A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

O código no qual se estrutura determinada linguagem, ou seja, a sua forma, está ligada a certos traços da matéria de expressão.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "O código no qual se estrutura determinada linguagem, ou seja, a sua forma, está ligada a certos traços da matéria de expressão."— Transcrição da apresentação:

1 O código no qual se estrutura determinada linguagem, ou seja, a sua forma, está ligada a certos traços da matéria de expressão.

2 Assim então, cada linguagem é uma combinação específica de códigos, isto significa que o agrupamento total de códigos de uma linguagem nunca é idêntico de uma linguagem para outra.

3 Existem em cada linguagem códigos de expressão e códigos de conteúdo específicos. A multimídia ( hipermídia) é uma forma eletrônica de informação tecnológica, um modo de publicação, e uma linguagem.

4 Seu espaço pode materializar o diálogo de múltiplas mídias. São informações tecnológicas, algorítimicas sem matéria visível.

5 O designer ou o artista da multimídia relaciona-se com dados numéricos, com funções e operações lógicas. Concebendo e elaborando modos flexíveis de realidades paralelas.

6 Sua matéria-prima é abstrata, são números e leis conceituais que permitem dar forma à simulações por meio de programas tradutores desses números em imagens, texto e som.

7 Multimídia é um retalho de linguagens, e os procedimentos do percurso criativo reproduzem algumas etapas de produção das mídias que compõem o seu retalho.

8 LINGUAGEM O termo é usado para determinar um sistema de signos. Esse sistema pode ser verbal, visual e/ou oral. A linguagem dá forma à construção do pensamento.

9 A linguagem é um instrumento que dá lugar à composição de signos, ou sistema de signos para possibilitar a comunicação.

10 Onde quer que uma informação seja transmitida tem-se um ato de comunicação. Não há comunicação sem informação.

11 Não há também transmissão de informação sem um canal ou veículo através do qual essa informação transite.

12 Para que haja comunicação é preciso que partilhe-se, pelo menos parcialmente, o código através da qual essa informação se organiza na forma de mensagem.

13 A linguagem é um instrumento que dá lugar à composição de signos, ou sistema de signos para possibilitar a comunicação

14 A linguagem é usada para significar todos os tipos de signos e símbolos. Desta forma, não existe pensamento sem linguagem.

15 teoria geral dos signos

16 Phaneron, ou fenômeno, é tudo aquilo que podemos sentir, perceber, inferir (deduzir por raciocínio), lembrar ou algo que podemos localizar na ordem espaço-temporal, melhor, o que identificamos como mundo real.

17 Fenômeno é qualquer coisa que aparece à mente, seja ela sonhada, imaginada, concebida, vislumbrada, alucinada...Um devaneio, um cheiro, um desejo, uma idéia geral e abstrata. Enfim, qualquer coisa.

18 Peirce observou como os fenômenos se apresentam à experiência. Esse exame tinha como objetivo revelar os diferentes tipos de elementos detectáveis nos fenômenos.

19 Agrupou os fenômenos a partir dos seus modos de combinação. E conclui que há três elementos formais, ou categorias universalmente presentes em todos os fenômenos.

20 Essas três categorias são tão gerais que podem ser vistas como tons, humores ou finos esqueletos de pensamentos, pontos para os quais tendem a convergir.

21 categoria dos fenômenos primeiridade: acaso, indeterminação, frescor, originalidade, qualidade. secundidade: força bruta, ação-reação, conflito, aqui-e-agora, esforço, resistência. terceiridade: diz respeito às idéias de generalidade, continuidade, crescimento, representação, lei.

22 O QUE É SIGNO ? Signo é uma coisa que representa uma outra coisa. Só é signo se ele carregar com ele esse caráter de representar, ou seja, de substituir uma coisa que é diferente dele.

23 interpretante objeto signo

24 Signo é alguma coisa que representa algo para alguém. Dirige-se à alguém, ou à uma mente. Para esse signo criado ele denominou interpretante do primeiro signo

25 Signo e representamen o signo representa algo para alguém, mas não condiciona a sua existência à percepção desse alguém.

26 Estas definições apontam para um engedramento lógico entre os três termos. Algo é gerado, produzido, originado da relação entre os termos: signo - objeto - interpretante.

27 Peirce afirma que o signo é determinado pelo objeto, isso nos leva a pensar que o objeto tem primazia sobre o signo. Mas na forma ordenada de um processo triádico, o objeto é um segundo em relação com o signo que é um primeiro.

28 O objeto só é acessível pela mediação do signo. O objeto é algo diverso do signo, daí haver determinação do signo pelo objeto e não uma mera substituição.

29 O terceiro nesta relação triádica é o interpretante. Aqui aparece a forma de agir do signo, aqui está a sua lógica, a sua ação.

30 O interpretante é aquilo que é determinado pelo signo ou pelo próprio objeto através da mediação do signo.

31 O interpretante é um vir a ser, um tornar-se da interpretação, portanto anterior à interpretação.

32 Uma relação de representação é uma relação triádica. Representação não se confunde com representamen ou signo. Representação está relacionada com a relação triádica.

33 ícones: dá ênfase à qualidade, ao acaso, indeterminação, presentidade, imediaticidade. Signo compartilha os caracteres do objeto.

34 índices: relação existencial, material, de resistência. Existe uma conexão existencial. Existe realmente uma conexão direta com o objeto.

35 símbolos: quando o fundamento da relação de pende de um caráter imputado, convencionado ou de lei.


Carregar ppt "O código no qual se estrutura determinada linguagem, ou seja, a sua forma, está ligada a certos traços da matéria de expressão."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google