesse egoístico, somente a fé pode inspirá-la, porquanto só ela nos ajuda carregar com coragem e perseverança a cruz da vida terrena. O Evangelho Segundo o Espiritismo, Cap. XI, 13 A caridade moral, que todos podem praticar, que nada custa materialmente e que é a mais difícil de exercer, consiste em se suportarem umas às outras as criaturas e é o que menos fazeis. O Evangelho Segundo o Espiritismo, Cap. XIII, 9

17 Então Jesus lhe disse: Vai e faze o mesmo”. “Filhinhos, ainda pouco tempo permaneço convosco. Havereis de procurar-me, e também a vós agora o digo como já disse antes: Aonde eu vou, vós não podeis ir. Mas um novo mandamento vos dou: Que ameis uns aos outros como irmãos. Assim como eu vos tenho amado, também vós amai-vos uns aos outros. Nisto todos hão de reconhecer que sois meus discípulos: se tiverdes amor uns pelos outros”. João, 13, O egoísmo é a fonte de todos os vícios, como a caridade é a fonte de todas as virtudes. Destruir um e desenvolver a outra deve ser o alvo de todos os esforços do homem, se ele deseja assegurar a sua felicidade neste mundo, tanto quanto no mundo futuro.

18


Carregar ppt "“Levantou-se um doutor da lei e, para pô-lo à prova, perguntou: Mestre, que devo fazer para possuir a vida eterna? Disse-lhe Jesus: O que está escrito."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google