A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

ST 537 GEOLOGIA APLICADA Prof. Hiroshi Paulo Yoshizane Site: IDENTIFICAÇÃO DAS.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "ST 537 GEOLOGIA APLICADA Prof. Hiroshi Paulo Yoshizane Site: IDENTIFICAÇÃO DAS."— Transcrição da apresentação:

1 ST 537 GEOLOGIA APLICADA Prof. Hiroshi Paulo Yoshizane Site: IDENTIFICAÇÃO DAS PRINCIPAIS ROCHAS FACULDADE DE TECNOLOGIA CAMPUS 1 – Limeira - SP.

2 UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS DTCC – DIVISÃO TENOLÓGICA DE CONSTRUÇÃO CIVIL DTSA – DIVISÃO TECNOLÓGICA DE SANEAMENTO R. Paschoal Marmo, CEP: Jd. Nova Itália - Limeira, SP Contato: (19) / ou Limeira, SP. - Brasil CEP , CAMPINAS, SP. BRASIL

3 PRINCIPAIS ROCHAS 1- COMO IDENTIFICAR: PELA ESTRUTURA – PELA GRANULAÇÃO

4 IDENTIFICAÇÃO PELA ESTRUTURA VER SE É: 1 - MACIÇA 2 - EM CAMADAS 3 - EM PLANOS COM MINERAIS ORIENTADOS

5 - HÁ CONDIÇÕES DE ENXERGAR ! IDENTIFICAÇÃO PELA GRANULAÇÃO SE SIM : GRANULAÇÃO GROSSEIRA A POUCO GROSSEIRA SE SIM : GRANULAÇÃO GROSSEIRA A POUCO GROSSEIRA SE NÃO : GRANULAÇÃO FINA A FINÍSSIMA SE NÃO : GRANULAÇÃO FINA A FINÍSSIMA ¨ OS CRISTAIS PRESENTES ¨

6 PRINCIPAIS ROCHAS AGRUPAR : GRUPO I GRUPO II GRUPO III GRUPO IV

7 GRUPO I 1- Rochas com estrutura maciça, 2- Granulação finíssima, 3- Não se observam minerais, 4- Sem orientação preferencial.

8 GRUPO I VER QUANTO A DUREZA SEGUINDO OS PASSOS SE FOR RISCÁVEL COM A UNHA DescriçãoComposiçãoRochaorigem Cheiro de moringa quando molhada, Macia ao tato, Não efervesce aplicando H Cl. argilaargilitosedimentar

9 GRUPO I SE FOR RISCÁVEL COM LÂMINA DE AÇO DescriçãoComposiçãoRochaOrigem Cheiro de moringa quando molhada, Não efervesce com H Cl. Mica QuartzoArdósiaMetamórfica Cheiro de argila ausente ou fraco, Forte efervescência com H Cl, Cores diversas (variegada). CalcitaCalcário Sedimentar Cheiro de argila ausente ou fraco, Cores diversas (variegada), Efervescência com H Cl quando quente. DolomitaDolomitoSedimentar

10 MICA

11 QUARTZO

12 ARDÓSIA

13 CALCITA

14 CALCARIO

15 DOLOMITA

16 DOLOMITO

17 GRUPO I DIFÍCIL OU NÃO RISCÁVEL OU COM LÂMINA DE AÇO DescriçãoComposiçãoRochaOrigem Muito dura, Sem cheiro de argila, Não efervesce com H Cl. CalcedôniaSílexSedimentar Densidade alta, Não efervesce com H Cl, Cores: Preta, marrom, verde escuro. Feldspato e Piroxênio Basalto Magmática Duras e maciço, Risca o vidro, Tem colorações: Róseas, brancas, cor palha QuartzoQuartzitoMetamórfica

18 CALCEDONIA

19 SILEX

20 FELDSPATO

21 PIROXENIO

22 BASALTO

23 QUARTZITO

24 GRUPO II 1- Rochas com estrutura maciça, 2- Granulação grossa a média, 3- Observam-se cristais de minerais, 4- Não tem orientação preferencial.

25 GRUPO II VER QUANTO A DUREZA SEGUINDO OS PASSOS FÁCILMENTE RISCÁVEL COM LÂMINA DE AÇO DescriçãoComposiçãoRochaorigem Granulação fina a grossa, Coloração variegada, Efervesce aplicando H Cl quente. DolomitaDolomito Sedimentar metamórfica Granulação fina a grossa, Coloração variegada, Efervesce aplicando H Cl. CalcitaCalcário Sedimentar metamórfica

26 GRUPO II DIFÍCIL OU NÃO RISCÁVEL OU COM LÂMINA DE AÇO DescriçãoComposiçãoRochaOrigem Cores claras, com tons róseos e cinzas. Quartzo comum. Granulação minúscula. Quartzos, Feldspatos, Micas. GranitoMagmática Cores claras, com tons róseos e cinzas. Quartzo comum. Granulação muito fina. Quartzos, Feldspatos, Micas. AplitoMagmática Cores escuras. Granulação minúscula. Feldspatos, Piroxênio Gabro Magmática Cores escuras. Granulação minúscula a fina. Feldspatos, Piroxênio Diabásio Magmática Textura dos minerais com tamanhos semelhantes PARTE 1

27 GRANITO

28 APLITO

29 GABRO

30 DIABASIO

31 GRUPO II DIFÍCIL OU NÃO RISCÁVEL OU COM LÂMINA DE AÇO DescriçãoComposiçãoRochaOrigem Cores claras, Granulação minúscula superior. Nefelina, Feldspatos, Nefelina- sienito Magmática Cores claras variegadas, Risca o vidro, Formação fragmentada. Quartzo Quartzito Arenito-sili- cificado Magmática Sedimentar Cores escuras. Esverdeadas e pretas Anfibólios Anfibolito Metamórfica Textura dos minerais com tamanhos semelhantes PARTE 2

32 NEFELINA – FELDSPATOIDES-SIENITOS

33 ARENITO

34 ANFIBOLIO

35 GRUPO II DIFÍCIL OU NÃO RISCÁVEL OU COM LÂMINA DE AÇO DescriçãoComposiçãoRochaOrigem Cores claras. Feldspatos, Quartzo-micáceos. Granitos ácidos Magmática Cores escuras. Feldspatos e Piroxênios Basalto (básicas) Magmática Cores mediana-escuras. Feldspatos fêmicos (sem quartzo) Nefelina- sienitos (alcalinas) Magmática Textura dos minerais com tamanhos variados e diferentes

36 Quartzito micaceo

37 FELDSPATOS FEMICOS - sem quartzo

38 GRUPO III - Rochas com orientações em planos ou lineares. - Rochas com estrutura gnaissicas ou xistosas

39 GRUPO III DescriçãoComposiçãoRochaOrigem Cores claras, Granulação grossa a média, Grandes cristais de feldspato, Cores variegadas, Riscável por lâmina de aço, Minerais placóides de mica. Quartzos, Feldspatos (Fêmicos), Micas GnaisseMetamórfica Cores claras a média. Ao tato, macio de moringa molhada. Cor cinza-esverdeada. Quartzos, Sericitas Filito (xisto) Metamórfica Cores claras, branca ou palha, Granulação média a finíssima, Fragmentáveis em placas, Risca o vidro, Às vezes, com presença de micas. Quartzo (Mica) Quartzito (micáceo) Metamórfica Cor cinza, média a escura. Fragmentáveis em placas MicaArdósia Metamórfica

40 GNAISSE Gnaisse

41 FILITO-SERICITA ( QUARTZO )

42 XISTO - FILITO

43 Quartzito micaceo

44 ARDÓSIA

45 GRUPO IV ROCHAS COM CAMADAS QUASE HORIZONTAL, ESTRATIFICADAS, CLÁSTICAS, ( Rochas com pedaços de outras rochas mais antigas ) GRANULAÇÃO VARIÁVEL. FRIÁVEIS ( maciços deformáveis sem muita força mecânica-destorroável).

46 GRUPO IV DescriçãoComposiçãoRochaOrigem Fragmentos ou seixos de tamanho maior que 2mm, semi-arredondados, cimentados por limonitas e argila. Cascalhos e material cimentante Conglomerado Sedimentar Fragmentos ou seixos maiores que 2mm, em fragmentos angulares, ligados por material cimentante. Fragmentos e material cimentante BrechaSedimentar Grãos semi-arrendondados, por vezes angulosos, com tamanho entre 2mm e 0,1mm (visíveis a olho nu). Cor variada, às vezes estratificada, áspera ao tato. Areia grossa e Areia média Arenito Sedimentar PARTE 1

47 CONGLOMERADO

48 BRECHA

49 ARENITO

50 GRUPO IV DescriçãoComposiçãoRochaOrigem Grãos semi-arrendondados, às vezes angulores, com grãos entre 0,1mm e 0,01mm, friáveis, ásperas ao tato, Dificilmente distinguíveis a olho nu. É a transição entre arenito e argilito. Silte Siltito Sedimentar Cheiro de moringa, quando molhada, Ao tato apresenta-se bem macia, Não efervesce com H Cl, Cores variadas e diversas. Argila FolhelhoSedimentar Cheiro de argila ausente a fraco, Forte efervescência com H Cl, Cores variadas e diversas. Calcita Calcário Sedimentar Odor de argila ausente ou fraco. Efervescente em H Cl, quando quente Dolomita Dolomito Sedimentar PARTE 2

51 SILTITO

52 ARGILITO - folhelho

53 CALCARIO

54 DOLOMITO

55 ROCHAS MAGMÁTICA 1. A estrutura é maciça e compacta, 2. A dureza é de média a elevada, 3. No campo, a cor é homogênea. RESUMO GERAL PARA IDENTIFICAÇÃO MACROSCÓPICA DO TIPO DA ROCHA

56 ROCHAS SEDIMENTARES 1. A estrutura é em camadas, 2. A dureza baixa, 3. No campo, a cor varia tanto no sentido horizontal como na vertical. 4. As estruturas típicamente se mostram: - Estratificação cruzada, - Marcas de ondas, de animais, de chuva, do gelo, - Fossilizações. RESUMO GERAL PARA IDENTIFICAÇÃO MACROSCÓPICA DO TIPO DA ROCHA

57 ROCHAS METAMÓRFICAS 1. A estrutura é orientada e há um paralelismo dos minerais. 2. A dureza é de média a elevada, exceto nas micáceas e nas carbonatadas. 3. No campo, a cor varia como nas sedimentares. RESUMO GERAL PARA IDENTIFICAÇÃO MACROSCÓPICA DO TIPO DA ROCHA

58 1. COR: Deve ser referenciada ; 2. GRANULAÇÃO: É muito importante reconhecer se é : - muito grossa, - grossa, - média, - fina ou finíssima; ROTEIRO PARA IDENTIFICAÇÃO

59 3. DUREZA: A avaliação feita com base em: - riscável pela unha ? - facilmente por uma lâmina de aço ? - e dificilmente pelo canivete ? ROTEIRO PARA IDENTIFICAÇÃO

60 4. ESTRUTURA: Em: - maciça, - orientada ou estratificada; ROTEIRO PARA IDENTIFICAÇÃO

61 5. MINERAIS PRESENTES: -É o ponto crucial no trabalho: Requer e exige um bom conhecimento do identificador; ROTEIRO PARA IDENTIFICAÇÃO

62 ROCHAS METAMÓRFICAS RESULTAM DA: - Transformação de outras rochas consolidadas e sedimentos intemperizados, que sofreram alterações pela ação dos agentes metamorfizantes como: - Temperatura, - Pressão, - Fluidos (água) - Tempo geológico. Ex.: Mármore, Gnaisse, Arenito, Argilito, Siltito

63 TEMPERATURA: Provoca alterações mineralógicas: - Crescimento de cristais e - Recristalização, - Texturais. AGENTES

64 PRESSÃO : - Dois tipos: 1-LITOSTÁTICA: Atua de forma uniforme alterando a mineralogia das rochas, pela compressão nos seus átomos e ions, formando minerais com estruturas cristalinas mais compactas, diminuindo o volume das rochas e tornando-as mais densas; 2- LITOSTÁTICA: Atua de forma direcionada, associada ao movimentos tectônicos (compressivas, distensivas e de cisalhantes, alterando a textura das rochas desenvolvendo as foliações. ( foliações é :.....! ) AGENTES

65 Ação de tensões não litostáticas, que manifestam nas estruturas planares: Clivagem ardosífera-xistenta : É uma foliação de baixo grau de metamorfismo, Xistosidade : É uma foliação de médio a alto grau de metamorfismo, Bandado gnáissico : É uma foliação de elevado grau de metamorfismo. Importante saber que é critério fundamental na classificação das rochas metamórficas, que levam para as categorias de acordo com a sua textura em: rochas foliadas : xisto argiloso, ardósia, filito, xisto ou micaxisto e gnaisse; rochas não foliadas : corneana, quartzito e mármore. FOLIAÇÃO

66 - fluidos : Através da circulação e pelo efeito da sua pressão, provocam alterações na composição química e mineralógica das rochas que induzem a uma recristalização. - tempo geológico : Os processos metamórficos são lentos e é um dos fatores importantes na metamorfização das rochas. AGENTES

67 TIPO DE METAMORFISMO O predomínio e a intensidade de um ou mais dos agentes de metamorfismo define o tipos de metamorfismo. Para classificar o metamorfismo é importante considerar a extensão da área atingida.

68 Metamorfismo local : É bastante localizado; Metamorfismo de contacto : Está associado a intrusões magmáticas ocorrendo no limite entre o magma e as rochas encaixantes; Os fatores de metamorfismo predominantes: Temperatura e a circulação de fluidos; Zona de contacto; Auréola metamórfica, Distância à intrusão. EXTENSÃO - LOCAL

69 Abrange áreas extensas da crosta terrestre; É desencadeado pela ação predominante de tensões litostáticas e não litostáticas, moderadas a altas; A ação das temperaturas, são de moderadas a altas, e a circulação de fluidos conforme os movimentos tectônicos. EXTENSÃO - REGIONAL

70 Metamorfismo Regional Interagem sob pressão Não litostáticas e Temperaturas elevadas e abrangem grandes áreas Metamorfismo de contato Interagem sob pressão Não litostáticas e Temperaturas elevadas e abrangem grandes áreas

71 ROCHAS SEDIMENTARES Se formam a partir de mudanças ocorridas em outras rochas, pela ação de: Chuva, Vento, Água dos rios, Ondas do mar: - Aos poucos, esses agentes vão fragmentando as rochas em grãos de minerais. - Ao longo de milhares de anos, até o granito mais sólido se transforma em pequenos fragmentos.

72 ROCHAS SEDIMENTARES – Agentes tranportadores Os fragmentos de rochas (colúvios) são transportados : - Pelos ventos; - Pela água da chuva até os rios, para o fundo de lagos e oceanos. Os fragmentos se depositam no fundo oceânico, em camadas formando superfícies e regiões submersas cobertas de sedimentos, que ao longo do tempo, sofrem o efeito do peso das camadas sobre camadas, incorporam matérias orgânicas (fossilização), e passam a se compactar. Esses materiais depositados, formam os grandes aluviões. Após a fase de aluviões, passam a ser mais densos e rígidas, formando os maciços sedimentares.

73 ROCHAS SEDIMENTARES

74 A ORIGEM DO ARENITO Se forma quando rochas como o granito se desintegram aos poucos pela ação dos ventos e das chuvas. Os grãos dessas rochas se desintegram e formam a areia. OBS: Areias e dunas de areia, porém não são rochas são fragmentos de rochas. A areia pode se depositar no fundo do mar ou em depressões e ficar submetida a uma aumento de pressão ou temperatura de contato e geotérmico. Assim cimentada e endurecida, forma o arenito - um tipo de rocha sedimentar.

75 ROCHAS SEDIMENTARES

76 AGILITOS Argilito: Rocha sedimentar formada pela consolidação de partículas do tamanho argila. Ø < 0,0074 mm

77 AGILITOS Mineralogia: Os principais constituintes destas rochas são os minerais argilosos, que correspondem a silicatos hidratados de alumínio.

78 AGILITOS - Utilização Como materiais de revestimento e refratários (resistentes a altas temperaturas, empregam-se nos altos fornos, tubos de saída de fumos e chaminés), Na fabricação de azulejos, telhas, vasos, em olaria. Obtêm-se barros especiais argilosos, para evitar o desmoronamento dos poços petrolíferos. Amostra de argila Bentonita (Fort-Benton USA) Rica em montmorilonita (Montmorillon –FRA)

79 ROCHAS METAMÓRFICAS - Filito Tipo = rochas de metamorfismo regional. Composição química = pelítica. Minerais essenciais = quartzo e algumas micas. Minerais acessórios = albite, apatita, turmalina, pirita, magnetita, hematita, ilmenita e grafite. Estrutura = xistosa. Grau metamórfico = baixo. Cor = clara, cinzenta prateada ou esverdeada. Uso = É utilizada raramente nos telhados.

80 VAMOS PARA A AULA PRÁTICA !


Carregar ppt "ST 537 GEOLOGIA APLICADA Prof. Hiroshi Paulo Yoshizane Site: IDENTIFICAÇÃO DAS."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google