A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

SGR.E SISTEMA DE GESTÃO DE RISCOS ENFOQUE ESTRATÉGICO GESTÃO DE SAÚDE E SEGURANÇA DO TRABALHO NA AGROINDÚSTRIA DA CANA-DE-AÇÚCAR 1 SGR.E - SISTEMA DE.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "SGR.E SISTEMA DE GESTÃO DE RISCOS ENFOQUE ESTRATÉGICO GESTÃO DE SAÚDE E SEGURANÇA DO TRABALHO NA AGROINDÚSTRIA DA CANA-DE-AÇÚCAR 1 SGR.E - SISTEMA DE."— Transcrição da apresentação:

1

2 SGR.E SISTEMA DE GESTÃO DE RISCOS ENFOQUE ESTRATÉGICO GESTÃO DE SAÚDE E SEGURANÇA DO TRABALHO NA AGROINDÚSTRIA DA CANA-DE-AÇÚCAR 1 SGR.E - SISTEMA DE GESTÃO DE RISCOS ENFOQUE ESTRATÉGICO

3 APRESENTAÇÃO Carlos César Micalli Cantu Eng.º Quimico (EPUSP 1973) MBA Engenharia Qualidade / EPUSP 2003 Eng.º de Segurança / (MTb) Eng.º da Qualidade / Certificado (ASQ - American Society for Quality) Eng.º Auditor Ambiental Certificado / (EARA – Environmental Auditors Registration Association) Eng.º Especialista em Boas Práticas de Fabricação / (GMP Institute - EUA) 2

4 OBJETIVO DA PALESTRA DAR UMA VISÃO RESUMIDA DE UM SISTEMA DE GESTÃO DE RISCOS / FOCO ESTRATÉGICO DIRECIONADO PARA A AGROINDÚSTRIA DA CANA-DE-AÇÚCAR 3 SGR.E - SISTEMA DE GESTÃO DE RISCOS ENFOQUE ESTRATÉGICO

5 4 ESTUDO DE CASO 1 Antes de se iniciar diretamente a abordagem do Sistema de Gestão de Riscos, vou narrar dois exemplos que servirão se subsídio para justificar o direcionamento que será dado SGR.E - SISTEMA DE GESTÃO DE RISCOS ENFOQUE ESTRATÉGICO

6 5 ESTUDO DE CASO PRÁTICO 1 PRENSA AUTOMÁTICA O acionamento da prensa ocorria automaticamente a cada 20 segundos O operador ajustava a peça na prensa com auxílio de uma ferramenta (pinça) Havia um Dispositivo Eletro-eletrônico (foto-célula) que parava imediatamente a prensa se houvesse um anteparo (mão) na área de risco no momento do acionamento A manutenção preventiva da foto célula era mensal SGR.E - SISTEMA DE GESTÃO DE RISCOS ENFOQUE ESTRATÉGICO

7 6 ESTUDO DE CASO PRÁTICO 1 PRENSA AUTOMÁTICA O fabricante da foto-célula não havia fornecido certificado de confiabilidade do dispositivo O supervisor havia introduzido uma diretriz que estabelecia como falta operacional grave o acionamento da foto célula durante a operação da prensa SGR.E - SISTEMA DE GESTÃO DE RISCOS ENFOQUE ESTRATÉGICO

8 7 ESTUDO DE CASO PRÁTICO 1 PRENSA AUTOMÁTICA Risco Prensagem da mão Observação Aos olhos das pessoas, esse risco não existia. SGR.E - SISTEMA DE GESTÃO DE RISCOS ENFOQUE ESTRATÉGICO

9 8 ESTUDO DE CASO PRÁTICO 1 ANÁLISE DE RISCO DA OPERAÇÃO DA PRENSA Causas Falha operacional: Manter ou colocar a mão na área de risco Falha da infra-estrutura física: Falha da foto-célula Falha no controle operacional: Controle dos operadores de campo e supervisório quanto à operação conforme da máquina SGR.E - SISTEMA DE GESTÃO DE RISCOS ENFOQUE ESTRATÉGICO

10 9 ESTUDO DE CASO PRÁTICO 1 ANÁLISE DE RISCO DA OPERAÇÃO DA PRENSA Causas Falha no controle da supervisão Controle da operação Controle do controle operacional SGR.E - SISTEMA DE GESTÃO DE RISCOS ENFOQUE ESTRATÉGICO

11 10 ESTUDO DE CASO PRÁTICO 1 ANÁLISE DE RISCO DA OPERAÇÃO DA PRENSA Causas Falha no controle gerencial Controle da confiabilidade do controle operacional e do controle da supervisão SGR.E - SISTEMA DE GESTÃO DE RISCOS ENFOQUE ESTRATÉGICO

12 11 ESTUDO DE CASO PRÁTICO 1 ANÁLISE DE RISCO DA OPERAÇÃO DA PRENSA Causas Falha de nível estratégico Falta de evidências objetivas da alta direção quanto á importância estratégica da gestão de riscos SGR.E - SISTEMA DE GESTÃO DE RISCOS ENFOQUE ESTRATÉGICO

13 12 ESTUDO DE CASO PRÁTICO 1 ANÁLISE DE RISCO DA OPERAÇÃO DA PRENSA Consequências Lesão permanente: Perda da mão / pulso Demandas judiciais trabalhistas e cíveis Paradas de produção Demandas sindicais Despesas de natureza diversa Prejuízos à imagem da empresa SGR.E - SISTEMA DE GESTÃO DE RISCOS ENFOQUE ESTRATÉGICO

14 13 ESTUDO DE CASO PRÁTICO 1 ANÁLISE DE RISCO DA OPERAÇÃO DA PRENSA Avaliação do Nível de Risco PO = E AC = III NR = 4 (Não aceitável) SGR.E - SISTEMA DE GESTÃO DE RISCOS ENFOQUE ESTRATÉGICO

15 ESTUDO DE CASO PRÁTICO 1 14 IV II PO CDEFGAB III I AC X SGR.E - SISTEMA DE GESTÃO DE RISCOS ENFOQUE ESTRATÉGICO

16 15 ESTUDO DE CASO PRÁTICO 1 ANÁLISE DE RISCO DA OPERAÇÃO DA PRENSA Recomendações SOR / PF: Operação da Prensa de modo a impedir a colocação da mão Capacitação profissional: SOR / PF da Operação da Prensa incluindo a não introdução da mão na área de risco fora do intervalo de acionamento SGR.E - SISTEMA DE GESTÃO DE RISCOS ENFOQUE ESTRATÉGICO

17 16 ESTUDO DE CASO PRÁTICO 1 ANÁLISE DE RISCO DA OPERAÇÃO DA PRENSA Recomendações Confiabilidade de Sistema / Item Crítico: Foto célula incluindo testes de funcionamento a cada duas horas Credenciamento de fornecedor: Empresa / profissional responsável pela revisão periódica da foto-célula Credenciamento de fornecedor: Empresa fornecedora da foto-célula com laudo de confiabilidade SGR.E - SISTEMA DE GESTÃO DE RISCOS ENFOQUE ESTRATÉGICO

18 17 ESTUDO DE CASO PRÁTICO 1 ANÁLISE DE RISCO DA OPERAÇÃO DA PRENSA Recomendações SOR / PF: Controle operacional de campo e supervisório quanto à operação conforme da prensa Capacitação profissional: SOR / PF para o Controle operacional de campo e supervisório quanto à conformidade da operação da prensa SGR.E - SISTEMA DE GESTÃO DE RISCOS ENFOQUE ESTRATÉGICO

19 18 ESTUDO DE CASO PRÁTICO 1 ANÁLISE DE RISCO DA OPERAÇÃO DA PRENSA Recomendações Reforço no controle da Supervisão: Operação da Prensa de modo a impedir a colocação da mão Controle operacional de campo e supervisório quanto à operabilidade da prensa Atendimento ao programa Confiabiliade de Sistema / Item Crítico: Foto célula incluindo testes de funcionamento a cada duas horas SGR.E - SISTEMA DE GESTÃO DE RISCOS ENFOQUE ESTRATÉGICO

20 19 ESTUDO DE CASO PRÁTICO 1 ANÁLISE DE RISCO DA OPERAÇÃO DA PRENSA Recomendações Garantia da confiabiliade do controle gerencial: Controle operacional de campo e supervisório quanto à operação conforme da prensa Controle da Supervisão para a conformidade da operação da prensa e para o atendimento ao programa Confiabiliade de Sistema / Item Crítico da Foto célula incluindo testes de funcionamento a cada duas horas SGR.E - SISTEMA DE GESTÃO DE RISCOS ENFOQUE ESTRATÉGICO

21 20 ESTUDO DE CASO PRÁTICO 1 ANÁLISE DE RISCO DA OPERAÇÃO DA PRENSA Recomendações Capacitação profissional: Modelo de gerenciamento com base na liderança, motivação, capacitação e administração Reforço estratégico Reforço da importância estratégica da gestão de riscos, com criação de evidências objetivas SGR.E - SISTEMA DE GESTÃO DE RISCOS ENFOQUE ESTRATÉGICO

22 METODOLOGIA PARA IMPLANTAÇÃO DO SGR.E PLANEJAMENTO 21 IV II PO CDEFGAB III I AC X Y Z W

23 22 ESTUDO DE CASO PRÁTICO 1 CONCLUSÕES Abordagem puramente técnica pode não cobrir todos os riscos de uma atividade O mercado não mais aceita que o profissional dê apenas um tratamento técnico às suas atividades O profissonal deve dar uma abordagem de gestão para as atividades que executa SGR.E - SISTEMA DE GESTÃO DE RISCOS ENFOQUE ESTRATÉGICO

24 23 ESTUDO DE CASO PRÁTICO 2 ESTUDO DE RISCO DE PROCESSO Mistura de matéria prima para fabricação de tijolo refratário Alumínio metálico em pó Sínter SGR.E - SISTEMA DE GESTÃO DE RISCOS ENFOQUE ESTRATÉGICO

25 24 ESTUDO DE CASO PRÁTICO 2 ESTUDO DE RISCO DE PROCESSO Conclusões: A abordagem puramente técnica pode não gerar uma solução adequada em termos de custo / benefício, se comparada com a solução de gestão No desenvolvimento de suas atividades, o profissional deve usar de uma abordagem de gestão com o objetivo de alcançar os melhores resultados em termos de custo / benefício SGR.E - SISTEMA DE GESTÃO DE RISCOS ENFOQUE ESTRATÉGICO

26 25 ESTUDO DE CASO PRÁTICO 2 ESTUDO DE RISCO DE PROCESSO Conclusões: A reputação do profissional sempre fica muito comprometida quando ele não alcança bons resultados em termos de custo / benefício SGR.E - SISTEMA DE GESTÃO DE RISCOS ENFOQUE ESTRATÉGICO

27 26 ESTUDO DE CASO PRÁTICO 3 GESTÃO FINANCEIRA DAS EMPRESAS No final do ano as empresas fazem uma previsão de vendas Com essa previsão, elas planejam a produção Para suportar a produção, elas estimam os custos e fazer as provisões financeiras SGR.E - SISTEMA DE GESTÃO DE RISCOS ENFOQUE ESTRATÉGICO

28 27 ESTUDO DE CASO PRÁTICO 3 GESTÃO FINANCEIRA DAS EMPRESAS As empresas sabem que, além das atividades produtivas, estão sujeitas à outras atividades esporádicas São atividades decorrentes de desvios não- programados (incluindo acidentes) Essas atividades geram despesas SGR.E - SISTEMA DE GESTÃO DE RISCOS ENFOQUE ESTRATÉGICO

29 28 ESTUDO DE CASO PRÁTICO 3 GESTÃO FINANCEIRA DAS EMPRESAS Durante muito tempo essas despesas não se constituiram em grandes problemas para as empresas porque a margem de lucro era boa A partir dos últimos 15 – 20 anos, o nível de competitividade aumentou muito e a margem de lucros caiu drasticamente Essas despesas passaram a prejudicar o crescimento, e até a sobrevivência das empresas, gerando um problema financeiro que precisava ser resolvido SGR.E - SISTEMA DE GESTÃO DE RISCOS ENFOQUE ESTRATÉGICO

30 29 ESTUDO DE CASO PRÁTICO 3 GESTÃO FINANCEIRA DAS EMPRESAS A solução do problema estava no aumento no nível de competitividade Premissa básica da competitividade: Despesas não agregam valor ao negócio / produto Tudo o que não agrega valor ao negócio / produto prejudica a competitividade SGR.E - SISTEMA DE GESTÃO DE RISCOS ENFOQUE ESTRATÉGICO

31 30 ESTUDO DE CASO PRÁTICO 3 GESTÃO FINANCEIRA DAS EMPRESAS Estava criado o impasse: Despesas não agregam valor ao negócio / produto e, por isso, precisam ser eliminadas As despesas com segurança / saúde das pessoas e meio ambiente devem ser feitas por uma questão humana e para atender aos requisitos da legislação SGR.E - SISTEMA DE GESTÃO DE RISCOS ENFOQUE ESTRATÉGICO

32 31 ESTUDO DE CASO PRÁTICO 3 GESTÃO FINANCEIRA DAS EMPRESAS SGR > > SGR.E EXECUTAR AS AÇÕES DE CONTROLE DE RISCOS DE MODO A AGREGAR VALOR AO NEGÓCIO SGR.E - SISTEMA DE GESTÃO DE RISCOS ENFOQUE ESTRATÉGICO

33 COM ISSO, O PROFISSIONAL DE SEGURANÇA MIGROU DA FASE DE SOLUCIONADOR TÉCNICO, PARA A GESTÃO DE RISCOS E PARA A GESTÃO ESTRATÉGICA DE RISCOS 32 SGR.E - SISTEMA DE GESTÃO DE RISCOS ENFOQUE ESTRATÉGICO

34 O NOSSO TRABALHO SE RESUME AGORA EM ANALISAR AS BASES TÉCNICAS PARA O SGR.E 33 SGR.E - SISTEMA DE GESTÃO DE RISCOS ENFOQUE ESTRATÉGICO

35 34 SGR.E - SISTEMA DE GESTÃO DE RISCOS ENFOQUE ESTRATÉGICO INTRODUÇÃO DO SGR.E SISTEMA Conjunto de elementos inter-relacionados ou interativos GESTÃO Atividades coordenadas para dirigir e controlar uma organização RISCO R = f(PO, AC)

36 35 SGR.E - SISTEMA DE GESTÃO DE RISCOS ENFOQUE ESTRATÉGICO INTRODUÇÃO DO SGR.E SISTEMA DE GESTÃO Sistema para estabelecer política e objetivos, e para atingir esses objetivos SISTEMA DE GESTÃO DE RISCOS Sistema para estabelecer política e objetivos de controle de riscos, e para atingir esses objetivos

37 36 SGR.E - SISTEMA DE GESTÃO DE RISCOS ENFOQUE ESTRATÉGICO INTRODUÇÃO DO SGR.E SISTEMA DE GESTÃO DE RISCOS / AGROINDÚSTRIA DA CANA DE AÇÚCAR Sistema para estabelecer política e objetivos de controle de riscos na agroindústria da cana-cana- açúcar, e para atingir esses objetivos

38 37 SGR.E - SISTEMA DE GESTÃO DE RISCOS ENFOQUE ESTRATÉGICO INTRODUÇÃO DO SGR.E NATUREZA DOS RISCOS Riscos de Segurança e Saúde ocupacional Riscos ao meio ambiente Riscos aos produtos (BPF) Riscos de qualidade Riscos operacionais Riscos de responsabilidade social, etc.

39 38 SGR.E - SISTEMA DE GESTÃO DE RISCOS ENFOQUE ESTRATÉGICO SISTEMA DE GESTÃO ORGANIZACIONAL (SGO) INSERÇÃO DO SGR NO SGO Qualquer sistema de gestão que se implemente em uma organização, deve estar inserido no SGO – Sistema de Gestão Organizacional

40 MODELO DO SGO Modus operandi de uma organização 39 SGR.E - SISTEMA DE GESTÃO DE RISCOS ENFOQUE ESTRATÉGICO

41 MODELO DO SGO Constituintes principais de uma organização 40 SGR.E - SISTEMA DE GESTÃO DE RISCOS ENFOQUE ESTRATÉGICO

42 MODELO DO SGO Constituintes principais de uma organização 41 SGR.E - SISTEMA DE GESTÃO DE RISCOS ENFOQUE ESTRATÉGICO

43 MODELO DO SGO Constituintes principais de uma organização 42 SGR.E - SISTEMA DE GESTÃO DE RISCOS ENFOQUE ESTRATÉGICO

44 MODELO DO SGO Constituintes principais de uma organização 43 SGR.E - SISTEMA DE GESTÃO DE RISCOS ENFOQUE ESTRATÉGICO

45 MODELO DO SGO Constituintes principais de uma organização 44 SGR.E - SISTEMA DE GESTÃO DE RISCOS ENFOQUE ESTRATÉGICO

46 SUBSISTEMAS DO SGO 45 ESTRATÉGICO MERCADO OPERACIONAL GERENCIAL PESSOAL FÍSICO SGR.E - SISTEMA DE GESTÃO DE RISCOS ENFOQUE ESTRATÉGICO

47 INSERÇÃO DO SGR NO SGO 46 ESTRATÉGICO SGR MERCADO OPERACIONAL GERENCIAL PESSOAL FÍSICO SGR.E - SISTEMA DE GESTÃO DE RISCOS ENFOQUE ESTRATÉGICO

48 INSERÇÃO DO SGR no SGO 47 SGR SGO PGR SGR.E - SISTEMA DE GESTÃO DE RISCOS ENFOQUE ESTRATÉGICO

49 48 METODOLOGIA PARA IMPLANTAÇÃO DO SGR.E TECNOLOGIA DE GESTÃO Por processos Processo é um conjunto de atividades inter- relacionadas que transformam insumos (entradas) em produtos (saída) Diagrama de processos SGR.E - SISTEMA DE GESTÃO DE RISCOS ENFOQUE ESTRATÉGICO

50 49 ENTRADAS DE PROCESSO OPERA- ÇÕES DE TRANS- FORMAÇÃO SAÍDAS DE PRO- CESSO AUTO CONTROLE EM PROCESSO MELHORIA EM PROCESSO OBJETIVOS DE PROCESSO OBJETIVOS ESTRATÉGICOS EFICIÊNCIA DE PROCESSO: Relação entre Saídas e Entradas EFICÁCIA DE PROCESSO: Relação entre Objetivos e Saídas SGR.E - SISTEMA DE GESTÃO DE RISCOS ENFOQUE ESTRATÉGICO

51 50 METODOLOGIA PARA IMPLANTAÇÃO DO SGR.E PROCESSO DE ESPECIFICAÇÃO DO EPI Entradas do processo Informação da identificação e avaliação do risco Diagrama de processos SGR.E - SISTEMA DE GESTÃO DE RISCOS ENFOQUE ESTRATÉGICO

52 51 METODOLOGIA PARA IMPLANTAÇÃO DO SGR.E PROCESSO DE ESPECIFICAÇÃO DO EPI Operações de Transformação Especificação do EPI Levantamento de necessidades Seleção dos equipamentos adequados Teste de aceitação realizado junto aos usuários Credenciamento do fornecedor Comprovação do Certificado de Aprovação do EPI SGR.E - SISTEMA DE GESTÃO DE RISCOS ENFOQUE ESTRATÉGICO

53 52 METODOLOGIA PARA IMPLANTAÇÃO DO SGR.E PROCESSO DE ESPECIFICAÇÃO DO EPI Operações de Transformação Fornecimento do EPI EPI de uso permanente EPI de uso temporário EPI de Emergência SGR.E - SISTEMA DE GESTÃO DE RISCOS ENFOQUE ESTRATÉGICO

54 53 METODOLOGIA PARA IMPLANTAÇÃO DO SGR.E PROCESSO DE ESPECIFICAÇÃO DO EPI Operações de Transformação Uso do EPI Seleção do EPI correto para a função, área e atividade Vistoria para verificação se o EPI está em condições adequadas Colocação do EPI de forma correta Teste de performance do EPI Utilização do EPI durante todo o tempo necessário, SGR.E - SISTEMA DE GESTÃO DE RISCOS ENFOQUE ESTRATÉGICO

55 54 METODOLOGIA PARA IMPLANTAÇÃO DO SGR.E PROCESSO DE ESPECIFICAÇÃO DO EPI Operações de Transformação Guarda do EPI EPI de uso permanente EPI de uso temporário EPI de Emergência, SGR.E - SISTEMA DE GESTÃO DE RISCOS ENFOQUE ESTRATÉGICO

56 55 METODOLOGIA PARA IMPLANTAÇÃO DO SGR.E PROCESSO DE ESPECIFICAÇÃO DO EPI Operações de Transformação Inspeção do EPI EPI de uso permanente EPI de uso temporário EPI de Emergência Uniforme de trabalho SGR.E - SISTEMA DE GESTÃO DE RISCOS ENFOQUE ESTRATÉGICO

57 56 METODOLOGIA PARA IMPLANTAÇÃO DO SGR.E PROCESSO DE ESPECIFICAÇÃO DO EPI Operações de Transformação Manutenção do EPI EPI de uso permanente EPI de uso temporário EPI de Emergência Uniforme de trabalho SGR.E - SISTEMA DE GESTÃO DE RISCOS ENFOQUE ESTRATÉGICO

58 57 METODOLOGIA PARA IMPLANTAÇÃO DO SGR.E PROCESSO DE ESPECIFICAÇÃO DO EPI Operações de Transformação Higienização do EPI EPI de uso permanente EPI de uso temporário EPI de Emergência Uniforme de trabalho SGR.E - SISTEMA DE GESTÃO DE RISCOS ENFOQUE ESTRATÉGICO

59 58 METODOLOGIA PARA IMPLANTAÇÃO DO SGR.E PROCESSO DE ESPECIFICAÇÃO DO EPI Operações de Transformação Capacitação profissional Seleção do EPI adequado para a tarefa Riscos a serem evitados Riscos que não serão evitados Inspeção prévia Uso adequado SGR.E - SISTEMA DE GESTÃO DE RISCOS ENFOQUE ESTRATÉGICO

60 59 METODOLOGIA PARA IMPLANTAÇÃO DO SGR.E PROCESSO DE ESPECIFICAÇÃO DO EPI Operações de Transformação Capacitação profissional Teste de adaptação e performance Inspeção, higienização, manutenção e teste Riscos quanto ao uso. Ficha Técnica do EPI SGR.E - SISTEMA DE GESTÃO DE RISCOS ENFOQUE ESTRATÉGICO

61 60 METODOLOGIA PARA IMPLANTAÇÃO DO SGR.E PROCESSO DE ESPECIFICAÇÃO DO EPI Saídas do processo Eliminação / minimização da consequência do risco SGR.E - SISTEMA DE GESTÃO DE RISCOS ENFOQUE ESTRATÉGICO

62 61 METODOLOGIA PARA IMPLANTAÇÃO DO SGR.E PROCESSO DE ESPECIFICAÇÃO DO EPI Objetivos do processo Preservação da integridade física e mental dos colaboradores Redução das ações trabalhistas Redução de despesas Manutenção dos níveis de produtividade Capacitação profissional Preservação da imagem da empresa SGR.E - SISTEMA DE GESTÃO DE RISCOS ENFOQUE ESTRATÉGICO

63 62 METODOLOGIA PARA IMPLANTAÇÃO DO SGR.E PROCESSO DE ESPECIFICAÇÃO DO EPI Objetivos Estratégicos Satisfação das partes interessadas Lucratividade Imagem institucional Confiabilidade operacional SGR.E - SISTEMA DE GESTÃO DE RISCOS ENFOQUE ESTRATÉGICO

64 63 METODOLOGIA PARA IMPLANTAÇÃO DO SGR.E PROCESSO DE ESPECIFICAÇÃO DO EPI Indicadores de eficiência Índice de frequência e gravidade de lesões Indicadores de eficácia Nível de satisfação das partes interessadas Índice de lucratividade Ìndice da imagem institucional Ìndices de confiabilidade operacional SGR.E - SISTEMA DE GESTÃO DE RISCOS ENFOQUE ESTRATÉGICO

65 METODOLOGIA PARA IMPLANTAÇÃO DO SGR.E 64 DIAGNÓSTICO PLANEJAMENTO QUALIFICAÇÃO / CAPACITAÇÃO BÁSICA EXECUÇÃO VERIFICAÇÃO MELHORIA CONTÍNUA SGR.E - SISTEMA DE GESTÃO DE RISCOS ENFOQUE ESTRATÉGICO

66 METODOLOGIA PARA IMPLANTAÇÃO DO SGR.E DIAGNÓSTICO 65 IV II PO CDEFGAB III I AC X SGR.E - SISTEMA DE GESTÃO DE RISCOS ENFOQUE ESTRATÉGICO

67 66 SGR.E - SISTEMA DE GESTÃO DE RISCOS ENFOQUE ESTRATÉGICO METODOLOGIA PARA IMPLANTAÇÃO DO SGR.E DIAGNÓSTICO Ferramentas de Análise de Riscos APR – Análise Preliminar de Riscos Hazop Análise Crítica de Processos FMEA – Análise de Modos de Eventos e Falhas Análise de Árvores de Falhas Análise de Árvores de Eventos Estudos de Vulnerabilidade, etc.

68 METODOLOGIA PARA IMPLANTAÇÃO DO SGR.E PLANEJAMENTO 67 IV II PO CDEFGAB III I AC X Y Z W SGR.E - SISTEMA DE GESTÃO DE RISCOS ENFOQUE ESTRATÉGICO

69 68 METODOLOGIA PARA IMPLANTAÇÃO DO SGR.E PLANEJAMENTO Foco estratégico SGR.E - SISTEMA DE GESTÃO DE RISCOS ENFOQUE ESTRATÉGICO

70 SUCESSO EFICIÊNCIA EFICÁCIA VALOR AGREGADO COMPETITIVIDADE GESTÃO PESSOAS DESENVOLVIMENTO POLÍTICA ESTRATÉGICA 69 SGR.E - SISTEMA DE GESTÃO DE RISCOS ENFOQUE ESTRATÉGICO

71 70 METODOLOGIA PARA IMPLANTAÇÃO DO SGR.E CAPACITAÇÃO PROFISSIONAL BÁSICA Nível estratégico Nível Gerencial Nível operacional SGR.E - SISTEMA DE GESTÃO DE RISCOS ENFOQUE ESTRATÉGICO

72 71 METODOLOGIA PARA IMPLANTAÇÃO DO SGR.E CAPACITAÇÃO PROFISSIONAL BÁSICA Competências profissionais para o SGR.E Estratégica Gestão Técnico-operacional Físico-comportamental Responsabilidade social SGR.E - SISTEMA DE GESTÃO DE RISCOS ENFOQUE ESTRATÉGICO

73 72 METODOLOGIA PARA IMPLANTAÇÃO DO SGR.E EXECUÇÃO SOR / PF – Sistema Operacional Redundante / à Prova de Falhas Operação: Auto-Redundância Controle operacional: Redundância com os pares Controle da supervisão Controle gerencial Reforço estratégico SGR.E - SISTEMA DE GESTÃO DE RISCOS ENFOQUE ESTRATÉGICO

74 73 METODOLOGIA PARA IMPLANTAÇÃO DO SGR.E VERIFICAÇÃO Inspeções planejadas Revisão dos riscos de processo Auditorias Análise Crítica da Alta Direção SGR.E - SISTEMA DE GESTÃO DE RISCOS ENFOQUE ESTRATÉGICO

75 74 METODOLOGIA PARA IMPLANTAÇÃO DO SGR.E MELHORIA CONTÍNUA Mentalidade para a melhoria contínua Melhoria contínua em processo Análise das não-conformidades Projetos específicos de melhoria contínua SGR.E - SISTEMA DE GESTÃO DE RISCOS ENFOQUE ESTRATÉGICO

76 75 RISCOS ESPECÍFICOS DA AGRO-INDÚSTRIA DA CANA-DE- AÇÚCAR LAVOURA Uso de herbicidas / agrotóxicos Queimada da plantação de cana-de-açúcar Queimadas de matas e florestas Trabalho exaustivo Problemas ergonômicos SGR.E - SISTEMA DE GESTÃO DE RISCOS ENFOQUE ESTRATÉGICO

77 76 RISCOS ESPECÍFICOS DA AGRO-INDÚSTRIA DA CANA-DE- AÇÚCAR LAVOURA Impacto ambiental: meio biótico fauna Impacto ambiental meio biótico flora Impacto ambiental: meio físico solo Impacto ambiental: meio físico ar Impacto ambiental: meio físico recursos hídricos Impacto ambiental: meio físico materiais Impacto ambiental: meio antrópico SGR.E - SISTEMA DE GESTÃO DE RISCOS ENFOQUE ESTRATÉGICO

78 77 RISCOS ESPECÍFICOS DA AGRO-INDÚSTRIA DA CANA-DE- AÇÚCAR INDÚSTRIA Incêndio / explosão Rompimento do Tanque de Vinhaça Rompimento de Tanques e Equipamentos Acidentes na operação de máquinas e equipamentos Acidentes na operação de equipamentos de içamento e movimentação de carga SGR.E - SISTEMA DE GESTÃO DE RISCOS ENFOQUE ESTRATÉGICO

79 78 RISCOS ESPECÍFICOS DA AGRO-INDÚSTRIA DA CANA-DE- AÇÚCAR INDÚSTRIA Trabalho em espaço confinado Trabalho em nível elevado Abertura de linha / equipamento Batidas contra / por SGR.E - SISTEMA DE GESTÃO DE RISCOS ENFOQUE ESTRATÉGICO

80 79 RISCOS ESPECÍFICOS DA AGRO-INDÚSTRIA DA CANA-DE- AÇÚCAR INDÚSTRIA Impactos ambientais: meio físico solo Impacto ambiental: meio físico ar Impacto ambiental: meio físico recursos hídricos Impacto ambiental: meio físico materiais Impacto ambiental: meio físico energia SGR.E - SISTEMA DE GESTÃO DE RISCOS ENFOQUE ESTRATÉGICO

81 80 ESTUDO DE CASO PRÁTICO ANÁLISE DE RISCO DA OPERAÇÃO DA PRENSA Para receber esse material (11) / SGR.E - SISTEMA DE GESTÃO DE RISCOS ENFOQUE ESTRATÉGICO


Carregar ppt "SGR.E SISTEMA DE GESTÃO DE RISCOS ENFOQUE ESTRATÉGICO GESTÃO DE SAÚDE E SEGURANÇA DO TRABALHO NA AGROINDÚSTRIA DA CANA-DE-AÇÚCAR 1 SGR.E - SISTEMA DE."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google