A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Aderência aos guidelines de transfusão para a UTI Neonatal: dados de um sistema de cuidado da sa ú de multihospitalar Adherence to NICU transfusion guidelines:

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Aderência aos guidelines de transfusão para a UTI Neonatal: dados de um sistema de cuidado da sa ú de multihospitalar Adherence to NICU transfusion guidelines:"— Transcrição da apresentação:

1 Aderência aos guidelines de transfusão para a UTI Neonatal: dados de um sistema de cuidado da sa ú de multihospitalar Adherence to NICU transfusion guidelines: data from a multihospital healthcare system VL Baer, DK Lambert, N Schmutz, E Henry, RA Stoddard, C Miner, SE Wiedmeier, J Burnett, LD Eggert and RD Christensen J Perinatol 2008;28: 492 – 497 Apresenta ç ão: Aline Freire, Ellen Andrade, Gilson Santiago Coordenador: Paulo R. Margotto Escola Superior de Ciências da Sa ú de (ESCS)/SES/DF 4/8/2008

2 INTRODUÇÃO As transfusões de componentes sangu í neos são essenciais no cuidado aos neonatos em UTI. Inquestionavelmente, causam RISCOS proporcionais ao n ú mero de transfusões. Muitas transfusões são desnecess á rias, não trazendo nenhum benef í cio, mesmo dadas com boa inten ç ão.

3 INTRODUÇÃO Talvez a identifica ç ão e elimina ç ão de transfusões desnecess á rias na UTIN seja um passo para um melhor cuidado, menores custos e preserva ç ão dos recursos de componentes sangu í neos. Estabelecer diretrizes pode ser uma maneira de melhorar a pr á tica e reduzir transfusões desnecess á rias.

4 INTRODUÇÃO Em 2002, Intermountain Healthcare estabeleceu diretrizes para transfusão em UTIN. Foram avaliados todos os componentes sangu í neos transfundidos em UTIN e julgado se foram ou não administrados conforme as diretrizes.

5 OBJETIVO Determinar a proporção de transfusões dadas fora do que instituiram as diretrizes do Intermountain Healthcare. Avaliar se houve benefícios aos que violaram as diretrizes.

6 MÉTODOS PACIENTES: admitidos nas UTI neonatais de McKay Dee Hospital, Ogden UT, LDS Hospital, Salt Lake City, UT, and Utah Valley Regional Medical Center, Provo, UT, no per í odo de 1 de janeiro a 31 de dezembro de 2006.

7 MÉTODOS Avaliado se recebeu 1 ou mais transfusões de qualquer um dos componentes: concentrado de hem á cias, plaquetas, plasma fresco ou crioprecipitado. Quando mais de uma transfusão do mesmo componente foi administrada no mesmo dia, foram contadas como uma. Aprovado pelo Intermountain Healthcare Institutional Review Board.

8 MÉTODOS DIRETRIZES: *Concentrado de Hem á cias: recomendado se hemat ó crito < 35% em ventila ç ão mecânica OU < 27% com O2 suplementar ou sinais de anemia OU < 20% em qualquer paciente.

9 MÉTODOS *Plaquetas: recomendado para 3 categorias de pacientes 1.Contagem < em paciente com oxigenação extracorporal por membrana, com hemorragia ativa ou imediatamente antes ou depois de cirurgia. 2.Contagem < em paciente instável (ventilação mecânica ou drogas vasoativas) 3.Contagem < mesmo em paciente estável.

10 MÉTODOS *Plasma Fresco: recomendado apenas se o paciente tem hemorragia cl í nica e coagulopatia em exame laboratorial.

11 MÉTODOS *Crioprecipitado: recomendado se coagula ç ão intravascular disseminada for diagnosticada por testes laboratoriais em pacientes não sangrantes e com fibrinogênio < 100mg/ml OU se coagula ç ão intravascular disseminada for diagnosticada por testes laboratoriais em pacientes sangrando com fibrinogênio < 150mg/ml.

12 MÉTODOS COLETA E AN Á LISE ESTAT Í STICA: * O programa usado para coleta de dados foi um subsistema modificado da cl í nica workstation. * Expressadas as transfusões, de cada componente como transfusões por 1000 pacientes/dia para comparar as v á rias taxas de cada uma das 3 UTI neonatais. * Diferen ç as nas vari á veis categ ó ricas foram acessadas usando o teste de Fisher. O t-test foi usado para acessar vari á veis cont í nuas. * A significância estat í stica: p<0,05.

13 RESULTADOS 1759 RN foram cuidados por essas 3 UTIN em Destes, 323 (18%) receberam um total de 1489 transfusões. Nas 3 unidades, os pacientes que receberam transfusões apresentavam um peso ao nascer semelhante: UTIN A : 1432 ± 759 g UTIN B : 1561 ± 863 g UTIN C : 1592 ± 949 g

14 RESULTADOS A UTIN A teve a menor taxa de transfusão de eritr ó citos (25/1000 pacientes dia) contra 37/1000 pacientes dia nos grupos B e C.

15 RESULTADOS As taxas foram semelhantes entre as 3 UTIN, exceto UTIN C que administrou mais transfusões de plaquetas por paciente transfundido (p<0,001).

16 RESULTADOS 70% das transfusões de eritr ó citos e 69% das transfusões de plaquetas foram realizadas de acordo com as diretrizes. A adesão à s diretrizes de transfusão de plasma congelado foi vari á vel, sendo que a UTIN B foi a que menos as cumpriu. As 3 UTIN cumpriram razoavelmente bem as diretrizes para transfusão de crioprecipitado.

17 RESULTADOS Pacientes que receberam um grande n ú mero de transfusões foram mais propensos a uma ou mais transfusões que não seguiam as diretrizes.

18 RESULTADOS As transfusões eritrocit á rias realizadas no in í cio da interna ç ão apresentaram maior probabilidade de seguirem as diretrizes.

19 RESULTADOS 72% das transfusões de eritr ó citos realizadas nos primeiros 29 dias de vida estavam de acordo com as diretrizes, caindo para 61% ap ó s 29 dias (p=0,002). A situa ç ão mais comum de viola ç ão das diretrizes envolveu RN desmamados da VM, mas ainda em oxigenioterapia, com tolerância menor à queda da hemoglobina.

20 RESULTADOS As transfusões de plaquetas realizadas no in í cio da interna ç ão foram mais suscet í veis ao não seguimento das diretrizes.

21 RESULTADOS 55% das transfusões de plaquetas feitas antes dos 9 dias de vida estavam de acordo com as diretrizes, enquanto 83% das transfusões de plaquetas realizadas ap ó s 9 dias de vida seguiram as diretrizes (P=0,000). A situa ç ão mais comum de viola ç ão das diretrizes foi em RN nos primeiros dias de vida com n º plaquetas entre e e sem sangramentos.

22 RESULTADOS Nenhum padrão de viola ç ão à s diretrizes foi observado na administra ç ão de plasma fresco e crioprecipitado.

23 DISCUSSÃO Componentes do sangue são comumente utilizados em UTIN. Cerca de 20% dos pacientes irão em algum momento receber 1 ou mais transfusões. Tudo isso tem concordância com o presente estudo.

24 DISCUSSÃO No presente estudo: 17% receberam 1 ou mais transfusões de eritr ó citos. 4% receberam 1 ou mais transfusões de plaquetas. 6% receberam 1 ou mais infusão de plasma fresco. 2% receberam 1 ou mais infusão de crioprecipitado.

25 DISCUSSÃO Muitos estudos recentes tem mostrado a necessidade de se instituir um guia de condutas (diretrizes) por escrito em UTIN.

26 DISCUSSÃO Apesar da similar demografia nas UTIN inclu í das no estudo, a taxa de transfusão por 1000 pacientes/dia na UTIN A foi menor que na B e C, não se soube o porquê desse fato.

27 DISCUSSÃO Foi observado que 30% das transfusões administradas nas UTIN não seguiram as diretrizes, isso indica que deve haver um esfor ç o adicional para que se adote uma conduta padrão obedecendo os protocolos institu í dos (diretrizes). Essas diretrizes que não foram seguidos devem ser reexaminados criticamente.

28 DISCUSSÃO A mais comum viola ç ão envolvida foi a transfusão de plaquetas em RN na 1 º semana de vida que não estavam sangrando e com contagem de plaquetas entre e Não se tem evidência desse benef í cio. **A não ser que o paciente esteja anticoagulado por causa de oxigena ç ão por membrana extracorp ó rea ou em p ó s operat ó rio imediato.

29 DISCUSSÃO Outra viola ç ão foi a transfusão de hem á cias em RN recebendo O2 suplementar e com Hg entre 9 e 12/ 100ml. A diretriz recomenda transfusão de hem á cias s ó se hemoglobina cair abaixo de 9/100ml.

30 DISCUSSÃO Futuros ensaios randomizados seriam ú teis na avalia ç ão da questão do uso de plaquetas em RN com > Hoje existem poucas provas para apoiar a conduta de se fazer infusão de hem á cias para RN sem hemorragia, sem ventila ç ão mecânica e com uma hemoglobina> 9 g por 100 ml.

31 DISCUSSÃO Bell et al encontraram um aumento de hemorragia intracraniana em neonatos entre 500 e 1300 gramas quando tratados atrav é s de uma transfusão restrita de hem á cias, mas isso não tem sido observado por outros. Al é m disso, este tipo de hemorragia ocorre quase sempre durante os poucos dias ap ó s o nascimento, e temos observado no presente estudo que as viola ç ões ocorreram v á rias semanas ap ó s o nascimento. Aqui mais uma vez, futuros ensaios randomizados utilizando diferentes n í veis de hem á cias e transfusões seriam ú teis.

32 DISCUSSÃO Sobre a infusão de plasma fresco poucas provas podem ser citadas quanto aos seus benef í cios para o neonato sem hemorragia. Stanworth et all revisaram 12 estudos de utiliza ç ão Plasma Fresco na UTIN, e concluiram que não h á benef í cio em neonatos sem hemorragia.

33 DISCUSSÃO No presente estudo, foram identificadas 456 transfusões, durante um per í odo de um ano, que foram dadas em viola ç ão das orienta ç ões de transfusão (diretrizes). Pouco ou nenhum benef í cio para o neonato. Lembrando sempre dos riscos conhecidos e desconhecidos das transfusões procurar seguir sempre as diretrizes.

34 DISCUSSÃO Os pacientes que recebem m ú ltiplas transfusões são claramente um grupo onde existe uma boa oportunidade para melhorar conduta na pr á tica. Não encontramos nenhum neonato que recebeu mais de 10 transfusões e todas foram dadas seguindo as diretrizes. Futuros ensaios controlados randomizados são necess á rios para prestar um servi ç o mais completo e embasado para transfusões em UTIN na pr á tica, e para quantificar a curto e a longo prazo os riscos e benef í cios.

35 Abstract Objective: We critically reviewed every NICU blood component transfusion (packed erythrocytes, platelets, frozen plasma (FP) and cryoprecipitate) administered during a one-year period. This was done to determine the proportion of transfusions given out of compliance with the Intermountain Healthcare transfusion guidelines, and to look for patterns of non-compliance that could be addressed by quality improvement measures. Study Design: A detailed review was made of every transfusion administered to patients with a date of birth of 1 January 2006 through 31 December 2006, in any of three level III, perinatal-center-associated NICUs within Intermountain Healthcare. Result: During 2006 the three NICUs cared for 1759 neonates. Seventeen percent of these received one or more (median 3) erythrocyte transfusions, 4% received one or more (median 3) platelet transfusions, 6% received one or more (median 1) FP infusions and 2% received cryoprecipitate (median 1 dose). Seventy percent of the erythrocyte transfusions were given in compliance with the guidelines, as were 69% of the platelet transfusions, 65% of the FP transfusions and 94% of the cryoprecipitate administrations. Patients who received large numbers of transfusions were more likely to receive transfusion that violated the guidelines. Forty-five percent of patients who received 1 to 3 transfusions received all transfusions within guidelines. However, only 18% of patients who received 4 to 10 transfusions received all within guidelines. No patient who received >10 transfusions received all within the guidelines. Erythrocyte transfusions given early in the hospital course were likely to be within guidelines; 72% (588/818) in the first 29 days were compliant with guidelines, but compliance fell to 61% (144/237) for transfusions administered after 29 days (P=0.002). About half of the platelet transfusions given early in the hospital course were in violation of guidelines, but after day 9, 83% of platelet transfusions were compliant with guidelines (P=0.000). Conclusion: Opportunities exist in our healthcare system to improve compliance with our transfusion guidelines. Such opportunities are greatest among neonates receiving multiple transfusions, among those receiving erythrocyte transfusions late in their NICU course and among those receiving platelet transfusions early in their NICU course. Keywords: blood, transfusion, practice guidelines, NICU

36 Referências do artigo: Murray NA, Roberts IAG. Neonatal transfusion practice. Arch Dis Child Fetal Neonatal Ed 2004; 89: 101– 107. | Article |Article Luban NLC. Transfusion of blood and blood products. In: MG MacDonald, J Ramasethu (eds). Atlas of Procedures in Neonatology, 4th edn. Lippincott/Williams & Wilkins: Philadelphia, 2007, pp 317–328. Del Vecchio A, Sola MC, Teriaque DW, Hutson AD, Kao KJ, Wright D et al. Platelet transfusions in the neonatal intensive care unit: factors predicting patients who will require multiple transfusions. Transfusion 2001; 41: 803– 808. | Article | PubMed | ISI | ChemPort |ArticlePubMedISIChemPort Christensen RD, Henry E, Wiedmeier SE, Stoddard RA, Sola-Visner MC, Lambert DK et al. Thrombocytopenia among extremely-low birth-weight neonates: data from a multihospital healthcare system. J Perinatol 2006; 26: 348–353. | Article | PubMed | ISI | ChemPort |ArticlePubMedISIChemPort

37 Kopko PM, Holland PV. Mechanisms of severe transfusion reactions. Elsevier Science, Paris 2001; 8: 278–281. | ChemPort |ChemPort Baer VL, Lambert DK, Henry E, Snow GL, Sola- Visner MC, Christensen RD. Do platelet transfusions in the NICU adversely effect survival? Analysis of 1600 thrombocytopenic neonates in a multihospital healthcare system. J Perinatol 2007; 27: 790– 796. | Article | PubMed | ChemPort |ArticlePubMedChemPort Sanchez R, Toy P. Transfusion related acute lung injury: a pediatric perspective. Pediatr Blood Cancer 2005; 45: 248–255. | Article | PubMed |ArticlePubMed Strauss RG. Data-driven blood banking practices for neonatal RBC transfusions. Transfusion 2000; 40: 1528–1540. | Article | PubMed | ChemPort |ArticlePubMedChemPort Birenbaum HJ, Pane MA, Helou SM, Starr KP. Comparison of a restricted transfusion schedule with erythropoietin therapy versus a restricted transfusion schedule alone in very low birth weight premature infants. Sout Med Journ 2006; 99: 1059– 1062.

38 Miyashiro AM, Santos N, Guinsburg BI, Kopelman D, Peres DA, Taga MF et al. Strict red blood cell transfusion guideline reduces the need for transfusions in very-low-birthweight infants in the first 4 weeks of life: a multicentre trial. Vox Sang 2005; 88: 107–113. | Article | PubMed | ChemPort |ArticlePubMedChemPort Calhoun DA, Christensen RD, Edstrom CS, Juul SE, Ohls RK, Schibler KR et al. Consistent approaches to procedures and practices in neonatal hematology. Clin Perinatol 2000; 27: 733– 753. | Article | PubMed | ChemPort |ArticlePubMedChemPort Venâncio JP, Santos AM, Guinsburg R, Peres Cde A, Shinzato AR, Lora MI. Strict guideline reduces the need for RBC transfusions in premature infants. J Trop Pediatr 2007; 53: 78–82. | PubMed |PubMed Sola MC. Evaluation and treatment of severe and prolonged thrombocytopenia in neonates. Clin Perinatol 2004; 31: 1–14. | Article | PubMed | ISI |ArticlePubMedISI Hume H, Blanchette V, Strauss RG, Levy GJ. A survey of Canadian neonatal blood transfusion practices. Transfus Sci 1997; 18: 71– 80. | Article | PubMed | ChemPort |ArticlePubMedChemPort Ringer SA, Richardson DK, Sacher RA, Keszler M, Churchill WH. Variations in transfusion practice in neonatal intensive care. Pediatrics 1998; 101: 194– 200. | Article | PubMed | ChemPort |ArticlePubMedChemPort

39 Petaja J, Andersson S, Syrjala M. A simple automatized audit system for following and managing practices of platelet and plasma transfusions in a neonatal intensive care unit. Transf Med 2004; 4: 281–288. | Article |Article Garcia MG, Duenas E, Sola MC, Hutson AD, Theriaque D, Christensen RD. Epidemiologic and outcome studies of patients who received platelet transfusions in the neonatal intensive care unit. J Perinatol 2001; 21: 415– 420. | Article | PubMed | ChemPort |ArticlePubMedChemPort Chevuru SC, Sola MC, Theriaque DW, Hutson AD, Leung WC, Perez JA et al. Multicenter analysis of platelet transfusion usage among neonates on extracorporeal membrane oxygenation. Pediatrics 2002; 109: e89. | Article | PubMed |ArticlePubMed Bell EF, Strauss RG, Widness JA, Mahoney LT, Mock DM, Seward VJ et al. Randomized trial of liberal versus restrictive guidelines for red blood cell transfusion in preterm infants. Pediatrics 2005; 115: 1685–1691. | Article | PubMed |ArticlePubMed Stanworth SJ. The Evidence-Based use of FFP and Cryoprecipitate for Abnormalities of Coagulation Tests and Clinical Coagulopathy. Hematology Am Soc Hematol Educ Program 2007; 2007: 179–186. | PubMed |PubMed Stanworth SJ, Brunskill SJ, Hyde CJ, Murphy MF, McClelland DB. Appraisal of the evidence for the clinical use of FP and plasma fractions. Best Pract Res Clin Haematol 2006; 19: 67– 82. | Article | PubMed | ChemPort |ArticlePubMedChemPort

40 Consultem também: Estudo randomizado e controlado de transfusão restritiva versus liberal nos rec é m-nascidos de extremo baixo peso Autor(es): Kirpalani H et al. Apresenta ç ão: Giselle Maria Araujo Felix, Paulo C é sar Montalvão de Albuquerque, Paulo R. Margotto Estudo randomizado de protocolos liberais versus restritos para a transfusão de hem á cias em rec é m-nascidos pr é -termos Autor(es): Bell EF, et al. Apresenta ç ão: Virg í nia Lira Anemia neonatal (Apresenta ç ão) Autor(es): Paulo R. Margotto

41 Dr. Paulo R. Margotto. Ddos Aline, Gilson e Ellen


Carregar ppt "Aderência aos guidelines de transfusão para a UTI Neonatal: dados de um sistema de cuidado da sa ú de multihospitalar Adherence to NICU transfusion guidelines:"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google