A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Prevenção e Combate a Incêndios CEFET / RJ Administração Industrial / Segurança Industrial 2 Prof. Alexandre B. Marques V. 2006/1.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Prevenção e Combate a Incêndios CEFET / RJ Administração Industrial / Segurança Industrial 2 Prof. Alexandre B. Marques V. 2006/1."— Transcrição da apresentação:

1 Prevenção e Combate a Incêndios CEFET / RJ Administração Industrial / Segurança Industrial 2 Prof. Alexandre B. Marques V. 2006/1

2 SUMÁRIO 1)Definição de Prevenção e Combate a Incêndios e a NR 23 2)Fogo a)Definição b)Condições necessárias (triângulo do fogo) c)O comburente d)Materiais combustíveis: classificação e)Fontes de Calor: Mecanismos de Transmissão de Calor f)Fases de um incêndio g)Focos de ignição mais comuns 3)Classes de Incêndio 4)Agentes extintores 5)Classificação de riscos de incêndio 6)Resumo de Requisitos Específicos da NR-23.

3 Definição Prevenção de Incêndios é uma série de medidas utilizadas para eliminar ou controlar os riscos de incêndios, suas causas, os meios de propagação e os fatores necessários para que eles ocorram. Incêndios (e catástrofes naturais) são classificados como situação de emergência. (Outros exemplos de emergência são explosões, terrorismo e sabotagem, derrames de produtos químico perigosos). A Norma Regulamentadora 23 (NR 23) trata especificamente do tema e tem as seguintes disposições gerais: Todas as empresas deverão possuir: a)Proteção contra incêndio; b)Saídas suficientes para a rápida retirada do pessoal em serviço, em caso de incêndio; c)Equipamento suficiente para combater o fogo em seu início; d)Pessoas adestradas no uso correto desses equipamentos.

4 FOGO É uma reação química que favorece a combustão de um material, produzindo emissão de calor acompanhada de fumaça ou chama, ou ambas. Para que haja Fogo, é necessário que se tenha, concomitantemente e em quantidade mínima, os seguintes elementos: COMBUSTÃO COMBURENTECALOR A falta ou insuficiência de qualquer daqueles elementos fará com que o fogo se apague. CAUSO: Como apagar os incêndios nos poços de petróleo na 1ª Guerra EUA – IRAQUE ? Com explosões que consumiram o oxigênio ao redor.

5 O Comburente Para que haja combustão viva, a concentração de oxigênio é crítica: De 0 a 8% - s/ combustão. De 8 a 13% - combustão lenta. De 13 a 21% - combustão viva. CAUSO: O Corpo de Bombeiros de La Paz. LEMBRETE Composição do ar: 78% Nitrogênio; 21% Oxigênio; 1% outros gases. DEFINIÇÕES: Combustão viva: desprende luz e calor. Combustão lenta: não desprende luz (oxidação do ferro). CAUSO: Estocagem, ao ar livre, de carvão vegetal na ALCOA (corrente de ar consumiu o carvão).

6 Materiais Combustíveis 1.Combustíveis sólidos: o que entra em combustão não é o corpo em si, mas os vapores que ele libera a partir do Ponto de Fulgor. Fatores que afetam a combustão de sólidos: –Composição: os elementos Carbono, Enxofre e Hidrogênio favorecem. Ex.: borracha e papel. –Dimensões: quanto mais fragmentado, maior a facilidade de inflamar. Ex.: madeira e serragem de madeira. 2.Combustíveis líquidos: também não é a massa líquida que entra em combustão, mas sim os vapores que ela libera na sua superfície. Fatores que afetam a combustão de líquidos: –Quantidade de vapores, superfície exposta, volatilidade, temperatura. 3.Combustão de gasosos: os gases podem ser encontrados armazenados liquefeitos, comprimidos e encanados. Exemplos de gases combustíveis: Acetileno, Hidrogênio, Propano etc. Ponto de Fulgor: temperatura a partir da qual o material começa a liberar os primeiros vapores inflamáveis, embora o fogo não se sustente. A maioria dos óleos combustíveis tem PF = 66°C.

7 Fontes de Calor: Mecanismos de Transmissão de Calor Calor é uma modalidade de energia que entra em trânsito devido à diferença de temperatura entre os corpos / ambientes. 1. Condução: o calor se transmite de uma molécula para outra, no mesmo corpo ou entre corpos diferentes, sendo necessário contato! Ex.: uma barra de metal, trans. cal. através de uma parede etc. 2. Convecção: o calor se transmite pela movimentação de um gás ou liquido. Quanto maior a velocidade, maior a quantidade de calor transmitida. As partes mais quentes dessas massas sobem, as mais frias descem, num movimento contínuo. Ex. ventos, geladeira. 3. Radiação: todo corpo ou ambiente com temperatura acima do zero absoluto irradia calor, que não precisa de um meio material para se propagar. É o mecanismo de transmissão mais potente entre os três. Ex. sol. Temperatura é diferente de Calor. Temperatura é uma medida do nível de agitação das moléculas de um corpo. [ 0 K = -273,15 °C ]

8 Fases de um Incêndio IGNIÇÃO Exemplos de focos de ignição: Cabos elétricos Instalações elétricas sem proteção Derramamento de combustíveis Armazenamento inadequado de solventes Tabagismo em áreas proibidas Motores e máquinas com manutenção deficiente Incompatibilidade de Produtos Químicos Eletricidade estática PROPAGAÇÃO: Vertical e Horizontal CONSEQÜÊNCIAS: Perdas humanas e materiais

9 Classes de Incêndio Cla sse Características Agentes extintores A Materiais que queimam em superfície e em profundidade. Ex.: madeira, papel, pano etc. Água B Materiais que queimam em superfície. Ex.: líquidos inflamáveis (gasolina e óleos). Espuma, CO 2, jato de neblina. C Aparelhos elétricos em funcionamento. Ex.: chuveiro, motores, geradores etc. CO 2 D Requerem técnicas especiais. Ex.: gases liquefeitos, metais etc. Depende do caso. K Incêndios em cozinhas (kitchen). Ex.: óleos vegetais. Acetato de potássio. A Classe K foi criada em 1998, devido aos riscos de incêndio em cozinhas pela co-presença de uma fonte de calor e de elementos combustíveis (gás, gorduras, óleos), que também se acumulam em coifas, dutos etc. É muito comum a retomada do incêndio nas cozinhas.

10 Agentes extintores Para se extinguir o fogo, basta eliminar um dos três elementos do triângulo do fogo. O calor pode ser eliminado pelo resfriamento, enquanto o Oxigênio pode ser eliminado por abafamento. Geralmente, o combate a princípios de incêndios é feito com extintores portáteis, mas instalações fixas e automáticas também podem ser necessárias. Outros agentes extintores: 1.Areia: atua como abafador e ajuda a conter o escoamento de líquidos. 2.Mantas: abafam incêndios em pessoas. Não podem ser fabricadas em material sintético. 3.Explosivos: utilizados em casos muito especiais, como incêndios em postos de petróleo.

11 Classificação de Riscos de Incêndios Leva em consideração a existência dos seguintes fatores: 1.Vigilância permanente. 2.Instalações e equipamentos extintores. 3.Pessoal treinado. 4.Sistemas de detecção de calor e fumaça. 5.Alarmes. 6.Reservatórios de água. 7.Etc. Pequeno: escolas, escritórios, residências. Médio: armazéns, depósitos, pequenas oficinas. Grande: refinarias, depósitos de inflamáveis, fábricas de vernizes e tintas.

12 Requisitos Específicos da NR-23 (resumo) 1- Saídas: Largura mín. 1,20m Abertura p/ fora 2- Portas: Devem ser de batentes ou corrediças laterais Abertura p/ fora Ao abrirem não devem obstruir a passagem nos corredores 3- Escadas, plataformas e patamares: Devem ser de mat. não-combustível. 4- Portas corta-fogo: Devem proteger as caixas de escadas, abrir pelos dois lados e fechar automaticamente. 5- Combate ao Fogo: 1°) Acionar sistema de alarme 2°) Chamar Bombeiros 3°) Desligar máquinas e aparelhos elétricos (se isso não representar um risco) 4°) Iniciar combate direto ao foco de incêndio Obs.: Algumas máquinas e equipamentos NUNCA deverão ser desligados. Para isso, deve haver indicação específica próximo às suas fontes de energia. É recomendada a realização planejada de Exercícios de Alerta, para acostumar o pessoal com a situação, demonstrar e testar o abandono dos locais, treinar pessoal com tarefas e responsabilidades específicas, testar sistemas de sinalização sonora.

13 Boas Práticas de Prevenção de Incêndios 1.Manter sob vigilância setores onde há risco 2.Disponibilizar extintores adequados, validados e em quantidade suficiente 3.Treinar funcionários no combate a incêndios 4.Implementar sinalizações adequadas, inclusive das rotas de fuga 5.Realizar manutenção adequada das instalações elétricas, mecânicas e prediais 6.Manter locais de trabalho em ordem e limpos 7.Ao final da jornada de trabalho, desligar máquinas e equipamentos 8.Evitar o uso de benjamim 9.Conhecer a localização dos extintores, lava-olhos, chuveiros de emergência, caixa de primeiros socorros etc. 10.Ter cuidado ao abrir portas e janelas, pois a entrada de ar pode aumentar o fogo 11.Manter à vista os números de telefones de emergências: Bombeiros, Hospitais, Polícia, Defesa Civil etc.


Carregar ppt "Prevenção e Combate a Incêndios CEFET / RJ Administração Industrial / Segurança Industrial 2 Prof. Alexandre B. Marques V. 2006/1."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google