A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

NATURALISMO E PARNASIANISMO. Descrição romântica: (...) Enquanto as outras moças haviam esgotado a paciência de seus cabeleireiros (...) e coberto.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "NATURALISMO E PARNASIANISMO. Descrição romântica: (...) Enquanto as outras moças haviam esgotado a paciência de seus cabeleireiros (...) e coberto."— Transcrição da apresentação:

1 NATURALISMO E PARNASIANISMO

2

3

4 Descrição romântica: (...) Enquanto as outras moças haviam esgotado a paciência de seus cabeleireiros (...) e coberto seus colos com as mais ricas e preciosas joias, D. Carolina dividiu seus cabelos em duas tranças, que deixou cair pelas costas: não quis ornar o pescoço com seu adereço de brilhantes nem com seu lindo colar de esmeraldas. (...) Joaquim Manuel de Macedo, A Moreninha

5 Descrição naturalista: (...) As mulheres precisavam já prender as saias entre as coxas para não as molhar; via-se lhes a tostada nudez dos braços e do pescoço, que elas despiam, suspendendo o cabelo todo para o casco. Aluísio de Azevedo, O Cortiço

6 Características do Naturalismo: Romance Social – preocupação com o grupo. Romance Social – preocupação com o grupo. Crítica social ao capitalismo selvagem. Crítica social ao capitalismo selvagem. Abordagem dos marginalizados. Abordagem dos marginalizados. Predomínio do espaço exterior: Predomínio do espaço exterior: Gestos, ações e meio Supervalorização do sexo. Supervalorização do sexo. DETERMINISMO: a raça, o meio, o momento.

7

8 Aluísio Tancredo Gonçalves Azevedo nasceu em São Luís do Maranhão, em abril de Aos 19 anos foi para o Rio de Janeiro a fim de estudar na Imperial Academia de Belas Artes, e logo suas caricaturas já ilustravam jornais. Com a morte do pai, voltou para São Luís e envolveu-se com jornalismo, produzindo charges. Seus textos tinham um caráter fortemente anticlerical. Foi um literato ativo; em 1879, publicou o primeiro romance, Uma Lágrima de Mulher, influenciado pela estética romântica e com o qual irá contrastar o segundo, O Mulato, de 1881, obra que causou grande escândalo na sociedade maranhense, mas rendeu-lhe dinheiro suficiente para retornar ao Rio de Janeiro.

9 Principais obras: Uma lágrima de Mulher (1879) O Mulato (1881) Casa de Pensão (1884) O Homem (1887) O Cortiço ( 1890) O Coruja ( 1895) Mistério da Tijuca ( 1900) Condessa Vésper (1902)

10

11

12

13 Eram cinco horas da manhã e o cortiço acordava, abrindo, não os olhos, mas a sua infinidade de portas e janelas alinhadas. (...) Daí a pouco, em volta das bicas era um zunzum crescente; uma aglomeração tumultuosa de machos e fêmeas. Uns, após outros, lavavam a cara, incomodamente, debaixo do fio de água que escorria da altura de uns cinco palmos. O chão inundava-se. As mulheres precisavam já prender as saias entre as coxas para não as molhar; via-se-lhes a tostada nudez dos braços e do pescoço, que elas despiam, suspendendo o cabelo todo para o alto do casco; os homens, esses não se preocupavam em não molhar o pelo, ao contrário metiam a cabeça bem debaixo da água e esfregavam com força as ventas e as barbas, fossando e fungando contra as palmas da mão (...). AZEVEDO, Aluísio. O cortiço. São Paulo: Ática, 19

14 O Cortiço" – Personagens: Os personagens da obra são psicologicamente superficiais, ou seja, há a primazia de tipos sociais. Os principais são: JOÃO ROMÃO – taverneiro português, dono da pedreira e do cortiço. Representa o capitalista explorador. BERTOLEZA – quitandeira, escrava cafuza que mora com João Romão, para quem ela trabalha como uma máquina.

15 JERÔNIMO – português cavouqueiro, trabalhador da pedreira de João Romão, representa a disciplina do trabalho. RITA BAIANA – mulata sensual e provocante que promove os pagodes no cortiço. Representa a mulher brasileira. PIEDADE – portuguesa que é casada com Jerônimo. Representa a mulher europeia. CAPOEIRA FIRMO – mulato e companheiro que se envolve com Rita Baiana.

16 ARRAIA-MIÚDA – representada por lavadeiras, caixeiros, trabalhadores da pedreira e pelo policial Alexandre.

17 1.Pesquise como o português João Romão enriqueceu. 2.Que tipo de vida levava? 3.O que o fez acolher a escrava Bertoleza? 4.O que ele se tornou para Bertoleza? 5.Descreva a personagem Rita Baiana. 6.Quais elementos modificaram o temperamento de Jerônimo?

18 No romance O cortiço, enquanto os seres inanimados aparecem humanizados, os humanos aparecem animalizados. Considerando os trechos grifados no texto, assinale a alternativa em que isso se manifesta. a) o cortiço acordava / fossando e fungando b) do fio de água que escorria / prender as saias entre as coxas c) O chão inundava-se / tostada nudez dos braços d) suspendendo o cabelo todo / metiam a cabeça bem debaixo da água e) Eram cinco horas da manhã / das bicas era um zunzum crescente

19 Realismo: Preocupação filosófica; Preocupação filosófica; Análise psicológica Análise psicológica Pessimismo niilista Pessimismo niilista Digressão cronológica não linear Digressão cronológica não linear Capítulos curtos; Capítulos curtos; Conversação com o leitor. Conversação com o leitor.

20

21

22

23

24

25

26

27

28

29

30

31

32


Carregar ppt "NATURALISMO E PARNASIANISMO. Descrição romântica: (...) Enquanto as outras moças haviam esgotado a paciência de seus cabeleireiros (...) e coberto."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google