A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

O Ambiente "Bases de Dados" © Ana Lucas/ Chaves Magalhães/Pedro Neves – 2007Versão 2.6.1 O Ambiente "Base de Dados"

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "O Ambiente "Bases de Dados" © Ana Lucas/ Chaves Magalhães/Pedro Neves – 2007Versão 2.6.1 O Ambiente "Base de Dados""— Transcrição da apresentação:

1 O Ambiente "Bases de Dados" © Ana Lucas/ Chaves Magalhães/Pedro Neves – 2007Versão O Ambiente "Base de Dados"

2 O Ambiente "Bases de Dados" © Ana Lucas/ Chaves Magalhães/Pedro Neves – 2007Versão Componentes do Ambiente "Base de Dados" Equipas de Desenvolvimento Administradores de Dados Administradores de Bases de Dados Utilizadores Dicionário de Dados Ferramentas CASE Catálogo Aplicações Base de Dados SGBD SGBD User Interface Adaptado de McFadden,Hoffer, Prescott (1999) Geradores de SQL

3 O Ambiente "Bases de Dados" © Ana Lucas/ Chaves Magalhães/Pedro Neves – 2007Versão Base de Dados Conjunto integrado de dados e/ou informações que serão partilhados e utilizados concorrentemente para múltiplos objectivos por múltiplos tipos de utilizadores Embora os vários utilizadores partilhem os mesmos dados têm perspectivas e direitos diferenciados sobre eles

4 O Ambiente "Bases de Dados" © Ana Lucas/ Chaves Magalhães/Pedro Neves – 2007Versão Base de Dados Uma Base de Dados é uma colecção organizada de dados logicamente relacionados. McFadden,Hoffer, Prescott (1999) Uma Base de Dados é uma colecção de dados relacionados. Elmasri, Navathe (2000) Uma Base de Dados é uma colecção de dados persistentes, utilizada pelas aplicações de determinada empresa. Date (2000)

5 O Ambiente "Bases de Dados" © Ana Lucas/ Chaves Magalhães/Pedro Neves – 2007Versão Tipificação das Bases de Dados - Perspectiva I Pessoais (Suportadas simplesmente em PC) São concebidas para suportar o trabalho individual e são disponibilizadas num PC (portátil ou fixo). Workgroup Suportam o trabalho de uma equipa no desenvolvimento de determinado(s) projecto(s). Departamentais Suportam as várias funções e actividades de um Departamento. Organizacionais Suportam as actividades relacionadas com o core business da Organização (nível operacional ou suporte à decisão).

6 O Ambiente "Bases de Dados" © Ana Lucas/ Chaves Magalhães/Pedro Neves – 2007Versão BASES DE DADOS OPERACIONAIS DATAWAREHOUSEDATAWAREHOUSE OLTP APLICAÇÕESAPLICAÇÕES On Line Transaction Processing - Que factores influenciam as vendas em Lisboa? - Vendas mensais por produto em Lisboa? - Qual o preço do produto X ? DADOS INFORMAÇÃO CONHECIMENTO OLAP On Line Analytical Processing Tipificação das Bases de Dados - Perspectiva II

7 O Ambiente "Bases de Dados" © Ana Lucas/ Chaves Magalhães/Pedro Neves – 2007Versão Sistema de Gestão de Bases de Dados (SGBD) Características Básicas de um SGBD: Suporta-se num Modelo Lógico de Dados (normalmente Relacional) Faz a gestão de: Transacções Integridade Concorrência Recuperação Disponibilidade Controlo de Acessos Assegurando uma Performance Adequada (Optimização) É um produto de software que gere as Bases de Dados.

8 O Ambiente "Bases de Dados" © Ana Lucas/ Chaves Magalhães/Pedro Neves – 2007Versão Evolução dos SGBD 1960s1970s1980s1990s2000+ Ficheiros Tradicionais SGBD Hierárquicos SGBD em Rede SGBD Relacionais Universais SGBD Relacionais SGBD Object Oriented SGBD Multidimensionais SGBD Relational-Object

9 O Ambiente "Bases de Dados" © Ana Lucas/ Chaves Magalhães/Pedro Neves – 2007Versão SGBD - Arquitectura em Três Níveis (ANSI/SPARC) EXTERNAL VIEW 1 EXTERNAL VIEW n INTERNAL SCHEMA GLOBAL SCHEMA END USERS... STORED DATABASE INTERNAL LEVEL GLOBAL LEVEL EXTERNAL LEVEL external/global mapping global/internal mapping

10 O Ambiente "Bases de Dados" © Ana Lucas/ Chaves Magalhães/Pedro Neves – 2007Versão O Que Há de Novo na Tecnologia de Bases de Dados? INDEPENDÊNCIA ENTRE DADOS E PROGRAMAS (DATA INDEPENDENCE)

11 O Ambiente "Bases de Dados" © Ana Lucas/ Chaves Magalhães/Pedro Neves – 2007Versão Independência entre Dados e Processos (Data Independence) FÍSICA Os utilizadores e respectivos programas são independentes da estrutura física da Base de Dados. Significa isto que quaisquer alterações à estrutura física (de armazenamento) da BD deixa inalteráveis todos os programas LÓGICA Os utilizadores e respectivos programas são independentes da estrutura lógica da Base de Dados. Significa isto que quaisquer alterações à estrutura lógica da BD (inclusão de mais atributos em tabelas, inclusão de novas tabelas, etc.) deixa inalteráveis todos os programas independentes dessas alterações.

12 O Ambiente "Bases de Dados" © Ana Lucas/ Chaves Magalhães/Pedro Neves – 2007Versão Independência entre Dados e Processos (Data Independence) INTEGRIDADE Os utilizadores e respectivos programas são independentes das regras de integridade (coerência) em vigor na Base de Dados. Significa isto que quaisquer alterações às referidas regras na BD deve deixar, sempre que possível, inalteráveis todos os programas DISTRIBUIÇÃO Os utilizadores e respectivos programas são independentes da localização geográfica dos Dados na Base de Dados. Significa isto que quaisquer alterações à referida localização (alteração da localização de tabelas, replicação de tabelas, etc.) deixa inalteráveis todos os programas).

13 O Ambiente "Bases de Dados" © Ana Lucas/ Chaves Magalhães/Pedro Neves – 2007Versão Vantagens da Aproximação "Base de Dados" Integração de dados de suporte a múltiplas aplicações (aumento da coerência) Independência Programas/Dados Diminuição da Redundância Aumenta a Integridade (Coerência) Diminui o Espaço Ocupado Aumento da Qualidade dos Dados Facilidade de Mudança

14 O Ambiente "Bases de Dados" © Ana Lucas/ Chaves Magalhães/Pedro Neves – 2007Versão Vantagens da Aproximação "Base de Dados" (Cont) Utilização de "Linguagens de Interrogação" pelos Utilizadores Finais (questões ad-hoc) Maior Facilidade de Desenvolvimento e Manutenção Controlo Centralizado de Dados –Normas –Integridade –Segurança –Recuperação

15 O Ambiente "Bases de Dados" © Ana Lucas/ Chaves Magalhães/Pedro Neves – 2007Versão SGBD Relacionais - Exemplos Oracle Informix SQL Server DB2 MySQL Sybase Ingres Rdb...

16 O Ambiente "Bases de Dados" © Ana Lucas/ Chaves Magalhães/Pedro Neves – 2007Versão Catálogo Contém a definição da Base de Dados, descrita num meta- modelo de dados (específico de cada SGBD, utilizando o mesmo modelo lógico usado para a definição da Base de Dados propriamente dita). Exemplo: Num SGBD relacional o catálogo contém as definições das tabelas, views, regras de integridade, etc. Nota: Alguns autores designam o Catálogo por Dicionário de Dados

17 O Ambiente "Bases de Dados" © Ana Lucas/ Chaves Magalhães/Pedro Neves – 2007Versão Interface com o Utilizador Como se acede aos dados de uma Base de Dados? Tal como num ambiente de Ficheiros –Através de programas escritos especificamente para o efeito em linguagens de 3ª geração, sendo o acesso aos dados efectuado a partir de uma sub-linguagem específica do SGBD (SQL)

18 O Ambiente "Bases de Dados" © Ana Lucas/ Chaves Magalhães/Pedro Neves – 2007Versão Interface com o Utilizador Mas também... –Através de Interfaces de Interrogação (Queries) –Através de Linguagens de 4ª/5ª Geração Geradores de ecrãs (forms) Geradores de relatórios Geradores de menus –Através de processos "clientes" executados num ambiente diferente (por exemplo, clientes WEB) –Através de interfaces para a Administração da Base de Dados

19 O Ambiente "Bases de Dados" © Ana Lucas/ Chaves Magalhães/Pedro Neves – 2007Versão Administração de Dados (AD) Gestor dos Recursos Informacionais (?) Administração de Dados é a função responsável pela gestão global dos recursos informacionais de uma organização, incluindo a definição e manutenção de conceitos e normas relativas ao(s) modelo(s) de dados/informação da mesma. A Administração de Dados é também responsável pelo modelo conceptual de dados. Interage com a Gestão de Topo, Utilizadores, Equipas de Desenvolvimento Informático e Administração de Bases de Dados.

20 O Ambiente "Bases de Dados" © Ana Lucas/ Chaves Magalhães/Pedro Neves – 2007Versão Administração de Dados (AD) (cont) The responsability for definition, organization, supervision and protection of data within an enterprise or organization Department of Defense Directive

21 O Ambiente "Bases de Dados" © Ana Lucas/ Chaves Magalhães/Pedro Neves – 2007Versão Funções da Administração de dados Definição (e negociação) de Conceitos Organizacionais que deverão ser amplamente aceites e divulgados Definição de Normas a adoptar para especificar os objectos Definição de Normas para recolha da Meta-informação Normalização das Nomenclaturas (Classificações) a adoptar Normalização das Metodologias a adoptar Controlo de Qualidade dos Modelos de Dados produzidos pelas equipas de desenvolvimento Controlo de Qualidade da Informação (inclui Auditorias) Políticas de Acesso à Informação Políticas de Salvaguarda e Segurança da Informação Políticas de Retenção da Informação

22 O Ambiente "Bases de Dados" © Ana Lucas/ Chaves Magalhães/Pedro Neves – 2007Versão Administração de Bases de Dados (ABD) Administração de Bases de Dados é a função técnica responsável pelo desenho lógico e físico dos dados (em negociação com a administração de dados e em colaboração com as equipas de desenvolvimento). São ainda da sua responsabilidade a implementação de mecanismos integridade, controlo de segurança e de recuperação das base de dados, para além da monitorização da respectiva performance.

23 O Ambiente "Bases de Dados" © Ana Lucas/ Chaves Magalhães/Pedro Neves – 2007Versão Funções da Administração de Base de Dados Revisão do modelo lógico de dados Elaboração do modelo físico de dados Implementação de Normas várias Implementação de Segurança Implementação de Recuperação Implementação de Integridadade Parametrização global do optimizador Controlo da Performance Alteração do modelo físico da BD em casos de fraca performance

24 O Ambiente "Bases de Dados" © Ana Lucas/ Chaves Magalhães/Pedro Neves – 2007Versão Funções das Equipas de Desenvolvimento Análise e Concepção dos subsistemas de informação, de acordo com as regras produzidas pela Administração de Dados (Metodologias, Nomenclaturas, Nomes,...) Mais específicamente, definição dos Modelos de Dados com todas as regras de integridade e produção da meta-informação associada (Modelos Conceptuais e Lógicos) Desenho, implementação e testes Implantação

25 O Ambiente "Bases de Dados" © Ana Lucas/ Chaves Magalhães/Pedro Neves – 2007Versão Responsabilidades da AD, da ABD e das Equipas de Desenvolvimento (ED) Planeamento das BDsAD Concepção das BDsAD + ED Desenho lógico e físico das BDsABD + AD + ED Implementação das BDsABD + AD Implantação das BDsABD + ED + AD Operação e manutençãoABD Crescimento e mudançaABD + AD

26 O Ambiente "Bases de Dados" © Ana Lucas/ Chaves Magalhães/Pedro Neves – 2007Versão CASE (Computer Aided Software Engineering) Ferramenta de software que visa automatizar parte do desenvolvimento das aplicações e do desenho lógico e físico das bases de dados, bem como das tarefas de manutenção. Mais valias na sua utilização: Acréscimo de produtividade no desenvolvimento Melhoramento da qualidade através da validação automática Preparação e actualização automáticas de documentos Incentivo à prototipagem e ao desenvolvimento incremental Redução do esforço de manutenção

27 O Ambiente "Bases de Dados" © Ana Lucas/ Chaves Magalhães/Pedro Neves – 2007Versão CASE (Computer Aided Software Engineering) Do ponto de vista do desenvolvimento das Bases de Dados, as ferramentas CASE providenciam nomeadamente: Ferramentas para o desenho do modelo conceptual e respectivo controlo de coerência Geração automática do modelo lógico e geração de código para a respectiva implementação Dicionário de Dados, contendo toda a informação recolhida durante o processo

28 O Ambiente "Bases de Dados" © Ana Lucas/ Chaves Magalhães/Pedro Neves – 2007Versão Dicionário de Dados O Dicionário de Dados é a base de dados que contém os modelos desenvolvidos, utilizando uma ferramenta CASE. Constitui a base para a integração dos modelos construídos durante o ciclo de desenvolvimento de um projecto, sendo a fonte de informação que serve de input à operação de implementação da base de dados e do código das aplicações. Nota: Alguns autores também designam o Dicionário de Dados por Enciclopédia ou Repositório

29 O Ambiente "Bases de Dados" © Ana Lucas/ Chaves Magalhães/Pedro Neves – 2007Versão Repositório Corresponde à base de dados onde se encontram os meta- dados referentes ao Sistema de Informação Organizacional, bem como os recursos para o seu processamento. É o local por excelência onde se gere o ambiente global de processamento de informação da organização (incluindo a gestão de versões e de configurações).

30 O Ambiente "Bases de Dados" © Ana Lucas/ Chaves Magalhães/Pedro Neves – 2007Versão Repositório A facility for storing descriptions and behaviors of objects in an enterprise, including requirements, policies, processes, data, software libraries, projects, platforms and personnel, with the potential of supporting both software development and operations management. A single point of definition for all system resources.


Carregar ppt "O Ambiente "Bases de Dados" © Ana Lucas/ Chaves Magalhães/Pedro Neves – 2007Versão 2.6.1 O Ambiente "Base de Dados""

Apresentações semelhantes


Anúncios Google