A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

FACULDADE CAMPO REAL CURSO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO DISCIPLINA DE PROCESSOS DE FABRICAÇÃO Processo de Lingotamento ENG.º OSCAR B. MESPAQUE – 20/04/12.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "FACULDADE CAMPO REAL CURSO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO DISCIPLINA DE PROCESSOS DE FABRICAÇÃO Processo de Lingotamento ENG.º OSCAR B. MESPAQUE – 20/04/12."— Transcrição da apresentação:

1 FACULDADE CAMPO REAL CURSO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO DISCIPLINA DE PROCESSOS DE FABRICAÇÃO Processo de Lingotamento ENG.º OSCAR B. MESPAQUE – 20/04/12

2

3

4 Resumo do processo MINÉRIO+ CARVÃO(Coque ou carvão vegetal) + FUNDENTE (calcário) são adicionados ao ALTO FORNO que produz o FERRO GUSA. Este é levado para a ACIARIA (processo pode iniciar aqui com SUCATA) onde é colocado em CONVERSORES OU FORNOS ELÉTRICOS (nesse caso em geral a partir de SUCATA) ONDE É FABRICADO O AÇO. Ainda líquido ele é vazado em grandes lingotes – LINGOTAMENTO CONVENCIONAL, ou na forma de barras de maneira contínua LINGOTAMENTO CONTÍNUO. Sendo após CONFORMADO (laminação, trefilação, forjamento, extrusão) O FERRO GUSA também é entregue às FUNDIÇÕES, onde é fundido em fornos CUBILÔ para fabricar os FERROS FUNDIDOS. O metal líquido é vazado em moldes de areia com resina com uma cavidade equivalente à forma definitiva da peça a produzir.

5 Produção do Aço

6 Ferro Primário Fontes de Ferro Fontes de Ferro 5mm

7 Coqueria Detalhes do processo Detalhes do processo Típica Bateria de coqueificação Coque incandescente pronto para ser descarregado Coque incandescente pronto para ser descarregado

8 Alto forno Serve para produzir o ferro gusa, que é uma forma intermediária na produção dos aços Entra na parte superior do forno minério de ferro, coque (ou carvão vegetal) e fundente. É insuflado ar pelas ventaneiras que queima o caque gerando CO que faz a redução do minério de ferro a ferro mas esse ferro incorpora um percentual de carbono (ferro gusa). Ex. de reação de redução: ½ Fe 2 O 3 + 3/2CO = Fe +3/2CO 2

9 Alto Forno O alto forno é um forno de cuba que operado em regime de contra corrente. O alto forno é um forno de cuba que operado em regime de contra corrente. No topo do forno o coque, calcário, e o material portador de ferro (sinter, pelotas e minério granulado) são carregado em diferentes camadas. No topo do forno o coque, calcário, e o material portador de ferro (sinter, pelotas e minério granulado) são carregado em diferentes camadas. A carga sólida, alimentada pelo topo, desce por gravidade reagindo com o gás que sobe. A carga sólida, alimentada pelo topo, desce por gravidade reagindo com o gás que sobe. Na parte inferior do forno o ar quente (vindo dos regeneradores) é injetado através das ventaneiras. Na parte inferior do forno o ar quente (vindo dos regeneradores) é injetado através das ventaneiras. Em frente as ventaneiras o O 2, presente no ar, reage com o coque formando monóxido de carbono (CO) que ascende no forno reduzindo o óxido de ferro presente na carga que desce em contra corrente. Em frente as ventaneiras o O 2, presente no ar, reage com o coque formando monóxido de carbono (CO) que ascende no forno reduzindo o óxido de ferro presente na carga que desce em contra corrente.

10 Alto Forno John A. Ricketts, Ispat Inland, Inc.

11 A matéria prima requer de 6 a 8 horas para alcançar o fundo do forno (cadinho) na forma do produto final de metal fundido (gusa) e escória líquida (mistura de óxidos não reduzidos). Estes produtos líquidos são vazados em intervalos regulares de tempo. Os produtos do alto forno são o gusa (que segue para o processo de refino do aço), a escória (matéria-prima para a indústria de cimento), gases de topo e material particulado. Uma vez iniciada a campanha de um alto forno ele será operado continuamente de 4 a 10 anos com paradas curtas para manutenções planejadas. Alto Forno

12 Alto forno

13 Aciaria A composição do gusa está longe da composição típica dos aços devendo ser reduzido os teores de carbono enxofre fósforo manganês entre outros. O princípio químico é a oxidação dos elementos envolvendo a injeção controlada de O 2 ou de ar saindo na forma de gases ou passando para a escória. Conversores: ar ou O 2 é soprado durante 15 a 20 min.através ou sobre 100 a 150 ton. de carga, sendo a fonte de calor a própria oxidação dos elementos (reações são exotérmicas) Tipos de conversores: Thomas ar insuflado por baixo. Bessemer Ar insuflado por baixo, e LD O 2 insuflado com lança ( em geral adiciona-se sucata junto para baixar a temperatura), (MAIS USADO) Fornos elétricos: Utiliza arco elétrico entre 3 eletrodos de grafite e a carga. Em geral utiliza sucata como carga, tempo de corrida 2 horas (em geral usado para aços especiais).

14 Produção do Aço Líquido-métodos mais usados atualmente A produção do aço líquido se dá através da oxidação controlada das impurezas presentes no gusa líquido e na sucata. Este processo é denominado refino do aço e é realizado em uma instalação conhecida como aciaria. O refino do aço normalmente é realizado em batelada pelos seguintes processos: -Aciaria a oxigênio – Conversor LD (carga predominantemente líquida). -Aciaria elétrica – Forno elétrico a arco –FEA (carga predominantementesólida). -Aciaria elétrica – Forno elétrico a arco – FEA (carga predominantemente sólida).

15 Conversor LD Responsável por cerca 60% (540 milhões ton/ano) da produção de aço líquido mundial, a tecnologia continua a ser a mais importante rota para a produção de aço, particularmente, chapas de aço de alta qualidade. Responsável por cerca 60% (540 milhões ton/ano) da produção de aço líquido mundial, a tecnologia continua a ser a mais importante rota para a produção de aço, particularmente, chapas de aço de alta qualidade. Processo industrial teve início em 1952, quando o oxigênio tornou-se industrialmente barato. A partir daí o crescimento foi explosivo. Processo industrial teve início em 1952, quando o oxigênio tornou-se industrialmente barato. A partir daí o crescimento foi explosivo. Permite elaborar uma enorme gama de tipos de aços, desde o baixo carbono aos média-liga. Permite elaborar uma enorme gama de tipos de aços, desde o baixo carbono aos média-liga.

16 Conversor LD

17 Conversor

18

19 Metalurgia de Panela Após o refino, o aço ainda não se encontra em condições de ser lingotado. O tratamento a ser feito visa os acertos finais na composição química e na temperatura. Portanto, situa-se entre o refino e o lingotamento contínuo na cadeia de produção de aço carbono. Desta forma o FEA ou o conversor LD pode ser liberado, maximizando a produção de aço. - Forno de panela - Desgaseificação - Desgaseificação

20 Forno de Panela Forno na metalurgia de panela

21 Toda a etapa de refino do aço se dá no estado líquido. É necessário, pois, solidificá-lo de forma adequada em função da sua utilização posterior. O lingotamento do aço pode ser realizado de três maneiras distintas: - DIRETO: o aço é vazado diretamente na lingoteira; - INDIRETO: o aço é vazado num conduto vertical penetrando na lingoteira pela sua base; - CONTÍNUO: o aço é vazado continuamente para um molde de cobre refrigerado à água. Lingotamento

22 Lingotamento Contínuo

23 O lingotamento contínuo é um processo pelo qual o aço fundido é solidificado em um produto semi- acabado, tarugo, perfis ou placas para subseqüente laminação. Antes da introdução do lingotamento contínuo, nos anos 50, o aço era vazado em moldes estacionário (lingoteiras). Antes da introdução do lingotamento contínuo, nos anos 50, o aço era vazado em moldes estacionário (lingoteiras). Lingotamento Contínuo Seções possíveis no lingotamento contínuo (mm)

24 Lingotamento e Laminação

25 VídeoVídeo - Cosipa VídeoVídeo – O segredo das Coisas Aço

26 FIM


Carregar ppt "FACULDADE CAMPO REAL CURSO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO DISCIPLINA DE PROCESSOS DE FABRICAÇÃO Processo de Lingotamento ENG.º OSCAR B. MESPAQUE – 20/04/12."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google