A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

A bertura do Setor de Astronomia - CDCC Setor de Astronomia - CDCC Setor de Astronomia (OBSERVATÓRIO) (Centro de Divulgação da Astronomia - CDA) Centro.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "A bertura do Setor de Astronomia - CDCC Setor de Astronomia - CDCC Setor de Astronomia (OBSERVATÓRIO) (Centro de Divulgação da Astronomia - CDA) Centro."— Transcrição da apresentação:

1

2 A bertura do Setor de Astronomia - CDCC

3 Setor de Astronomia - CDCC Setor de Astronomia (OBSERVATÓRIO) (Centro de Divulgação da Astronomia - CDA) Centro de Divulgação Científica e Cultural - CDCC Universidade de São Paulo - USP Endereço: Av. Trabalhador São-Carlense, n.400 Tel: 0-xx (Observatório) Tel: 0-xx (CDCC) Localização: Latitude: 22° 00' 39,5"S Longitude: 47° 53' 47,5"W

4 Sessão Astronomia

5 O Que é a Sessão Astronomia? As Sessões Astronomia são palestras proferidas por monitores do Setor de Astronomia todos os sábados às 21h00. Iniciadas em 1992, foram criadas com o objetivo de falar sobre Astronomia ao nosso público em uma linguagem simples e acessível a todas as faixas etárias. Estas palestras se tornaram uma opção de diversão e informação para a comunidade local e também para visitantes de nossa cidade. Os temas abordados são os mais variados possíveis. O material multimidia contido aqui consiste numa opção áudiovisual complementar que o proferssor do Sistema de Ensino pode utilizar como auxílio a suas aulas. O conteúdo das Sessões Astronomia podem ser Acessos no seguinte endereço:

6 Tema: Por Fernando Presidente Luz

7 Identificação do Tema: Título : O Alinhamento Planetário Autor : Fernando Henrique e Paula da Luz Data da Apresentação: 10 de abril de 2004 Apresentador : Fernando Henrique e Paula da Luz Resumo: Esta palestra tem como objetivo exclarecer o que é realmente um Alinhamento Planetário, quais são as suas utilidades, alguns dos alinhamentos mais famosos e o quais são as confusões que são feitas com outros termos, além de mostrar os erros cometidos pela imprensa na divulgação de eventos astronômicos. Créditos imagem: Desconhecido Fonte: Palestra do dia 05/11/2002

8 Definições

9 Conteúdo: Definições Geralmente a utilização do termo alinhamento não é devidadamente correta, ou seja, outros eventos que ocorrem recebem inadequadamente o nome de alinhamento, e aqui citamos os termos que mais comumente são confundidos exclarecemos mais adiante o seus significados.

10 Conjunção

11 Conteúdo: Conjunção Algumas definições básicas sobre as configurações planetárias no céu Planetas inferiores - São os planetas cujas órbitas estão localizadas entre a órbita da Terra e o Sol. Eles são Mercúrio e Vênus. Os planetas inferiores podem ter duas configurações geométricas características no céu, formadas pela Terra, o planeta e o Sol: a conjunção inferior e a conjunção superior. Conjunção inferior - Ocorre quando Mercúrio ou Vênus está alinhado entre a Terra e o Sol, visto por um observador na Terra. O alinhamento na conjunção inferior é Terra - planeta - Sol. Conjunção superior - Ocorre quando Mercúrio ou Vênus está no lado oposto ao Sol, visto por um observador na Terra. O alinhamento na conjunção superior é Terra - Sol - planeta. Elongação - É o ângulo entre o Sol e um planeta inferior, determinado por um observador na Terra. Existem duas elongações características: a elongação máxima a oeste e a elongação máxima a leste. Elongação máxima a oeste - Ocorre quando Mercúrio ou Vênus está em uma posição mais a oeste possível em relação ao Sol. Nesse caso o planeta "nasce" antes do Sol como uma "estrela matutina". Elongação máxima a leste - Ocorre quando Mercúrio ou Vênus está em uma posição mais a leste possível em relação ao Sol. Nesse caso o planeta aparece acima do horizonte a oeste depois do por do Sol como se fosse uma "estrela vespertina". Planetas superiores - São os planetas cujas órbitas estão localizadas após a órbita da Terra. Eles são Marte, Júpiter, Saturno, Urano, Netuno e Plutão. Os planetas superiores podem ter duas configurações geométricas características no céu, formadas pela Terra, o planeta e o Sol: a conjunção e a oposição. Conjunção - Ocorre quando o planeta superior está localizado "atrás" do Sol, visto por um observador na Terra. O alinhamento na conjunção é Terra - Sol - planeta superior. Oposição – Ocorre quando o planeta superior está localizado de modo que a Terra está entre ele e o Sol, visto por um observador na Terra. O alinhamento na oposição é Sol - Terra - planeta superior. Trânsito – Ocorre quando temos uma conjução inferior, ou um quase alinhamento de forma que o planeta passe pela frente do disco solar, então nós temos um Trânsito.

12 Conteúdo: Conjunção Fonte: Observatório Nacional – Fonte imagem: Observatório Nacional – Nome: coordenadas-peq.jpg

13 Conjunção Outra Denominação Conjunção 13/10/1590 6:47:00 Cidade do Cabo Africa do Sul Vênus e Marte Conjunção

14 Conjunção 10/12/1808 5:30:00 Antártida Mercúrio e Saturno Conjunção

15 Conjunção 22/11/2065 9:40:00 Rio de Janeiro Brasil Vênus e Jupiter Conjunção

16 Conteúdo: Conjunção Uma outra denominação que podemos dar para o nome de conjunção é quando temos uma aparição de dois objetos celestes próximos com uma distância angular de aprox. 3º. Nos 3 slides anteriores mostramos algumas conjunções planetárias que ocorreram ou estão para ocorrer no intervalo de 2000 anos. sn_1.jpg, sn_2.jpg, sn_3.jpg, sn_4.jpg, sn_5.jpg, sn_6.jpg. Disponível em: Starry Night BackYard.

17 Alinhamento Como devo fazer para observar o alinhamento?

18 Conteúdo: Alinhamento Existem infinitas formas de você traçar um alinhamento para os planetas, e a forma que devemos proceder para alinhar os planetas é pelo plano de órbita que eles possuem em torno do Sol. Através deste procedimento, estabelecemos o chamado alinhamento. Vale ressaltar que se pegassemos como forma de orientar um plano perpendicular ao plano das órbitas dos planetas, iriamos ter quase que constantemente alinhamento planetário. Outro ponto que vale comentar é que os planetas não possuem o mesmo plano de órbita, portanto nunca de fato teríamos um alinhamento, o que se faz é uma aproximação para que se possa fazer este tipo de consideração. figura4.jpg. Disponível em: Arquivos CDA

19 Alinhamento Alinhamento do Fim do mundo 12/5/2000

20 Conteúdo: Alinhamento Dois planetas quaisquer – ou a Terra e a Lua – estão sempre alinhados, pois basta imaginar uma reta que passe por eles. Bem mais difícil é o alinhamento de três ou mais astros do Sistema Solar. O problema é que cada planeta tem um plano orbital diferente. O plano orbital da Terra, por exemplo, comumente chamado eclíptica, é inclinado em relação ao plano do equador solar, assim como o plano orbital de Marte. Esses planetas só poderão estar perfeitamente alinhados com o Sol, quando estiverem cruzando, ao mesmo tempo, a interseção de suas órbitas. E quanto mais planetas envolvidos, mais raro é esse fenômeno. Na verdade, quando se diz que ocorre o alinhamento entre três ou mais planetas, fazemos uma aproximação grosseira, pois eles nunca estão alinhados de fato! Referências: Autor: J.R.V.Costa.J.R.V.Costa Disponível em:. Acesso em: 10. abr sn_7.jpg. Disponível em: Starry Night Backyard

21 Alinhamento Alinhamento do Fim do mundo 12/5/2000

22 Conteúdo: Alinhamento Mostra a perspectiva de se observar o alinhamento de dentro da Terra, e o que veriamos seria mais parecido com um agrupamento de planetas um perto do outro pois sabemos que nunca teremos um alinhamento preciso, pois se isto acontecesse, teriamos a visão apenas do primeiro objeto da fila, podemos imaginar o alinhamento como uma fila do banco com pessoas da mesma altura, se ela estiver retinha, temos visão apenas da pessoa a nossa frente, mas se ela esta meio torta conseguimos ao mesmo tempo ver várias pessoas ao mesmo tempo. sn_8.jpg. Disponível em: Starry Night Backyard

23 Podemos definir em dois tipos: Agrupamento Visual X Real.

24 Conteúdo: Agrupamento Podemos definir agrupamento de duas formas, a forma visual, onde devido a limitações do nosso olho, não conseguimos perceber a profundidade entre as estrelas ou corpos celestes e achamos que eles estão um próximo do outro, e o agrupamento real, que são muitas vezes chamados de Aglomerados Estrelares, onde nestes casos realmente os corpos estão um próximo do outro. figura1.jpg. Disponível em: Arquivo CDA figura2.jpg. Disponível em: Arquivo CDA

25 Agrupamento

26 Conteúdo: Agrupamento Mostrando neste Slide como realmente é a visão de um agrupamento visual para nós daqui da Terra, mas como de fato é que feito a imagem que temos quando observamos o céu. figura3.jpg. Disponível em: Arquivo CDA

27 O que vemos? 25/3/ :25:00 São Carlos – Brasil Visão Terrestre

28 Conteúdo: O que vemos? Qual é fênomeno que estamos observando, deve ser a pergunta de todos, para isto irei colocar uma simulação do céu neste Slide e chegaremos a conclusão que o que estamos observando na realidade é um agrupamento distribuído pela Ecliptica, que é o plano onde a Terra orbita o Sol. A visão que temos neste slide é da superfície terrestre. sn_09.jpg. Disponível em: Starry Night Backyard

29 O que vemos? 25/3/ :25:00 São Carlos – Brasil Visão Espacial

30 Conteúdo: O que vemos? Neste slide, vemos que não estamos passando por um alinhamento, pois da maneira com que definimos alinhamento, observando de cima do plano da orbita que a Terra faz com o Sol, não conseguimos nem esboçar uma linha que ligue os Planetas. sn_10.jpg. Disponível em: Starry Night Backyard

31 E Hoje? 10/4/ :00:00 São Carlos – Brasil Visão Terrestre

32 E Hoje? 10/4/ :00:00 São Carlos – Brasil Visão Terrestre

33 Conteúdo: E Hoje? Se eu quiser ver o agrupamento dos planetas, como eles irão estar dispostos para que eu possa observar alguma coisa? Esta pergunta é esclarecida com este slide, que simula como deve estar a configuração planetária no céu de hoje, onde foi colocado 2 slides antes desta explicação, um como o céu estava as 20:00 hs e outro como ele estará as 22:00 hs. sn_11.jpg e sn_12.jpg. Disponível em: Starry Night Backyard

34 Voyager 5/9/1977 Lançamento Voyager I Configuração no Lançamento 5/3/1979 Voyager I Configuração na chegada a Júpiter

35 Conteúdo: Voyager Na década de 60 (1960) os cientistas perceberam que uma grande oportunidade ocorreria nos próximos 10 anos. Sabia-se que pelos anos 70 os quatro grandes planetas gasosos; Júpiter, Saturno, Urano e Netuno se alinhariam de tal modo, que seria extremamente vantajoso uma única nave saltar de um em um, utilizando-se para isto do campo gravitacional de cada um deles. Este alinhamento somente ocorre a cada 175 anos. Desta forma nasceu o projeto Voyager da NASA. Foram criadas duas naves, a primeira a ser lançada foi a Voyager 2 no dia 20 de agosto de 1977, em seguida foi lançada a Voyager 1 no dia 5 de setembro de A Voyager 1 fez a sua aproximação com Júpiter no dia 5 de março de 1979, e a Voyager 2, no dia 9 de julho de jupiter-voyager1.jpg. Disponível em: - Acesso em 10/04/2004 sn_13.jpg e sn_14.jpg. Disponível em: Starry Night Backyard

36 Lendas UrbanasLendas Planetárias

37 Conteúdo: Lendas Planetárias A ídéia aqui é colocar para as pessoas que existem muitas pessoas que acabam mudando o sentido das coisas, e ao verem termos novos, ou eventos que acontecem raramente, gostam de associar a religião e ao fim do mundo, e temos que tomar cuidado com as coisas que são disponibilizada na mídia pois nem sempre o que é informado é correto. sn_11.jpg e sn_12.jpg. Disponível em: Starry Night Backyard

38 Lendas Planetárias Fontes de acesso para informação com conteúdo errado, geralmente associado à exoterismo e religião....O pesquisador Nick Fiorenzas assinala que a Terra e o Sol estarão alinhados com o núcleo da Via Láctea possivelmente entre 1999 e A linha do equador da Terra, elíptica, se alinhará com a elipse do Sol, ao mesmo tempo que ambas estão alinhadas com o núcleo da galáxia. Este alinhamento ocorreu somente quatro vezes durante o ciclo do equinócio. A última configuração similar a esta foi em 9500 AC. Ele acredita que haverá grandes mudanças na Terra, como à época do desaparecimento da Atlântida e do Grande Dilúvio Universal, mas dessa vez, com a possibilidade de mudança dimensional. Cientistas têm detectado uma massa de energia no núcleo de nossa galáxia. Eles teorizam que esta massa é um portal interdimensional, por onde energias de altas dimensões estarão atravessando e se espalhando por toda Via Láctea... por Tania Duye retirado de TOURO (21 abr. a 20 mai.) Coloque sua vida cultural e sua correspondência em dia, aceite convites para pequenas viagens ou visitas a parentes. Leitura e estudo caem bem. Você merece se preservar, o alinhamento planetário neste signo é uma carga criativa forte! por Barbara Abramo. retirado de

39 Conteúdo: Lendas Planetárias O slide em questão foi feito para ilustrar os mais diversos conteúdos que temos a disposição e que estão totalmente fora de bases ciêntificas. Vale ainda frisar o primeiro texto, que tem uma lambança de termos técnicos e científicos, mostrando como tem pessoas negligentes com capacidade de transmitir informação.

40 Forças de Maré (Gravitacional) Esclarecimento como se forma as Marés

41 Conteúdo: Forças de Maré A idéia é demostrar como é o funcionamento das forças que atuam nas marés, esclarecendo que ela é principio gravitacional. desenho de autoria de Eder Martioli – Arquivo CDA

42 Forças de Maré Esclarecimento como se forma as Marés

43 Conteúdo: Forças de Maré A idéia é demostrar como é o funcionamento das forças que atuam nas marés, esclarecendo que ela é principio gravitacional. figura5.jpg - Arquivo CDA

44 Cabo de guerra Planetário? Atração do Sol na Terra = 1 unidade Atração da Lua na Terra = 0,0056 unidade Atração de Júpiter na Terra = 0, unidade Atração de Marte na Terra = 0, unidade Atração de Saturno na Terra = 0, unidade Resultado da Atuação das Forças são Despresíveis

45 Conteúdo: Cabo de Guerra Planetário? O astro que domina a dinâmica gravitacional do Sistema Solar é o Sol. podemos então estabelecer uma escala, onde a atração gravitacional entre o Sol e a Terra representa uma unidade, ou seja, com valor 1. A atração da Lua sobre a Terra é em torno de 5,6 milésimos da atração do Sol, ou, em nossa escala, 0,0056; a atração de Marte sobre a Terra é de 0, ; a atração de Júpiter sobre a Terra é de 0,000056; a atração de Saturno, 0, Conclusão: mesmo se somarmos essas atrações, o resultado final é completamente desprezível. Referência: Marcelo Gleiser figura6.jpg - Arquivo CDA

46 Outras Forças? Força Elétrica Força de Vontade Força da Imaginação Força do Urso!

47 Conteúdo: Outras Forças? Agora em um momento mais de irreverencia, comentamos forças que poderiam tambem agir para tentar provocar um fim do mundo quando ocorre-se um alinhamento, mas nenhuma das forças citadas tem esta capacidade...

48 Fim da Apresentação 10/4/ :00:00 São Carlos – Brasil Visão Terrestre

49 Observatório Nacional – Zenite - Ciência & Cultura - Folha de São Paulo - Astro Notícias - Astronomia para Amadores - UOL inovação - UFRJ - Agradecimentos: Referências na INTERNET : Eder Martioli – Pelo seu trabalho irreverente.


Carregar ppt "A bertura do Setor de Astronomia - CDCC Setor de Astronomia - CDCC Setor de Astronomia (OBSERVATÓRIO) (Centro de Divulgação da Astronomia - CDA) Centro."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google