A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Seminário SPCF Atribuição de valor aos bens e serviços sem valor de mercado produzidos nos espaços florestais Escola Superior Agrária de Coimbra, 12 de.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Seminário SPCF Atribuição de valor aos bens e serviços sem valor de mercado produzidos nos espaços florestais Escola Superior Agrária de Coimbra, 12 de."— Transcrição da apresentação:

1 Seminário SPCF Atribuição de valor aos bens e serviços sem valor de mercado produzidos nos espaços florestais Escola Superior Agrária de Coimbra, 12 de Abril de 2007 Valor Económico Total da floresta portuguesa: novas estimativas Américo M. S. Carvalho Mendes Faculdade de Economia e Gestão Universidade Católica Portuguesa (Porto)

2 TRABALHO ANTERIOR Estimativas para 2001 Capítulo sobre Portugal do livro: –Valuing Mediterranean Forests: Towards Total Economic Value, M. Merlo & L. Croitoru (eds.). Wallingford: CAB International. pp 331- 352. Utilizado na Matriz estruturante do valor das florestas que consta da Estratégia nacional para as florestas.

3 VALOR DE USO DIRECTO PRODUÇÃO LENHOSA –Cortes de produção lenhosa: Para trituração Para serração Lenha –Acréscimo líquido nas existências de material lenhoso

4 VALOR DE USO DIRECTO PRODUÇÃO NÃO LENHOSA –Cortiça –Resina –Mel –Frutos (pinhão, castanha, alfarroba, medronho, baga de sabugueiro) –Cogumelos –Plantas aromáticas –Pastagens –Caça –Serviços de recreio e lazer informal

5 VALOR DE USO INDIRECTO Sequestro de carbono Protecção do solo agrícola Protecção dos recursos hídricos Conservação da paisagem e da biodiversidade florestal

6 EXTERNALIDADES NEGATIVAS Externalidades negativas relativas aos incêndios: –Custos da prevenção –Custos do combate –Perdas de bens e serviços –Custos de rearborização

7 RESULTADOS - 2001 Valor económico total (sem externalidades negativas): –1.330.086.000 Externalidades negativas (incêndios): –136.850.000 Valor económico total (com externalidades negativas): –1.193.236.000

8 RESULTADOS - 2001 Produção sem valor de mercado: –Serviços ambientais: 163.838.000 –Recreio e lazer informal: 16.500.000 –TOTAL180.338.000 = 13,6% do valor económico total s/ externalidades = 15,1% do valor económico total c/ externalidades

9 PRODUÇÃO LENHOSA -2004 Produção cortada para trituração –Resinosas: 1800000 m 3 sc X 23,64 /m 3 sc = 42552000 -Folhosas: 5800000 m 3 sc X 27,74 /m 3 sc = 160892000 -TOTAL em 2004 203444000

10 PRODUÇÃO LENHOSA - 2004 Produção cortada para serração –Resinosas: 2100000 m 3 sc X 53,48 /m 3 sc = 112308000 -Folhosas: 110000 m 3 sc X 47,78 /m 3 sc = 5255800 -Outra madeira industrial 180000 m 3 sc X 47,78 /m 3 sc = 8600400 -TOTAL em 2004 126164200

11 PRODUÇÃO LENHOSA - 2004 Lenha –Resinosas 200000 m 3 sc X 2,03 /m 3 sc = 406000 -Folhosas 400000 m 3 sc X 2,03 /m 3 sc = 812000 -TOTAL em 2004 1218000

12 PRODUÇÃO LENHOSA - 2004 Acréscimo corrente (estimativas por alto): –Resinosas: 5400000 m 3 cc X 0,7 m 3 sc/ m 3 cc = 3780000 m 3 sc –Folhosas: 6900000 m 3 X 0,82 m 3 sc/ m 3 cc = 5658000 m 3 sc Cortes: –Resinosas: 4100000 m 3 sc –Folhosas: 6310000 m 3 sc Acréscimo corrente líquido de cortes: deve ser próximo de zero, ou mesmo negativo

13 PRODUÇÃO NÃO LENHOSA - 2004 Cortiça: –Amadia e secundeira: 100000 t X 2540 /t = 254000000 –Virgem: 20000 t X 400 /t = 8000000 –TOTAL em 2004 262000000 Resina: –5333477 kg X (50% X 0,42 /kg) = 1120030 Mel: –6737 t X 2346 /t = 15805000

14 PRODUÇÃO NÃO LENHOSA - 2004 Pinhão: –70000000 pinhas X 0,5 /pinha = 35000000 Castanha: –31051 t X 844,5 /t = 26222569

15 PRODUÇÃO NÃO LENHOSA - 2001 Alfarroba: –31500 t X 272,3 /t = 8577450 Medronho: –15130 ha X 200kg/ha X 1125 /t = 3404250 Baga de sabugueiro: –650 t X 1960 /t = 1274000 Cogumelos comestíveis: –6500 t X 2500 /t = 16250000

16 PRODUÇÃO NÃO LENHOSA - 2001 Plantas: –Plantas para usos culinários: 80 t X 3750 /t = 300000 –Plantas aromáticas e medicinais: 1100 t X 1000 /t = 1100000 Bolota e pastagens: 112377000

17 PRODUÇÃO NÃO LENHOSA - 2001 Caça: 21383000 Recreio e lazer informal: –6000000 dias-visitas X 2,75 /dia-visita = 16500000

18 VALOR DE USO INDIRECTO - 2001 Sequestro de carbono: –1450000 tC X 20 /tC = 29000000 Protecção do solo agrícola: 49209000 Protecção dos recursos hídricos: 28934000 Conservação da paisagem e da biodiversidade (39% das despesas da Administração Central e Local e dos institutos públicos) –594509 ha X 95,36 /ha = 56695000 TOTAL em 2001 163838000

19 EXTERNALIDADES NEGATIVAS – 2004 (INCÊNDIOS) Prevenção: 52700000 Combate: 68900000 Perda de bens e serviços: 141300000 Rearborização: 57100000 TOTAL em 2004: 320000000

20 RESULTADOS REVISTOS Valor económico total (sem externalidades negativas): –1.015.977.000 Externalidades negativas (incêndios): –320.000.000 Valor económico total (com externalidades negativas): –695.977.000

21 RESULTADOS REVISTOS Produção sem valor de mercado: –Serviços ambientais: 163.838.000 –Recreio e lazer informal: 16.500.000 –TOTAL180.338.000 = 17,8% do valor económico total s/ externalidades = 25,9% do valor económico total c/ externalidades

22 CONCLUSÕES Produção com valor de mercado: em declínio Produção ainda sem valor de mercado: com um peso relativo crescente no VET que pode ser da ordem de ¼ desse valor.

23 MUITO OBRIGADO PELA VOSSA ATENÇÃO


Carregar ppt "Seminário SPCF Atribuição de valor aos bens e serviços sem valor de mercado produzidos nos espaços florestais Escola Superior Agrária de Coimbra, 12 de."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google