A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Centro de Instrução e Adestramento Aeronaval Departamento de Adestramento Divisão de Cursos Expeditos Noções Básicas de Corrosão.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Centro de Instrução e Adestramento Aeronaval Departamento de Adestramento Divisão de Cursos Expeditos Noções Básicas de Corrosão."— Transcrição da apresentação:

1

2 Centro de Instrução e Adestramento Aeronaval Departamento de Adestramento Divisão de Cursos Expeditos Noções Básicas de Corrosão

3 Tópicos Definição; Formas de Corrosão; e Meio Corrosivo.

4 Objetivos Definir Corrosão; Citar e Definir as Formas de Corrosão; e Citar os Meios Corrosivos.

5 Definição É o ataque destrutivo sofrido por um metal em conseqüência da ação do meio.

6 FORMAS DE CORROSÃO CORROSÃO UNIFORME CORROSÃO POR PLACAS CORROSÃO ALVEOLAR CORROSÃO PUNTIFORME (PITE) CORROSÃO INTERGRANULAR CORROSÃO FILIFORME CORROSÃO POR ESFOLIAÇÃO CORROSÃO MICROBIOLÓGICA

7 CORROSÃO UNIFORME PROCESSA-SE EM TODA A EXTENSÃO DA SUPERFÍCIE, OCORRENDO PERDA UNIFORME DE ESPESSURA; É CHAMADA POR ALGUNS DE CORROSÃO GENERALIZADA.

8 CORROSÃO EM PLACAS LOCALIZA-SE EM REGIÕES ESPECÍFICAS DA SUPERFÍCIE METÁLICA E NÃO EM TODA SUA EXTENSÃO, FORMANDO PLACAS COM ESCAMAÇÕES.

9 CORROSÃO ALVEOLAR PROCESSA-SE NA SUPERFÍCIE METÁLICA, PRODUZINDO SULCOS OU ESCAVAÇÕES SEMELHANTES A ALVÉOLOS DE FUNDO ARREDONDADO E PROFUNDIDADE GERALMENTE MENOR QUE SEU DIÂMETRO.

10 CORROSÃO POR PUNTIFORME OU POR PITE OU PITTING. PROCESSA-SE EM PONTOS OU PEQUENAS ÁREAS LOCALIZADAS NAS SUPERFÍCIES METÁLICAS, PRODUZINDO PITES, QUE SÃO CAVIDADES QUE APRESENTAM O FUNDO EM FORMA ANGULOSA E PROFUNDIDADE MAIOR QUE O SEU DIÂMETRO; É CHAMADA TAMBÉM DE CORROSÃO POR PITE OU PITTING.

11 CORROSÃO INTERGRANULAR DA-SE ENTRE GRÃOS DA REDE CRISTALINA DO MATERIAL METÁLICO, O QUAL PERDE SUAS PROPRIEDADES MECÂNICAS QUANDO SUBMETIDO A GRANDE ESFORÇOS.

12 CORROSÃO FILIFORME PROCESSA-SE SOB FORMAS DE FINOS FILAMENTOS, QUE SE PROPAGAM EM DIREÇÕES QUE NÃO SE CRUZAM.

13 CORROSÃO POR ESFOLIAÇÃO SEPARA AS CAMADAS OCASIONANDO O INCHAMENTO DO MATERIAL METÁLICO.

14 CORROSÃO MICROBIOLÓGICA OCORRE EM SISTEMAS DE COMBUSTÍVEIS DE AERONAVES. É PROVOCADA PELA AÇÃO METABÓLICA DE MICROORGANISMOS, COMO BACTÉRIAS E FUNGOS.

15 MEIOS CORROSIVOS ATMOSFERA SOLO ÁGUA OS MEIOS CORROSIVOS MAIS FREQUENTEMENTES ENCONTRADOS SÃO: ÁTMOSFERA, ÁGUA NATURAL, SOLO, PRODUTOS QUÍMICOS, ALIMENTOS, SUBSTÂNCIAS FUNDIDAS E SOLVENTES ORGÂNICOS.

16 PARTÍCULAS SÓLIDAS. ESTAS EM FORMA DE POEIRA, EXISTEM NA ATMOSFERA QUE A TORNA MAIS CORROSIVA. EMBORA INERTES AO MATERIAL METÁLICO, PODEM POUSAR SOBRE A SUPERFÍCIE, NA FORMA DE GASES CORROSIVOS.

17 SUBSTÂNCIAS QUE RETÊM UMIDADE. SÃO HIGROSCÓPICAS QUE ACELERAM O PROCESSO CORROSIVO, POIS AUMENTAM O TEMPO DE PERMANÊNCIA DA ÁGUA NA SUPERFÍCIE METÁLICA.

18 GASES. A PRESENÇA DOS GASES ESTÁ EVIDENTEMENTE ASSOCIADA AOS DIFERENTES TIPOS DE INDÚSTRIAS, BEM COMO AOS COMBUSTÍVEIS UTILIZADOS.

19 UMIDADE RELATIVA. A UMIDADE RELATIVA PODE SER EXPRESSA PELA RELAÇÃO ENTRE A QUANTIDADE DE VAPOR D ÁGUA ENCONTRADA NO AR E A QUANTIDADE MÁXIMA QUE PODE EXISTIR NO MESMO, OU ENTAO, PELA RELAÇÃO ENTRE A PRESSÃO PARCIAL DO VAPOR D ÁGUA NO AR E A PRESSÃO DE VAPOR D AGUA SATURADO.

20 ÁGUA NATURAL. OS MATERIAIS METÁLICOS EM CONTATO COM A ÁGUA TENDE A SOFRER CORROSÃO ENTRE OS MAIS FREQUENTES ESTÃO: GASES DISSOLVIDOS SAIS DISSOLVIDOS MATÉRIA ORGÂNICA DE ORIGEM ANIMAL OU VEGETAL; E BACTÉRIAS EM SUSPENSÃO.

21 SOLO. O COMPORTAMENTO DO SOLO COMO MEIO CORROSIVO DEVE SER CONSIDERADO DE GRANDE IMPORTÂNCIA. A VELOCIDADE DA CORROSÃO NO SOLO NÃO É MUITO INFLUENCIADA POR PEQUENAS VARIAÇÕES NA COMPOSIÇÃO OU ESTRUTURA DO AÇO. ASSIM DESTACAM OS SEGUINTES FATORES: POROSIDADE (AERAÇÃO) CONDUTIVIDADE ELÉTRICA SAIS DISSOLVIDOS UMIDADE CORRENTES DE FUGA, PH E BACTÉRIAS

22 SUBSTÂNCIAS FUNDIDAS. A CORROSÃO OCASIONADA POR ESSES MEIOS CORROSIVOS ESTÁ LIGADA AO FATO DE QUE O MATERIAL METÁLICO É SOLUVEL NO COMPOSTO OU NA FUNDIÇÃO. NO CASO DE METAIS FUNDIDOS PODE-SE TER: FORMAÇÃO DE LIGAS; FORMAÇÃO DE COMPOSTOS INTERMETÁLICOS; PENETRAÇÃO DE METAL LIQUIDO INTERGRANULAR NO METAL SÓLIDO; E TRANSPARÊNCIA DE MASSA.

23 SOLVENTES ORGÂNICOS. COMO OS SOLVENTES SÃO COMPOSTOS COM LIGAÇÕES COVALENTES E, PORTANTO, NÃO SÃO CONSIDERADOS ELETRÓLITOS, OS CASOS DE CORROSÃO ORIGINADOS POR ELES FICAM MAIS RELACIONADOS À PRESENÇA DE IMPUREZAS QUE POSSAM CONTER, TORNANDO-OS CORROSIVOS PARA DETERMINADOS MATERIAS METÁLICOS. SÃO USADOS, NO DESENGRAXAMENTO DE PEÇAS METÁLICAS, SOLVENTES CLORADOS EM FORMA DE VAPOR, ISTO É, CONTENDO INIBIDOR DE

24

25

26 AULA ORGANIZADA PELO: 3ºSG-AV-SV MARCELO SILVA.


Carregar ppt "Centro de Instrução e Adestramento Aeronaval Departamento de Adestramento Divisão de Cursos Expeditos Noções Básicas de Corrosão."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google