A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Oração do Terço. DOUTRINA IGREJA Toda a finalidade da doutrina e do ensinamento deve ser posta no amor que não acaba. Com efeito, pode-se facilmente expor.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Oração do Terço. DOUTRINA IGREJA Toda a finalidade da doutrina e do ensinamento deve ser posta no amor que não acaba. Com efeito, pode-se facilmente expor."— Transcrição da apresentação:

1 Oração do Terço

2 DOUTRINA IGREJA Toda a finalidade da doutrina e do ensinamento deve ser posta no amor que não acaba. Com efeito, pode-se facilmente expor o que é preciso crer, esperar ou fazer; mas sobretudo é preciso fazer sempre com que apareça o Amor de Nosso Senhor, para que cada um compreenda que cada ato de virtude perfeitamente cristão não tem outra origem senão o Amor, e outro fim senão o Amor.

3 Ano C- XXXIV Domingo do Tempo Comum

4 Que alegria quando me disseram Que alegria quando me disseram: vamos para a casa do Senhor. Os nossos passos se detêm às tuas portas, Jerusalém. Jerusalém edificada como cidade bem construída. Para lá sobem as tribos, as tribos do Senhor.

5 Em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo. Ámen! A graça de Nosso Senhor Jesus Cristo, o amor do Pai e a Comunhão do Espírito Santo estejam convosco. Bendito seja Deus que nos reuniu no amor de Cristo. Irmãos, para celebrar dignamente os Santos Mistérios reconheçamos que somos pecadores (momento de silêncio)

6 Confessemos os nossos pecados: Confesso a Deus Todo-Poderoso e a vós, irmãos, que pequei muitas vezes por pensamentos e palavras, actos e omissões, (batendo no peito) por minha culpa, minha tão grande culpa. E peço à Virgem Maria, aos Anjos e Santos, e a vós, irmãos, que rogueis por mim a Deus, Nosso Senhor. Deus Todo-Poderoso tenha compaixão de nós perdoe os nossos pecados e nos conduza à vida eterna. Ámen!

7 Senhor, tende piedade de nós. Cristo, tende piedade de nós. Senhor, tende piedade de nós.

8 SENHOR TEM PIEDADE DE NÓS, SOMOS O TEU POVO PECADOR TOMA A NOSSA VIDA DE PECADO E DOR, ENCHE O NOSSO ESPIRITO DE AMOR CRISTO TEM PIEDADE DE NÓS, SOMOS O TEU POVO PECADOR ……………. SENHOR TEM PIEDADE DE NÓS……………

9 Glória a Deus nas alturas, e paz na terra aos homens por Ele amados. Senhor Deus, Rei dos céus, Deus Pai todo-poderoso: nós Vos louvamos, nós Vos bendizemos, nós Vos adoramos, nós Vos glorificamos, nós Vos damos graças por Vossa imensa glória.

10 Senhor Jesus Cristo, Filho Unigénito, Senhor Deus, Cordeiro de Deus, Filho de Deus Pai: Vós que tirais o pecado do mundo, tende piedade de nós; Vós que tirais o pecado do mundo, acolhei a nossa súplica; Vós que estais à direita do Pai, tende piedade de nós. Só Vós sois o Santo;

11 só Vós, o Senhor; só Vós o Altíssimo, Jesus Cristo; com o Espírito Santo, na glória de Deus Pai. Ámen

12 ORAÇÃO COLECTA Deus eterno e omnipotente, que no vosso amado Filho, Rei do universo, quisestes instaurar todas as coisas, concedei propício que todas as criaturas, libertas da escravidão, sirvam a vossa majestade e Vos glorifiquem eternamente. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo. Amem.

13 2 Sam 5, 1-3 «Ungiram David como rei de Israel»

14 LEITURA I 2 Sam 5, 1-3 Leitura do Segundo Livro de Samuel Naqueles dias, todas as tribos de Israel foram ter com David a Hebron e disseram-lhe: «Nós somos dos teus ossos e da tua carne. Já antes, quando Saul era o nosso rei, eras tu quem dirigia as entradas e saídas de Israel.

15 LEITURA I 2 Sam 5, 1-3 E o Senhor disse-te: Tu apascentarás o meu povo de Israel, tu serás rei de Israel». Todos os anciãos de Israel foram à presença do rei, a Hebron.

16 LEITURA I 2 Sam 5, 1-3 O rei David concluiu com eles uma aliança diante do Senhor e eles ungiram David como rei de Israel. Palavra do Senhor. Graças a Deus

17

18 Refrão: Salmo 121 (122), (R. cf. 1) Refrão: Vamos com alegria para a casa do Senhor.

19 Col 1, «Transferiu-nos para o reino do seu Filho muito amado»

20 LEITURA II Col 1, Leitura da Epístola do apóstolo São Paulo aos Colossenses Irmãos: Damos graças a Deus Pai, que nos fez dignos de tomar parte na herança dos santos, na luz divina. Ele nos libertou do poder das trevas e nos transferiu para o reino do seu Filho muito amado, no qual temos a redenção, o perdão dos pecados.

21 LEITURA II Col 1, Cristo é a imagem de Deus invisível, o Primogénito de toda a criatura; Porque nEle foram criadas todas as coisas no céu e na terra, visíveis e invisíveis, Tronos e Dominações, Principados e Potestades: por Ele e para Ele tudo foi criado. Ele é anterior a todas as coisas e nEle tudo subsiste. Ele é a cabeça da Igreja, que é o seu corpo.

22 LEITURA II Col 1, Ele é o Princípio, o Primogénito de entre os mortos; em tudo Ele tem o primeiro lugar. Aprouve a Deus que nEle residisse toda a plenitude e por Ele fossem reconciliadas consigo todas as coisas, estabelecendo a paz, pelo sangue da sua cruz, com todas as criaturas na terra e nos céus. Palavra do Senhor. Graças a Deus

23 AclamaçãoAleluia. Bendito O que vem em nome do Senhor! Bendito o reino do nosso pai David!

24 Lc 23, «Lembra-Te de mim, Senhor, quando vieres com a tua realeza»

25 EVANGELHO Lc 23, O Senhor esteja convosco, Ele está no meio de Nós. Evangelho de nosso Senhor Jesus Cristo segundo S. Lucas Gloria a Vós, Senhor!

26 EVANGELHO Lc 23, Naquele tempo, os chefes dos judeus zombavam de Jesus, dizendo: «Salvou os outros: salve-Se a Si mesmo, se é o Messias de Deus, o Eleito». Também os soldados troçavam dEle; aproximando-se para Lhe oferecerem vinagre, diziam: «Se és o Rei dos judeus, salva-Te a Ti mesmo». Por cima dEle havia um letreiro: «Este é o Rei dos judeus».

27 EVANGELHO Lc 23, Entretanto, um dos malfeitores que tinham sido crucificados insultava-O, dizendo: «Não és Tu o Messias? Salva-Te a Ti mesmo e a nós também». Mas o outro, tomando a palavra, repreendeu-o: «Não temes a Deus, tu que sofres o mesmo suplício? Quanto a nós, fez-se justiça, pois recebemos o castigo das nossas más acções. Mas Ele nada praticou de condenável».

28 EVANGELHO Lc 23, E acrescentou: «Jesus, lembra-Te de Mim, quando vieres com a tua realeza». Jesus respondeu-lhe: «Em verdade te digo: Hoje estarás comigo no Paraíso». Palavra da salvação. Gloria a Vós, Senhor.

29

30 Os Israelitas sonhavam com um rei forte, que dominasse todo o povo e humilhasse os inimigos; vestido com roupas preciosas, sentado num trono de ouro, rodeado de servos para o servir; um rei que tivesse um exército para executar as suas ordens. Mas o trecho de hoje apresenta um rei pregado numa cruz, rodeado de pessoas que o insultam, que o escarnecem; não veste mantos luxuosos; não ameaça ninguém mas diz palavras de amor e de perdão.

31 Ao seu lado não tem os seus ministros e os generais do exército, nem João e Tiago que pediram os lugares de direita e esquerda na Sua realização, mas há dois malfeitores. A inscrição posta sobre a cruz proclama Rei dos Judeus; um homem derrotado e incapaz de se defender. Ao pé da cruz encontramos três grupos das pessoais diferentes. O 1º é o povo. Não faz nada, nem o bem nem o mal, observa tudo, não entende como é que um homem

32 morre sem reagir. Perguntam a si mesmos porque é que Deus não intervêm para salvar o justo, que tinha grande simpatia pelos pobres, pelos últimos, pela gente simples. No fim regressam batendo no peito Outro grupo é o dos soldados, homens pobres, arrancados às suas famílias e mandados por pouco dinheiro cometer violência - para matar e para morrer. Longe das suas mulheres,

33 filhos e dos amigos perderam todos os sentimentos humanos e sabem apenas executar ordens, e não podem manifestar uma opinião, repetem as palavras que ouviram dizer aos seus chefes, Se és o rei dos Judeus, salva-te a ti mesmo. O último grupo é o dos chefes. Os seus antepassados ungiram o rei David. Deveriam reconhecer em Jesus o Messias prometido. Pelo contrário zombam dele. Não é rei que lhes agrade, é um derrotado,

34 é incapaz de se salvar, não desce da cruz. Porquê não desce Jesus da cruz e faz um milagre? Porque o conceito de rei é diferente. Não quer ser igual aos chefes - forte, arrogante, opressor, vingativo e armado. Do alto da cruz Jesus indica a todos quem é o rei escolhido por Deus. È aquele que aceita a humilhação; que escolhe o último lugar para servir o pobre. Ao lado da cruz estão crucificados dois malfeitores

35 Como o povo, como os chefes, como os soldados um deles não compreende nada. A única coisa que espera do Messias é a libertação. Jesus foi submetido a suplício e Ele não se ajuda, mostra-se incapaz de atender o seu pedido. O segundo malfeitor é o único que reconhece em Jesus o rei esperado. Jesus, lembra-te de mim, quando vieres com a tua realeza. Chama- O pelo nome. Sente-o amigo. Não o considera um senhor mas um companheiro de viagem.

36 Não espera de Jesus uma libertação milagrosa; pede apenas para fazer com Ele os últimos passos da vida, que foi cheia de crimes e erros. Antes de morrer Jesus pronunciou uma sentença de absolvição. O processo contra os inimigos de Jesus não será reaberto, não haverá uma revisão da sentença. Jesus pronunciou o seu juízo definitivo.

37 Absolveu os seus algozes e salvou-os no momento mais glorioso da sua vida. Para nós um rei triunfa quando vence, derrota, humilha. Para Jesus o rei é que sofre, ama, perdoa, consola e aceite humilhação. Não é fraco, mas mais forte do que os vencedores e os criminosos. Assim Seja!

38 «Lembra-Te de mim, Senhor, quando vieres com a tua realeza»

39

40 Creio em um só Deus, Pai todo-poderoso, Criador do céu e da terra De todas as coisas visíveis e invisíveis. Creio em um só Senhor, Jesus Cristo, Filho Unigénito de Deus, nascido do Pai antes de todos os séculos: Deus de Deus, Luz da Luz, Deus verdadeiro de Deus verdadeiro; Gerado, não criado, consubstancial ao Pai. Por Ele todas as coisas foram feitas. E por nós, homens, e para nossa salvação

41 desceu dos céus (Faz-se inclinação) E encarnou pelo Espírito Santo, no seio da Virgem Maria. e Se fez homem. Também por nós foi crucificado sob Pôncio Pilatos; padeceu e foi sepultado. Ressuscitou ao terceiro dia, conforme as Escrituras; e subiu aos céus, onde está sentado à direita do Pai.

42 De novo há-de vir em sua glória, para julgar os vivos e os mortos; e o seu reino não terá fim. Creio no Espírito Santo. Senhor que dá a vida, e procede do Pai e do Filho; e com o Pai e o Filho é adorado e glorificado: Ele que falou pelos Profetas.

43 Creio na Igreja una, santa, católica e apostólica. Professo um só batismo Para remissão dos pecados. E espero a ressurreição dos mortos, e vida do mundo que há-de vir. Ámen.

44

45 Irmãos e irmãs: Unidos a todos os cristãos do Oriente e do Ocidente, voltemo-nos para Deus com humildade e peçamos pela Igreja e pelo mundo, dizendo Senhor, venha a nós o vosso reino. Pela santa Igreja e pelos seus pastores, pelos cristãos de todos os continentes e nações e pelos Judeus, Muçulmanos e descrentes, oremos ao Senhor. Senhor, venha a nós o vosso reino.

46 Por todos os homens pelos quais Cristo morreu, por aqueles que O insultam e desprezam e por todos os que na cruz chamam por Ele, oremos ao Senhor. Senhor, venha a nós o vosso reino. Pelos que detêm autoridade neste mundo, pelos homens que estão em guerra e passam fome e pelas vítimas do ódio e da violência, oremos ao Senhor. Senhor, venha a nós o vosso reino.

47 Por aqueles que vivem longe de Deus e pelos que abrem o coração à voz de Cristo, que lhes promete o perdão e o Paraíso, oremos ao Senhor. Senhor, venha a nós o vosso reino. Por nós mesmos e pelas nossas famílias, pelos que servem a Cristo nos mais pobres e pelos que já partiram para o Reino, oremos ao Senhor. Senhor, venha a nós o vosso reino. (Outras intenções: factos relevantes da vida paroquial; defuntos das nossas famílias...).

48 Deus, amigo dos homens, que, em Jesus, nos dais a conhecer o nosso Rei, fazei-nos escolher, como Ele, o amor como força invencível e o serviço como única grandeza. Por Cristo, nosso Senhor. Ámen.

49

50 Eu não sou nada e do nada nasci, mas Tu me amas e morreste por mim; em frente à cruz eu só posso dizer: eu sou Teu, eu sou Teu! Toma meus braços, Te peço, toma meus lábios, Te amo, toma minha vida, ó Pai, eu sou Teu, eu sou Teu. Quando de joelhos eu Te olho Jesus, vejo Tua grandeza e minha pequenez. Que posso eu dar-Te, eu apenas, meu ser, eu sou teu, eu sou Teu.

51 Orai, Irmãos para que o meu e vosso sacrifício seja aceite por Deus Pai todo-poderoso. Todos: receba o Senhor por tuas mãos este sacrifício, para honra e glória do seu nome, para nosso bem e de toda a santa Igreja

52 (Todos de pé) ORAÇÃO SOBRE AS OBLATAS Aceitai, Senhor, este sacrifício da reconciliação humana e, pelos méritos de Cristo vosso Filho, concedei a todos os povos o dom da unidade e da paz. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo. Amen.

53 Prefácio V. O Senhor esteja convosco. R. Ele está no meio de nós. V. Corações ao alto. R. O nosso coração está em Deus. V. Dêmos graças ao Senhor nosso Deus. R. É nosso dever, é nossa salvação.

54 Senhor, Pai santo, Deus eterno e omnipotente, é verdadeiramente nosso dever, é nossa salvação dar-Vos graças, sempre e em toda a parte: Com o óleo da alegria consagrastes Sacerdote eterno e Rei do universo o vosso Filho, Jesus Cristo, Nosso Senhor, para que, oferecendo-Se no altar da cruz, como vítima de reconciliação, consumasse o mistério da redenção humana e,

55 submetendo ao seu poder todas as criaturas, oferecesse à vossa infinita majestade um reino eterno e universal: reino de verdade e de vida, reino de santidade e de graça, reino de justiça, de amor e de paz. Por isso, com os Anjos e os Arcanjos e todos os coros celestes, proclamamos a vossa glória, cantando numa só voz:

56

57 Sac. Vós, Senhor, sois verdadeiramente santo, sois a fonte de toda a santidade. Reunidos na vossa presença, em comunhão com toda a igreja, ao celebrarmos o dia santíssimo em que o Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho Unigénito, colocou à direita da vossa glória a nossa frágil natureza humana unida á sua divindade, humildemente vos suplicamos: Santificai estes dons, derramando sobre eles o Vosso Espírito, de modo a que se convertam para nós, no Corpo e Sangue de Nosso Senhor Jesus Cristo.

58 (Todos ajoelham) Na hora em que Ele se entregava, para voluntariamente sofrer a morte, tomou o pão e, dando graças, partiu-o e deu-o aos seus discípulos, dizendo: Tomai, todos, e comei: isto é o meu Corpo que será entregue por vós.

59 De igual modo, no fim da Ceia, tomou o cálice e, dando graças, deu-o aos seus discípulos, dizendo: Tomai, todos, e bebei: este é o cálice do meu Sangue o Sangue da nova e eterna aliança, que será derramado por vós e por todos, para remissão dos pecados. Fazei isto em memória de mim.

60 Mistério da Fé! Anunciamos, Senhor, a vossa morte, proclamamos a vossa ressurreição. Vinde, Senhor Jesus!

61 Sac. Celebrando agora, Senhor, o memorial da morte e ressurreição de vosso Filho nós Vos oferecemos o pão da vida e o cálice da salvação e Vos damos graças porque nos admitistes à vossa presença para Vos servir nestes santos mistérios. Humildemente Vos suplicamos que, participando no Corpo e Sangue de Cristo, sejamos reunidos, pelo Espírito Santo, num só corpo.

62 Lembrai-Vos, Senhor, da vossa Igreja, dispersa por toda a terra, e tornai-a perfeita na caridade em comunhão com o Papa Francisco, e o nosso Patriarca D. Manuel Clemente, os bispos auxiliares e todos aqueles que estão ao serviço do vosso povo. Lembrai-Vos também dos nossos irmãos que adormeceram na esperança da ressurreição, e de todos aqueles que na vossa misericórdia partiram deste mundo:

63 admiti-os na luz da vossa presença. Tende misericórdia de nós, Senhor, e dai- nos a graça de participar na vida eterna, com a Virgem Maria, Mãe de Deus, São José seu esposo, os bem-aventurados Apóstolos e todos os Santos que desde o princípio do mundo viveram na vossa amizade, para cantarmos os vossos louvores, por Jesus Cristo, vosso Filho.

64 Por Cristo, com Cristo, em Cristo, a Vós, Deus Pai todo-poderoso, na unidade do Espírito Santo, toda a honra e toda a glória agora e para sempre… Ámen.

65

66 Pai Nosso, que estais nos céus, santificado seja o Vosso nome. Venha a nós o Vosso Reino. Seja feita a Vossa vontade, assim na Terra como no Céu. O pão nosso de cada dia nos dai hoje. Perdoai-nos as nossas ofensas assim como nós perdoamos a quem nos tem ofendido. E não nos deixeis cair em tentação, mas livrai-nos do mal.

67 Sac. Livrai-nos de todo o mal, Senhor, e dai ao mundo a paz em nossos dias, para que, ajudados pela vossa misericórdia, sejamos sempre livres do pecado e de toda a perturbação, enquanto esperamos a vinda gloriosa de Jesus Cristo nosso Salvador. Vosso é o reino e o poder e a glória para sempre.

68 Sac. Senhor Jesus Cristo, que dissestes aos vossos Apóstolos. Deixo-vos a paz, dou-vos a minha paz: não olheis aos nossos pecados mas à Fé da vossa Igreja e dai-lhe a união e a paz, segundo a Vossa vontade. Vós que sois Deus com o Pai na unidade do Espírito Santo. Amem. A paz do Senhor esteja sempre convosco. O amor de Cristo nos uniu. Sac. Saudai-vos na paz de Cristo.

69

70 CORDEIRO DE DEUS, QUE TIRAIS O PECADO DO MUNDO. TENDE PIEDADE DE NÓS, CORDEIRO DE DEUS, QUE TIRAIS O PECADO DO MUNDO. TENDE PIEDADE DE NÓS, CORDEIRO DE DEUS, QUE TIRAIS O PECADO DO MUNDO. DAI-NOS A PAZ,

71 Sac. Felizes os convidados para a Ceia do Senhor. Eis o Cordeiro de Deus, que tira os pecados do mundo. Senhor, eu não sou digno de que entreis em minha morada, mas dizei uma palavra e serei salvo

72

73 Confiarei nessa voz que não se impõe mas que oiço bem cá dentro, no silêncio, a segredar. Confiarei, ainda que mil outras vozes corram muito mais velozes para me fazer parar. E avançarei, avançarei no meu caminho. Agora eu sei que Tu comigo vens também: Aonde fores, aí estarei; Sem medo, avançarei!

74 O Senhor é meu pastor, Sei que nada temerei. Ele guia o meu andar, Sem medo avançarei. (2x) Confiarei na Tua mão que não me prende, mas aceita cada passo do caminho que eu fizer. Confiarei, ainda que o dia escureça não há mal que me aconteça, se conTigo eu estiver.

75 E avançarei, avançarei no meu caminho. Agora eu sei que Tu comigo vens também: Aonde fores, aí estarei; Sem medo, avançarei!

76

77 Não sei como louvar-Te, nem que dizer Senhor Confio na Tua palavra que me abre o coração. Toma a minha vida, que é simples a pedir, Ela quer o louvor pelo que fazes em mim. Glória, glória a Deus, glória, glória a Deus Glória, glória a Deus, glória, glória a Deus (bis) Sinto em mim Tua presença, sou como Tu me vês, Toma a minha pobreza e dá-me a Tua paz. Indigno dos Teus dons, mas por Teu grande amor O Espírito me anima, graças Te damos Senhor.

78 Oração depois da comunhão Senhor, que nos alimentastes com o pão da imortalidade, fazei que, obedecendo com santa alegria aos mandamentos de Cristo, Rei do universo, mereçamos viver para sempre com Ele no reino celeste. Ele que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo. Amem.

79

80 Sac. O Senhor esteja convosco. Ele está no meio de nós. Sac. Abençoe-vos Deus todo-poderoso, Pai, Filho e Espírito Santo. Ámen. Sac. Ide em paz e o Senhor vos acompanhe. Graças a Deus.

81 Cristo Vence, Cristo Reina, Cristo, Cristo, Impera

82

83 Ficha técnica : Eucaristia Celebrada por : Fr. Jacob Puthiyaparampil Animada por : Grupo de Jovens Seguindo teus Passos Projeção : Joshua Oliveira Realização : A. Alberto Sousa Imagens recolhidas : Via Google Projeção disponível : www. mcccastanheira. blogspot. pt www. mcccastanheira


Carregar ppt "Oração do Terço. DOUTRINA IGREJA Toda a finalidade da doutrina e do ensinamento deve ser posta no amor que não acaba. Com efeito, pode-se facilmente expor."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google