A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Observatório do CDCC - USP/SC. Setor de Astronomia (OBSERVATÓRIO) (Centro de Divulgação da Astronomia - CDA) Centro de Divulgação Científica e Cultural.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Observatório do CDCC - USP/SC. Setor de Astronomia (OBSERVATÓRIO) (Centro de Divulgação da Astronomia - CDA) Centro de Divulgação Científica e Cultural."— Transcrição da apresentação:

1 Observatório do CDCC - USP/SC

2 Setor de Astronomia (OBSERVATÓRIO) (Centro de Divulgação da Astronomia - CDA) Centro de Divulgação Científica e Cultural - CDCC Universidade de São Paulo - USP Endereço: Av. Trabalhador São-Carlense, n.400 São Carlos-SP Tel: 0-xx (Observatório) Tel: 0-xx (CDCC) Localização: Latitude: 22° 00' 39,5"S Longitude: 47° 53' 47,5"W Imagem: O Inicio do Observatório

3 Sessão Astronomia

4 As Sessões Astronomia são palestras proferidas pela equipe do Setor de Astronomia todos os sábados às 21h00. Iniciadas em 1992, foram criadas com o objetivo de falar sobre Astronomia ao nosso público em uma linguagem simples e acessível a todas as faixas etárias. Estas palestras se tornaram uma opção de diversão e informação para a comunidade local e também para visitantes de nossa cidade. Os temas abordados são os mais variados possíveis. O material multimídia contido aqui consiste numa opção audiovisual complementar que o professor do Sistema de Ensino pode utilizar como auxílio às suas aulas. O conteúdo das Sessões Astronomia pode ser acessado no seguinte endereço: Crédito do logo: Sessão Astronomia, CDCC-USP/SC, criado por Andre Fonseca da Silva Observação: Padrão e resolução da apresentação: 800 x 600 pixel com imagens a 96 dpi ou 38 pixel por centímetro com dimensão de 8,35 polegadas x 6,26 polegadas ou 21,2 cm x 15,9 cm respectivamente. Editado normamente em Office 97, podendo haver incompatibilidade de execução no Office XP e vice-versa.

5 Silvia Calbo Aroca A Astronomia no Brasil nos últimos 20 anos, 1 a Parte

6 A Astronomia no Brasil nos últimos 20 anos Encontros Nacionais de Astronomia Clubes de Astronomia Centros de Divulgação de Astronomia Pesquisa em Ensino de Astronomia Rede de Astronomia Observacional Planetários

7 Vamos nos ater apenas a alguns clubes e centros de divulgação criados nos últimos anos. Neste período surgiram dezenas de clubes de astronomia, planetários, Centros de Divulgação e Observatórios. Como o tempo para falar sobre tudo isto é muito escasso, optamos por contar um pouco da história dos clubes e instituições diretamente ligados aos ENASTs (Encontros Nacionais de Astronomia). Desta forma, deixamos de lados muitos clubes e instituições importantes no país que merecem ser lembrados em uma outra Sessão Astronomia.

8 Encontros Nacionais de Astronomia (ENASTs) Promover a divulgação de astronomia para a comunidade. Palestras de renomados astrônomos amadores e profissionais. Debate de assuntos de Astronomia. Oficinas para construção de equipamentos de observação. Qualquer um pode participar, basta inscrever-se!

9

10 Onde foram realizados os ENASTs? I ENAST: Campos dos Goytacazes, RJ Clube de Astronomia Louis Cruls (CALC) Universidade Estadual Norte Fluminense 100 pessoas

11

12 Clube de Astronomia Louis Cruls 26 de maio de 1996 Organizou em 1997 e 1998, dois encontros regionais de astronomia. 8 de março de 2002 inauguração do Observatório Jiri Vlcek do CEFET

13 Clube de Astronomia Louis Cruls 26 de maio de 1996 Astrônomo brasileiro de origem belga Primeiro astrônomo do Observatório Nacional Diversas obras de astronomia Criou o primeiro periódico científico do Brasil (do Observatório Nacional) Jiri Vlcek Observatório originalmente em Nova Friburgo Tcheco Construiu telescópio de 10 polegadas com 1,8m de distância focal Faleceu em 1994 com 70 anos. 1 ano de negociação com a familia para doação do telescópio.

14 II ENAST: Belo Horizonte & Ouro Preto, M.G Centro de Estudos Astronômicos de Minas Gerais (CEAMIG) e a Sociedade de Estudos Astronômicos de Ouro Preto (SEAOP) Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP) 200 pessoas

15

16 CEAMIG E SEAOP

17 O Observatório Wykrota, batizado com este nome em homenagem aos fundadores do Centro de Estudos Astronômicos de Minas Gerais, está localizado na Serra da Piedade, município de Caeté, a 50km de Belo Horizonte, e a uma altitude próxima aos 1500m. O observatório está voltado para pesquisas realizadas no Ceamig. retirado do site CEAMIG Desde criança, Dª Maria da Conceição de Carvalho Lanna Wykrota, sempre fora uma apaixonada pelos encantos e mistérios do firmamento. Ela fora criada no meio rural onde podia desfrutar das belezas noturnas celestiais. Passados mais alguns anos, Dª Zininha veio a se casar com o jovem e promissor Odontologista Henrique Wykrota que, fora um companheiro dedicado, e além de tudo fiel aos anseios de sua esposa, cujas aventuras em prol da astronomia no estado de Minas Gerais são "... dignas de um Saint-Exupery..." como cita o professor Luiz Muniz Barreto. Ela recebeu de um de seus professores um livro misterios do firmamento, não poderia ter havido presente melhor para ela. Com o tempo a sociedade de Belo Horizonte ficou sabendo da dedicação do casal a astronomia e resol- veram dar a eles uma comissão. Devido a localidade em que se encontravam o casal foi designado para acompanhar uma equipe de observadores da Europa para observar um eclispe solar. Ao fim da expedição que foi um sucesso, foi criada uma associação de astronomia em que receberam telescópios doados pelos Europeus. Frequentado por alguns que agora sçao professores do IAG/USP que na época eram jovens ávidos por conhecerem o céu.

18 III ENAST – Vitória, E.S Associação Astronômica Galileu Galilei – AAGG 147 pessoas Universidade Federal do Espirito Santo

19 Planetário de Vitória fundado em 1995 A Associaçao Astronomica Galileu Galilei - AAGG de Vitoria foi fundada em novembro de Seu projeto principal nestes anos foi a instalaçao de um planetario em Vitoria que acabou ocorrendo em junho de Nos ja organizamos 6 semanas capixabas de astronomias entre os anos de 1988 a 1998 e o IIIº Enast em Foram centenas de cursos, milhares de palestras e eventos de observaçao do ceu. Na area observacional foi realizado observaçoes de marte, venus, cometas e um grande desenvolvimento de fotografias astronomicas. Publicamos um boetim "Betelgeuse" de 1984 a 1998 trimestralmente de forma ininterrupta, paramos pois achamos que com a internet o boletim havia perdido a razao de ser. Atualmente temos um observatorio em Pedra Azul, municipio de Domingos Martins. antonio carlos garcia junior, presidente do clube de astronomia de Vitória

20 IV ENAST – Salvador, BA Associação de Astrônomos Amadores da Bahia – AAAB 150 participantes

21

22

23

24 Associação de Astrônomos Amadores da Bahia – AAAB. Atendimento nas escolas Observações nos arredores da cidade Observações com o público Publicações em jornais da região

25

26 V ENAST – Ouro Preto, MG SEAOP Observatório Astronômico da Escola de Minas da Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP) 300 pessoas

27

28 Vamos nos ater apenas a alguns clubes e centros de divulgação criados nos últimos anos. Neste período surgiram dezenas de clubes de astronomia, planetários, Centros de Divulgação e Observatórios. Como o tempo para falar sobre tudo isto é muito escasso, optamos por contar um pouco da história dos clubes e instituições diretamente ligados aos ENASTs (Encontros Nacionais de Astronomia). Desta forma, deixamos de lados muitos clubes e instituições importantes no país que merecem ser lembrados em uma outra Sessão Astronomia.

29

30

31 Clube de Astronomia Louis Cruls 26 de maio de 1996 Astrônomo brasileiro de origem belga Primeiro astrônomo do Observatório Nacional Diversas obras de astronomia Criou o primeiro periódico científico do Brasil (do Observatório Nacional) Jiri Vlcek Observatório originalmente em Nova Friburgo Tcheco Construiu telescópio de 10 polegadas com 1,8m de distância focal Faleceu em 1994 com 70 anos. 1 ano de negociação com a familia para doação do telescópio.

32

33 O Observatório Wykrota, batizado com este nome em homenagem aos fundadores do Centro de Estudos Astronômicos de Minas Gerais, está localizado na Serra da Piedade, município de Caeté, a 50km de Belo Horizonte, e a uma altitude próxima aos 1500m. O observatório está voltado para pesquisas realizadas no Ceamig. retirado do site CEAMIG Desde criança, Dª Maria da Conceição de Carvalho Lanna Wykrota, sempre fora uma apaixonada pelos encantos e mistérios do firmamento. Ela fora criada no meio rural onde podia desfrutar das belezas noturnas celestiais. Passados mais alguns anos, Dª Zininha veio a se casar com o jovem e promissor Odontologista Henrique Wykrota que, fora um companheiro dedicado, e além de tudo fiel aos anseios de sua esposa, cujas aventuras em prol da astronomia no estado de Minas Gerais são "... dignas de um Saint-Exupery..." como cita o professor Luiz Muniz Barreto. Ela recebeu de um de seus professores um livro misterios do firmamento, não poderia ter havido presente melhor para ela. Com o tempo a sociedade de Belo Horizonte ficou sabendo da dedicação do casal a astronomia e resol- veram dar a eles uma comissão. Devido a localidade em que se encontravam o casal foi designado para acompanhar uma equipe de observadores da Europa para observar um eclispe solar. Ao fim da expedição que foi um sucesso, foi criada uma associação de astronomia em que receberam telescópios doados pelos Europeus. Frequentado por alguns que agora sçao professores do IAG/USP que na época eram jovens ávidos por conhecerem o céu.

34 Planetário de Vitória fundado em 1995 A Associaçao Astronomica Galileu Galilei - AAGG de Vitoria foi fundada em novembro de Seu projeto principal nestes anos foi a instalaçao de um planetario em Vitoria que acabou ocorrendo em junho de Nos ja organizamos 6 semanas capixabas de astronomias entre os anos de 1988 a 1998 e o IIIº Enast em Foram centenas de cursos, milhares de palestras e eventos de observaçao do ceu. Na area observacional foi realizado observaçoes de marte, venus, cometas e um grande desenvolvimento de fotografias astronomicas. Publicamos um boetim "Betelgeuse" de 1984 a 1998 trimestralmente de forma ininterrupta, paramos pois achamos que com a internet o boletim havia perdido a razao de ser. Atualmente temos um observatorio em Pedra Azul, municipio de Domingos Martins. antonio carlos garcia junior, presidente do clube de astronomia de Vitória

35

36

37

38

39 VI ENAST - Campos dos Goytacazes, RJ pessoas Onde seria o próximo ENAST? x

40

41 VII ENAST – Brotas, SP Centro de Estudos do Universo (CEU) 752 pessoas

42

43 Centro de Estudos do Universo I nstituição Particular Inaugurado em 2001 Atendimento a escolas Observações de fim de semana Star Parties

44

45

46

47

48

49

50 7_ENAST_no_CEU/DSCN3091.JPG

51 VIII ENAST – Curitiba, PR U niversidade Tecnológica Federal do Paraná (UFTPR) Universidade Federal do Paraná Colégio Estadual do Paraná (UFPR) 371 pessoas

52

53 Clube de Astronomia do CEFET-PR Observatório do Colégio Estadual do Paraná

54 Onde será realizado o próximo ENAST?

55

56 Clube de Astronomia de Brasília 22/02/1986 Observação do Cometa Halley 1986 Observação de Eclipses, cometas, aproximações de Marte Promoção de eventos públicos em Brasília (eclipse) Astrofesta do Planalto Central Participação na semana nacional de Ciência e Tecnologia Fundador Cássio Barbosa, família de São Carlos

57

58 Exposição no Shopping Encontro de Telescópios com público Encontro do CAsB

59

60 Primeira ASTROFESTA DO PLANALTO CENTRAL (2003)

61

62 10 de janeiro de 1988 Rede de astrônomos amadores interessados em fazerem pesquisas astronômicas observacionais. Padrão da REA compatível com padrão internacional de observações. Comunicação por listas de discussão, observadores espalhados em todo o território nacional. 232 projetos observacionais Principais organizadores dos ENASTs

63 Busca de Supernovas Cometas Sol Seções observacionais da REA Estrelas variáveis Marte Planetas Jovianos Espectroscopia Asteróides Planetas Inferiores Eclipses

64 Centro de Divulgação da Astronomia - Atendimento a rede de ensino durante a semana - Atendimento ao público de final de semana Pertence ao CDCC-USP - Palestras todos os sábados desde /cda

65 mini-cursos de astronomia Semana marciana, série de palestras Observação de eventos astronômicos Participação na semana nacional de ciência e tecnologia

66 Trabalhos Educacionais de Astronomia Trabalhos Premiados no concurso Cientistas do Amanhã da SBPC Análises e Propostas para o Ensino da Astronomia Estudo das Manchas Solares

67 O que está sendo feito de pesquisa em ensino no CDA? - Projeto de Iniciação Científica de Pedro D. C. Junior * estuda o perfil dos alunos das escolas que visitam o CDA. * estatística do número de escolas visitantes. * estuda o tipo de apresentação que é usada com estes alunos.

68 Pesquisas em Ensino de Astronomia? Pra que serve isto ? - Sabermos qual o perfil do público que frequenta Observatórios, museus de astronomia e Centros de Divulgação. - Melhorar a qualidade das exposições. - Propormos atividades que dispertem o interesse do público que não costuma frequentar centros de divulgação científica. - Concepções prévias do público afeta a compreensão da exposição.

69 O que está sendo feito de pesquisa em ensino no CDA? - Projeto de Doutorado de Silvia C. Aroca

70 O que está sendo feito de pesquisa em ensino no CDA? - Projeto de Doutorado Silvia Calbo Aroca * criação de material didático e mini-cursos sobre o Sol e seu espectro para alunos do ensino fundamental (quinta à oitava séries) e médio. * elaboração de um espectroscópio para observação do espectro solar projetado na parede. * confecção de um novo experimento para a disciplina de Laboratório Avançado do IFSC (alunos do último ano de bacharelado em Física) * criação de material didático para observação solar e de seu espectro para uso nas escolas. * Estudo de como estas atividades auxiliam na compreensão do conteúdo discutido com os alunos nos mini-cursos.

71 Observação do espectro solar Ensino Médio e Graduação do IFSC

72 Todos Estão Convidadados para: Venham também assistir às demais palestras desta série!

73

74 SBEA – Sociedade Brasileira para o Ensino de Astronomia Desde 1987 Cursos de astronomia, realizados na cede ou na escola interessada. Palestras, observações com escolas interessadas Planetário intinerante Boletim mensal para sócios I nstituição particular Responsável: Walmir Cardoso

75

76 Clube de Astronomia de São Paulo Telescópios na rua Telescópios no escuro Salas de bate papo São Carlos, Campinas e São Paulo 13 de fevereiro de 2001 Construção de telescópios TR Campinas TR São Paulo Lista de Discussão

77

78 Observatório Municipal de Piracicaba Semana da Astronomia Atendimento a escolas Atendimento de final de semana Refrator de 175mm Desde 1992 Responsável: Astrônomo Nelson Travinik

79 Observatório de Uberlândia Atendimento a escolas Combate a poluição luminosa 1996 Iniciativa particular de Roberto F. Silvestre

80 Telescópio:

81 Planetário de Campinas (1987, SP) *

82 O Planetário de Campinas é um modelo ZKP-2, da Zeis Jena, Alemanha. A cúpula que o abriga possui 8 metros de diâmetro. A sala de projeção tem capacidade para sessenta pessoas. Projeta aproximadamente seis mil estrelas, o Sol, a Lua, planetas, estrelas cadentes, cometas, satélites artificiais, Júpiter e os satélites galileanos, o Sistema Solar, figuras de constelações, círculos da esfera celeste, a Via Láctea, as Nuvens de Magalhães, a galáxia de Andromeda, nebulosas e aglomerados. Através dele podem ser simuladas viagens espaciais, viagens no tempo e viagens sobre a Terra. Sua inauguração ocorreu em 28 de Outubro de O Planetário de Campinas é integrante do Museu Dinâmico de Ciências de Campinas (MDCC). Foi criado e é mantido por um convênio entre UNICAMP, PREFEITURA DE CAMPINAS, FUNCAMP e a ACIESP. Várias são as atividades mantidas pelo Planetário de Campinas: cursos públicos e para professores, palestras, exposições, sessões públicas do Planetário, atividades para as escolas e eventos especiais. As atividades são realizadas por planetaristas e specialistas em educação astronômica. Texto de Romildo Póvoa – Retirado do site

83 Planetário do Carmo (2005)* Planetário de BH UFMG (2007)* Diretor: Ednilson Oliveira (ex monitor CDA) Capacidade para 270 pessoas 20 m de diâmetro Praça da Liberdade - UEMG OoOo Inaugurado em dezembro de 2005

84 Observatório Astronômico da Universidade Federal do Espírito Santo? Planetário de Campinas (1987, SP)* Planetário de Vitória (1995)* Planetário do Ipiranga (1998, SP) Fundação Planetário da cidade do RJ (1998)* Planetário Rubens de Azevedo (1999, Fortaleza) Planetário do Pará Sebastião Sodré Gama (1999) Falar apenas de alguns planetarios, alguns clubes, alguns obsevatorios Planetário de Tatuí * Planetário de Brotas * Planetário Municipal de Itativa Planetário Cosmos (Americana, 2005)* Planetário do Carmo (2005)* Planetário de BH UFMG (2007)*


Carregar ppt "Observatório do CDCC - USP/SC. Setor de Astronomia (OBSERVATÓRIO) (Centro de Divulgação da Astronomia - CDA) Centro de Divulgação Científica e Cultural."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google