A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Prof. Marcelo Gandolfi da Silva Multimídia em aulas de História História do Brasil 3ª Edição - 2007.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Prof. Marcelo Gandolfi da Silva Multimídia em aulas de História História do Brasil 3ª Edição - 2007."— Transcrição da apresentação:

1

2 Prof. Marcelo Gandolfi da Silva Multimídia em aulas de História História do Brasil 3ª Edição

3 O Regime Militar Logo que os Militares assumiram o poder no Brasil, trataram de editar o Primeiro Ato Institucional (AI-1), que cassou o mandato dos políticos que participaram do governo Goulart, além de centenas de outras pessoas consideradas perigosas ao regime militar. Escolhido pela Escola Superior de Guerra, o novo presidente foi o general Castelo Branco, que além das cassações promoveu: aposentadorias compulsórias, prisões e exílio forçado de milhares de professores, líderes estudantis e sindicais. A União Nacional dos Estudantes (UNE) e a Universidade Federal de Brasília foram fechadas, e o Ministério de Educação e Cultura assinou um acordo com a United States Agency for Internacional Development (Usaid), norte-americana, com o objetivo de reformar o ensino no Brasil. Este acordo absurdo provocou revolta de estudantes por todo país, e violentos choques com a polícia. E todos estes atos de violência eram justificados como em nome da Segurança nacional. No âmbito econômico houve: corte nos gastos públicos, congelamento do salário dos trabalhadores e aumento do preço da Luz e transporte coletivo. Todas estas medidas eram propostas pelo Fundo Monetário Internacional (FMI). E a partir de 1964 os EUA, multiplicaram a presença de multinacionais em nosso país. Levando à falência muitas indústrias nacionais, aumentando o desemprego e diminuindo salários. A reação a esta política iniciou com a eleição em vários Estados de políticos de oposição. Diante disso, os militares editaram o AI-2, que extinguiu os partidos políticos e deu direito aos militares de julgarem civis acusados de crimes políticos. Para substituir os partidos extintos, foi criado o Movimento Democrático nacional (MDB), que representava a aposição, e a Aliança Renovadora Nacional (Arena) que era o partido do governo. Os atos de desrespeito por parte dos militares continuaram no AI-3 e AI-4, que neles, as eleições para governador e presidente tornaram-se indiretas e o estado de sítio passou a ser decretado sem autorização do congresso.

4 Castelo Branco Escolhido pela Escola Superior de Guerra, o novo presidente foi o general Castelo Branco, que além das cassações promoveu: aposentadorias compulsórias, prisões e exílio forçado de milhares de professores, líderes estudantis e sindicais.

5 Artur da Costa e Silva Além de manter os Atos Institucionais, o novo presidente determinou censura prévia na imprensa e a prisão, mesmo sem provas, dos suspeitos de crimes políticos. Neste governo, o ministro Antônio Delfim Neto, conseguiu obter um grande empréstimo do FMI e o presidente utilizou-o na construção de usinas hidroelétricas em Volta Redonda, Minas Gerais e São Paulo. Com isso, o governo e es multinacionais aliaram-se definitivamente.

6 O Movimento Estudantil Os estudantes tornaram-se os principais opositores do regime militar e do imperialismo americano, e por ordem do conselho de Segurança Nacional, centenas de líderes estudantis foram presos por todo Brasil. Mas mesmo assim eles continuavam a atuar na clandestinidade (escondidos), formando grupos terroristas, como o MR-8 e o VAR, cujas missões eram assaltar bancos e lojas de armas para financiar sua existência. A recessão econômica fez com que em 1968, operários se organizassem e promovessem paralisações. A Igreja dividia-se em uma ala de apoio ao governo e outra ala que tornou-se um dos principais espaços de resistência aos militares. Denunciado a violência. E a maioria destes religiosos foram presos e torturados. Para tentar conter as manifestações, os militares radicalizaram ainda mais, editando o AI-5, que: fechou o congresso, retirou dos presos políticos a possibilidade de apelar ao poder judiciário e acabou com o habeas Corpus.

7 Emílio Garrastazu Médice A Consolidação do Regime Militar Com a saída do Presidente Costa e Silva, por motivo de doença, assumiu o general Emílio Garrastazu Médice, ex-chefe do Serviço Nacional de Informações (SNI). Neste episódio, o congresso foi reaberto somente para oficializar e escolha do novo presidente, e participaram somente políticos da ARENA. Em meio a este processo, o MR-8, grupo de esquerda, seqüestrou o embaixador dos EUA, Charles Burke Eldrick, exigindo a libertação de presos políticos. Em 1970 a censura foi ampliada ainda mais. Agora sendo controlados pela Polícia Federal: as peças de teatro, os filmes e as músicas, que tivessem em seu contexto qualquer frase que pudesse criticar o governo militar. A censura estimulou mais ações armadas por parte dos grupos de esquerda. Quando em 1970 estes grupos prenderam o cônsul do Japão e os embaixadores da Alemanha e Suíça, tentando chamar a atenção do mundo do que estava acontecendo no Brasil. Outro episódio importante, foi o roubo espetacular, conduzido pelo VAR-Palmares (movimento de esquerda) de 2,5 milhões de dólares retirados do cofre do ex-governador de São Paulo Ademar de Barros. Para tentar acabar com estes atos de revolta, os militares criaram o Departamento de Operações Internas (DOI) e os Centros de Operações de Defesa Interna (CODI). E estes órgãos levaram a morte dezenas de militantes de esquerda. Em 1972, diversos grupos de esquerda, reuniram-se no Araguaia (próximo do Pará, Maranhão e Goiás) e orientados pelo PC do B (partido Comunista do Brasil), e apoiados pelo Bispo Local e pelos nativos, montaram a guerrilha do Araguaia, que resistiu por três anos aos ataques militares.

8 O Crescimento Econômico Utilizando dinheiro dos EUA, o modelo econômico dos militares, conseguiu baratear o petróleo e levar o país a um aumento muito grande das exportações. E isso fez com que ficasse muito mais interessante exportar do que vender para o mercado interno. Para suprir as necessidades de energia elétrica, foi feito um acordo com o Paraguai, para a construção da Usina de Itaipú, em Este aumento das exportações era denominado pelos militares como, o milagre econômico. E eles desafiavam a esquerda com a frase Brasil, ame-o ou deixe-o. O fim do milagre econômico Como era previsível, a economia baseada em empréstimos internacionais, não conseguiu sucesso por muito tempo, pois quando os países fornecedores de petróleo para o Brasil, aumentaram muito o preço de seu produto, imediatamente o comércio internacional reduziu-se e o Brasil ficou endividado. Para pagar as dívidas, os militares fizeram novos empréstimos e emitiram moeda. Levando o país a uma inflação incontrolável. Enquanto as grandes empresas enriqueciam, as pequenas fechavam suas portas, e para o povo em geral, o Milagre Econômico dos militares, não passou de manchete de jornal.

9 Ernesto Geisel Democratização Lenta e Gradual Em 1974 assumiu a presidência do Brasil, o general Ernesto Geisel, com a promessa de restabelecer o regime constitucional. E neste sentido, ele teve oportunidade de cumprir sua promessa quando o Jornalista Wladimir Herzog, foi torturado e morto na prisão do DOI-CODI, em São Paulo. Geisel, resolveu controlar a violência de seus órgãos de segurança e libertou dezenas de presos políticos. Abrindo assim, o debate político no país. Mas ainda mantinha as cassações dos parlamentares que ousavam questionar suas decisões. Em 1977, a crise política se intensificou, e usando o AI-5, o presidente fechou novamente o congresso e determinou que os senadores seriam escolhidos pelo governo. Nasciam assim os Senadores Biônicos, que evidentemente sempre votavam a favor do governo. No âmbito econômico, o déficit e a balança comercial estavam em crise, graças aos empréstimos brasileiros no exterior. E a divida externa passou a consumir quase toda a riqueza produzida no país. Apesar desta situação, o governo insistia na construção de grandes obras que quase sempre resultavam em desperdício e agressões ao meio ambiente. A recessão aumentava a cada dia, e a imprensa começava a revelar casos de corrupção e desvio de dinheiro. E os escândalos promoveram agitações sociais nos anos 70. Wladimir Herzog

10 João Figueiredo João Batista Figueiredo, assumiu em 1979, com a disposição de promover abertura política no rumo da democracia. Mas logo teve que enfrentar uma greve de metalúrgicos do ABC, que pediam melhores salários. Mesmo dizendo que iria devolver o país à democracia, Figueiredo mandou prender os líderes da greve. E imediatamente houve reação dos sindicalistas, da Igreja e dos estudantes. Figueiredo, pressionado, mandou em junho de 1979 um projeto de anistia aos presos políticos, que garantiu a libertação de presos e o retorno dos exilados, como Leonel Brizola, Miguel Arraes, Luiz Carlos Prestes e Fernando Gabeira (militante do MR-8), e mais uma centena de outros exilados. Em novembro, o governo extinguiu o MBB e a ARENA, e criou o PMDB (de oposição), o PDS (governista) e outros partidos, como o PDT, o PTB e o PT. Em 1980, a recessão chegou ao limite, e a classe média iniciou seus protestos. Quando metalúrgicos pararam por 41 dias em São Paulo. E este fato fez com que houvesse choques com a polícia e a prisão de Luiz Inácio da Silva (LULA) e mais onze dirigentes sindicais acusados pela lei de segurança nacional.

11 A cultura brasileira na década de 1970 Os principais fatos culturais da década de 70 foram: - A legalização do divórcio - A utilização de novos métodos anticoncepcionais - As mulheres passaram a trabalhar fora de casa - Difundiu-se o uso de drogas e práticas orientais - Iniciou o movimento de defesa do meio ambiente - A televisão tornou-se o principal meio de comunicação popular - A Rede Globo de Televisão, com apoio do governo e da agência Americana Time-Life, tornou-se a líder de audiência e a principal fonte de controle ideológico do povo brasileiro, até os dias de hoje.

12 Questões de Vestibular 1- Sobre o fim do período militar no Brasil ( ), pode-se afirmar que ocorreu de forma a) conflituosa, resultando em um rompimento entre as forças armadas e os partidos políticos. b) abrupta e inesperada, como na Argentina do General Galtieri. c) negociada, como no Chile, entre o ditador e os partidos na ilegalidade. d) lenta e gradual, como desejavam setores das forças armadas. e) sigilosa, entre o presidente Geisel e Tancredo Neves, à revelia do exército e dos partidos.

13 Resposta D

14 2- No período em que o Brasil foi dirigido por governos militares a decretação do AI 5 (Ato Institucional número 5) representou um "endurecimento" do regime instalado em 1964, que pode ser explicado pela(s): a) inquietação dos setores militares favoráveis à redemocratização. b) ação dos grupos de oposição, que trocaram a luta armada pela oposição parlamentar ao regime. c) crise decorrente do impedimento do Presidente Costa e Silva. d) crise econômica resultante do esgotamento do milagre brasileiro. e) crescentes manifestações oposicionistas de líderes políticos, estudantes e intelectuais contra o regime.

15 Resposta E

16 3- O Ato Institucional nŽ 5, editado durante o governo do General Costa e Silva, permitiu a esse presidente da República, entre outras medidas: a) convocar uma Assembléia Nacional Constituinte b) criar novos ministérios e empresas estatais c) decretar o recesso parlamentar e promover cassações de mandatos e de direitos políticos d) contratar maiores empréstimos no exterior e) promover uma reformulação do sistema partidário

17 Resposta C

18 4- Associe, corretamente, numa única alternativa, as duas colunas a seguir: a) I - 1, II - 2, III - 3, IV - 4, V - 5. b) I - 2, II - 3, III - 4, IV - 5, V - 1. c) I - 3, II - 4, III - 5, IV - 1, V - 2. d) I - 4, II - 5, III - 1, IV - 2, V - 3. e) I - 5, II - 1, III - 2, IV - 3, V - 4.

19 Resposta C

20 5- Leia o texto. "A situação brasileira apresenta assim perspectiva de agravamento das principais contradições entre o povo e o governo, entre a esmagadora maioria da nação e o imperialismo norte-americano, tendendo a adquirir caráter mais agudo. Qualquer das saídas presentemente tentadas pelas classes dominantes não amainará as divergências entre os grupos políticos em choque e muito menos o descontentamento e a luta popular. Os imperialistas ianques, aliados à reação interna, se esforçarão para consolidar o que obtiveram a 1Ž de abril e intensificarão sua atividade neocolonialista no Brasil." (Extrato de documento do Partido Comunista do Brasil, 1966) Todas as afirmativas traduzem corretamente as idéias contidas no texto, EXCETO a) A constatação de que o imperialismo americano é aliado das forças da reação. b) A percepção de que o povo está desencantado e disposto a lutar contra a ditadura. c) A preocupação da esquerda brasileira com a situação política do país no pós-64. d) O entendimento de que à crise interna deve se somar a pressão dos interesses externos. e) O entendimento de que só as classes dominantes serão capazes de pôr fim à crise.

21 Resposta E

22 6- A reforma partidária, que implantou o pluripartidarismo no Brasil, no governo Figueiredo, tinha por objetivo a) consolidar os resultados das eleições de 1974 que deram ampla vitória ao partido do governo, o PDS. b) levar os liberais, concentrados no PP, para engrossar as fileiras do PRS e fortalecer o apoio ao governo. c) quebrar o monopólio que o MDB exercia na oposição fragmentando-o em inúmeros partidos e evitando a sua ascensão ao poder. d) revigorar o PDT para que esse pudesse enfrentar o PT nas eleições majoritárias. e) utilizar os antigos militantes da UDN nos quadros da ARENA para que essa, fundindo-se com o PDS, vencesse as eleições para governadores.

23 Resposta C

24 7- Em 1968, Caetano Veloso, ao defender num festival a sua composição "É Proibido Proibir", assim respondeu às vaias do público: "Mas é isso que é a juventude que quer tomar o poder. Vocês tem coragem de aplaudir este ano uma música que vocês não teriam coragem de aplaudir o ano passado! São a mesma juventude que vai sempre, sempre matar o velhote inimigo que morreu ontem. Vocês não estão entendendo nada, nada, nada Absolutamente nada (...) O problema é o seguinte: estão querendo policiar a música brasileira. Mas eu e o Gil já abrimos o caminho (...). Nós, eu e ele tivemos coragem de enfrentar em todas as estruturas e sair de todas. E vocês? E vocês? Se vocês em política forem como estética estamos feitos." (HOLLANDA, Heloisa Buarque e GONÇALVES, Marcos A. Cultura e Participação. Anos Sessenta, COLEÇÃO TUDO É HISTÓRIA, vol.41, Brasiliense, são Paulo, 1982, p.6) Quando Caetano fala sobre o policiamento da música brasileira ele se refere a um conjunto de medidas repressivas tomadas pelos governos militares, que culminaria: a) na promulgação do Ato Institucional nŽ 05 (AI-5). b) na criação do Departamento de Censura. c) no fechamento da UNE. d) na criação do Departamento de Ordem Política Social. e) na extinção dos partidos políticos.

25 Resposta A

26 8- Os governos militares ( ) adotaram algumas diretrizes políticas e econômicas responsáveis pela(o): a) liberdade sindical e Nacionalismo. b) arrocho salarial e subordinação ao capital estrangeiro. c) não endividamento externo e estatização das empresas. d) redistribuição de renda a maior liberdade às pequenas empresas. e) não intervencionismo do Estado na economia.

27 Resposta B

28 9- (UFSC-2003) Assinale a(s) proposição(ões) VERDADEI-RA(S) referente(s) a acontecimentos históricos ocorridos entre 1960 e A Marcha da Família com Deus pela Liberdade reuniu aproximadamente 500 mil pessoas que saíram às ruas de São Paulo manifestando-se contra o governo de João Goulart (Jango). 02. Em resposta às manifestações operárias e estudantis, o presidente Costa e Silva decretou o Ato Institucional n o 5 e ordenou o fechamento do Congresso Nacional. 04. Parte da população descontente com a atuação dos presidentes militares organizou passeatas, bem como guerrilhas rurais e urbanas. 08. A eleição de Tancredo Neves para a presidência da República, em 1985, marcou o fim do regime militar. Ao concluir seu mandato, Tancredo Neves promulgou a Constituição Cidadã. 16. Foi fundado o Partido dos Trabalhadores, um dos símbolos do movimento operário do Brasil, com a participação do líder Luís Inácio da Silva.

29 Resposta = 23

30 Acafe 2006/2. Em 1964 um golpe militar mergulhou o Brasil em uma época de cerceamento das liberdades individuais e repressão às formas de contestação ao regime, culminando com prisões, torturas e desaparecimentos de pessoas. Assinale a alternativa incorreta. a) Os grandes festivais da canção que aconteciam então eram formas possíveis de contestação, consolidando estilos musicais como a MPB – Música Popular Brasileira. b) Na época dura do regime militar, o nacionalismo brasileiro impedia qualquer aproximação com outros países da América Latina e com os Estados Unidos, havendo uma política de isolacionismo. c) O Ato Inconstitucional Número 5 (AI 5), instalado em 13 de dezembro de 1968, foi uma amarga derrota para as esquerdas, endurecendo ainda mais o regime. d) Paralelamente à repressão, realizou-se o que se chamou de milagre econômico, que viria consolidar a modernização nos moldes conservadores, com a concentração de riqueza, sem a ampliação dos direitos sociais e democráticos. e) As formas de contestação ao regime foram reprimidas de forma violenta, levando intelectuais, artistas, membros do clero contrários ao regime, estudantes, dentre outros, para a prisão, sofrendo torturas, e muitos foram exilados.

31 Resposta B


Carregar ppt "Prof. Marcelo Gandolfi da Silva Multimídia em aulas de História História do Brasil 3ª Edição - 2007."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google