A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

BARROCO HOLANDÊS. HISTORIA DO BARROCO HOLANDÊS Embora a Holanda fizesse fronteira com Flandres, os dois países não podiam ser mais diferentes, tanto cultural.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "BARROCO HOLANDÊS. HISTORIA DO BARROCO HOLANDÊS Embora a Holanda fizesse fronteira com Flandres, os dois países não podiam ser mais diferentes, tanto cultural."— Transcrição da apresentação:

1 BARROCO HOLANDÊS

2 HISTORIA DO BARROCO HOLANDÊS Embora a Holanda fizesse fronteira com Flandres, os dois países não podiam ser mais diferentes, tanto cultural como politicamente. Enquanto Flandres era regida pela monarquia e pela Igreja Católica, a Holanda - ou Países Baixos - era um país independente, democrático e protestante. Nos rígidos e despojados templos protestantes, a arte religiosa era proibida e as fontes normais de mecenato - Igreja, corte e nobreza - tinham se acabado. O resultado foi uma democratização da arte, tanto em relação aos temas quanto aos proprietários. Pela primeira vez, os artistas foram deixados à mercê do mercado. Felizmente, a próspera classe média tinha mania de colecionar arte. Em 1640, um visitante de Amsterdã observou: "Quanto à arte da Pintura e à afeição do povo pelos quadros, acho que nenhuma outra se interpõe entre eles. Antes todos, em geral, se empenham em adornar suas casas pagando altos preços."Até açougueiros, padeiros e ferreiros compravam quadros. Em decorrência surgiu uma pintura de alta qualidade e com um número de artistas que chegava a 500 pintores, somente trabalhando com naturezas- mortas."

3 N ATUREZA MORTA A natureza morta surgiu como gênero de pintura nos Países Baixos pós-Reforma. Embora considerada uma forma inferior em outros lugares, o século XVII foi o período alto da natureza-morta na Holanda, onde os artistas atingiram um extraordinário realismo retratando objetos domésticos. A natureza- morta era emblemática: as pinturas vanitas mostravam símbolos como crânios e velas fumegantes representando a transitoriedade da vida. As paisagens holandesas eram tratadas com realismo, geralmente com um fundo de altas nuvens num céu cinzento.

4 P AISAGEM Antes do período barroco,as paisagens eram pouco mais que um fundo para o que acontecia no primeiro plano do quadro. Os holandeses consideram a paisagem merecedora de um tratamento artistico proprío. Em contraste com a franca, onde poussin e claude se consentraram numa natureza idealizada, os grandes paisagistas holandeses como Aelbert Cuyp, Jacob van Ruisdael e Meindert Hobbema trataram a natureza com realismo, geralmente com fundo de altas nuvens num céu cinzento.

5 H ALL : O MESTRE DO MEMENTO. A contribuição de Frans Hals para a arte foi sua habilidade para captar a expressão passageir. Seus quadros podiam retratar musicos, ciganos ou cidadaos respeitaveis, mas todos eram trazidos a vida, geralmente rindo e levando uma caneca. Sua marca registrada são retratos de homens e mulheres apanhados num momentos de alegre diversão.

6 V ERMEER : MESTRE DA LUZ Chamado de Esfinge de Delft devido ao mistério sobre sua vida, o pintor Johannes Vermeer e hoje consderado secundário apenas a Rembrandt dentre todos os artistas holandeses. E nenhum pintor, exceto vam Eyck, tinham tanta técnica quanto Vermeer no domínio da luz. Enquanto outros artistas usavam uma grama cinza/ verde/ marrom, as cores de Vermeer eram mais puras e vividas, com uma intensidade de brilho jamais vistas.

7 R EMENBRANDT : MUNDIALMENTE FAMOSO Provavelmente o pintor mais conhecido no mundo ocidental è Remembrandt van Rijn. Enquanto viveu, Remebrandt teve enorme sucesso como pintor e retratos. Atualmente, sua fama repousa principalmente nos quadros sérios, intropescitivos, de seus últimos anos, pinturas em que o sobreado sutil implica uma extrordinária profundidade emocional. Estilo inicial: Nos primeiros vinte anos de sua carreira, os retratos feitos por Remembrandt estavam sempre na moda, e ele vivia assoberbado com o número de encomendas.

8 R EMEBRAND : M UNDIALMENTE FAMOSO Estilo tardio: O ano de A Guarda Noturna, 1642, marcou uma virada na carreira de Remebrandt. Sua amada esposa morreu premeturamente e ele gradualmente abandonou a arte fácil do retrato com floreados barrocos, substituindo-os por um estilo mais calmo e profundo. Nessa fase de maturidade, a arte de Remebrandt tornou-se menos fisica e mais psicologica. Voltou-se para os temas biblicos, mas dando-lhes um tratamento mais contido. Xilogravura: Em termos de gravura, Remebrandt é considerado o mais perfeito de todos os tempos. Manuseanva o buril com tamanha técnica e rapidez que seus trabalhos têm a espontaneidade de um esboço.

9 Imagens

10 O Profeta Jeremias após a destruição de Jerusalém (1630)

11 O Anjo interrom pendo Abraha m sacrifica ndo Isaac para Deus (1634)

12 'Ronda Noturna', também conhecida como "A Mudança de Guarda da companhia do Capitão Frans Banning Cocq", (1642)

13 As Três Cruzes, Gravura em metal (1653 )

14 E SCOLA E STADUAL S ENADOR F ILINTO M ULLER Alunos: Juliana Mendes Mariana Trevisan Capuci Patricia Cruz Santos Rafael Beivilak Allan Viollin Tema: Barroco Holandês 2 Ano A


Carregar ppt "BARROCO HOLANDÊS. HISTORIA DO BARROCO HOLANDÊS Embora a Holanda fizesse fronteira com Flandres, os dois países não podiam ser mais diferentes, tanto cultural."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google