A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

REGÊNCIA Dá-se o nome de regência à relação de subordinação que ocorre entre um verbo (ou um nome) e seus complementos. Ocupa-se em estabelecer relações.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "REGÊNCIA Dá-se o nome de regência à relação de subordinação que ocorre entre um verbo (ou um nome) e seus complementos. Ocupa-se em estabelecer relações."— Transcrição da apresentação:

1 REGÊNCIA Dá-se o nome de regência à relação de subordinação que ocorre entre um verbo (ou um nome) e seus complementos. Ocupa-se em estabelecer relações entre as palavras, criando frases não ambíguas, que expressem efetivamente o sentido desejado, que sejam corretas e claras. Há dois tipos de regência: Regência nominal e Regência verbal.

2 Eu gosto de flores VERBO OI...em busca do amor Adj.adverbial TERMO REGENTE NOME Compl.nominal TERMO REGIDO Termo REGENTETermo REGIDO Quando o termo regente é um verbo, ocorre a regência verbal. Quando o termo regente é um nome (substantivo, adjetivo ou advérbio), ocorre a regência nominal.

3 Regência nominal Estuda as relações em que os nomes – substantivos, adjetivos e advérbio – exigem complemento para completar-lhes o sentido. Geralmente, essa relação entre o nome e seus complementos é estabelecida pela presença de preposição. Exemplo: Ana tem simpatia A causas humanitárias Joana é capaz DE fazer qualquer coisa pela mãe. Carlos falou favoravelmente Aos idosos.

4 Ana sempre foi carinhosa VL Predicativo do sujeito (adjetivo) TERMO REGENTE com os animais. Complemento Nominal. TERMO REGIDO Quando o termo regente é um nome – substantivo, adjetivo ou advérbio - ocorre a regência nominal.

5 Acessível a Acostumado a ou com Alheio a Alusão a Ansioso por Atenção a ou para Atento a ou em Benéfico a Compatível com Cuidadoso com Desacostumado a ou com Desatento a Desfavorável a Desrespeito a Estranho a Favorável a Fiel a Grato a REGÊNCIA DE ALGUNS NOMES Hábil em Habituado a Inacessível a Indeciso em Invasão de Junto a ou de Leal a Maior de Preferência a ou por Preferível a Prejudicial a Próprio de ou para Próximo a ou de Querido de ou por Respeito a ou por Sensível a Simpatia por Simpático a Útil a ou para

6 REGÊNCIA VERBAL É o modo pelo qual o verbo se relaciona com os seus complementos. Exemplo: Todos criticaram a professora. TR Tr Há verbos que admitem mais de uma regência: Ela não esquecia as flores recebidas. Ela não se esquecia das flores recebidas.

7 OBSERVE: A voluntária distribuía leite às crianças. A voluntária distribuía leite com as crianças. VTDI OD OI VTDOD Adj. adverbial

8 Regência de alguns verbos

9 ASPIRAR = almejar, pretender pede complemento com a preposição ' a ' (objeto indireto) Ex; João aspira ao cargo de diretor = cheirar, sorver, inalar pede complemento sem preposição (objeto direto): Ex. Em São Paulo, as pessoas aspiram o ar poluído.

10 = prestar assistência, dar ajuda normalmente com complemento sem preposição (objeto direto) Ex. O médico assistiu o doente. ASSISTIR = ver, presenciar como espectador complemento com a preposição A (objeto indireto): Ex. Assisti ao filme. Assisti à novela. ( a + a novela ) = caber, pertencer pede complemento com a preposição A (objeto indireto): Ex. Este direito assiste a ele. = morar, intransitivo, regido pela preposição EM Ex: Assisto em São Paulo.

11 CHAMAR = convocar, mandar vir exige complemento sem preposição (objeto direto): Ex.: O diretor chamou os alunos para conversar. = cognominar, dar nome pode ser: transitivo direto seguido de predicativo do objeto direto introduzido ou não pela preposição DE. Ex. Chamei Pedro de chato. ( OU ) Chamei Pedro chato. transitivo indireto seguido de predicativo do objeto indireto introduzido ou não pela preposição DE. Ex.: Chamei a Pedro de chato. ( OU ) Chamei a Pedro chato.

12 ESQUECER, LEMBRAR não acompanhados de pronome pessoal oblíquo átono pedem complemento sem preposição (objeto direto): Ex.: Esqueci o livro. Lembrei o livro. acompanhados de pronome pessoal oblíquo átono pedem complemento com preposição DE (objeto indireto): Ex.: Esqueci-me do livro. Lembrou-se do livro. Lembrete: Sem pronome - sem preposição. Com pronome - com preposição

13 IMPLICAR = trazer como consequência, acarretar exige complemento sem preposição (objeto direto ): Ex.: Toda ação implica uma reação. = mostrar-se impaciente, demonstrar antipatia exige complemento com a preposição COM (objeto indireto): Ex.: Maria, não implique com seu irmão

14 INFORMAR, CONTAR, NOTIFICAR Verbo transitivo direto e indireto.( OD e OI ) Há duas possibilidades: Informar algo( OD ) a alguém( OI ) : Ex. Informei o caso à polícia. Informar alguém( OD ) de (ou sobre) algo( OI ). Ex.: Informei a polícia sobre ( ou do ) caso. Lembrete: Não pode haver dois OD ou dois OI. Ex.: Informei a polícia o caso. Informei à polícia sobre o caso.

15 OBEDECER, DESOBEDECER Na linguagem culta devem ser empregados como transitivo indireto, com o complemento introduzido pela preposição A: Ex.: Obedeço aos meus pais. Desobedecemos ao sinal de trânsito.

16 AGRADECER VTD e I, com a preposição A. O objeto direto sempre será a coisa, e o objeto indireto, a pessoa. Agradeci a Pedro os presentes. OI OD Agradeceu o presente ao seu namorado. OD OI

17 NAMORAR Transitivo direto, portanto SEM preposição. Ex.: Pedro namora Maria. ERRADO: Pedro NAMORA COM Maria.

18 PAGAR / PERDOAR O que se paga/perdoa = OD Ex.: Já paguei o salário. Já perdoei a dívida. A quem se paga/perdoa = OI Ex.: Já paguei ao funcionário. Já perdoei ao devedor.

19 CHEGAR, IR (Intransitivo) Aparentemente eles têm complemento, pois quem vai, vai a algum lugar e quem chega, chega de. Porém a indicação de lugar é circunstância (adjunto adverbial de lugar), e não complementação. Esses verbos exigem a preposição A, na indicação de destino, e DE, na indicação de procedência. Quando houver a necessidade da preposição A, seguida de um substantivo feminino (que exija o artigo a), ocorrerá crase (Vou à Bahia) Cheguei tarde à escola. Foi ao escritório de mau humor. * se houver ideia de permanência, o verbo ir segue-se da preposição PARA. Se for eleito, ele irá para Brasília. * quando indicam meio de transporte no qual se chega ou se vai, então exigem EM. Cheguei no ônibus da empresa. A delegação irá no voo 300.

20 Querer = desejar: usa-se sem preposição. Ex.: Quero viajar hoje. = estimar, ter afeto: usa-se com a preposição A. Ex.: Quero muito aos meus amigos.

21 Custar = ser custoso, ser difícil: é regido pela preposição A. Ex.: Custou ao aluno entender o problema. = acarretar, exigir, obter por meio de: usa-se sem preposição. Ex.: O carro custou-me todas as economias. = ter valor de, ter preço: usa-se sem preposição. Ex.: Imóveis custam caro.

22 Visar = mirar: usa-se sem preposição. Ex.: Disparou o tiro visando o alvo. = dar visto: usa-se sem preposição. Ex.: Visaram os documentos. = ter em vista, objetivar: é regido pela preposição A. Ex.: Viso a uma situação melhor.

23 Proceder = ter fundamento: usa-se sem preposição. Ex.: Suas queixas não procedem. = originar-se, vir de algum lugar: exige a preposição DE. Ex.: Muitos males da humanidade procedem da falta de respeito ao próximo. = dar início, executar: usa-se a preposição A. Ex.: Os detetives procederam a uma investigação criteriosa.

24 PREFERIR Na linguagem culta, o verbo preferir deve ser empregado com dois complementos: um sem preposição (objeto direto) e outro com a preposição A (objeto indireto). Prefiro água a refrigerante. OD OI

25 SIMPATIZAR / ANTIPATIZAR Pede complemento com a preposição COM (objeto indireto). NÃO É PRONOMINAL. Simpatizo com Maria. Antipatizo com Pedro. ERRADO: SIMPATIZO- me COM Maria.

26 Observações importantes

27 Na regência verbal, o termo regido pode ser ou não preposicionado; na regência nominal, ele é obrigatoriamente preposicionado.

28 Os pronomes o, a, os, as devem ser empregados como complementos de verbos transitivos diretos e os pronomes lhe, lhes como complementos de verbos transitivos indiretos: Quero uma mesa nova. > Quero-a. Quero a meus pais. > Quero-lhes. Paguei o empréstimo. > Paguei-o. Paguei ao gerente. > Paguei-lhe. Convidei meus pais. > Convidei-os. Obedeço a meu pai. > Obedeço-lhe.

29 Os verbos: aspirar (desejar); assistir (presenciar); visar (desejar) NÃO podem ter seus objetos indiretos substituídos pelo pronome pessoal oblíquo átono LHE. Eu assisti ao filme. Eu assisti a ele.

30 NÃO SE PODEM USAR ESTRUTURAS UNINDO VERBOS DE REGÊNCIAS DIFERENTES. Cheguei e saí de casa. (Cheguei a casa e saí dela.) Assisti e gostei do filme. ( Assisti ao filme e gostei dele. Entrei e saí cedo da academia. (Entrei na academia e saí dela.


Carregar ppt "REGÊNCIA Dá-se o nome de regência à relação de subordinação que ocorre entre um verbo (ou um nome) e seus complementos. Ocupa-se em estabelecer relações."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google