A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

CRASE CRASE A palavra crase (do grego krásis = mistura, fusão) designa a contração da preposição a exigida pela regência do verbo ou do nome (substantivo,

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "CRASE CRASE A palavra crase (do grego krásis = mistura, fusão) designa a contração da preposição a exigida pela regência do verbo ou do nome (substantivo,"— Transcrição da apresentação:

1 CRASE CRASE A palavra crase (do grego krásis = mistura, fusão) designa a contração da preposição a exigida pela regência do verbo ou do nome (substantivo, adjetivo ou advérbio) com: a) o artigo feminino a(s); b) o pronome demonstrativo a(as); c) os pronomes demonstrativos aquele(s), aquela(s), aquilo; d) os pronomes relativos a qual, as quais. Fátima Liporage

2 1º caso Antes de palavra feminina: Preposição a + artigo definido a(s) Doei um livro à menina. (Preposição a exigida pelo verbo doar + artigo definido a que acompanha o substantivo menina.) Doei o livro ao menino. O comparecimento às palestras é importante. O comparecimento às palestras é importante. (Preposição a exigida pelo substantivo comparecimento + artigo definido as.) (Preposição a exigida pelo substantivo comparecimento + artigo definido as.) O comparecimento aos seminários é importante. O comparecimento aos seminários é importante. Fátima Liporage

3 2º caso Preposição a + pronome demonstrativo a(s) Doei um livro à que mais estuda. Doei um livro à que mais estuda. (Preposição a exigida pelo verbo doar + pronome demonstrativo a) (Preposição a exigida pelo verbo doar + pronome demonstrativo a) Doei um livro ao que mais estuda Doei um livro ao que mais estuda Obs.: O pronome demonstrativo a equivale ao pronome demonstrativo aquela. Obs.: O pronome demonstrativo a equivale ao pronome demonstrativo aquela. Não compare minhas poesias às de Drummond. Não compare minhas poesias às de Drummond. Não compare meus versos aos de Drummond. Não compare meus versos aos de Drummond. Fátima Liporage

4 3º caso Preposição a + pronomes demonstrativos aquele(s), aquela(s), aquilo. Doarei o livro àquela menina. Doarei o livro àquela menina. (Preposição a exigida pelo verbo doar + pronome demonstrativo aquela.) Enviei àquele aluno um livro interessantíssimo. Enviei àquele aluno um livro interessantíssimo. (Preposição a exigida pelo verbo enviar, enviar a alguém + pronome demonstrativo aquele.) Fátima Liporage

5 4º caso Preposição a + pronomes relativos a qual, as quais. Aqui mora a aluna à qual dedico grande afeto. Aqui mora a aluna à qual dedico grande afeto. (Aqui mora o aluno ao qual dedico grande afeto.) (Aqui mora o aluno ao qual dedico grande afeto.) Estas são as alunas às quais me referi. Estas são as alunas às quais me referi. (Estes são os alunos aos quais me referi.) (Estes são os alunos aos quais me referi.) Fátima Liporage

6 5º caso Locuções adverbiais formadas por à(s) + palavras femininas às avessas,às claras, às escuras, às escondidas, à força, às favas, à tona, à escuta, à deriva, à francesa, à paisana, à esquerda, à direita, à tarde, à noite, às vezes, à toa, à vontade etc. Prefiro sair das festas à francesa. Com palavras masculinas o a não é acentuado: a prazo, a pé, a lápis. Fátima Liporage

7 6º caso Locuções prepositivas formadas por à(s) + palavras femininas À beira de, à procura de, à custa de, à espera de, à imagem de, à maneira de, à vista de, à semelhança de, à sombra de, à frente de, à moda de etc. Estou à beira de um ataque de nervos. Os alunos estavam à procura de contos interessantes. Fátima Liporage

8 Às vezes as locuções prepositivas à maneira de, à moda de ficam subentendidas Ele vestia-se à Clodovil. (Ele vestia-se à moda de Clodovil.) (Ele vestia-se à moda de Clodovil.) Carlos escreve à Machado de Assis. (Carlos escreve à maneira de Machado de Assis). (Carlos escreve à maneira de Machado de Assis). Preparei para o jantar bifes à milanesa. (Preparei para o jantar bifes à moda milanesa) (Preparei para o jantar bifes à moda milanesa) Fátima Liporage

9 7º caso Locuções conjuntivas proporcionais À medida que À medida que lia bons poemas, desenvolvia sua sensibilidade. À proporção que À proporção que ele se dedicava aos estudos, obtinha melhores resultados nas avaliações. Fátima Liporage

10 8º caso à(s) +... hora(s) Sairemos à uma hora e ele, às duas. O eclipse ocorreu à zero hora. Chegaremos às vinte e duas horas. O trem parte às quatorze horas e trinta minutos. O espetáculo começou à meia-noite e meia. O encontro de jovens será das duas às cinco horas da tarde. Fátima Liporage

11 9º caso Topônimos (nomes de lugares) que admitem artigo a Todos iremos à Bahia. (Ir a + a Bahia) Voltamos da Bahia. (voltar de + a Bahia) Voltamos da Bahia. (voltar de + a Bahia) Viajaremos à China. (Viajaremos a + a China) – Viajaremos para a China. (Viajaremos a + a China) – Viajaremos para a China. Fátima Liporage

12 Não ocorre com topônimos que não admitem artigo Iremos a Brasília. (Viemos de Brasília.) Fomos a Roma. (Regressamos de Roma.) Dirigiram-se a Fortaleza. (Permanecemos em Fortaleza.) (Permanecemos em Fortaleza.) Vou a Copacabana. (Ficarei em Copacabana) Fátima Liporage

13 Ocorre quando os topônimos vierem seguidos de uma expressão especificativa. Iremos à Brasília de Niemeyer. Fomos à Roma dos Césares. Dirigi-me à Fortaleza de José de Alencar. Dedico meus versos à Copacabana dos bons tempos. Fátima Liporage

14 10º caso - à + casa quando a palavra casa estiver determinada. O engenheiro foi à casa da Sônia. O príncipe pertencia à casa de Bragança. Vou à casa de Alberto para almoçar. Não ocorre diante da palavra casa no sentido de lar, domicílio, quando não estiver determinada. Eu vou a casa trocar de roupa. Chegavam a casa quase sempre à tardinha. Vou a casa almoçar. Fátima Liporage

15 11º caso à + terra No sentido de território. A expedição dirigiu-se à terra dos bárbaros. A expedição dirigiu-se à terra dos bárbaros. No sentido de terra natal. Lia voltou à terra para rever os parentes. Lia voltou à terra para rever os parentes. No sentido de planeta. Retornou à Terra a nave espacial. Retornou à Terra a nave espacial. Fátima Liporage

16 12º caso Numerais ordinais Da primeira à vigésima página. Ele estudou aqui da quinta à oitava série. (Ele estudou aqui de quinta a oitava série) (Ele estudou aqui de quinta a oitava série) O curso ocorrerá da terça à sexta-feira. (O curso ocorrerá de terça a sexta-feira.) (O curso ocorrerá de terça a sexta-feira.) Fátima Liporage

17 13º caso Quanto a +... Quanto a + nome feminino Quanto a + nome feminino Estudaremos verbos difíceis quanto à flexão. Estudaremos verbos difíceis quanto à flexão. Quanto a + pron. demonstrativo a(s), aquele(s), aquela(s), aquilo. Quanto àquele aluno, não tenho nada a declarar. Quanto àquele aluno, não tenho nada a declarar. Quanto àquilo, nada pude fazer. Quanto àquilo, nada pude fazer. Fátima Liporage

18 14º caso Locução à distância quando estiver determinada Achava-me à distância de alguns metros. O barco ancorou à distância de cem metros. Quando indeterminada, não se acentua o a. Ficou a distância, observando o ensaio. Seguira-nos a distância. O trem passava a pouca distância da casa. Fátima Liporage

19 CASOS FACULTATIVOS A crase é facultativa: diante de nomes próprios femininos. diante de pronomes possessivos femininos. na locução prepositiva até a. Fátima Liporage

20 Facultativa diante de nomes próprios femininos. O rapaz dirigiu-se à Suzana. O rapaz dirigiu-se a Suzana. O rapaz dirigiu-se a Suzana. Entreguei o livro à Mariana. Entreguei o livro a Mariana. Entreguei o livro a Mariana. O professor fez alusão à Clarice Lispector. O professor fez alusão a Clarice Lispector. O professor fez alusão a Clarice Lispector. Fátima Liporage

21 Facultativa diante de pronomes possessivos femininos. O filho informou à sua mãe a data da formatura. O filho informou a sua mãe a data de formatura. O filho informou a sua mãe a data de formatura. Iremos juntos à nossa escola. Iremos juntos a nossa escola. Iremos juntos a nossa escola. Fátima Liporage

22 Facultativa na locução prepositiva até a. O motorista foi até à garagem. O motorista foi até a garagem. O motorista foi até a garagem. Acompanhe-me até à porta. Acompanhe-me até a porta. Acompanhe-me até a porta. Fomos até à França. Fomos até a França. Fomos até a França. Fátima Liporage

23 Não ocorre crase antes de substantivos masculinos; antes de verbos; entre substantivos repetidos; antes de palavras femininas no plural, com sentido genérico, não precedidas de artigo; antes do artigo indefinido uma; antes de pronomes que não admitem artigo a (pessoais, de tratamento, indefinidos, demonstrativos, relativos.) Fátima Liporage

24 Não ocorre crase antes de substantivos masculinos. Entreguei a encomenda a João. Somos felizes graças a Deus. O comerciante só vendia a prazo. Não assisto a filme de guerra. Isso cheira a vinho. Admirei os quadros a óleo. Escreveu um bilhetinho a lápis. Fátima Liporage

25 Não ocorre crase antes de verbos. A multidão voltou a protestar. Seu Inácio voltou a rezar. Estamos dispostas a trabalhar. Quando me dispunha a sair, começou a chover. Puseram-se a discutir em voz alta. Fátima Liporage

26 Não ocorre crase entre substantivos repetidos. Tomou o remédio gota a gota. Os inimigos ficaram frente a frente. Josué foi de cidade a cidade. As alunas entraram uma a uma na sala. Dia a dia a cidade foi crescendo. Os pastos estendiam-se de ponta a ponta da fazenda. Fátima Liporage

27 Não ocorre crase antes de palavras femininas no plural, com sentido genérico, não precedidas de artigo Devemos favores a pessoas amigas. Referia-se a crianças carentes. Ivo não vai a festas nem a reuniões. Não dê atenção a pessoas suspeitas. Fátima Liporage

28 Não ocorre crase antes do artigo indefinido uma. Contei o caso a uma mulher supersticiosa. Não entregues teu trabalho a uma pessoa qualquer. Prestaremos homenagens a uma grande escritora. Fátima Liporage

29 Não ocorre crase antes de pronomes que não admitem artigo a Pronomes pessoais Ofereci ajuda a elas. Ofereci ajuda a elas. Recorrem a mim, quando precisam. Recorrem a mim, quando precisam. Pronomes de tratamento Não me referi a Vossa Excelência. Não me referi a Vossa Excelência. Pediram perdão a você? Pediram perdão a você? Exceções: senhora e senhorita Exceções: senhora e senhorita Peço à senhora que tenha paciência. Peço à senhora que tenha paciência. Fátima Liporage

30 Não ocorre crase antes de pronomes que não admitem artigo a Pronomes indefinidos Pronomes indefinidos Nunca deste auxílio a ninguém. Nunca deste auxílio a ninguém. Escrevi a algumas colegas. Escrevi a algumas colegas. Referi-me a várias colegas. Referi-me a várias colegas. Exceções: outra, outras. Exceções: outra, outras. Entregou o livro à outra colega. Entregou o livro à outra colega. Fátima Liporage

31 Não ocorre crase antes de pronomes que não admitem artigo a Pronomes demonstrativos - este(s), esta(s), esse(s), essa(s), isto, isso. Diariamente, chegam turistas a esta cidade. Diariamente, chegam turistas a esta cidade. Quem chegou a essa conclusão? Quem chegou a essa conclusão? Não dês importância a isto. Não dês importância a isto. Exceções: aquele(s), aquela(a), aquilo Exceções: aquele(s), aquela(a), aquilo Fátima Liporage

32 Não ocorre crase antes de pronomes que não admitem artigo a Pronomes relativos Esta é a vida a que aspiramos. Esta é a vida a que aspiramos. Ali havia uma árvore, a cuja sombra descansamos. Ali havia uma árvore, a cuja sombra descansamos. Esta é a aluna a quem me referi. Esta é a aluna a quem me referi. Exceções: a qual, as quais Exceções: a qual, as quais Esta é a escola à qual nos referimos Esta é a escola à qual nos referimos Fátima Liporage


Carregar ppt "CRASE CRASE A palavra crase (do grego krásis = mistura, fusão) designa a contração da preposição a exigida pela regência do verbo ou do nome (substantivo,"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google