A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Iluminação Pública MSc. Eng° José Francisco Resende da Silva.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Iluminação Pública MSc. Eng° José Francisco Resende da Silva."— Transcrição da apresentação:

1 Iluminação Pública MSc. Eng° José Francisco Resende da Silva

2 2 Visão Ser a distribuidora de energia elétrica mais admirada do País. Missão Distribuir energia elétrica com segurança e qualidade para o desenvolvimento e bem-estar das comunidades atendidas, gerando crescente valor para os clientes, colaboradores e acionistas. Valores Segurança Respeito Integridade Comunicação Excelência

3

4 AGENDA Objetivo Objetivo Estruturas Estruturas Luminárias Luminárias Lâmpadas Lâmpadas Reles Reles Manutenção Manutenção Tecnologias Tecnologias

5 Apresentar o Sistema de iluminção Pública da Elektro e seu processo de Manutenção. Objetivo Objetivo

6 Introdução Introdução

7 Estruturas Estruturas

8

9

10 Objetivos técnicos de uma luminária Fotometria Robustez e design Manutenção Luminárias Luminárias

11 Fotometria * Garante a qualidade da instalação 3 Níveis 3 Uniformidades 3 Controle do ofuscamento sempre com base na máxima eficiência energética: ¶ Menor nº de acessórios · Menor potência instalada Luminárias Luminárias

12 Refletores: ë O ponto mais importante da luminária: muito cuidado com o desenho. ë O alumínio deve ser de alta pureza, abrilhantado e anodizado eletroquimicamente (99.8% de pureza). ë Metalização ao vácuo (Al de 99.9% de pureza). ë Adaptáveis a lâmpadas sódio, metálico, etc... ë Variedade para adaptar-se a qualquer situação. Luminárias Luminárias

13 Protetor ì Se está bem construído é fotometricamente inativo, somente protege mecanicamente. ì Dependendo do material, pode reter uma certa quantidade do fluxo luminoso. Luminárias Luminárias

14 Luminária Aberta Luminária Fechada Luminárias Luminárias

15

16 Policarbonato Luminárias Luminárias

17 1 - Melhor rendimento das luminárias integradas (75%) para as luminárias convencionais (45%), isto significa melhor aproveitamento da luz emitida pela lâmpada, além da utilização de lâmpadas tubulares claras em larga escala (tendência tecnológica). 2 - Conjunto ótico isento de poeira e água (IP 65 no mínimo) para luminárias integradas. 3 - Melhor uniformidade na distribuição fotométrica (ausência de zebramento). Vantagens técnicas das luminárias integradas Luminárias Luminárias

18 4 - Menor número de intervenções (reatores e lâmpadas são abrigadas - uso interno). 5 - Tempo de manutenção menor (kit removível diminui substancialmente o tempo de troca de reator), além de que a manutenção será feita sempre em um único ponto, ao contrário da luminária fechada com reator no poste. 6 - Facilidade de instalação, conseqüentemente menor tempo de instalação. A cada 3 instalações de Luminária fechada, instala-se 4 luminárias integradas. 7 - Ganho estético (não haverá reator e fiação no poste), além de melhor design da luminária integrada. 8 - Visão do Cliente - Melhoria da Imagem da EMPRESA. Luminárias Luminárias

19 LUMINÁRIA INTEGRADA X FECHADA CONCLUSÕES Alta eficiência Menor custo de manutenção Produtividade na instalação Melhoria na vida útil das Lâmpadas Custos iniciais de instalação concorrentes com a luminária fechada. Imagem da Elektro Luminárias Luminárias

20 Vida útil Média horas Lâmpadas Lâmpadas

21

22 ¬Tipo da lâmpada ­Tipo da superfície do refletor ®Presença de refrator ou protetor qualidade da distribuição ¯ Material do protetor ou refrator ° Material do refletor ° Tamanho da lâmpada quantidade do fluxo perdido (rendimento) Lâmpadas Lâmpadas

23 Resultados fotométricos típicos com diferentes lâmpadas (Plano vertical perpendicular ao eixo do pavimento) Lado ruaLado calçada 90° VSAP clara VMAP VSBP ou fluor ou VSAP opaca 60° 30° 0° Lâmpadas Lâmpadas

24 (Plano vertical paralelo ao eixo da rua) VMAP ou VSAP opaca VSBP ou fluor 90° 0° VSAP clara 60° 30° 60° Lâmpadas Lâmpadas

25 Exemplos eficácia lâmpadas + bloco óptico V.S.A.P. clara V.M.A.P. e V.S.A.P. opacas V.S.B.P. Lado ruaLado calçada W/h W % Fator de utilização K Lâmpadas Lâmpadas

26 Os relés são responsáveis por uma grande parcela da perda de tempo e dinheiro no deslocamento para atendimento de ocorrências em sistemas de Iluminação pública Reles Reles

27 Relé Fotoelétrico Reles Reles

28 Relé Fotoeletrônico Reles Reles

29 RELÉS FOTOELETRÔNICOS CARACTERÍSTICASBENEFICIOS Sensor de silício que simula o olho humano, precisamente, ligando e desligando as lâmpadas quando realmente necessário. Reduzido tempo de lâmpadas acesas Economia de energia Maior vida útil das lâmpadas Menor custo de manutenção Satisfação pública Chaveamento de carga com tensão Zero que impede a solda dos contatos do Relé Eliminaçao de lampdas acesas durante o dia Economia de energia Maior vida útil das lâmpadas Menor custo de manutenção Satisfação pública Tecnologia de filtragem de Luz e processamento de sinais Imune a luz HID Eliminação e operação incorreta devido a outras fontes de luz Os relés montados abaixo das lâmpadas operam corretamente Retardo do desligamento Impede falsos desligamentos por relâmpagos ou luz transiente Maior vida útil das lâmpadas e do reator Segurança Pública Lógica de circuito integrado Elimina multiplos ciclos de ligar/desligar ao anoitecer Maior vida útil da lampada e do reator Menor custo de manutençào Involucro submersivel (IP 67) Vida Longa Selado contra a entrada de umidade, pó e contaminantes Sensor de luz faceado para o Céu (Zenital – Omnidirecional) Nào necessita de orientação para o Sul Menor tempo de instalação Nenhuma janela Detector de Luz no MicroProcessador 10 Anos livres de desvio de operação economia de energia Menores Custos Operacionais. Reles Reles

30 + Minimizar as intervenções + Minimizar o tempo empregado nas mesmas OBJETIVIDADE Economia...sem perda da qualidade Manutenção Manutenção

31 Otimalidade da Manutenção Menos vezes Estanqueidade Em menos tempo Sem ferramentas QualidadeRápida Identificação do Defeito Manutenção Manutenção

32 Call Center / e-Service UE - Commercial System Hardware & servers Field Crews Customers Operations Dispatch SCADA Telemetering S is t e m a s SGD ERP - R/3 (SAP) Telecom System Manutenção Manutenção

33

34 Módulo de Visualização Navegação Mais Ágil com as Imagens de Radares Possibilidade de acesso simultâneo á várias informações da base de dados em Janelas Manutenção Manutenção

35

36 Realizando testes em sistemas de Iluminação Pública TESTE de REATOR: Verifica se o reator está em boas condições, em curto-circuito, ou aberto. Esse teste é baseado na introdução de uma carga resistiva no lugar da lâmpada, verificando a tensão sobre a carga. TESTE de IGNITOR: Verifica se os pulsos de alta tensão estão presentes no soquete da lâmpada, detectando o funcionamento do ignitor. TESTE de POLARIDADE: Verifica em qual contato do soquete (central ou lateral) estão sendo aplicados os pulsos de alta tensão, indicando se as conexões da lâmpada ao reator estão corretas ou não (contato central = correto; contato lateral = incorreto). Manutenção Manutenção

37 Tecnologias Tecnologias Qtd Vias = 1 Largura = 7,0 m º 7,35 m 1,7 m 1,06 m Asfalto Poste 1 e 234,5 m Poste 2 e 334,5 m Distâncias Endereço: Rua Rene Neix, 57 – CDHU Setor de Trafo TAT05044

38 Tecnologias Tecnologias Calçada 2 m 4 m 6 m m 2 m

39 Tecnologias Tecnologias Características Elétricas: Tensão..: 220 v Corrente: 372 mA Potência: 82 W FP : 0,93 VS70

40 Tecnologias Tecnologias Características Elétricas: Tensão..: 220 v Corrente: 237 mA Potência: 48 W FP : 0,81

41 Tecnologias Tecnologias Luminária VS70 Luminária LED

42 Tecnologias Tecnologias

43 Obrigado! José Francisco Resende da Silva (19) (19)


Carregar ppt "Iluminação Pública MSc. Eng° José Francisco Resende da Silva."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google