A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

SUPPLY CHAIN SCOR Model Reinaldo de Almeida Novembro 2010.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "SUPPLY CHAIN SCOR Model Reinaldo de Almeida Novembro 2010."— Transcrição da apresentação:

1 SUPPLY CHAIN SCOR Model Reinaldo de Almeida Novembro 2010

2 Sumário História Conceitos Modelo SCOR (Supply Chain Operation Reference) e GSCF ( Global Supply Chain Forum) Mapeamento de uma CS - avaliação

3 Introdução Principais mudanças econômicas que afetam a Logística: – Globalização – Aumento das incertezas econômicas (compartilhar riscos) (incoterm) – Proliferação de produtos (aumento da concorrencia) – Menores ciclos de vida dos produtos – Maiores exigências de serviços Paulo Fernando Fleury, 2000.

4 Logística Integrada Para que possa ser gerenciada de forma integrada, a logística deve ser tratada como um sistema, ou seja, um conjunto de componentes interligados, trabalhando de forma coordenada, com o objetivo de atingir um objetivo comum. Paulo Fernando Fleury, Modelo de Supply Chain: Thomaz Wood Jr. e Paulo Knörich Zuffo, Fontes Fornecedores Fabricantes Distribuidores Varejistas Consumidores

5 Definição de Cadeia de Suprimentos A cadeia de suprimentos consiste em todos os estágios envolvidos, direta ou indiretamente, em suprir a necessidade de um cliente 5 Uma cadeia de suprimentos é um sistema por meio do qual empresas e organizações interligadas entregam produtos e serviços a seus consumidores Svensson (2002)

6 Gerenciamento da Cadeia de Suprimento O conceito de gerenciamento da cadeia de suprimentos é uma evolução da logística empresarial, agora vista como uma estratégia, ela abrange desde o pedido de matéria-prima do fornecedor até a entrega do produto final ao cliente, seu objetivo é agregar valor e superar as expectativas dos consumidores finais, para isso, é necessário o desenvolvimento de relacionamentos confiáveis com fornecedores e clientes.

7 Exemplo de cadeia de suprimentos 7 Fornecedores de matéria-prima Indústria principal Varejistas Consumidor final Fabricantes de componentes Atacadistas e distribuidores

8 Exemplo de SC – suco de laranja concentrado 8 Fornecedores de insumos agrícolas Fazenda Indústria cítrica Engarrafador e distribuidor Consumidor final Defensivos Fertilizantes Tratores Implementos Mudas Irrigação

9 Logística X Cadeia de Suprimento Hoje, existe ainda uma certa confusão no contexto acadêmico com relação aos termos, logística e gerenciamento da cadeia de suprimentos. De acordo com o conceito do CLM - Council of Logistics Mangement (1998), a logística é um componente da cadeia de suprimentos, ou seja, ela é necessária para que ocorra o correto planejamento, implementação e controle, de modo eficiente e eficaz, do fluxo de produtos, serviços e informações desde sua origem até a entrega ao consumidor final, atendendo às necessidades dos clientes.

10 SCC - Supply Chain Council SCOR Model

11 SCC - História The Supply-Chain Council was organized in 1996 by Pittiglio Rabin Todd & McGrath (PRTM) and AMR Research, and initially included 69 voluntary member companies. The Supply-Chain Council now has closer to 1,000 corporate members world-wide and has established international chapters in North America, Europe, Greater China, Japan, Australia/New Zealand, South East Asia, Brazil and South America, India and Southern Africa. The Supply-Chain Council's membership consists primarily practitioners representing a broad cross section of industries, including manufacturers, services, distributors, and retailers.

12 Algumas empresas no Brasil

13 SCC - Propósito The Supply-Chain Council (SCC) is a global non-profit consortium whose methodology, diagnostic and benchmarking tools help nearly a thousand organizations make dramatic and rapid improvements in supply chain processes. SCC has established the supply chain worlds most widely accepted framework for evaluating and comparing supply chain activities and their performance. The frameworkthe SCOR® process reference model lets companies quickly determine and compare the performance of supply chain and related operations within their company or against other companies. To help members maximize the value of SCCs reference models, the consortium provides a benchmarking database by which companies can compare their supply chain performance to others in their industries; training classes so that managers can master the use of the reference models; and conferences at which supply chain and senior business executives can learn how SCC member companies have used the consortiums services to make dramatic improvements in supply chain and overall financial performance.

14 Supply Chain Council 12/1/ Site na WEB Modelo SCOR 9.0 ; – Apresentações dos Eventos anteriores; – Scor case Histories; – Benchmarking; – Study Results – Grupos com estudos em andamento. – Commitees and Project Teams (Comitê de direção). No Brasil:

15 Modelo SCOR 12/1/ Modelo de referência elaborado pelo Supply-Chain Council que descreve Processos que fazem parte da Cadeia de Suprimentos relacionando-os com melhores práticas e métricas adequadas. 10.0

16 Modelo SCOR

17 Customers Suppliers P1 Plan Supply Chain Plan P2 Plan Source P3 Plan Make P4 Plan Deliver SourceMakeDeliver S1 Source Stocked Products M1 Make-to-Stock M2 Make-to-Order M3 Engineer-to-Order D1 Deliver Stocked Products D2 Deliver MTO Products D3 Deliver ETO Products S2 Source MTO Products S3 Source ETO Products Supply-Chain Operations Reference-model Return Source P5 Plan Returns Return Deliver Enable D4 Deliver Retail Products

18 First We Must Identify the Primary Supply Chain(s) of Interest From the Many Threads That Make up a Network, or Chain of Chains 18 Multiple Suppliers Multiple Production Operations within a Business Multiple Customers SOURCEMAKEDELIVERSOURCEMAKEDELIVER SourceMakeDeliver SOURCE MAKE DELIVER SOURCE MAKE DELIVER Source: Supply Chain Council SCOR Model

19 Escopo - Modelo SCOR 12/1/ Conteúdo: Processos Indicadores Melhores Práticas Tecnologia Planejamento Produção Forneci- mento Retorno Entrega Retorno Forneci- mento Retorno Entrega Produção Retorno Forneci- mento Retorno Entrega Produção Retorno Forneci- mento Retorno Entrega EmpresaFornecedor Interno ou Externo Cliente Interno ou Externo Cliente do Cliente Fornecedor do Fornecedor

20 Plan SourceMakeDeliver Modelo Scor Melhores Práticas Processos Tecnologias System Modelo SCOR - Escopo Métricas Assets Delivery Performance & Quality Cost Flexibility & Responsiveness

21 Níveis 12/1/ # Level Schematic Comments Configuration Level (Process Categories) Process Element Level (Decompose Processes) Plan Deliver Make Source A companys supply chain can be configured-to- order at Level 2 from approximately30 core process categories. Companies implement their operations strategy through their unique supply chain configuration. Companies fine tune their Operations Strategy at Level 3 Level 3 defines a companys ability to compete successfully in its chosen markets and consists of: Process element definitions Process element information inputs and outputs Process performance metrics Best practices, where applicable System capabilities required to support best practices Implementation Level (Decompose Process Elements) Companies implement specific supply chain management practices at this level Level 4 defines practices to achieve competitive advantage and to adapt to changing business conditions Supply Chain Operations Reference model Top Level (Process Types) Level 1 defines the scope and content for the Supply Chain Operations Reference model Here basis of competition performance targets are set Not in Scope Description Balance Production Resources with Production Requirements Establish Detailed Production Plans Identify, Prioritize, and Aggregate Production Requirements Identify, Assess, and Aggregate Production Resources P3.1 P3.3 P3.4 P3.2 Return

22 Niveis do SCOR

23 SCOR Nivel 3

24 Implementando nos demais níveis

25 Indicadores da Cadeia de Suprimentos Plan Deliver Make Source SCOR Atributos de Performance Características que permitem analisar / avaliar a performance da Cadeia de Suprimentos Indicadores Gerenciais Indicadores Gerenciais São os indicadores de nível gerencial que avaliam o sucesso da organização. Indicadores de Processos São os indicadores de nível operacional que avaliam os processos e tem influencia direta na avaliação da cadeia de suprimentos.

26 Indicadores Cadeia de Suprimentos Exemplos de Métricas Utilizadas: -Tempo médio de mudança de programação / desenho da peça -Tempo médio de recebimento/ transferência -% sem verificação -% recebimento on time -% recebimento sem dano / completo -% de defeito -Tempo médio de verificação -% produtos transferidos -% de Invoice e pagamentos geradas por EDI -Custo por Invoice -Ciclo médio de seleção -Produto total de aquisição -Tempo médio de qualificação e identificação Nível 3 Nível 2 Nível 1

27 Atributos de performance da CS Confiabilidade: É a performance que a cadeia de suprimentos entrega seus produtos, no local, na hora e na qtde correta, embalado, com a devida documentação, e em boas condições de uso ao cliente. É a velocidade que a cadeia de suprimentos entrega seus produtos ao cliente. É a agilidade que a cadeia de suprimentos responde às mudanças de mercado para ganhar ou manter a competitividade. São os custos associados com a operação da cadeia de suprimentos. É o gerenciamento dos ativos que suportam a demanda. Inclui o gerenciamento de todos os ativos: fixos e estoques em processo e produtos acabados. Atributos de Performance Características que permitem analisar / avaliar a performance da Cadeia de Suprimentos Atributos de Performance Características que permitem analisar / avaliar a performance da Cadeia de Suprimentos Confiabilidade de entrega da Cadeia de Suprimentos Velocidade da cadeia de suprimentos Flexibilidade da cadeia de suprimentos Custos da cadeia de suprimentos Gerenciamento dos ativos

28 Métricas Ativos Custos Velocidade Flexibilidade Confiabilidade Ativos Custos Velocidade Flexibilidade Confiabilidade

29 Indicadores gerenciais Confiabilidade de entrega da Cadeia de Suprimentos 2- Velocidade de atendimento 1- Performance de entrega 3- Atendim. dos requisitos Flexibilidade da cadeia de suprimentos 1- Tempo de resposta da C. S. 2- Flexibilidade da produção Custos da cadeia de suprimentos 1- Custo total da C. S. 2- Custo dos produtos manuf. 3- Valor agregado / empreg. 4-Custo de garantia produto Gerenciamento dos ativos 2- Dias de inventario 1- Ciclo fluxo caixa 3- Giro de ativos Velocidade da cadeia de suprimentos 1- Cumprimento da ordem / Ciclos

30 Atributos de Performance Indicadores Gerenciais 2 - Velocidade da cadeia de suprimentos 1- Cumprimento da Ordem / Ciclos Indicadores de Processos Ciclo de entrega (recebimento, inspeção, estocagem, processamento de pgto e atualização de dados no sistema) Tempo de Inspeção/ Quarentena (da entrada até a liberação) Tempo total do recebimento até disponibilização no estoque Ciclo de RecebimentoCiclo de Produção Ciclo de replanejamento da manufatura Ciclo de produção (Cadência) Ciclo de Entrega Tempo entre a saída da manufatura e a efetiva entrega ao Cliente Ciclo do processo de exportação Ciclo da documentação regulatória Responsiveness Lead Time ?? Indicadores gerenciais - Velocidade

31 Best Practices Nível 3 Nível 2 Nível 1 SCOR

32 Best Practices Exemplos de Melhores Práticas: -EDI -Kanban -VMI -Estoque consignado -Código de barras -Inspeção por amostragem -Entrega no ponto de uso -Processamento eletrônico da Invoice -RFID -Fornecedores certificados -ASN Nível 3 Nível 2 Nível 1

33 Project Approach Performance Metrics Benchmarks SCORcard Competitive Requirements DiscoverAnalyzeDesignDevelop Implement OpportunityStrategySolutionPrototype Install Material Flow Design Disconnect Analysis Work and Information Flow Design Application Architecture Preliminary Implementation Plan Educate Support Workshops Executive Briefings Customized Training SCOR Boot Camp for Project Managers Prioritized Supply Chain Changes Opportunity Analysis Master Schedule of Projects Supply Chain Project Office- Continuous Improvement Plan Detailed Design Technology Selection Conference Room Pilot Discovery Checklist Project Charter Stakeholder Interviews

34 Mapping material flow Latin American Suppliers (D1) Warehouse Other Suppliers (D1)Manufacturing European Supplier (S1) (SR1,SR3) (S1, D1) (SR1,DR1,DR3) (D2) (DR1) Warehouse Warehouse Warehouse (S1, D1) (SR1, DR3) (S1, D1) (SR1,DR1,DR3) (S1) (SR1,SR3) (S1, S2, M1, D1) (SR1,,DR1)

35 Mapping the execution processes S1 D1S1 M2 S2 D2 M1 D1 S1 S2 D1 M1 European RM Supplier Key Other RM Suppliers Alpha Regional Warehouses S1 DR1SR1 DR1SR1DR1SR1 DR3SR3 RM Suppliers DistributorsALPHA DR3SR3 S1 Americas Distributors Americas Distributors SR1 SR3

36 Supply Chain Scorecard & Gap Analysis 50% $30M Revenue $30M Indirect Cost 35 days 97 days 0% 63% Supply Chain SCORcard Performance Versus Competitive Population Overview MetricsSCOR Level 1 MetricsActualParityAdvantageSuperiorValue from Improvements Delivery Performance to Commit Date 85%90%95% Fill Rates 94%96%98% EXTERNAL SupplyChainReliability Perfect Order Fulfillment 80%85%90% Order Fulfillment Lead times 7 days5 days3 days Flexibility Responsiveness Production Flexibility 30 days25 days20 days Total SCM Management Cost 19%13%8% 3% INTERNAL Cost Warranty Cost NA Value Added Employee Productivity NA$156K$306K$460KNA Inventory Days of Supply 119 days55 days38 days22 daysNA Assets Cash-to-Cash Cycle Time 196 days80 days46 days28 days Net Asset Turns (Working Capital) 2.2 turns8 turns12 turns19 turnsNA Supply Chain Response Time 82 days55 days13 days 45 days $7 M Capital Charge Key enabler to cost and asset improvements $30M Revenue

37 Quadro Resumo dos Processos 12/1/201437

38 Quadro Resumo dos Processos 12/1/201438

39 SCOR Nível 3 - Processo padrão 12/1/201439

40 Painel de Indicadores

41 SCOR 10.0 Green SCOR – Práticas Ambientais Pessoas Plan SourceMakeDeliver Modelo Scor

42 Global Supply Chain Forum GSCF

43 Origem The Global Supply Chain Forum (GSCF), directed by Dr. Douglas M. Lambert, provides the opportunity for leading practitioners and academics to pursue the critical issues related to customer satisfaction and operational excellence independent of specific functional expertise.Dr. Douglas M. Lambert

44 GSCF

45 Análise Comparativa: GSCF X SCOR Lambert, Douglas M; García-Dastugue, Sebastián J.; Croxton, Keely L., 2005.

46 TituloAutor Supply Chain Excellence: A Handbook for Dramatic Improvement Using the SCOR Model Peter Bolstorff and Robert Rosenbaum Application of the SCOR Model in Supply Chain Management Rolf G. Poluha Paul Richardson Bibliografia

47 Avaliação 1.Identificação da Equipe (3 ou 4 pessoas) 2.Mapeamento dos Processos da CS 1.Source 2.Make 3.Deliver 3.Mapeamento dos processos (Niveis 1,2,3 e 4) 4.Avaliação da aplicação dos Indicadores 5.Levantamento e priorização das Best Practices

48 Passos 1.Descrever e mapear a organização 2.Identificar e Mapear os 4 níveis do processo estudado 3.Identificar as métricas (nos 5 atributos de performance) que vão medir um bom desempenho do processo 4.Identificar parametros de bom desempenho 5.Identificar as melhores práticas necessárias e um plano de implantação destas (Road Map) 6.Apresentação

49 Modelo SourceMakeDeliver S1 Source Stocked Products M1 Make-to-Stock M2 Make-to-Order M3 Engineer-to-Order D1 Deliver Stocked Products D2 Deliver MTO Products D3 Deliver ETO Products S2 Source MTO Products S3 Source ETO Products D4 Deliver Retail Products S2 Source MTO Products

50 Modelo Melhores Práticas – SCOR Melhores Práticas – SCOR Indicadores de Performance Indicadores de Performance

51 Reinaldo de Almeida FIM


Carregar ppt "SUPPLY CHAIN SCOR Model Reinaldo de Almeida Novembro 2010."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google