A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Tema:  Traição  Triângulo amoroso entre amigos  Medo que a traição seja apresentada à sociedade  3ª pessoa - onisciente.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Tema:  Traição  Triângulo amoroso entre amigos  Medo que a traição seja apresentada à sociedade  3ª pessoa - onisciente."— Transcrição da apresentação:

1

2 Tema:  Traição  Triângulo amoroso entre amigos  Medo que a traição seja apresentada à sociedade  3ª pessoa - onisciente

3 Análise dos personagens:

4  Rita – Graciosa e viva de gestos, olhos cálidos, boca fina e interrogativa. Pouco mais velha que Vilela e Camilo, 30 anos. É amante de Camilo, por isso crê que a Cartomante possa resolver todos os seus problemas e angústias.

5  Vilela – 29 anos, seu porte grave fazia-o parecer mais velho que a mulher, Rita. É traído por sua esposa com seu amigo de infância, Camilo.

6  Camilo – 26 anos, é ingênuo na vida moral e prática. Dizia não acreditar em coisas supersticiosas como a Cartomante. Traía o amigo de infância, Vilela, com Rita.

7  Cartomante – Visada como uma charlatã por Machado de Assis, fazia a mesma “previsão” para todos os seus clientes. Não tem seu nome revelado na história. Era uma figura misteriosa, sinistra.

8 Justificativa do título:  É por causa dela que a história tem um final trágico.  O nome da cartomante não é revelado justamente para causar mais intriga no conto.

9  Quebra da ordem cronológica - Rita e Camilo  Altamente descritivo  Final inesperado  Citação de um autor clássico (Shakespeare) intertextualidade; reflexão sobre a mesquinhez humana e a precariedade da sorte humana.

10 ENTRE SANTOS MACHADO DE ASSIS

11  Metanarrativa  O narrador organiza o conto, pois dá a voz a outro narrador – PADRE que conta sua estória em 1ª pessoa.  São José, São Miguel, São João Batista e São Francisco Sales  São João descrê dos homens

12  São Francisco diz que eles sempre foram os mesmos  São José fala de uma adúltera com arrependimento pouco sincero. LOUQUINHA!  Sales, de 50 anos, pede pela recuperação da esposa que estava com erisipela.  Pede um milagre ao padre, em troca daria um perna de cera. Iria custar muito dinheiro?

13  Para Sales, não se deve perder a esperança no ser humano.  Mostra extremo materialismo ao entregar-se ao fervor espiritualista, conseguindo, talvez cínica, talvez inconscientemente, conciliar esses opostos.

14

15  Inácio – 15 anos – pai – foro – judiciário  Comendador Borges  Pouco interessado pelo trabalho # Severina  O conto contêm vazios – o leitor reflita sobre os conflitos não solucionados.

16  IDADE  “Tinha quinze anos feitos e bem feitos”,  “Tudo isso com vinte e sete anos floridos e sólidos”.  Cobriu os braços – punição – ele não percebe no começo... ENTREGOU PARA SER AMADA E ARREPENDE-SE

17 Severina não só é mais velha como casada, e ambos estão inseridos na sociedade oitocentista, impregnada de valores morais e sociais muito rígidos. Mulher subalterna

18 UM HOMEM CÉLEBRE

19

20  Pestana, compositor de polcas, famosas pela cidade – Saraus no RJ  Inspirado em músicos clássicos  Vivia em desgosto com si mesmo – Músico erudito  Pedia inspiração, mas...músicas populares  MAIS MELANCÓLICO DE ASSIS

21

22  Sinhazinha Mota – fã – aborrecido/ Tranca-se em sua sala de quadros  Compõe – Senhora dona, guarde seu balaio, 1871  Infortúnio – Celibatário  Casa-se com Maria, viúva, 27 anos, tísica  Apaixona-se quando ela cantou em uma festa popular

23

24  Compõe para ela um noturno e ela pergunta, ao tocar, se não se trata de Chopin  Maria, morre/ Pensa em apresentar um Réquiem no 1º ano da morte da esposa, mas...  No dia, chora mais por ele do que por ela.  Primeiro em todas as “paradas de sucesso”, mas...

25  Vai falindo – 1885 – contrai uma febre  O editor vem pedir uma nova música em homenagem aos conservadores  Fez sua primeira e última pilhéria, dizendo que criaria outras duas para os liberais  Morre de bem com os homens e de mal consigo

26  Linguagem culta e formal, mas compreensível.  INSATISFAÇÃO HUMANA  Humor reflexivo – IRONIA – PESSIMISMO  PRAZER RELATIVO  A FELICIDADE ABSOLUTA É INATINGÍVEL

27

28 Insignificância de uma vida humana; Brinca com a nossa existência, independente do que façamos nela, morreremos; A não ser que façamos algo esplêndido, o mundo nunca nos lembrará.

29  Insignificância de uma vida humana;  Brinca com a nossa existência, independente do que façamos nela, morreremos;  A não ser que façamos algo esplêndido, o mundo nunca nos lembrará.

30  Terceira Pessoa  Narrada com uma visão por trás, narrador, não entra na história e possui um conhecimento sobre tudo e todos.  Descreve não só o que é visível como também pensamentos íntimos dos personagens.

31  O narrador recorda seu passado com OTÍLIA  Dama que desenganava os homens  Fez uma aposta com um amigo, sócio de uma banca de advocacia  Nega casamento, mas lhe trata diferente

32  Ela perde o tio e ele o pai – isso os aproxima  Na situação, pede em casamento mais uma vez, mas recebe um não  Some por uns dias e ela oferece sua amizade, prometendo não se casar  Otília fica doente e os dois se casam 2 dias antes...

33  O único abraço foi seu último suspiro  POR SER MUITO DESEJADA ESCOLHEU UMA VIDA DIFERENTE  VALORIZAVA A ALMA E NÃO O CORPO  Duas consequências: FIM DA AMIZADE PERDA DO CONTROLE DOS SENTIMENTOS

34

35  GARCIA, FORTUNATO e MARIA LUISA  Flashback – 1 ano antes – Garcia descobre o vizinho ferido e resolve ajudá-lo – Medicina  Encontra Fortunato que conheceu no teatro “dramalhão cosido a facadas”  Passado algum tempo reencontram-se no transporte e falam do vizinho e Fortunato...

36  Garcia conhece Maria Luisa, esposa  Muito amigos abrem uma casa de saúde  Maria Luisa adoece e o sentimento entre Garcia e ele se aprofunda  Apaixona-se, mas oculta  Ele conta a Maria Luisa e ela pede ajuda a Garcia

37  Garcia surpreende Fortunato torturando um rato e aí...  Fortunato sente prazer com o sofrimento  Mas ajuda aqueles que sofrem?? Próximo aos que sentem dor! INÍCIO!  Maria Luisa - tuberculose. Garcia aparece, beija-a a testa e não esconde seu amor.  Fortunato vê o sofrimento que se transforma em prazer.

38  Realizar boas ações, para satisfazer o prazer!  Objetivo: Mostrar o verdadeiro “Sadismo”  Um conto “naturalista”, apesar de apresentar a burguesia  A cena do rato – “desenhos psicológicos”

39  GARCIA É DOTADO DA CAPACIDADE DE PRESTAR ATENÇÃO À PERSONALIDADE HUMANA, JÁ QUE NÃO É ONISCIENTE  É ALTER EGO DE MACHADO DE ASSIS  APARÊNCIA X ESSÊNCIA  SADISMO  TRIÂNGULO AMOROSO

40

41  Maria Regina e seu pretendente  Acompanha quatro movimentos musicais  Dois pretendentes: Miranda e Maciel – “Esaú e Jacó  Maciel – fútil e jovem  Miranda – já passa dos 50 anos

42  A heroína se perde nos sonhos, olhando as estrelas  “É a tua pena, alma curiosa de perfeição; a tua pena é oscilar por toda a eternidade entre dois astros incompletos, ao som desta velha sonata do absoluto: lá, lá, lá...  CONCILIAÇÃO DE OPOSTOS = IMPOSSÍVEL  BUSCA DA PERFEIÇÃO = INDECISÃO

43

44  METANARRATIVA  D. Leonor – senhora de engenho – festa  Quem é o responsável pela perda do paraíso?  Os homens culpam Eva e as mulheres Adão  Inversão de Adão e Eva

45  Veloso – criação do universo – Diabo e Deus – correção  Homem e mulher – dominados por instintos ruins.  Diabo, indignado com a harmonia do casal, oferece maçã a eles através da serpente  Mas...

46  Adão e Eva negam todos os prazeres do mundo  Deus, envia o anjo Gabriel para a instância eterna como prêmio  A Terra então ficou para a serpente (mal)  Todos ficam boquiabertos

47  Leonor pergunta se era verdade – mentira – do contrário não estariam comendo o doce – não estariam em um lugar destinado a serpentes  OBRA DILEMÁTICA  A GRAÇA DE NOSSA EXISTÊNCIA ESTÁ NA IMPERFEIÇÃO EM QUE SE PROCESSA

48

49  Narrado em 1ª pessoa – Procópio  Enfermeiro para Coronel Felisberto  Procópio era a última esperança  Releva o comportamento – relação tranquila

50  As coisas mudam – insuportável  Procópio se demite, e o doente pede desculpas  Mas...ele joga uma vasilha na cabeça dele  Enfurecido, mata o rico esganado  Peso na consciência pega – tenta justificar sua atitude

51  Ironia do destino: Felisberto torna o enfermeiro herdeiro universal  Pensa em doar a fortuna, mas desiste, doa pouco  Fica reconhecido na cidade – paciente  Pelo remorso exalta as qualidades do velho  A crise de consciência diminui e ele se sente merecedor do dinheiro  ENGANAR-SE A SI MESMO – COMUM AO HUMANO

52

53  Narrado em 3ª pessoa – Rangel  TRATA DAS FRAQUEZAS HUMANAS  Homem ambicioso, mas de pouca prática  Exemplo: Alcança a meia idade sem ter casado, já que procurava a melhor  Preocupa-se com STATUS E PRESTÍGIO

54  Tentará “amor de outono” – Aproxima-se de Joana, mas pensa mais do que age  Chega Queirós – chama a atenção de todos  Rangel – inveja e ciúmes  Conquista Joana  Chora compulsivamente

55

56  MARIANA e EVARISTO  Ela está destinada Xavier  Tenta suicídio  Ele parte para a Europa  Após 18 anos, volta

57  Encontra Mariana atormentada pela doença do marido, que morre  Fica surpreso pelo sofrimento de Mariana  Ela finge não conhecê-lo  TEMA: PAIXÃO – PASSAR DO TEMPO  ELA O EVITA E ELE A TRATA COM INDIFERENÇA

58  Pilar, menino inteligente, mas preguiçoso.  Assistia as aulas de Policarpo que era severo com seu filho Raimundo  Raimundo pede a Pilar para resolver um exercício para não ser castigado  Receberia em troca uma moedinha de prata

59  Chega Curvelo. Vê tudo e conta para Policarpo.  Pilar e Raimundo são colocados na palmatória  A moeda é arremessada  Pilar sonha com a moeda, acorda e vai procurá-la, mas não acha  CORRUPÇÃO E DELAÇÃO

60  Discussão entre agulha e linha  Agulha exalta o seu trabalho, pois abre caminho para a linha, que não dá bola  Durante o conto, a linha diz que iria brilhar nos salões e que a agulha iria voltar para a caixa

61  Depois de humilhada a agulha recebe o consolo de um alfinete  “Também tenho servido de agulha para muita linha ordinária”

62  Senhora viúva que vivia na Tijuca  Motivo que a faz sair de casa: crise no casamento de sua sobrinha Venancinha que tinha brigado com Conrado  Supostamente ela estava aceitando o cortejo de Vasco Maria Portela

63  D. Paula também havia sido cortejada por Vasco, pai de Vasco  Teve um romance mesmo sendo casada  Aconselhava a sobrinha para que não cometera os mesmos erros  D. Paula faz uma viagem no tempo...  IMPRUDÊNCIA NAS SUAS ATITUDES

64  Texto dramático  Figuras mitológicas – diálogo – Ahasverus e Prometeu  O primeiro foi amaldiçoado por zombar de Cristo em seu sofrimento – Vagar pelo mundo e ser desprezado

65  O segundo criou o homem – condenado a ter uma águia comendo o seu fígado por toda a eternidade  Conversam e falam sobre seus castigos querendo sair deles  Prometeu, declara que poderia criar uma nova espécie, mais forte que o homem e ele e Ahasverus o rei  DUAS ÁGUIAS CONCLUEM QUE MESMO DIANTE DA MORTE EXISTE O APEGO À VIDA

66  Metanarrativa  Passa em 2022 – trata de um padre que se dedica à escritura de um sermão  Fica bravo por não encontrar um adjetivo adequado para o substantivo  Descansa em busca de inspiração

67  Imagina que as palavras possuem sexo  Muitas são as dificuldades que levam um casal a não se entender, como os empecilhos que fazem com que duas palavras não se relacionem bem  Substantivo masculino: Silvio  Adjetivo feminino: Silvia  A PARTIR DO DESENLACE ACHA A PALAVRA QUE PROCURAVA


Carregar ppt "Tema:  Traição  Triângulo amoroso entre amigos  Medo que a traição seja apresentada à sociedade  3ª pessoa - onisciente."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google