A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

1 VII – TARIFAS. 2 Índice A) INTRODUÇÃO – SISTEMA DE TARIFAS COMPLETO; B) ESTRUTURA TARIFÁRIA; C) ADMINISTRAÇÃO TARIFÁRIA; D) COLETA DAS TARIFAS E DIREITO.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "1 VII – TARIFAS. 2 Índice A) INTRODUÇÃO – SISTEMA DE TARIFAS COMPLETO; B) ESTRUTURA TARIFÁRIA; C) ADMINISTRAÇÃO TARIFÁRIA; D) COLETA DAS TARIFAS E DIREITO."— Transcrição da apresentação:

1 1 VII – TARIFAS

2 2 Índice A) INTRODUÇÃO – SISTEMA DE TARIFAS COMPLETO; B) ESTRUTURA TARIFÁRIA; C) ADMINISTRAÇÃO TARIFÁRIA; D) COLETA DAS TARIFAS E DIREITO ÀS VIAGENS; E) NÍVEL DE CONTROLE DA COLETA DE TARIFAS; F) DADOS DE VALIDAÇÃO/CANCELAMENTO NA COLETAS DE TARIFAS; G) BARREIRAS E CANCELAS NA COLETA DAS TARIFAS; H) VENDAS E PAGAMENTOS NA COLETA DE TARIFAS; I) O SISTEMA COMPLETO DE TARIFAS; J) FÓRMULAS PARA CÁLCULOS TARIFÁRIOS; Q) EXEMPLO DE CÁLCULO TARIFÁRIO.

3 3 A) INTRODUÇÃO - TP -> dependem das Tarifas (+ subsídios em muitos casos). - Valor da tarifa depende da regulamentação e métodos de cálculo – são considerados os aspectos Financeiros e Sociais sob os quais o Sistema Tarifário deve operar. - Custos podem ser totalmente pagos pelos usuários ou adotar suporte financeiro de forma a atender objetivos sociais (principalmente em serviços comunitários). - Critérios Operacionais – máximo no. de usuários, máxima Km, máxima área de cobertura. - Critérios Sociais – Minimizar tarifa, tarifas sociais, níveis máximos de Serviço. - Estabelecer Sistema de Tarifas (estrutura, regulamentos, pagamento, coleta, controle). 1)Para a definição das tarifas devem ser levados em conta recomendações fiscais e sociais; cite algumas destas recomendações.

4 4 4)Quais são os Elementos de um SISTEMA DE TARIFAS COMPLETO? ESTRUTURA TARIFÁRIA COLETA DAS TARIFAS SISTEMA DE PAGAMENTOS CONTROLE DA OPERAÇÃO ESTRATÉGIA DE CONTROLE REGULAMENTOS TARIFÁRIOS 2)De que é constituída a estrutura tarifária? As diferentes tarifas que são cobradas e os níveis nos quais as mesmas são estabelecidos formam a estrutura tarifária.

5 5 B) ESTRUTURA TARIFÁRIA As tarifas podem ser diferenciadas quanto ao: 1)Passageiro (adultos, crianças, pessoas de idade, deficientes, militares,...). 2)Viagem (tarifa única, por zonas, distância, motivos de viagem...). 3)Serviço (local, direto, por via exclusiva, tipo de veículo,...). 4)Hora do dia (pico, fora do pico,...). 5)Dias da semana (fim de semana, férias,...). 6)Validade de passes (semanal, mensal,...). 7)Freqüência de viagens (ex. 10 por semana,...) Observar: Relações: Tarifa/Custo Nível de Serviço/Tarifa No. de Usuários/Tarifa Nível de Serviço/Nível de Usuários 3)De que forma podem ser diferenciadas as tarifas? 5)Como é determinada a elasticidade da demanda dos passageiros em relação a variação das tarifas? Elasticidades: E = - (ΔD/D) / (ΔP/P) em geral varia de - 0,2 a - 0,4

6 6 ASPECTO SOCIAL – PASSAGEIROS IDOSOS NÃO PAGAM PASSAGEM

7 7 Exemplos das ESTRUTURAS BÁSICAS DE TARIFAS Tarifas Distância de Percurso Única Linear Múltipla Escalonada Aumento Global 6)Quais são os tipos de tarifas quando as mesmas são estabelecidas em função das distâncias?

8 8 C) ADMINISTRAÇÃO TARIFÁRIA -O Sistema Tarifário precisa ser prático quanto a sua implantação. Devem ter adequados:.Desempenho Operacional – ser bem aceito pelo pessoal de operação; ser adequado para uso em todos os veículos; p/todas as tarifas; p/situações de emergência..Economia e Manutenção – considerar todos os custos (capital, estoques, manutenção, disponibilidade pessoal), considerar vida útil e econômica dos veículos e equipamentos; efeitos de quebras em congestionamentos e velocidade dos veículos. 7) Cite algumas exigências quanto ao Sistema Tarifário, do ponto de vista de sua administração.

9 9 A tarifa é um ponto sensitivo de interação com os usuários devendo ser percebida como justa, honesta, razoável, equitativa e ser fácil de entender..Deve levar em conta características dos passageiros;.Devem haver inclusive previsões para indenizações por contusões, ou ferimentos que os TP causem aos usuários;.Segurança – caixas trancadas; inviolabilidade; classificadores e contadores; registros..Coleta de Dados – bilhetes oferecem maiores possibilidades – dados importantes por hora do dia; dia; tarifa paga; O/D..Minimizar Fraudes e Roubos – com 1 a 5% o projeto de equipamentos e checagem é considerado adequado. 8) Por que é importante o estudo da Interface entre os passageiros e a coleta de tarifas?

10 10 D) COLETA - Momento de pagamento e da viagem podem ou não coincidir. - Tipos:.Dinheiro..Bilhetes – simplificam pagamentos sobretudo em tarifas não inteiras; eliminam barreiras; no. pequeno de viagens permitidas nos bilhetes múltiplos (3;4;5) e validade para evitar que sejam entesourados ou revendidos. -Tipos de bilhetes:.Única viagem c/ ou sem restrição de tempo.Viagens múltiplas (datas registradas em cada viagem).Valor armazenado – tinta magnética.Para transferência – restrições de dia e hora.Passes – periódicos; permitem no. ilimitado de viagens, usado com identificação (foto).Cartões de crédito.Identificação Pessoal 9) Cite algumas formas de bilhetes utilizados nos Transportes Coletivos.

11 11

12 12 BILHETE ÚNICO - SP (2004)

13 13 BILHETES P/ O ÔNIBUS GNV – LIMA PERÚ

14 14 Exemplos de TEMPOS DE EMBARQUE POR PASSAGEIROS Segundos Ônibus c/ 2 funcionários Ônibus com 1 funcionário Sistema Europeu duas filas (tarifa única) Inglaterra fila única caixa de tarifas Inglaterra duas filas automático Inglaterra duas filas Máq. Auxiliar Inglaterra fila única sistema convencional

15 15 E) NÍVEL DE CONTROLE DA COLETA DAS TARIFAS -Nível – depende de avaliação econômica..Completo – utopia – checar cada entrada em tarifa única. - checar cada entrada e saída em tarifas por zonas ou distância..Parcial – checagem aleatórias nas saídas; checagem só em entradas..Sem Controle – checagem aleatória na linha (dentro do veículo) – multas = receitas perdidas. -Local – interceptação com pessoal e/ou máquinas. - Pré-uso – na entrada; em movimento; na saída. -Pós –uso – c/informações armazenadas nos bilhetes. -Meios – Pessoal – p/emergências mantendo senso de humanidade. Equipamentos – inspecionar; imprimir; validar ou cancelar bilhetes – barreiras. Próprios Passageiros – p/minimizar burlas e ter tarifas menores. Terminais – podem ser usados equipamentos mais sofisticados. No veículo – motorista, equipamentos, fiscais, cobradores. 11) Cite alguns meios de Controle da Coleta das Tarifas. 10)Quais os Níveis de Controle das Tarifas? Em que Locais o Controle pode ser efetuado?

16 16 F) DADOS OBTIDOS DAS TARIFAS -Obtidos na validação do bilhete – para passageiros e fiscais verificarem a validade do bilhete p/a viagem e para prover dados p/ajustes no cálculo tarifário e do dimensionamento da oferta de veículos. -Tipo de dados: linha, direção, dia, hora, O/D, tipo de serviço. -Processamento na entrada, em movimento, na saída. Tecnologia usada – impressão deve ser simples e confiável – longa duração. -Perfuração – leitura com foto célula -Condutor ótico –cores distintas – pode ter fraudes -Magnético – tinta a base de óxido magnético -Microprocessadores – controlam pela leitura de códigos -Microcomputadores – on-line com máquinas emissoras e de leitura/impressão nos bilhetes. 12) A Validação ou cancelamento das tarifas pode ser feita em que pontos da viagem? 13) Quais as tecnologias para processamento dos bilhetes tarifários?

17 17 G) BARREIRAS E CANCELAS -Usadas p/coleta das tarifas ->restritas aos terminais. - nos veículos podem trazer problemas de Segurança e Congestionamentos de Passageiros. -Catracas – prever aberturas adjacentes p/emergências. -Cancelas automáticas – acionadas pelos bilhetes. 14) Que outros mecanismos são utilizados além das catracas, no interior dos veículos para o Controle das Tarifas?

18 18 H) VENDAS - Pessoas – venda de passes. - Máquinas – descrever claramente a forma de uso. - Estabelecimentos Comerciais – bancas de jornal, bancos, padarias. -Pagamento – cheques, cartões, vale transporte. 15) Quais os processos de Venda de Passagens?

19 19 I)SISTEMA COMPLETO -Sistema de transportes <-- reflexo do Sistema Tarifário. -Equipamentos devem satisfazer os regulamentos e requisitos do sistema tarifário e não vice-versa. -Efeitos psicológicos sobre os usuários e na qualidade do sistema - >se possível menor controle. -Efeitos sobre a operação – espaço requerido, velocidade média. -Obtenção de dados estatísticos. -Flexibilidade p/acomodar mudanças nos regulamentos e estrutura. 16) Cite alguns efeitos das Tarifas sobre a Operação dos Coletivos.

20 20 J) FÓRMULAS - ELEMENTOS DE CÁLCULO Cálculos Simples CT = CFT + CVxKm = R CT =Custo mensal total CFT = Custo Fixo Total mensal CV = Custo Variável por quilômetro Km = Quilometragem percorrida mensalmente (por todos veículos) R = Receita total mensal R = T.PE T = tarifa PE = Número de passageiros mensais equivalentes (Obs. Cálculos válidos sem subsídios globais, só tarifas diferentes conforme o usuário) T = (CFT + CVxKm)/ PE /Km T = (CFT/Km + CV)/IPK Km = FOxPMM FO = Frota em operação PMM = Percurso médio mensal T = [CFT/(FOxPMM) + CV]/IPK T = (CFV/PMM + CV)/IPK CFV = Custo fixo mensal por veículo CFV/PMM = Custo fixo por km T= (CF+CV)/IPK - Para obter custos fixos e variáveis conhecer preços e gastos com diversos itens (podem ser usados parâmetros de gastos definidos por órgãos públicos – GEIPOT; ANTT; URBS) - Cálculo pode ser feito por linha, empresa ou por área de operação. - Órgão local deve pesquisar p/determinar custos e coeficientes de gastos e IPK

21 21 Empresas e poder público devem procurar reduzir custos: -Racionalizar pessoal -Reduzir consumo combustível (pavimentação; melhorias operacionais; motoristas treinados; renovação da frota, etc.) -Controle de pneus; peças; acessórios; coleta de informações, etc...

22 22 RENOVAÇÂO DA FROTA UM DOS ITENS QUE REDUZ CUSTOS

23 23 Q) EXEMPLO DA CÁLCULO TARIFÁRIO Segundo GEIPOT (Instruções Práticas de Cálculo das Tarifas de Ônibus Urbanos e 1994) –

24 24

25 25

26 26

27 27

28 28

29 29

30 30 Perguntas Finais 17)Descreva o sistema tarifário de sua cidade ou empresa, apresentando aspectos que poderão ser melhorados. 18)Com base nos coeficientes e parâmetros fornecidos pelo exemplo de cálculo tarifário, efetue um cálculo tarifário como exemplo; se possível utilize dados reais de sua cidade ou empresa. 19)Apresente comentários sobre a metodologia de cálculo tarifário proposta pelo GEIPOT e EBTU. Se possível faça comparações com as metodologias utilizadas em sua cidade e/ou empresa.

31 Final – VII - TARIFAS A) INTRODUÇÃO – SISTEMA DE TARIFAS COMPLETO; B) ESTRUTURA TARIFÁRIA; C) ADMINISTRAÇÃO TARIFÁRIA; D) COLETA DAS TARIFAS E DIREITO ÀS VIAGENS; E) NÍVEL DE CONTROLE DA COLETA DE TARIFAS; F) DADOS DE VALIDAÇÃO/CANCELAMENTO NA COLETAS DE TARIFAS; G) BARREIRAS E CANCELAS NA COLETA DAS TARIFAS; H) VENDAS E PAGAMENTOS NA COLETA DE TARIFAS; I) O SISTEMA COMPLETO DE TARIFAS; J) FÓRMULAS PARA CÁLCULOS TARIFÁRIOS; Q) EXEMPLO DE CÁLCULO TARIFÁRIO. 31 Obrigado pela Atenção!


Carregar ppt "1 VII – TARIFAS. 2 Índice A) INTRODUÇÃO – SISTEMA DE TARIFAS COMPLETO; B) ESTRUTURA TARIFÁRIA; C) ADMINISTRAÇÃO TARIFÁRIA; D) COLETA DAS TARIFAS E DIREITO."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google