A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Professor: Pedro Lopes Gestão de Base de dados Ano Lectivo 2009/2010.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Professor: Pedro Lopes Gestão de Base de dados Ano Lectivo 2009/2010."— Transcrição da apresentação:

1 Professor: Pedro Lopes Gestão de Base de dados Ano Lectivo 2009/2010

2 Sumário Aula n.º 47 e n.º 48 2 Apresentação e introdução ao módulo Gestão de Base de dados. Introdução aos Sistemas de gestão de base de dados. Conceitos básicos. Realização da ficha de trabalho n.º1. Sumário Aula n.º 49 e n.º 50 Resumo da matéria leccionada.

3 Módulo II – Gestão de Base de Dados 3 Competências Conhecer um SGBD e as suas finalidades funcionais. Compreender as inter-relações entre as componentes de um SGBD Identificar a estrutura e componentes de uma base de dados Utilizar convenientemente as potencialidades e características de um SGBD nas suas múltiplas funções. Criar, editar e formatar tabelas, consultas, relatórios etc. Manipular dados e gerar modelos de tratamento desses mesmos dados Utilizar os componentes essenciais de uma ferramenta de SGBD

4 Módulo II – Gestão de Base de Dados 4 Conteúdos Conceitos básicos Conceito de campo, registo, dados, tabela, relação e associação Planificação de uma base de dados Programa de gestão de base de dados Abertura, Criação e Gravação de uma base de dados Criação de uma base de dados usando o assistente de base de dados Criação de tabelas e operações básicas Criação de uma Consulta e operações básicas Criação de um formulário Criação de um relatório Criação de páginas utilizando o assistente páginas Conceito de Macro Conceito de Módulo

5 Avaliação 5

6 Objectivo da aula 6 Compreender a estrutura de uma Bases de dados Planificar uma base de dados

7 Uma base de dados é uma colecção de dados relacionados entre si que permite armazenar todo o tipo de informação, que pode ser estruturada de várias formas, de modo a corresponder às necessidades de processamento e consulta dos seus utilizadores. Base de dados Os arquivos de metal que existem na escola com os processos dos alunos constituem uma base de dados.

8 Necessidade das bases de dados Permite guardar dados dos mais variados tipos; Permite um rápido e fácil acesso aos dados; Acelera os processos de manuseamento da informação, como, por exemplo, consultas ou alterações de dados; Economiza toneladas de papel

9 Sistema de Gestão de Base de Dados (SGBD) Um conjunto de programas que permitem ao utilizador executar operações como inserções, eliminações, consultas e alterações sobre o conteúdo dos ficheiros de dados, além de permitir controlar a integridade e a segurança desses dados, é um Sistema de Gestão de Bases de Dados. As base de dados são um conjunto de dados estruturados e manipulados através de um SGBD.

10 Características de um SGBD 10 Segurança Integridade dos dados Controlo de acesso Recuperação/tolerância a falhas

11 Situações práticas da utilização da base de dados 11 Gestão de alunos Aluguer de vídeo Hipermercado Pagamento por multibanco

12 Exemplos de SGBD 12  Microsoft Access  Microsoft Visual FoxPro  Oracle Database  SQL Server  MySQL Uso doméstico Grande porte

13 Ex.: A tabela Alunos deve conter unicamente dados relativos aos alunos. A entidade é Alunos. Atributos são as características que descrevem as entidades. Tabelas As tabelas são parte integrante de uma Base de Dados A informação guardada numa tabela deve ser coerente com os critérios utilizados para a sua criação – conter apenas os dados que digam respeito ao assunto, a que se dá o nome de entidade.

14 Uma Tabela encontra-se estruturada em linhas e colunas. As linhas são designadas por Registos e as colunas por Campos. Todas as operações de manutenção dos dados de uma Tabela são realizadas individualmente para cada um dos Registos. Campo e Registo

15 Base de dados relacional 15 Uma base de dados é composta por um conjunto de tabelas e associações entre as tabelas. Cada tabela representa um tipo de informação independente Quando relacionada com outras tabelas, mediante um conjunto de associações especificas, permite obter a finalidade especifica

16 16 Nº CDTítuloIntérpreteData aquisição Nº faixa Título faixa Duração 1MeteoraLinkin Park Meteora2:31 1MeteoraLinkin Park I don´t lie5:23 CDs Redundância de dados? Repetição de dados Manutenção? Dificuldades na manutenção Integridade? Dificuldades em manter a integridade

17 17 Nº CDTítuloIntérpreteData aquisição 1MeteoraLinkin Park Nº CDNº faixaTítulo faixaDuração 11Meteora2:31 12I don´t lie5:23 Faixas CDs

18 Relação 18 Consiste na associação entre campos comuns (colunas) de duas tabelas, permitindo que a consistência da informação seja garantida. Nº CDTítuloIntérpreteData aquisição 1MeteoraLinkin Park Nº CDNº faixaTítulo faixaDuração 11Meteora2:31 12I don´t lie5:23 Faixas CDs

19 Tipos de relações 19 1:1 (um-para-um) Ex: Um aluno pertence a uma turma 1:N (um para-muitos) Ex: Uma turma possui vários alunos M:M (muitos para-muitos) Ex: Um aluno tem várias disciplinas e uma disciplina tem vários alunos

20 Associação 20 Representa a forma como duas ou mais entidades se relacionam entre si Tipos de Associações: Unárias – caracterizam-se pela relação de uma entidade consigo própria Binárias – caracterizam-se pela existência de um qualquer tipo de relação entre duas entidades. Complexas – caracterizam-se pela possibilidade de estabelecer relações entre mais do que duas entidades.

21 21 Unária Binária Complexa

22 Modelo Entidade-Relação 22 Modelo conceptual para a estruturação da informação com vista à elaboração de bases de dados Procura criar uma simulação da realidade Simulação constituída por um conjunto de entidades que interagem umas com as outras através de um conjunto de relacionamentos

23 Modelo Entidade-Relação 23 Composto por três elementos principais: Entidades – conjunto de pessoas, lugares, objectos, acontecimentos ou conceitos sobre o qual pretendemos armazenar dados. Ex: Alunos, Professores, Cursos… Atributos – características especificas de uma entidade Ex: Nome, Data de nascimento, morada, telefone, … Relacionamentos – associação entre duas entidades Ex: pertence, lecciona, compra

24 24 Entidades: Dono e Cão Atributos: Dono Nome Morada Telefone Cão MicroChip Nome Raça Sexo Data_nascimento Relacionamento: Possui

25 25 Modelo Entidade-Relação Dono Cão possui Sexo Nome Raça MicroChip Data_nascimento Nome Morada Telefone 1N

26 Exercício 26 Desenhe um Modelo Entidade-Relação que represente adequadamente os seguintes problemas : Um hotel pretende guardar informação sobre os clientes e sobre cada um dos quartos. Cada cliente pode reservar um ou mais quartos. Uma empresa tem um conjunto de fornecedores. Cada fornecedor pode fornecer vários produtos, mas cada produto é individualizado de modo a que só pode ser fornecido por um fornecedor.

27 Normalização 27 Consiste numa série de passos relacionados com o desenho de uma base de dados de forma a obterem-se estruturas de dados sem redundância e consistentes. Este processo é conduzido por um conjunto de regras que constituem as Formas Normais. 1ª FN 2ª FN 3ª FN Boyce Codd 4ª FN 5ª FN

28 Revisão da aula 28

29 Próxima aula 29 Planificar uma base de dados Conhecer o SGBD Microsoft Access 2007


Carregar ppt "Professor: Pedro Lopes Gestão de Base de dados Ano Lectivo 2009/2010."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google