A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

GILBERTO WAGECK AMATO Eng o. Quím., Magister Scientiae em Tecnologia de Alimentos Cuiabá, 25 de agosto de 2005.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "GILBERTO WAGECK AMATO Eng o. Quím., Magister Scientiae em Tecnologia de Alimentos Cuiabá, 25 de agosto de 2005."— Transcrição da apresentação:

1 GILBERTO WAGECK AMATO Eng o. Quím., Magister Scientiae em Tecnologia de Alimentos Cuiabá, 25 de agosto de 2005.

2 GILBERTO WAGECK AMATO Eng o. Quím., Magister Scientiae em Tecnologia de Alimentos FONTE:WAITRO 61 PAÍSES, 125 MEMBROS +500 INSTITUTOS TERMINOLOGIA: SUBPRODUTOS DO ARROZ DERIVADOS DO ARROZ

3 GILBERTO WAGECK AMATO Eng o. Quím., Magister Scientiae em Tecnologia de Alimentos A NECESSIDADE DE APROVEITAMENTO TOTAL DO ARROZ VIABILIDADE ECONÔMICA NA INDUSTRIALIZAÇÃO DE ARROZ DEPENDE DO APROVEITAMENTO MAIS AMPLO POSSÍVEL DA MATÉRIA-PRIMA VIABILIDADE ECONÔMICA NA INDUSTRIALIZAÇÃO DE ARROZ DEPENDE DO APROVEITAMENTO MAIS AMPLO POSSÍVEL DA MATÉRIA-PRIMA OTIMIZAÇÃO DO NEGÓCIO = MAXIMIZAR TODAS E CADA UMA DAS PARTES DO GRÃO OTIMIZAÇÃO DO NEGÓCIO = MAXIMIZAR TODAS E CADA UMA DAS PARTES DO GRÃO

4 GILBERTO WAGECK AMATO Eng o. Quím., Magister Scientiae em Tecnologia de Alimentos RENDIMENTO DE CAMPO (MUNDO)

5 GILBERTO WAGECK AMATO Eng o. Quím., Magister Scientiae em Tecnologia de Alimentos AUTO-SUFICIENCIA DEL MERCOSUR: ¿ UNA SOLUCIÓN O UN PROBLEMA ?

6 GILBERTO WAGECK AMATO Eng o. Quím., Magister Scientiae em Tecnologia de Alimentos ¿ COMO SER COMPETITIVO ?

7 GILBERTO WAGECK AMATO Eng o. Quím., Magister Scientiae em Tecnologia de Alimentos NO MUNDO GLOBALIZADO DO ARROZ: COMPETITIVIDADE = ATENÇÃO A FATORES COMO A ENERGIA E APROVEITAMENTO DE DERIVADOS: CASCACASCA CINZAS DE CASCA CINZAS DE CASCA FARELOFARELO QUIRERAQUIRERA

8 GILBERTO WAGECK AMATO Eng o. Quím., Magister Scientiae em Tecnologia de Alimentos MUNDO GLOBALIZADO CASCA (COMBUSTÃO, GASEIFICAÇÃO, CIMENTO, FURFURAL, PAPEL);CASCA (COMBUSTÃO, GASEIFICAÇÃO, CIMENTO, FURFURAL, PAPEL); CINZAS DE CASCA (CERÂMICA, CHIP PARA COMPUTADOR)CINZAS DE CASCA (CERÂMICA, CHIP PARA COMPUTADOR) FARELO (ÓLEO, RAÇÃO, INSUMO PARA MINERAÇÃO);FARELO (ÓLEO, RAÇÃO, INSUMO PARA MINERAÇÃO); QUIRERA (FARINHAS, AMIDO PRÉ- COZIDO, FILTRADO A.P.I.QUIRERA (FARINHAS, AMIDO PRÉ- COZIDO, FILTRADO A.P.I.

9 GILBERTO WAGECK AMATO Eng o. Quím., Magister Scientiae em Tecnologia de Alimentos QUIMURGIA 1970 INSUMO-PRODUTOINSUMO-PRODUTO RESÍDUO DE UMA ATIVIDADE = INSUMO PARA OUTRA EVOLUÇÃO DAS PREOCUPAÇÕES DÉCADA DE 1970 = AUMENTAR A MARGEM DE LUCRODÉCADA DE 1970 = AUMENTAR A MARGEM DE LUCRO HOJE = SOBREVIVÊNCIA!HOJE = SOBREVIVÊNCIA!

10 GILBERTO WAGECK AMATO Eng o. Quím., Magister Scientiae em Tecnologia de Alimentos 3 CASES: CASE 1 - GANHANDO COM A PARBOILIZAÇÃO CASE 2 - DEIXANDO DE PERDER COM A CASCA CASE 3 – O SUCESO EM TREINTA Y TRÉS

11 GILBERTO WAGECK AMATO Eng o. Quím., Magister Scientiae em Tecnologia de Alimentos CASE 1 – GANHANDO COM A PARBOILIZAÇÃO

12 GILBERTO WAGECK AMATO Eng o. Quím., Magister Scientiae em Tecnologia de Alimentos CASE 1 - GANHANDO COM A PARBOILIZAÇÃO OTIMIZAÇÃO DE CADA CAMADA TECNOLÓGICAOTIMIZAÇÃO DE CADA CAMADA TECNOLÓGICA CASCA – DIPONÍVEL DE ACORDO COM A NECESIDADECASCA – DIPONÍVEL DE ACORDO COM A NECESIDADE FARELO – PARTE EMBUTIDA NO PRODUTO FINALFARELO – PARTE EMBUTIDA NO PRODUTO FINAL GRÃO POLIDO – MAIS INTEIROSGRÃO POLIDO – MAIS INTEIROS

13 GILBERTO WAGECK AMATO Eng o. Quím., Magister Scientiae em Tecnologia de Alimentos RENDA E RENDIMENTO RENDIMENTO MÉDIO NACIONAL VIGENTE DE 40:28RENDIMENTO MÉDIO NACIONAL VIGENTE DE 40:28 OBJETIVO DE OBTER GRÃOS INTEIROS = FRACASSOOBJETIVO DE OBTER GRÃOS INTEIROS = FRACASSO 40% DE EFICÁCIA40% DE EFICÁCIA 60% DE DESPERDÍCIO60% DE DESPERDÍCIO

14 GILBERTO WAGECK AMATO Eng o. Quím., Magister Scientiae em Tecnologia de Alimentos A VISÃO HOLÍSTICA DO GRÃO DE ARROZ 100 kg DE ARROZ EM CASCA OBTÉM-SE APENAS 40 kg DE GRÃOS INTEIROS RENDIMENTO MÉDIO BRASILEIRO 22% DE CASCA 10% DE FARELO RESTA 68% 28% DE QUEBRADOS 40% GRÃOS INTEIROS DESPERDÍCIO = 60% (SEQUEIRO = EXCESSO DE QUEBRADOS )

15 GILBERTO WAGECK AMATO Eng o. Quím., Magister Scientiae em Tecnologia de Alimentos DADOS BRASILEIROS PARBOILIZAÇÃO = MELHOR MODO DE APROVEITAR OS REJEITOSPARBOILIZAÇÃO = MELHOR MODO DE APROVEITAR OS REJEITOS FARELO: 10% PARA 6% AUMENTO DE INTEIROS: 40% PARA 70%AUMENTO DE INTEIROS: 40% PARA 70% GRÃO INTEIRO: MAIOR VALOR AGREGADO QUE FARELO E QUIRERA

16 GILBERTO WAGECK AMATO Eng o. Quím., Magister Scientiae em Tecnologia de Alimentos PARBOILIZADO: ESTABILIZAÇÃOESTABILIZAÇÃO EXTERMÍNIO DE MICRORGANISMOS E INSETOSEXTERMÍNIO DE MICRORGANISMOS E INSETOS MAIS ALIMENTO, MAIS SAUDÁVEL, DISPONÍVEL POR MAIS TEMPOMAIS ALIMENTO, MAIS SAUDÁVEL, DISPONÍVEL POR MAIS TEMPO

17 GILBERTO WAGECK AMATO Eng o. Quím., Magister Scientiae em Tecnologia de Alimentos $$$.$$$.$$$,$$

18 GILBERTO WAGECK AMATO Eng o. Quím., Magister Scientiae em Tecnologia de Alimentos BALANÇO DA PARBOILIZAÇÃO DESVANTAGEM ACRÉSCIMO DE INVESTIMENTO E CUSTO OPERACIONALACRÉSCIMO DE INVESTIMENTO E CUSTO OPERACIONAL PREÇO PARA O CONSUMIDORPREÇO PARA O CONSUMIDORVANTAGEM MAIS INTEIROSMAIS INTEIROS MAIS MASSAMAIS MASSA ESTABILIZADOESTABILIZADO QUALIDADE NUTRICIONAL SUPERIORQUALIDADE NUTRICIONAL SUPERIOR

19 GILBERTO WAGECK AMATO Eng o. Quím., Magister Scientiae em Tecnologia de Alimentos ECOLOGICAMENTE CORRETO MENOR AGRESSÃO AO AMBIENTE PRODUÇÃO VIRTUALPRODUÇÃO VIRTUAL MENOS INSUMOS AGRÍCOLAS CORRETIVOSCORRETIVOS FERTILIZANTESFERTILIZANTES PESTICIDASPESTICIDAS ÁGUAÁGUA

20 GILBERTO WAGECK AMATO Eng o. Quím., Magister Scientiae em Tecnologia de Alimentos CASE 2 - DEIXANDO DE PERDER COM A CASCA

21 GILBERTO WAGECK AMATO Eng o. Quím., Magister Scientiae em Tecnologia de Alimentos CASCA ARROZ = PRODUTO SAZONAL CASCA = DISPONIBILIZADA HOMOGENEAMENTE DURANTE O ANO DISTÂNCIA ZERO DA DEMANDA POR ENERGIA

22 GILBERTO WAGECK AMATO Eng o. Quím., Magister Scientiae em Tecnologia de Alimentos CASCA IMPORTÂNCIA ESTRATÉGICA DIESEL DIESEL (1892 (1892 !): PRECONIZAVA A INDEPENDÊNCIA DE COMBUSTÍVEL NA AGROINDÚSTRIA CASCA - TRANSFORMA A UTOPIA DE DIESEL EM REALIDADE! RUDOLPH CHRISTIAN CARL DIESEL DIESEL ( )

23 GILBERTO WAGECK AMATO Eng o. Quím., Magister Scientiae em Tecnologia de Alimentos A ENERGIA DA CASCA VEM DO SOL O SOL SÓ VAI DURAR MAIS 4,5 BILHÕES DE ANOS ! REAÇÃO DA FOTOSSÍNTESE 6 CO H 2 O C 6 H 12 O O 2 + G (625 kcal/mol) O BRASIL É O PARAÍSO DA FOTOSSÍNTESE !

24 GILBERTO WAGECK AMATO Eng o. Quím., Magister Scientiae em Tecnologia de Alimentos A ENERGIA DA CASCA VEM DO SOL O SOL SÓ VAI DURAR MAIS 4,5 BILHÕES DE ANOS ! EQUIVALÊNCIA COMO COMBUSTÍVEL PODER CALORÍFICO INFERIOR (P.C.I.) = kcal/kg 500 kg = 1 B.E.P. DENSIDADE APARENTE = 0,12 a 0,14

25 GILBERTO WAGECK AMATO Eng o. Quím., Magister Scientiae em Tecnologia de Alimentos A IMPORTÂNCIA ESTRATÉGICA DA CASCA SÉCULO XXI COMANDO DO DESENVOLVIMENTO DESLOCANDOCOMANDO DO DESENVOLVIMENTO DESLOCANDO DA ECONOMIA PARA O BINÔMIO ECOLOGIA-ENERGIA DA ECONOMIA PARA O BINÔMIO ECOLOGIA-ENERGIA

26 GILBERTO WAGECK AMATO Eng o. Quím., Magister Scientiae em Tecnologia de Alimentos A DISPONIBILIDADE DE ENERGIA NO MUNDO PETRÓLEO IMPULSIONA A ECONOMIA MUNDIALIMPULSIONA A ECONOMIA MUNDIAL CAPILARIDADECAPILARIDADE RESERVAS = 1 TRILHÃO DE B.E.P.RESERVAS = 1 TRILHÃO DE B.E.P. (1 BARRIL DE PETRÓLEO = 159 LITROS = 138 kg)

27 GILBERTO WAGECK AMATO Eng o. Quím., Magister Scientiae em Tecnologia de Alimentos O CONSUMO DE ENERGIA NO MUNDO CONSUMO DIÁRIO DE 70 MILHÕES DE B.E.P.CONSUMO DIÁRIO DE 70 MILHÕES DE B.E.P. PETRÓLEO PARA OS PRÓXIMOS 40 ANOSPETRÓLEO PARA OS PRÓXIMOS 40 ANOS EUA = CONSUMIDOR DE 27%EUA = CONSUMIDOR DE 27% BRASIL < 2%BRASIL < 2%

28 GILBERTO WAGECK AMATO Eng o. Quím., Magister Scientiae em Tecnologia de Alimentos SOL = BASE DA ENERGIA RENOVÁVEL LENHALENHA ÁLCOOLÁLCOOL HIDRÁULICAHIDRÁULICA EÓLICAEÓLICA

29 GILBERTO WAGECK AMATO Eng o. Quím., Magister Scientiae em Tecnologia de Alimentos BIOMASSAS = FOTOSSÍNTESE IDEM ENERGIAS FÓSSEIS CARVÃOCARVÃO PETRÓLEOPETRÓLEO XISTOXISTO TURFATURFA

30 GILBERTO WAGECK AMATO Eng o. Quím., Magister Scientiae em Tecnologia de Alimentos CASCA: EQUIVALÊNCIA EM B.E.P.

31 GILBERTO WAGECK AMATO Eng o. Quím., Magister Scientiae em Tecnologia de Alimentos PAÍS CASCA (Tx 10 6 ) T.E.P. (10 6 ) CHINA41,182,2 ÍNDIA27,454,8 INDONÉSIA11,723,4 BANGLADESH8,316,6 VIETNAM7,815,6 TAILÂNDIA5,511,0 MYANMAR5,110,2 FILIPINAS3,16,2 BRASIL2,95,8 JAPÃO2,55,0

32 GILBERTO WAGECK AMATO Eng o. Quím., Magister Scientiae em Tecnologia de Alimentos $$$.$$$.$$$,$$

33 GILBERTO WAGECK AMATO Eng o. Quím., Magister Scientiae em Tecnologia de Alimentos MT: FUTURO PRÓXIMO BASE: 2.5 MILHÕES DE CASCA, US$100/BEP

34 GILBERTO WAGECK AMATO Eng o. Quím., Magister Scientiae em Tecnologia de Alimentos CASE 3 – O SUCESO EM TREINTA Y TRÉS

35 GILBERTO WAGECK AMATO Eng o. Quím., Magister Scientiae em Tecnologia de Alimentos

36 GILBERTO WAGECK AMATO Eng o. Quím., Magister Scientiae em Tecnologia de Alimentos ARROZUR S.A. = SAMAN + CASARONE + COPAR+ ARROZAL 33 + PROCIPA SLP – 5 EMPRESAS + ALGUMAS SATÉLITES FINALIDADE: EXPORTAÇÃO DE ARROZ PARBOILIZADO E ÓLEO DE ARROZ ARROZUR S.A. = SAMAN + CASARONE + COPAR+ ARROZAL 33 + PROCIPA SLP – 5 EMPRESAS + ALGUMAS SATÉLITES FINALIDADE: EXPORTAÇÃO DE ARROZ PARBOILIZADO E ÓLEO DE ARROZ

37 GILBERTO WAGECK AMATO Eng o. Quím., Magister Scientiae em Tecnologia de Alimentos CONSUMO DE CASCA = TON. - MENOS ENERGIA ELÉTRICA - ADQUISIÇÃO DE ENGENHOS VIZINHOS PESSOAL DIRETO ARROZUR = 108 PATRIMONIO = US$ 9 MILHÕES ENTRE AS DUAS PLANTAS CONSUMO DE CASCA = TON. - MENOS ENERGIA ELÉTRICA - ADQUISIÇÃO DE ENGENHOS VIZINHOS PESSOAL DIRETO ARROZUR = 108 PATRIMONIO = US$ 9 MILHÕES ENTRE AS DUAS PLANTAS ARROZUR S.A. =

38 GILBERTO WAGECK AMATO Eng o. Quím., Magister Scientiae em Tecnologia de Alimentos PARBOILIZADO 27 ANOS · CADA UM COMERCIALIZA COM A SUA MARCA · FORNECEM MATÉRIA-PRIMA E RETIRAM O ARROZ BENEFICIADO EM FUNÇÃO DO CAPITAL ACIONÁRIO (MP = SÓ EL PASO 144)

39 GILBERTO WAGECK AMATO Eng o. Quím., Magister Scientiae em Tecnologia de Alimentos PARBOILIZADO MARCAS: CINCO ENGENHOS DADOS ANUAIS ( CAP. INSTALADA ) PRODUÇÃO = 9,5 T DE PARBOIL CONSUMO DE AGUA = 200 MIL M 3 CONSUME ANUAL DE MP = T RESULTADO = , T

40 GILBERTO WAGECK AMATO Eng o. Quím., Magister Scientiae em Tecnologia de Alimentos FARELO = ÓLEO + RAÇÕES 2 MARCAS: ARROZUR E BLUE PATNA APELO: CONTÉM GAMAORIZANOL (DISMINUI COLESTEROL; RICO EM VIT. E)

41 GILBERTO WAGECK AMATO Eng o. Quím., Magister Scientiae em Tecnologia de Alimentos SUBPRODUTOS: FARELO FARELO DO ARROZ PARBOILIZADO: CERCA DE 6% DA MASSA TOTALCERCA DE 6% DA MASSA TOTAL (BASE ARROZ EM CASCA) 9% DA PARTE ALIMENTÍCIA DO GRÃO9% DA PARTE ALIMENTÍCIA DO GRÃO DESTAQUE EUA NA DÉCADA DE 1980 = DESTAQUE EUA NA DÉCADA DE 1980 = MANIA DO FARELO (BRAN-O-MANIA)

42 GILBERTO WAGECK AMATO Eng o. Quím., Magister Scientiae em Tecnologia de Alimentos PROFESSOR SALVADOR BARBER: O PRINCIPAL PROBLEMA PARA O APROVEITAMENTO ECONÔMICO DO FARELO DO ARROZ É QUE É VISTO COMO REJEITO É UM PROBLEMA CULTURAL! É UM PROBLEMA CULTURAL!

43 GILBERTO WAGECK AMATO Eng o. Quím., Magister Scientiae em Tecnologia de Alimentos ÓLEO DE ARROZ 10 ANOS T DE FARELO (16-17% DE GORDURA) = T DE ÓLEO BRUTO = T DE ÓLEO REFINADO

44 GILBERTO WAGECK AMATO Eng o. Quím., Magister Scientiae em Tecnologia de Alimentos A VISÃO HOLÍSTICA DO GRÃO DE ARROZ (COMO NÃO PRESCINDIR DE 1/3 DA MATÉRIA-PRIMA ORIGINAL?) OTIMIZAÇÃO = MAXIMIZAR O TODO E CADA UMA DAS PARTES GADO: DEVE-SE APROVEITAR ATÉ O BERRO PARA FAZER BUZINA!.

45 GILBERTO WAGECK AMATO Eng o. Quím., Magister Scientiae em Tecnologia de Alimentos $$$.$$$.$$$,$$

46 GILBERTO WAGECK AMATO Eng o. Quím., Magister Scientiae em Tecnologia de Alimentos

47 GILBERTO WAGECK AMATO Eng o. Quím., Magister Scientiae em Tecnologia de Alimentos

48 GILBERTO WAGECK AMATO Eng o. Quím., Magister Scientiae em Tecnologia de Alimentos SLIDESEXTRAS(DEBATES)

49 GILBERTO WAGECK AMATO Eng o. Quím., Magister Scientiae em Tecnologia de Alimentos USO NA INDÚSTRIA CIMENTEIRA DUPLA FINALIDADE: ENERGIA PARA DESCARBONATAÇÃO DO CALCÁRIOENERGIA PARA DESCARBONATAÇÃO DO CALCÁRIO RESÍDUO = ATIVIDADE POZZOLÂNICA RESÍDUO = ATIVIDADE POZZOLÂNICA (REAÇÃO COM O CÁLCIO)

50 GILBERTO WAGECK AMATO Eng o. Quím., Magister Scientiae em Tecnologia de Alimentos CAMADAS TECNOLÓGICAS GERME 50% DE TIAMINA (B1) 30% DE RIBOFLAVINA 30% DE NIACINA ALEURONA 50% DE NIACINA 35% DE RIBOFLAVINA 30% TIAMINA ENDOSPERMA < 1/3 DAS VIT. COMPLEXO B

51 GILBERTO WAGECK AMATO Eng o. Quím., Magister Scientiae em Tecnologia de Alimentos COMPOSIÇÃO DE FARELO DE ARRROZ PARBOILIZADO (DE BAIXO GRAU DE ELABORAÇÃO COMPOSIÇÃO DE FARELO DE ARRROZ PARBOILIZADO (DE BAIXO GRAU DE ELABORAÇÃO ) VCT, kcal/100g 9,2 9,2Umidade,% 8,7 8,7Cinzas,% 42,6 42,6Glicídios,% 25,5 25,5Lipídios,% 14,0 14,0 Protídios, % CONCENTRAÇÃOCONSTITUINTE Fonte: CIENTEC, Laudo da ABIAP, publicação autorizada. Fonte: CIENTEC, Laudo da ABIAP, publicação autorizada.

52 GILBERTO WAGECK AMATO Eng o. Quím., Magister Scientiae em Tecnologia de Alimentos COMENTÁRIOS TEORES DE GORDURAS, PROTEÍNAS E CINZAS ELEVADOS EX. FARELO GORDO: LIPÍDIOS = 26,0% (BR-IRGA-410) DADOS PROFESSOR DR. BOHR LUH (CALIFÓRNIA) NO III ENCONTRO DO ARROZ PARBOILIZADO (POA, 1986): COMPOSIÇÃO DO FARELO 20 a 28% parboilizado 16 a 18% arroz comum LipídiosSubgrupo

53 GILBERTO WAGECK AMATO Eng o. Quím., Magister Scientiae em Tecnologia de Alimentos A BIODISPONIBILIDADE ESTABILIDADE ENZIMÁTICA: GORDURAS E AS ENZIMAS LIPOLÍTICAS ESTÃO CONCENTRADAS NA INTERFACE ENTRE A CASCA E O ENDOSPERMA AMILÁCEO GORDURAS E AS ENZIMAS LIPOLÍTICAS ESTÃO CONCENTRADAS NA INTERFACE ENTRE A CASCA E O ENDOSPERMA AMILÁCEO NO DESCASCAMENTO DO ARROZ COMUM OCORRE A INTERAÇÃO DESSES DOIS REAGENTES O INÍCIO DO PROCESSO DEGRADATIVO O RESULTADO É O RANÇO NO DESCASCAMENTO DO ARROZ COMUM OCORRE A INTERAÇÃO DESSES DOIS REAGENTES O INÍCIO DO PROCESSO DEGRADATIVO O RESULTADO É O RANÇO

54 GILBERTO WAGECK AMATO Eng o. Quím., Magister Scientiae em Tecnologia de Alimentos AGL (ÁCIDOS GRAXOS LIVRES ) & RANÇO NA BIOQUÍMICA ESTA É CONSIDERADA UMA DAS REAÇÕES MAIS RÁPIDAS DE DEGRADAÇÃO NA BIOQUÍMICA ESTA É CONSIDERADA UMA DAS REAÇÕES MAIS RÁPIDAS DE DEGRADAÇÃO VELOCIDADE INICIAL FORMAÇÃO DE 1% DE AGL/H VELOCIDADE INICIAL FORMAÇÃO DE 1% DE AGL/H APÓS UM MÊS 60% DE AGL APÓS UM MÊS 60% DE AGL AGL: PREJUÍZO NA PALATABILIDADE DIFICULDADE DE DIGESTÃO E ASSIMILAÇÃO AGL: PREJUÍZO NA PALATABILIDADE DIFICULDADE DE DIGESTÃO E ASSIMILAÇÃO

55 GILBERTO WAGECK AMATO Eng o. Quím., Magister Scientiae em Tecnologia de Alimentos O TEMPO & A TEMPERATURANA PARBOILIZAÇÃO SÃO SUFICIENTES PARA: DESTRUIÇÃO TÉRMICA DAS ENZIMAS DESTRUIÇÃO TÉRMICA DAS ENZIMAS (COMO A LIPASE) ELIMINAÇÃO DE INSETOS GORGULHO ESTERILIZAÇÃO DOS MICRORGANISMOS ESTERILIZAÇÃO DOS MICRORGANISMOS PROCESSOS QUE UTILIZAM VAPOR SÃO MAIS EFETIVOS (CALOR ÚMIDO) RESULTADO AUMENTO DA BIODISPONIBILIDADE

56 GILBERTO WAGECK AMATO Eng o. Quím., Magister Scientiae em Tecnologia de Alimentos COMPOSIÇÃO DA CASCA DE CEREAIS CEREAL% CINZAS% SiO 2 CEVADA 6,065,8 AVEIA 5,268,0 ARROZ 22,695,8

57 GILBERTO WAGECK AMATO Eng o. Quím., Magister Scientiae em Tecnologia de Alimentos


Carregar ppt "GILBERTO WAGECK AMATO Eng o. Quím., Magister Scientiae em Tecnologia de Alimentos Cuiabá, 25 de agosto de 2005."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google