A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Pedro Ramos, DCTI/ISCTE Diagramas de Componentes Os diagramas de componentes permitem modelar a componente física do sistema (tabelas, ficheiros executáveis,

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Pedro Ramos, DCTI/ISCTE Diagramas de Componentes Os diagramas de componentes permitem modelar a componente física do sistema (tabelas, ficheiros executáveis,"— Transcrição da apresentação:

1 Pedro Ramos, DCTI/ISCTE Diagramas de Componentes Os diagramas de componentes permitem modelar a componente física do sistema (tabelas, ficheiros executáveis, libraries, etc.). Um componente é um fragmento físico de um sistema, que pode ser conectado a outros componentes e ser substituído por equivalentes. Desenhar um diagrama de componentes implica tomar opções de desenho, nomeadamente no que diz respeito à forma de encapsulamento da informação. A arquitectura do sistema final começa a ser definida nestes diagramas (e é completada através dos Diagramas de Distribuição). Nos diagramas de componentes constam componentes, interfaces e relações. UML – Diagrama de Componentes

2 Pedro Ramos, DCTI/ISCTE Interfaces UML – Diagrama de Componentes Uma interface é um conjunto de operações que especifica parte do comportamento de um conjunto de classes. São as operações (serviços) que as classe oferecem ao exterior (outras classes). Uma interface é frequentemente vista como um conjunto de classes apenas com operações (sem atributos). O encapsulamento de classes (através das interfaces) faz com que o exterior não tenha que conhecer a estrutura interna das classes. Nomeadamente, alterações da estrutura de uma classe não têm que ser comunicadas para o exterior. Não confundir com as interfaces de JAVA.

3 Pedro Ramos, DCTI/ISCTE Exemplo de Interface (I) O acesso à base de dados deve estar isolado das restantes módulos do sistema. Este desenho facilita a migração de SGBDs e permite que uma interface interactue com mais que um SGBD. Apenas as classes de ligação a SGBD conhecem a base de dados (localização). Sybase Oracle Classes de Interface para SGBD (Select... From....) Classe UML – Diagrama de Componentes

4 Pedro Ramos, DCTI/ISCTE Exemplo de Interface (II) Não é aconselhável que as classes gráficas (ecrãs) sejam muito dependentes do modelo relacional (pequenas alterações na base de dados não deveriam originar alterações nos ecrãs). Por outro lado, as classes que encapsulam o acesso à base de dados (ie., que permitem o acesso aos dados) deverão ser independentes dos ecrãs (de modo a poderem ser partilhadas por diferentes módulos). Sybase Oracle Classes de Interface para SGBD (Select... From....) Classe Classes de Interface gráficas (Listeners) UML – Diagrama de Componentes

5 Pedro Ramos, DCTI/ISCTE Arquitectura Genérica de uma Aplicação Caso seja relevante poderá existir mais que uma camada (diferentes níveis de encapsulamento). Classes de Interface para SGBD (transacções, abrir, fechar, executar sql, ODBC, JDBC, etc...) Classes gráficas NúmeroTítuloAutor Tabela (BD) Ecrã MidlleWare Camada de software que contém as os requisitos da aplicação e que liga a BD aos ecrãs

6 Pedro Ramos, DCTI/ISCTE Classes Dados versus Classes Controlo Classes de manipulação de dados NúmeroTítuloAutor Tabela (BD) Ecrã MidlleWare cliente factura produto Gestão Clientes Gestão Assiduidade funcionário Tabela Faltas Classes de controlo de requisitos Requisito: Caso o funcionário exceda n faltas do tipo A desconta no vencimento Implementado em classes de controlo? Em classes de dados?... provavelmente nas classes de controlo

7 Pedro Ramos, DCTI/ISCTE Interfaces e Realização (I) UML – Diagrama de Componentes Uma classe pode disponibilizar várias interfaces (um certo paralelismo com as views do modelo relacional) e uma interface pode ser realizada por mais do que uma classe. A Realização é a relação entre uma classe e uma interface. > Factura Emitir() AdicionarLinha() RemoverLinha() Anular() Arquivar() Factura Número Data Linha da factura Produto Quantidade Preço Unitário 1 … * 1 Emitir() Anular() Arquivar() AdicionarLinha() RemoverLinha() Realização Podem corresponder apenas a apontadores para os métodos da classe

8 Pedro Ramos, DCTI/ISCTE Interfaces e Realização (II) UML – Diagrama de Componentes > Funcionário Alterardados() Inserir() Consulta() Funcionário Nome Morada Telefone > Consulta Funcionário Consulta() Será útil a classe funcionário?, i.e, no desenho de uma aplicação suportada por uma base de dados, deverão ser implementadas as classes correspondentes às classes do diagrama de classes? As interfaces poderão ser suficientes? Os atributos são necessários? Alterardados() Inserir() Consulta()

9 Pedro Ramos, DCTI/ISCTE Interfaces e Realização (III) UML – Diagrama de Componentes Funcionário Nome Morada Salário Novo() Remover() Alterar() Actualizar Salário() Consultar() Não é um método de objecto Apenas é um método de objecto caso seja consultar apenas a ficha de um fornecedor Funcionário Nome Morada Salário Alterar() Actualizar Salário() ConsultarFicha() Funcionários Novo() Remover() Consultar() Necessidade de duas classes (Funcionários não tem atributos porque representa a colecção dos funcionários) Os atributos das classes são públicos? Não de acordo com a teoria dos objectos Implementação: a) Actualizar Salário (IDObjecto, Novo Salário) Ou b) Integer Id Objecto; Float Salário; SetID() SetSalário() Actualizar Salário () Na solução a) não são necessários atributos na classe Funcionário Uma classe abstracta parece suficiente... A solução b) é uma tentativa de de aplicar uma teoria de objectos a uma teoria (relacional) que não é orientada a objectos?... mas tem desvantagens, por ex., ordem de atributos

10 Pedro Ramos, DCTI/ISCTE Interfaces e Realização (IV) On click em botão actualiza salário... Funcionario f = new() Funcionario f.actualizasalario(idf,salario) Public actualizasalario(id, s) Update Desvantagem: Ordem de atributos é relevante Relacional Funcionários listener

11 Pedro Ramos, DCTI/ISCTE Notas UML – Diagrama de Componentes Usualmente na representação gráfica não se discriminam as operações de uma interface. Forma gráfica mais habitual para representar interfaces: Funcionário Nome Morada Telefone AlterarDados() Inserir() Consulta() Consulta Funcionário

12 Pedro Ramos, DCTI/ISCTE Visibilidade UML – Diagrama de Componentes O tipo de visibilidade dos atributos e métodos pode ser indicado nas classes. Os tipos são: public(+) – acessível a todas as classes private(-) – acessível apenas à classe de que fazem parte protected (#) – acessível às classes que herdam a classe de que fazem parte Funcionário # Nome # Morada # Telefone # AlterarDados() - Inserir() + Consulta() Forma alternativa (mais rígida, igual para todas as classes exteriores) de implementar interfaces.

13 Pedro Ramos, DCTI/ISCTE Componentes UML – Diagrama de Componentes Um componente é uma parte física de um sistema que está localizado em um computador. Um componente pode ser visto como uma implementação de uma classe ou conjunto de classes (packages) e respectivas interfaces. Um componente também disponibiliza interfaces para o exterior. É usual tipificar (através de ícones) vários tipos de componentes. Stock.javaStock.bdFormsStock JDBC Interface O componente Stock.java usa (usage dependency) o componente Stock.bd através de uma interface JDBC Method Invocation

14 Pedro Ramos, DCTI/ISCTE Nota UML – Diagrama de Componentes É possível graficamente enumerar as classes ou packages contidos num componente. Não é usual fazer-se por razões de legibilidade do diagrama, mas, caso se opte por não o fazer, é necessário indicar os elementos de um componente de uma forma não gráfica (documento anexo).

15 Pedro Ramos, DCTI/ISCTE Diagramas de Distribuição (Deployment) Enquanto que os diagramas de componentes modelam a arquitectura do software, os diagramas de distribuição definem a arquitectura do hardware. Desenhar um diagrama de distribuição consiste essencialmente em distribuir os componentes por unidades de hardware (computadores). Nos diagramas de distribuição constam nós (processadores e devices) e relações (usualmente ligações físicas, embora possam ser indicadas relações de dependência). Os processadores são os nós capazes de executar componentes, enquanto os devices são utilizados para discriminar a interface para o exterior (impressoras, modems, monitores, etc.). UML – Diagrama de Distribuição

16 Pedro Ramos, DCTI/ISCTE Representação Gráfica UML – Diagrama de Distribuição FormStock.java > ISP > Modem > Cliente Stock.java Stock.bd > Servidor > Impressora > Monitor A indicação de estereótipos é opcional Indicação dos componentes Duas camadas no mesmo computador

17 Pedro Ramos, DCTI/ISCTE Exemplo Vídeo Classes Para gerar o Relacional

18 Pedro Ramos, DCTI/ISCTE Exemplo Vídeo Interfaces Relações de Dependência Desapareceram atributos...

19 Pedro Ramos, DCTI/ISCTE Exemplo Vídeo Interfaces (síntese) Packages

20 Pedro Ramos, DCTI/ISCTE Exemplo Vídeo Diagrama de Componentes

21 Pedro Ramos, DCTI/ISCTE Exemplo Vídeo Diagrama de Distribuição


Carregar ppt "Pedro Ramos, DCTI/ISCTE Diagramas de Componentes Os diagramas de componentes permitem modelar a componente física do sistema (tabelas, ficheiros executáveis,"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google