A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

2º. Seminário de Manutenção e Mecanização - Nordeste REDUÇÃO DE CUSTOS PELO GERENCIAMENTO DA FROTA 08 de Março de 2007.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "2º. Seminário de Manutenção e Mecanização - Nordeste REDUÇÃO DE CUSTOS PELO GERENCIAMENTO DA FROTA 08 de Março de 2007."— Transcrição da apresentação:

1

2 2º. Seminário de Manutenção e Mecanização - Nordeste REDUÇÃO DE CUSTOS PELO GERENCIAMENTO DA FROTA 08 de Março de 2007

3 O objetivo global do seminário: -Incentivo aos funcionários da área, como: gerentes, engenheiros, encarregados e técnicos das áreas em especial aos CONTROLADORES que vitalizam essas informações Padronização dos Índices Gerenciais de Manutenção e sua Determinação Padronização dos Índices Gerenciais de Manutenção e sua Determinação Troca de informações desses parâmetros Troca de informações desses parâmetros

4 Empresas Participantes Usinas Transporte Coletivo / Cargas Fornecedores Profissionais da área Técnicos Agrícolas Engenheiros Mecânicos Profissionais Liberais Cientistas

5 AGRADECIMENTO AOS PATROCINADORES PELO INCENTIVO NA REALIZAÇÃO DESSE EVENTO

6 Conhecendo a Assiste

7 SEDE ASSISTE PIRACICABA/SP. SEMINARIO MACEIÓ/AL. ESTADOS BRASILEIROS QUE A ASSISTE E ATUANTE ASSISTE PRESENTE NO BRASIL A MAIS DE 20 ANOS FROTA NACIONAL: TRATORES: Angola

8 Usina Alta Mogiana S/A Usina Serra Grande S/A Usina São João Açúcar e Álcool S/A Açucareira Bortolo Carolo S/A Destilaria Andrade S/A Usina Açucareira Furlan S/A Usina Coruripe Açúcar e Alcool Usina União E Industria S/Al Integre-se você também como outras 90 empresas já o fizeram! Alguns Clientes do Segmento do Ramo Sucro-alcooleiro Usina Santa Clotilde

9 Integre-se você também como outras 90 empresas já o fizeram! Alguns Clientes do Segmento de Transporte Rodoviário

10 REDUÇÃO DE CUSTOS PELO GERENCIAMENTO DA FROTA Participação Custo de Mecanização em Unidade Sucroalcooleira Idade da Frota Utilização dos Equipamentos

11 Participação Percentual da Mecanização no Custo Agrícola

12 A Mecanização tem alto percentual na composição do custo agrícola com tendências a aumentar; As parcelas do custo de Mecanização estão sujeitas a controles e ao gerenciamento; Existe soluções capaz de coletar, determinar e gerenciar as informações e índices permitindo otimizar o processo. Custo da Frota Canavieira

13 Período: Participação das Parcelas no Custo com a Frota

14 Fatores Preponderantes na Redução do Custo da Frota Idade da Frota Utilização dos Equipamentos Combustível e Lubrificante Manutenção Pneus Custos e Seleção de Modelos Operação (Motoristas/Operadores)

15 Ranking da Idade Média da Frota Geral em Anos Consideramos todos os nossos clientes do ramo sucro-alcooleiro para elaboração do Ranking de índices de manutenção.

16 Idade Média da Frota em Anos Classe Operacional Idade Média em Anos SENEMédia Trator Pneu 5,7 9,5 7,6 Carregadora Cana 8,1 8,0 8,1 Colhedora Cana 4,0 5,4 4,7 Média 5,9 7,6 6,8

17 Idade Média da Frota em ( h ) Classe Operacional: Idade Média em h SENE Média Trator Pneu Carregadora Cana Colhedora Cana Média

18 Idade Média da Frota em Anos Classe Operacional Idade Média em Anos SENEMédia Caminhão Canavieiro 7,1 7,6 7,4 Caminhão Basculante 6,2 12,1 9,2 Caminhão Comboio 6,0 14,1 10,1 Caminhão Borracharia 8,8 12,5 10,7 Caminhão Oficina 13,6 5,4 9,5 Automoveis e Utilitários 2,4 Média 7,4 9,0 8,2

19 Idade Média da Frota em ( km ) Classe Operacional: Idade Média em - km SENE Média Caminhão Canavieiro Caminhão Basculante Caminhão Comboio Caminhão Borracharia Caminhão Oficina Média

20 Idade Média da Frota Geral em Anos Equipamentos: Idade em AnosIdade em (h-km) SENESENE Caminhões e Assemelhados9,812, , ,0 Máquinas e Assemelhados7,69, , ,9 Veiculos Leves2,43, , ,9 Motor Estacionário7,615,32.464,73.864,4 Moto-Bombas8,711, , ,0 Média7,210,6

21 Idade Média da Frota Geral em Anos

22 Demonstrativo da Utilização Anual Média (h-km) REGIÃO Canav. Carreg.BellColhed. T.Pneu SE NE Média A não utilização da Frota é um grande vilão para aumento de custo. Quando achamos que nossos equipamentos estão novos em anos, mais na verdade estão sub utilizados.

23 Utilização Média por Classe Operacional Classe Oper. REG. Uso Médio minimomaximo D.P. Carreg. NE SD Bell NE SD

24 Utilização Média por Classe Operacional Classe Oper. REG. Uso Médio minimomaximo D.P. Colhedora NE SD Prentice NE SD Trator pneu NE SD

25 Utilização Média por Classe Operacional Classe Oper.REG. Uso Médio minimomaximo D.P. Moto Niveladora NE SD Pa Mecanica NE SD Trator Esteira NE SD

26 Utilização Média por Classe Operacional Classe Operac. REG. Uso Médio MinimoMaximo D. P. Canavieiro SE NE Basculante SE NE Cav.Mecanico SE NE Comboio SE NE

27 Utilização Média por Classe Operacional Classe Oper. REG. Uso Médio MinimoMaximo Desvio Padrao Transbordo NE SD Oficina SD NE Borracharia SD NE Utilitario SD NE

28 Utilização de Maquina Agricola Modelo Trator de Pneu

29 Composição do Custo Valtra BH Valtra BH Ano Fab R$ ,00 DEPRECIAÇÃO CONTABIL = 5 ANOS

30 Custo Fixo em Função do Uso Capital Salario Juros Utilização1.000 h4.000 h Contabil57,114,2 N. Contabil23,55,8 Redução pelo Maior Uso da Frota REDUÇÃO DE 75% DO CUSTO DE DEPRECIAÇÃO

31 Aumento da Utilização da Frota Seleção Correta dos Modelos Dimensionamento Correto da Quantidade de Equipamentos Manutenção Inteligente Planejamento Agrícola Controle do Uso

32 Tabelas da Valtra

33 Inventário da Trator de Pneu por Fabricante Região PotênciaEquipamentoVida MédiaIdade Média (cv)(n)(h)(ano) Centro-Oeste 135, ,0 Nordeste 116, ,9 Sudeste 134, ,0 Média / Total 128, ,1

34 Inventário da Frota de Carregadora de Cana por Fabricante Região PotênciaEquipamentoVida MédiaIdade Média (cv)(n)(h)(ano) Centro-Oeste 94, ,5 Nordeste 94, ,3 Sudeste 97, ,3 Média / Total 95, ,4

35

36 regiao Eficiência Horas Disponibilidade Mecânica Atendimento Densidade Manutenção Trabalhada Permanencia Centro Oeste83,6254,9314, Nordeste84,0357,3814, Sudeste85,3770,5817, Média84,6863,9016,

37 Regiao Eficiência Horas Disponibilidade Mecânica Atendimento Densidade Manutenção Trabalhadas Permanencia Centro Oeste90,0449, Nordeste87,8353,677, Sudeste90,1570,579, Média89,5064,718,

38 Comparativo de CRM / Eqpto / Ano Implementos Incorporados ( Frota Total )

39 Comparativo de CRM / Eqpto / Ano Caminhão Canavieiro

40 Comparativo de CRM / Eqpto / Ano Trator Pneu

41 Comparativo de CRM / Eqpto / Ano Carregadora de Cana

42 Comparativo de CRM / Eqpto / Ano Colhedora de Cana

43 Comparativo de CRM / Eqpto / Ano Veículos Leves e Utilitários

44 Idade Media

45 Idade Média da Frota Geral Maquina Motora

46 Idade Média da Frota Caminhões e Similares

47 Idade Média da Frota Máquinas e Similares

48 Idade Média da Frota Caminhões Canavieiro

49 Idade Média da Frota Trator Pneu

50 Idade Média da Frota Carregadora Cana

51 Idade Média da Frota Colhedora Cana

52 Idade Média da Frota Veículos Leves e Utilitários

53 Índice Manutenção Básica Máquinas/Comboio

54 Índice Manutenção Básica Medidor Parado

55 Consumo Óleo Hidráulico x Óleo Diesel Carregadora Cana

56 Consumo Óleo Hidráulico x Óleo Diesel Colhedora Cana

57 Analise dos Abastecimentos Irregulares Maior Capacidade

58 Analise dos Abastecimentos Irregulares Consumo Irregular

59 Pontualidade das Trocas de Óleo No Prazo

60 Pontualidade das Trocas de Óleo Erro no Volume

61 Pontualidade das Trocas de Óleo Erro Tipo Óleo

62 Pontualidade das Trocas de Filtros No Prazo

63 Analise Consumo Óleo Lubrificantes (Troca )

64 Analise Consumo Óleo Lubrificantes (Remonta)

65 Analise dos Motores com Remontas Acima Padrão (% Diesel mm/l)

66 Quadro de Colaboradores da Manutenção (Equipto x Funcionários)

67

68

69

70

71

72

73

74

75

76

77

78

79

80

81

82 Analise dos Índices Técnicos da Manutenção Eficiência de Disponibilidade

83 Analise dos Índices Técnicos da Manutenção Efic. Disp. Caminhão Canavieiro

84 Analise dos Índices Técnicos da Manutenção Efic. Disp. Trator Pneu

85 Analise dos Índices Técnicos da Manutenção Efic. Disp. Carregadora Cana

86 Analise dos Índices Técnicos da Manutenção Efic. Disp. Colhedora Cana

87 Analise dos Índices Técnicos da Manutenção Efic. Atendimento – Frota Geral

88 Analise dos Índices Técnicos da Manutenção Efic. Atendimento – Caminhão Canavieiro

89 Analise dos Índices Técnicos da Manutenção Efic. Atendimento – Trator Pneu

90 Analise dos Índices Técnicos da Manutenção Efic. Atendimento – Carregadora Cana

91 Analise dos Índices Técnicos da Manutenção Efic. Atendimento – Colhedora Cana

92 Analise dos Índices Técnicos da Manutenção Densidade – Frota Geral

93 Analise dos Índices Técnicos da Manutenção Densidade – Caminhão Canavieiro

94 Analise dos Índices Técnicos da Manutenção Densidade – Trator Pneu

95 Analise dos Índices Técnicos da Manutenção Densidade – Carregadora Cana

96 Analise dos Índices Técnicos da Manutenção Densidade – Colhedora Cana

97 Analise das Eficiências da Mão Obra das Seções - Geral

98 Analise das Eficiências da Mão Obra das Seções - Caminhões

99 Analise das Eficiências da Mão Obra das Seções - Máquinas

100 Analise das Eficiências da Mão Obra das Seções - Elétrica

101 Analise das Eficiências da Mão Obra das Seções - Campo

102 Analise Histograma Permanência Manutenção (0,0 á 0,5 dias)

103 Analise Histograma Permanência Manutenção (0,5 á 1,0 dias)

104 Analise Histograma Permanência Manutenção (1,0 á 3,0 dias)

105 Analise Histograma Permanência Manutenção (Acima de 3,0 dias)

106 Analise dos Motivos de Entrada na Manutenção Motivo da Entrada - Corretiva

107 Analise dos Motivos de Entrada na Manutenção Motivo da Entrada - Preventiva

108 Analise dos Motivos de Entrada na Manutenção Motivo da Entrada - Reforma

109 Analise dos Motivos de Entrada na Manutenção Motivo da Entrada – Pequenas Regulagens

110 Analise dos Agentes Causadores Manutenção Agente Causador - Quebra

111 Analise dos Agentes Causadores Manutenção Agente Causador - Programada

112 Analise dos Agentes Causadores Manutenção Agente Causador - Desgaste

113 Analise dos Agentes Causadores Manutenção Agente Causador - Borracharia

114 Analise dos Motivos das Paradas Mecânicos Motivo – Falta Ordem de Serviço

115 Analise dos Motivos das Paradas Mecânicos Motivo – Falta Urgência

116 Analise dos Motivos das Paradas Mecânicos Motivo – Deslocamento

117 Analise dos Índices Técnicos de Pneus Pneus/ Borracheiro

118 Analise dos Índices Técnicos de Pneus Pneu Comprado/ Atividade

119 Analise dos Índices Técnicos de Pneus Pneu Ressolado/ Atividade

120 Analise dos Índices Técnicos de Pneus Pneu Eliminado/ Atividade

121 Índice de Radialização Pneus Rodoviários Pneu Radial/ Total Pneu

122 Participação dos Pneus Rodoviários

123 Classificação dos Pneus por Número de Vida 1 Vida

124 Classificação dos Pneus por Número de Vida 2 Vida

125 Classificação dos Pneus por Número de Vida 3 Vida

126 Participação dos Fabricantes de Pneus Michelin

127 Participação dos Fabricantes de Pneus Goodyear

128 Participação dos Fabricantes de Pneus Firestone

129 Participação dos Fabricantes de Pneus Pirelli

130 Analise dos Pneus Reformados Índice Recusa - Reformadores

131 Analise dos Pneus Eliminados Pneu Eliminado – Corte Carcaça

132 Analise dos Pneus Eliminados Pneu Eliminado – Separação Banda

133


Carregar ppt "2º. Seminário de Manutenção e Mecanização - Nordeste REDUÇÃO DE CUSTOS PELO GERENCIAMENTO DA FROTA 08 de Março de 2007."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google