A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Breve História do Cinema Brasileiro Palestra de Claudio Ferraraz Jr. 13/out/2012.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Breve História do Cinema Brasileiro Palestra de Claudio Ferraraz Jr. 13/out/2012."— Transcrição da apresentação:

1

2 Breve História do Cinema Brasileiro Palestra de Claudio Ferraraz Jr. 13/out/2012

3 1895- As Cortinas se Abrem para a Magia do Cinema Irmãos Lumière Surgimento do cinema com a invenção dos irmãos Lumière, em Paris. A técnica foi desenvolvida para fins científicos e tornou-se peça fundamental do imaginário coletivo do século XX.

4 1898 Primeiro cineasta do País O cinematógrafo chega ao Brasil, trazido por Affonso Segretto, imigrante italiano que filmou cenas do porto do Rio de Janeiro. Afonso Segreto Primeiro cinegrafista e diretor de cinema do Brasil, Afonso Segreto Foto: Cinemateca Brasileira

5 1906 Filmes posados Primeiros filmes "posados" (de ficção) são produzidos por pequenos proprietários de salas de cinema do Rio e São Paulo, como Os Estranguladores, de Francisco Marzullo Época de ouro Com o aumento industrial e o crescente uso de energia elétrica no Rio de Janeiro, há um florescimento do comércio cinematográfico, dando início à chamada época de ouro, que vai até Melodramas e reconstituições de crimes são realizados por Francisco Serrador, Antônio Leal e os irmãos Botelho.

6 1911 Companhia Cinematográfica Brasileira Fundada a Companhia Cinematográfica Brasileira, dirigida por Francisco Serrador. Empresários norte-americanos visitam o Rio de Janeiro para sondar o mercado cinematográfico do País. Nos próximos dez anos, o cinema brasileiro passa a se amparar na produção de documentários e cinejornais. Empresa Serrador Detalhe de revista mostra público na Companhia Brasil Cinematográfica, da Empresa Serrador Foto: Cinemateca Brasileira

7 1923 Ciclos regionais de cinema Entre 1923 e 1933, fora do eixo Rio-São Paulo, ocorre uma série de ciclos regionais de pequena duração em Cataguases (MG), Campinas (SP), Recife (PE) e Porto Alegre (RS), entre outras cidades. Em 1930, Mário Peixoto lança Limite, clássico do nosso cinema mudo. Cena do filme Limite, de Mário Peixoto | Foto: Marina Moros | Crédito: Marina Moros Diretor pioneiro no cinema brasileiro, Humberto Mauro ( ) | Foto: Cinemateca Brasileira | Crédito: Cinemateca Brasileira

8 1923 Ciclos regionais de cinema Em 1933, Humberto Mauro lança Ganga Bruta. Na década do surgimento do som, o cinema nacional sofre a forte concorrência do esquema de distribuição das produções norte-americanas.

9 1930 Carmem Miranda A década de 30 é marcada por criações cinematográficas de peso. Adhemar Gonzaga cria a Cinédia, que produz dramas populares e comédias musicais, como Alô, Alô Brasil (1935) e Alô, Alô Carnaval (1936), que revelam a cantora Carmen Miranda, sucesso internacional. A década também é o ano de inauguração do Brasil Vita Filmes (1934) e a Sonofilmes (1937). Carmen Santos, em cena do filme Sangue Novo | Foto: Cinemateca Brasileira | Crédito: Cinemateca Brasileira

10 1941 Atlântida Cinematográfica Entra em operação a Atlântida Cinematográfica, com o lançamento de Moleque Tião, com Grande Otelo. A Atlântida faz grandes investimentos em infraestrutura e tem uma produção constante.

11 1947 Chanchadas Luiz Severiano Ribeiro, dono do maior circuito exibidor brasileiro, compra a Atlântida Cinematográfica, unindo produção e exibição de filmes. Passa a produzir comédias musicais de fácil comunicação com o público, misturadas a elementos de filmes policiais e de ficção científica, como Este mundo é um pandeiro, e consolida o ciclo das Chanchadas.

12 1949 Estúdio Vera Cruz Inaugurado o estúdio Vera Cruz, por Franco Zampari, considerado o primeiro em moldes profissionais do Brasil. A ideia surgiu de diretores que queriam realizar um tipo de cinema mais sofisticado no País. Em apenas cinco anos de existência, o estúdio realiza 18 longas-metragens.

13 1953 O Cangaceiro O filme O Cangaceiro, de Lima Barreto, produzido pelo estúdio Vera Cruz, ganha o prêmio de Melhor Filme de Aventura no Festival de Cannes.

14 1955 Cinema Novo Nelson Pereira dos Santos lança o filme precursor do Cinema Novo, "Rio, 40 Graus".

15 1960 Temática Nacional No início da década, um grupo de jovens cineastas começa realiza uma série de filmes com forte temática social. Entre eles está Glauber Rocha, cineasta baiano e símbolo do Cinema Novo. Inspirados por Nelson Pereira dos Santos e pela Nouvelle Vague francesa, diretores como Cacá Diegues, Joaquim Pedro de Andrade e Ruy Guerra participam dos mais prestigiados festivais de cinema do mundo, ganhando notoriedade e admiração do público.

16 1962 O Pagador de Promessas Anselmo Duarte ganha a Palma de Ouro em Cannes por "O Pagador de Promessas".

17 1963 Consolidação do Cinema Novo O Cinema Novo se consolida com o lançamento "Os Fuzis", de Ruy Guerra, e "Vidas Secas", de Nelson Pereira dos Santos.

18 1964 Transformação política e social Um sistema político autoritário se instala no Brasil com o Golpe Militar de Os produtores do Cinema Novo e uma nova geração de cineastas continuam a fazer obras que criticam a realidade nacional, usando metáforas para burlar a censura do governo. Glauber Rocha lança "Deus e o Diabo na Terra do Sol". O diretor rejeita o cinema popular das chanchadas e defende uma arte revolucionária, comprometida com a transformação social e política.

19 1968 Terra em Transe São lançados "Terra em Transe", de Glauber Rocha, e "O Bandido da Luz Vermelha", de Rogério Sganzerla, representantes do Cinema Novo e do Cinema Marginal. Filmes autorais convivem com o crescimento das pornochanchadas.

20 1969 Criação da Embrafilmes A Empresa Brasileira de Filmes (Embrafilmes) é criada e o Estado passa a atuar diretamente na produção e na distribuição do cinema brasileiro. Durante sua existência, foram lançados diversos filmes de sucesso como "Bye Bye Brasil" (1979), de Carlos Diegues; "Pixote, a Lei do Mais Fraco" (1981), de Hector Babenco, e "Memórias do Cárcere" (1984), de Nelson Pereira dos Santos.

21 1973 Festival de Gramado Surge o festival de Cinema de Gramado, no Rio Grande do Sul. Público prestigia a primeira edição do Festival de Gramado, em | Foto: Arquivo Marta Rossi/Gramado magazine | Crédito: Arquivo Marta Rossi/Gramado magazine

22 1976 Sucesso de público Estreia "Dona Flor e seus Dois Maridos", de Bruno Barreto, um dos maiores sucessos de público e crítica da produção nacional. O filme alcança a marca de 11 milhões de espectadores nas salas de cinema e lidera o recorde absoluto até Tropa de Elite 2 em Sônia Braga, José Wilker e Mauro Mendonça, em Dona Flor e Seus Dois Maridos | Foto: Acervo Sonia Braga | Crédito: Acervo Sonia Brag

23 1985 Novos caminhos do cinema Com o fim do regime militar e da censura, a liberdade de expressão está novamente presente no País e indica novos caminhos para o cinema brasileiro. "O Beijo da Mulher-Aranha", de Hector Babenco, foi ao Oscar e a Cannes e William Hurt ganhou o prêmio de Melhor Ator nos dois festivais.

24 1986 Eu sei que vou te amar Fernanda Torres ganha o prêmio de melhor Interpretação feminina, no Festival de Cinema de Cannes, pelo filme "Eu Sei que Vou Te Amar", de Arnaldo Jabor

25 1990 Extinção das leis de incentivo Com o encerramento das operações da Embrafilme, do Concine, da Fundação do Cinema Brasileiro e o fechamento do Ministério da Cultura, são extintas as leis de incentivo à produção, a regulamentação do mercado e até mesmo os órgãos encarregados de produzir estatísticas sobre o cinema no Brasil. Mercado é aberto aos filmes estrangeiros, quase todos norte-americanos.

26 1992 Resgate do Cinema Brasileiro Criada a Secretaria para o Desenvolvimento do Audiovisual, que libera recursos para produção de filmes por meio do Prêmio Resgate do Cinema Brasileiro.

27 1998 Central do Brasil Central do Brasil, de Walter Salles, ganha o Urso de Ouro do Festival de Cinema de Berlim. Pelo papel de Dora, Fernanda Montenegro recebe o Urso de Prata de melhor atriz no mesmo festival, além da indicação ao prêmio de melhor atriz no Oscar e no Globo de Ouro de 1999.

28 2001 Ancine Criada a Ancine, a Agência Nacional do Cinema. O filme "Abril Despedaçado", de Walter Salles, é indicado ao Globo de Ouro de Melhor Filme Estrangeiro. diretor Walter Salles, durante as gravações do filme | Foto: Anna Luiza Müller/Divulgação | Crédito: Anna Luiza Müller/Divulgação

29 2002 Cidade de Deus O filme "Cidade de Deus", de Fernando Meirelles, recebe quatro indicações ao Oscar: Melhor Diretor; Melhor Roteiro Adaptado; Melhor Edição e Melhor Fotografia. Em 2009, o longa foi escolhido um dos cem melhores filmes de todos os tempos pela revista norte-americana Time.

30 2005 Dois Filhos de Francisco O filme "Dois filhos de Francisco", de Breno Silveira, vende 5,3 milhões de ingressos, sendo o grande sucesso nacional da época e batendo o recorde do período de retomada do cinema Nacional.

31 2008 Fundo Setorial do Audiovisual A Agência Nacional de Cinema (Ancine) lança o Fundo Setorial do Audiovisual, um marco na política pública de fomento à indústria cinematográfica e audiovisual no País, ao inovar quanto às formas de estímulo estatal e à abrangência de sua atuação.

32 2008 Tropa de Elite "Tropa de Elite", do diretor José Padilha, ganha o Urso de Ouro de Melhor Filme no Festival de Berlim.

33 2009 Mais um recorde de público O longa-metragem Se eu Fosse Você 2, de Daniel Filho, recebe 6,1 milhões de espectadores, estabelecendo um novo recorde de público no período da retomada do cinema Nacional.

34 2010 Tropa de Elite 2 Três anos depois do sucesso de crítica e bilheteria com o filme Tropa de Elite, premiado com o Urso de Ouro no Festival de Berlim, a continuação do longa metragem é lançada em Dirigido por José Padilha, Tropa de Elite 2 atraiu 1,25 milhão de pessoas no primeiro fim de semana de exibição e quebrou o recorde de público em estreias do cinema nacional. O longa metragem também ultrapassou o filme Dona Flor e Seus Dois Maridos, lançado em 1976, até então o mais visto na história do cinema nacional, com 12 milhões de espectadores.

35 AnoSalas AnoSalas * Fonte: De 1971 a 2005, dados retirados do Filme B. A partir de 2006, dados produzidos pela ANCINE/SAM. Evolução do Número de Salas no Brasil

36 Ingressos Totais Renda Total (R$) Ingressos Filmes Brasileiros Renda Filmes Brasileiros (R$) Ingressos Filmes Estrangeiros Renda Filmes Estrangeiros (R$) PMI Total (R$)5,839,99 Participação de Filmes Brasileiros (ingressos) 8,03%12,42% Lançamentos Brasileiros3099 Lançamentos Estrangeiros Total de Lançamentos Bilheterias a 2011 PMI = preço médio do ingresso Fonte: 2002 a 2008: Filme B a 2011: SADIS (ANCINE).

37 Maiores Bilheterias do Cinema Brasileiro 1 - Tropa de Elite 2Tropa de Elite Dona Flor e Seus Dois Maridos O Ébrio Casinha Pequenina Jeca Tatu A Dama do LotaçãoA Dama do Lotação Se Eu Fosse Você 2Se Eu Fosse Você O Trapalhão nas Minas do Rei Salomão Lúcio Flávio - O Passageiro da Agonia Filhos de Francisco2 Filhos de Francisco Público Total Fonte: Filme B

38 Fontes: t%C3%B3ria%20do%20Cinema%20Brasileiro


Carregar ppt "Breve História do Cinema Brasileiro Palestra de Claudio Ferraraz Jr. 13/out/2012."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google