A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Recordando... HISTOLOGIA = é a ciência que estuda a estrutura fina dos diferentes órgãos e tecidos vivos, tanto animais como vegetais. PATOLOGIA = é o.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Recordando... HISTOLOGIA = é a ciência que estuda a estrutura fina dos diferentes órgãos e tecidos vivos, tanto animais como vegetais. PATOLOGIA = é o."— Transcrição da apresentação:

1 Recordando... HISTOLOGIA = é a ciência que estuda a estrutura fina dos diferentes órgãos e tecidos vivos, tanto animais como vegetais. PATOLOGIA = é o estudo das doenças Pathos= doença, sofrimento / logos= estudo - Patologia é o estudo da doença desde a causa primária (etiologia) até seu mecanismo de produção ( patogenia) HISTOLOGIA X HISTOPATOLOGIA

2 Por que realizar o exame histopatológico?

3 MATERIAIS RECEBIDOSEXAMES REALIZADOS PC (s) = Peça(s) cirúrgica(s)Exame histopatológico PN = Peças de NecropsiaExame histopatológico Cadáver + Peças coletadas na necropsia Exame necroscópico + exame histopatológico Esfregaços de punções, imprints... Exame citopatológico

4 Exames Histopatológico Citopatológico Necroscópico Toxicológico Complementares Histopatologia x citopatologia Fragmento de tecidos Visualizar a arquitetura tecidual Avaliar os critérios de malignidade Diagnóstico definitivo Demorado, mais caro, invasivo Células esfoliadas Não analiso a arquitetura tecidual Avalio alguns critérios de malignidade Exame de triagem Rápido, barato, indolor e pouco invasivo

5 Qual a importância da Anatomia Patológica?? - Auxílio ao Clínico / Cirurgião - Diagnóstico (qual é o problema) - Prognóstico (o que acontecerá) - Tratamento – qual ? - Diagnóstico post-mortem

6 O que é isso?? Histotécnica

7 Histotécnica - fases 1. Coleta ou Colheita do material 2. Fixação 3. Clivagem 4. Desidratação 5. Diafanização 6. Impregnação 7. Inclusão 8. Microtomia 9. Coloração de rotina 10. Montagem

8 1. Coleta / Colheita do material - Quem realiza esta fase? - Tipos: in vivo (biópsia) x post-mortem Biópsia = é a remoção de tecido de pacientes vivos para exame diagnóstico (amostra obtida por biópsia) - Acondicionar o material, identificar e colocar a substância fixadora de modo adequado são fundamentais neste momento!

9 1. Coleta / Colheita do material - Erros nesta fase: Fragmento não representativo da lesão Fragmento grande Diversos fragmentos sem identificação do local Frasco impróprio Material em substância inadequada Substância fixadora mal preparada ou em pouco volume

10 -Exames prévios Necropsia: Autorização do proprietário!!! Requisição -Dados do animal -Histórico -Localização/ descrição -Suspeita clínica

11 Clínica Escola de Medicina Veterinária Dr. Paulo Alfredo Gissoni REQUISIÇÃO PARA ANATOMIA PATOLÓGICA - REG.UCB:_______ Policlínica no________________ Data:__________________ Dados do animal: Espécie:_________ Idade:__________ Sexo:__________________ Raça:____________Nome:__________ Proprietário:_____________________________________________ Material encaminhado/ Tipo de exame: ( ) Peça Cirúrgica / Quantidade de peças: ______ / Histopatologia ( ) Peças de necropsia / Quantidade de peças: ______ / Histopatologia ( ) Cadáver / somente Necropsia (Macroscopia) ( ) Cadáver / Necropsia (Macroscopia) com Histopatologia (Microscopia) Suspeita clínica:__________________________________________

12 Histórico: - Local da(s) peça(s) ou órgão (s) encaminhado (s):__________________ - Evolução: ( ) horas ( ) dias ( ) meses ( ) anos - Exames prévios com resultados: (se relevantes): ______________________________________________________ ______________________________________________________ ______________________________________________________ - Nas tumorações mamárias: - Usou anticoncepcional ? ( ) sim ( ) não - Castrado ? ( ) sim ( ) não - Pseudociese? ( ) sim ( ) não - Nas biópsias cutâneas: exames/ tratamentos anteriores? ______________________________________________________________ ______________________________________________________________ ______________________________________________________________ - Demais informações relevantes:______________________________________________________________ ______________________________________________________________ Médico Veterinário Requisitante (cont. no verso)

13 Preencher pelo proprietário/responsável no caso de necropsia: Eu,________________________________, identidade n __________________ expedida por __________, responsável pelo presente cadáver, autorizo o exame de necropsia neste. Informo que o referido animal morreu às_____h. do dia_______, tendo sido trazido: ( ) fresco ( ) resfriado ( ) congelado. ( ) Autorizo sua utilização em aulas práticas. ( ) Não autorizo sua utilização em aulas práticas. ______________________________________ Assinatura do responsável Para preencher no laboratório: Data de entrada / responsável pelo recebimento : _________ / __________ - Macroscopia da(s) peça(s) cirúrgica(s): Data da clivagem:________ - Clivado por:________ n° frag.:_____n° cassetes:____ n° blocos:______ ________________________________________________________________ ________________________________________________________________ ________________________________________________________________ - Microscopia: ________________________________________________________________ ________________________________________________________________ ________________________________________________________________ - Conclusão:_______________________________________________________ ______________________________________________________ Assinatura do patologista Data de liberação do laudo

14 2) Fixação Conceito: É o tratamento dado a um tecido a fim de se evitar a deteriorização do mesmo por suas próprias enzimas (autólise) ou por microrganismos. Preserva a morfologia e a composição química do tecido através da insolubilidade das proteínas. X Sangue O2 Mitocôndrias Bomba Na/K Lisossomos

15 Fixadores químicos: Formol a 10 % Bicromato de potássio -Simples Bicloreto de mercúrio Etanol Metanol Líquido de Bouin -Compostos Líquido de Zenker Líquido de Helly Fixadores físicos: -Frio (congelamento/câmaras frigoríficas) -Calor (fixação de esfregaços)

16 Formol a 10% Fórmula: 100ml de formol 40% (solução estoque) 900 ml de água corrente Ou 1 litro de formol 40% (solução estoque) 9 litros de água corrente

17 Bom fixador - agir rapidamente, matando a célula - não interferir na coloração, aumentando a afinidade do tecido pelo corante - preservar morfologia e composição química teciduais - evitar a autólise e o crescimento de bactérias e fungos - não produzir arterfatos ou estruturas artificiais - ter alto poder de penetração - endurecer sem deformar - ser de baixo custo / "atóxico" -ter ação conservante

18 Requisitos para uma boa fixação - intervalo mínimo entre a colheita e a fixação - contato superfícies/ substância fixadora - fixador = 20x o volume da peça - espessura da peça = 1-6 mm -boa colheita Cadáver 12h 48h 1 semana Fresco Resfriado Congelado

19 2. Fixação - Cuidados nesta fase: - Relação tamanho / quantidade do material com o volume da substância fixadora – 20 x o vol da peça - Substância fixadora: bem preparada - Relação material x frasco adequado – boca larga

20 2. Fixação - Erros nesta fase: Fragmento grande Frasco impróprio - pequeno Material em substância inadequada Substância fixadora mal preparada ou em pouco volume

21 Descalcificação - Quando realizar esta fase adicional ?

22 3. Clivagem - É a secção da peça histológica fixada, selecionando a área de maior interesse para estudo - Nesta fase é feita uma descrição macroscópica do material

23 3) Clivagem Descrição macroscópica de PC 1- Local da (s) peça (s) 2- Quantidade: peça única/ retalho/ fragmentos 3- Formato: irregular/ arredondado/ ovalado 4- Tamanho:...x...x... cm /.... cm diâmetro 5- Superfície externa 6- Consistência aos cortes 7- Superfície de corte - São consideradas as seguintes características:

24 - Superfície externa Tonalidade Lisa / rugosa Recoberta por pele (parcial, total, tricotomizada) Úlcera/ íntegra Envolta por tecido (do tipo adiposo, conjuntivo) Nodular/papilomatosa/deprimida/ulcerada/crostosa Coberta de sujidades/sangue/muco/pus Presença de ectoparasitas - Consistência aos cortes Friável/ gelatinosa/ bem macia/ macia/ esponjosa Elástica/ firme-elástica/ firme/ rangente/ pétrea Ora macia, ora firme/ deixando fluir líquido

25 -Material: Navalha, faca, bisturi -Tamanho: 2 a 6 mm - Finalidade - Superfície de cortes Tonalidade Irregular/ lisa (compacta)/ fasciculada/ marmóreo/ Aspecto fibroso/ untuosa/ lobada ou multilobada cística ou policística (...cm de diâmetro) Conteúdo dos cistos: consistência (líquido, gelatinoso, caseoso, purulento...) Tonalidade (brancacenta, pardacenta, rósea, enegrecida, ora.... ora...) Odor (pútrido, inodoro, amoniacal...) Planos de corte

26 3. Clivagem - Cuidados nesta fase: - Material afiado – não serrar - Tamanho adequado do material – cassetes/lamínula - Área representativa do que se quer estudar- planos de corte - Acondicionamento adequado nos cassetes – mesma consistência dos fragmentos Erros nesta fase ?

27 4) Desidratação (6h) 5) Diafanização (3h) (clarificação) 6) Impregnação pela parafina (2h) - 56 a 58 o C Remoção da água do tecido por substâncias miscíveis com a água Remoção do álcool por substâncias miscíveis com o álcool e com a parafina

28 4. Desidratação - Cuidados nesta fase: - Desidratação gradual em Álcool etílico... evitar artefatos - Substituição periódica do álcool - Tempo de permanência do álcool - Obs. Nesta fase ocorre retração tecidual Erros nesta fase ?

29 5. Diafanização - Cuidados nesta fase: - - Substituição periódica do Xilol (xileno) - Tempo de permanência no Xilol - Obs. Nesta fase os fragmentos ficam translúcidos (diáfanos) Erros nesta fase ?

30 6. Impregnação pela parafina - Cuidados nesta fase: - Substituição periódica da Parafina - Tempo de permanência na Parafina - Temperatura adequada Erros nesta fase ?

31 7) Inclusão em parafina Parafina fundida o C.... solidificar à temperatura ambiente - molde apropriado - altura = 1,5 cm

32 7. Inclusão em parafina - Cuidados nesta fase ? - Obedecer critérios de consistência e tamanho dos fragmentos, de acordo com a lamínula - Erros nesta fase ?

33 8. Microtomia - Cuidados nesta fase ? - Navalha afiada - Espessura dos cortes - Técnico com experiência - Temperatura do banho-maria - Temperatura da estufa - Erros nesta fase ?

34 9) Coloração de rotina : H. E. - corantes: Hematoxilina e Eosina - Hematoxilina..... corante básico..... cora estruturas (natural / vegetal) ácidas Por ex. núcleo - Eosina..... corante ácido..... cora estruturas (artificial) básicas Por ex. citoplasma

35 9. Coloração de rotina - Cuidados nesta fase ? - Preparo adequado dos corantes - Respeitar os tempos de cada sub-fase da coloração - Substituição periódica das substâncias utilizadas - Erros nesta fase ?

36 -Colorações especiais (histoquímicas)- exemplos: - reações que evidenciam a natureza química das substâncias contidas nos tecidos - Azul de Toluidina - PAS -Tricrômico de Masson - Impregnação pela prata (Gomori)

37 - Colorações para citopatologia- exemplos: -Hematoxilina e Eosina -Romanowsky (Diff-Quick, Giemsa, Wright) -Papanicolau

38 10) Montagem -Bálsamo do Canadá / Goma de Damar Citológica Histológica

39 10. Montagem - Cuidados nesta fase ? - Cobrir adequadamente os cortes histológicos com as lamínulas - Utilizar o Bálsamo na diluição correta – evitar bolhas - Erros nesta fase ?


Carregar ppt "Recordando... HISTOLOGIA = é a ciência que estuda a estrutura fina dos diferentes órgãos e tecidos vivos, tanto animais como vegetais. PATOLOGIA = é o."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google