A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

1 Ar condicionado e qualidade do ar em hospitais - Norma NBR 7256 - Eng. Simon J. Levy Consultor da Abrava Membro da Comissão de revisão da NBR 7256.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "1 Ar condicionado e qualidade do ar em hospitais - Norma NBR 7256 - Eng. Simon J. Levy Consultor da Abrava Membro da Comissão de revisão da NBR 7256."— Transcrição da apresentação:

1 1 Ar condicionado e qualidade do ar em hospitais - Norma NBR Eng. Simon J. Levy Consultor da Abrava Membro da Comissão de revisão da NBR 7256

2 2 Objetivos §Controle do ambiente térmico (temperatura e umidade) §Controle da qualidade do ar (agentes biológicos e químicos, odores) Ar condicionado e infecção hospitalar §Só pode controlar infecções transmissíveis pelo ar §Pode se tornar fator agravante se não for bem projetado, executado, operado e mantido

3 3 O ambiente térmico §Conforto térmico essencial na cirurgia - alivia estresse térmico do cirurgião - evita contaminação por suor §O ambiente térmico fator de terapia - surtos de calor e umidade alta prejudicam pacientes cardíacos ou com disfunção do sistema termo regulador - ar muito quente e úmido favorece grandes queimados com lesões expostas

4 4 O ambiente térmico §Umidade do ar - muito alta favorece proliferação de fungos - muito baixa prejudica vias respiratórias de pacientes sensíveis §Condições especiais - exigidas por equipamento de diagnóstico e terapia

5 5 Qualidade do ar §Controle da contaminação micro biológico do ar §Controle de odores e poluentes químicos Processos de controle §Filtragem do ar §Controle dos fluxos de ar §Renovação do ar / Exaustão

6 6 Qualidade do ar Filtragem Filtros Absolutos (HEPA filters) §ar virtualmente livre de qualquer partícula de matéria (retêm mais de 99,97% das partículas de 0,3 micra) §utilizados apenas em áreas muito críticas Filtros finos de alta eficiência §podem reter 99% ou mais dos agentes micro biológicos §adequados na maioria das aplicações de risco Filtros não retêm gases

7 7 Qualidade do ar Fluxos de ar §Sempre em direção da área mais limpa para a área mais contaminada §Difusores de insuflação de baixa turbulência nos ambientes críticos evitam dispersão dos contaminantes §Recirculação do ar admitida apenas entre áreas com a mesma exigência da assepsia §Gradientes de pressão interna - positiva nas áreas limpas, negativa nas áreas contaminadas §Importância da compartimentação física dos locais e do controle da circulação

8 8 Qualidade do ar Renovação / Exaustão §Odores e gases - Removidos na fonte por exaustão localizada quando possível - Diluídos por mistura com ar exterior quando difusos no ambiente §Locais contaminados - Ar totalmente rejeitado ao exterior por exaustão mecânica, substituído por ar limpo

9 9 NBR 7256 Tratamento de Ar em Estabelecimentos Assistenciais de Saúde (EAS) - Requisitos para projeto e execução das instalações (Projeto de revisão da norma de 1982) Comissão de Estudo multi disciplinar: - Projetistas do ar condicionado - Fabricantes de equipamentos - Profissionais da área médica - Arquitetos hospitalares - Participação ativa da Anvisa

10 10 NBR 7256 Compatibilizada com as diretrizes gerais da Anvisa em particular Resolução Anvisa RDC 50 de 21/01/2002 Regulamento Técnico para planejamento e avaliação de projetos físicos de EAS - Listagem e caracterização dos ambientes - Exigências básicas de tratamento de ar

11 11 NBR 7256 Estipula §Parâmetros de projeto para cada ambiente de acordo com - as exigências especiais de temperatura e umidade - o nível e o tipo do risco à saúde por exposição ao ar §Requisitos técnicos para os componentes e instalações §Requisitos de proteção contra incêndio §Precauções em caso de obras dentro ou na vizinhança de áreas críticas

12 12 NBR 7256 Risco à saúde por exposição ao ar ambiental §Nível 1 - risco muito baixo §Nível 2 - fortes evidências de risco §Nível 3 - fortes evidências de grave risco Tipo de risco §Biológico §Químico §Radiológico Avaliação apenas qualitativa - não há tentativa de quantificar

13 13 NBR 7256 Ambientes nível de risco 3 §Isolamento protetivo (pacientes imuno suprimidos) §Isolamento de bloqueio (pacientes com graves infecções transmissíveis pelo ar) §Cirurgia de alto risco e complexidade (cirurgia óssea, cardiológica, neurológica, transplantes) §Grandes queimados (lesões expostas)

14 14 NBR 7256 Ambientes nível de risco 3 §Laboratório de biologia molecular (cabines de segurança biológica) §Banco de tecidos (músculos, ossos) §Manipulação de parenterais §Esterilização gasosa - (óxido de etileno, cancerígeno, explosivo) §Lavanderia, (recebimento e triagem de roupa suja)

15 15 NBR 7256 Ambientes nível de risco 2 §Cirurgia geral, parto cirúrgico § UTI, UTI neonatal §Grandes queimados (lesões protegidas) §Sala de emergência (politraumatismo, parada cardíaca) §Salas de inalação, broncoscopia §Salas de exames invasívos

16 16 NBR 7256 Componentes e sistemas Requisitos relativos à qualidade do ar e à confiabilidade para: §Filtros §Condicionadores §Umidificadores §Salas de máquinas §Tomadas e descargas de ar §Dutos de ar

17 17 NBR 7256 Componentes e sistemas Proteção contra incêndio §Conscientização do projetista de ar condicionado - não substitui projeto especializado Recomendações básicas §Respeito à compartimentação corta fogo §Materiais incombustíveis §Dutos de ar potenciais condutores de fogo e fumaça §Registros corta fogo e fumaça, detetores de fumaça

18 18 NBR 7256 Obras na vizinhança de áreas críticas §Alto risco de contaminação por poeira, fungos §Isolamento estanque da área em obras §Exaustão da área isolada.


Carregar ppt "1 Ar condicionado e qualidade do ar em hospitais - Norma NBR 7256 - Eng. Simon J. Levy Consultor da Abrava Membro da Comissão de revisão da NBR 7256."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google