A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

CONTROLE DO CORPO SISTEMA NERVOSOSISTEMA ENDÓCRINO Ação rápida e fugaz A curtíssimo prazo Efeito localizado Ação lenta porém duradoura A médio e longo.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "CONTROLE DO CORPO SISTEMA NERVOSOSISTEMA ENDÓCRINO Ação rápida e fugaz A curtíssimo prazo Efeito localizado Ação lenta porém duradoura A médio e longo."— Transcrição da apresentação:

1

2

3 CONTROLE DO CORPO SISTEMA NERVOSOSISTEMA ENDÓCRINO Ação rápida e fugaz A curtíssimo prazo Efeito localizado Ação lenta porém duradoura A médio e longo prazo Efeito amplo Os dois sistemas agem de maneira integrada. Garantem a homeostasia do organismo tornando-o operacional para se relacionar com o meio ambiente.

4 HOMEOSTASIA Tendência permanente do organismo manter a constância do meio interno. Estado de independência relativa do organismo em relação às oscilações do ambiente externo. Claude Bernard O corpo vivo, embora necessite do ambiente que o circunda, é, apesar disso, relativamente independente do mesmo. Esta independência do organismo com relação ao seu ambiente externo deriva do fato de que, nos seres vivos, os tecidos são, de fato, removidos das influências externas diretas, e são protegidos por um verdadeiro ambiente interno, que é constituído, particularmente, pelos fluidos que circulam no corpo.

5 Como garantir as condições de estabilidade operacional do meio ambiente interno? O corpo possui órgãos efetuadores que através de ações contráteis (músculos) e secretoras (glândulas) manifestam as reações necessárias para os ajustes. Essas reações correspondem às respostas reflexas locais (no coração, nos vasos, nos rins, nos pulmões, no trato gastrintestinal, etc) e às reações globais que envolvem todo o organismo. vontade. A integração dessas ações homeostáticas depende do Sistema Nervoso Central, do Sistema Endócrino e do Sistema Imune.

6 Controlar ou regular uma quantidade num determinado nível e mantê-lo estável a longo prazo. Órgãos Sensoriais Órgãos Sensoriais Estímulo Alça de retro-alimentação _ SISTEMA NERVOSO SISTEMA ENDÓCRINO SISTEMA NERVOSO SISTEMA ENDÓCRINO Músculo esquelético Órgãos viscerais Glândulas Músculo esquelético Órgãos viscerais Glândulas Comportamento Resposta fisiológica Mecanismo de retro-alimentação NEGATIVA

7 ParâmetrosVariações Normais pH7,35 – 7,43 HCO ,3 - 28,5 mEq/L Na – 156 mEq/L Ca ++ 4,6 – 5,2 mEq/L O2O2 17,2 – 22,0 ml/100ml Uréia mg/100ml Aminoácidos3,3 - 5,1 mg/100ml Proteínas6,5 – 8,0 mg/100ml Lipídios Totais mg/100ml Glicose mg/100ml Variações normais para determinados parâmetros sanguíneos

8 DEFINIÇÃO Conjunto de órgãos que apresentam como atividade característica a produção de secreções denominadas hormônios Obs.: Os órgãos que têm sua função controlada e/ou regulada pelos hormônios são denominados órgãos-alvo.

9 MECANISMO DE AÇÃO HORMONAL- Esteróides * Especificidade das células-alvo ->Hormônios do córtex da adrenal (cortisol e aldosterna ->Hormônio da tireóide tiroxina derivado de AA não-polar

10 MECANISMO DE AÇÃO HORMONAL-Peptídios -> Hormônios da hipófise ->Hormônio da medula da adrenal: adrenalina e noradrenalina -> Insulina e glucagon -> CONSEQÜÊNCIA administração oral ou sangüínea

11 As Glândulas Endócrinas secretam os hormônios que atuam na fisiologia biológica do organismo. - HIPÓFISE - TIREÓIDE - PARATIREÓIDE - SUPRA-RENAL - PÂNCREAS - OVÁRIO - TESTÍCULOS

12 É o Centro de Controle do comportamento Interno e ativador das Glândulas Endócrinas HIPOTÁLAMO PINEAL ou EPÍFISE Estimulada pela escuridão Inibida pela luz René Descartes ( ) afirmou que a glândula pineal é a parte do corpo a qual a alma está associada

13 Relógio Biológico

14 HIPÓFISE OU PITUITÁRIA LOCALIZAÇÃO: –Base do encéfalo, em uma cavidade do osso esfenóide chamada tela túrcica. TAMANHO APROXIMADO: –grão de ervilha PARTES: –Lobo anterior (ou adeno-hipófise) –Lobo posterior (ou neuro-hipófise).

15 REPRESENTAÇÃO DA HIPÓFISE

16

17 ADENO-HIPÓFISE - LH (Luteinizante) e FSH (Folículo estimulante) Função: Atuam na produção de gametas e hormonios sexuais Disfunção: Esterilidade - HEC (Hormônio do Crescimento) Função: Crescimento Disfunção: Nanismo, Gigantismo e Acromegalia - PROLACTINA Função: Estimula a produção de leite Disfunção: Não produz leite

18 Hormônio prolactina ou lactogênio:. Secreção do leite (estimulado pela sucção). Hormônios ocitocina e prolactina: eliminação e produção do leite, respectivamente

19 NEURO-HIPÓFISE Vasopressina (hormônio antidiurético / ADH): Regula os níveis de água no sangue, agindo sobre a filtragem de fluidos pelos rins, estimulando a reabsorção de água conforme a necessidade do organismo; Função: Reabsorção de água nos rins Disfunção: Diabetes insipido (sede excessiva e urina volumosa) - OCITOCINA Função: Contração do útero, liberação de leite Disfunção: Útero não contrai e leite não é liberado

20 Obs.: HIPOTÁLAMO Estimula a hipófise a liberar os hormônios gonadotróficos (FSH e LH) Produz fatores de liberação que atuam sobre a adeno-hipófise, estimulando ou inibindo suas secreções. Produz os hormônios ocitocina e ADH (antidiurético), armazenados e secretados pela neuro-hipófise.

21

22 . Na infância – falta (nanismo) e excesso (gigantismo). No adulto – excesso (acromegalia) gigantismoAcromegalia: desenvolvimento dos dedos e mandíbula

23 Hormônio de crescimento 1. Hormônio do crescimento induz o crescimento de músculos e ossos. <- Gigantismo e nanismo hipofisário

24

25 TIMO Produz células T para defesa do organismo

26 TIREÓIDE Localização: –Pescoço, estando apoiada sobre as cartilagens da laringe e da traquéia Hormônios: –Triiodotironina (T3) –Tiroxina (T4) –Calcitonina

27

28 Triiodotironina e tiroxina: –Aumentam a velocidade dos processos de oxidação e de liberação de energia nas células do corpo, elevando a taxa metabólica e a geração de calor. –Estimulam ainda a produção de RNA e a síntese de proteínas –Relacionados ao crescimento, maturação e desenvolvimento.

29 Calcitonina: –Participa do controle da concentração sangüínea de cálcio, inibindo a remoção do cálcio dos ossos e a saída dele para o plasma sangüíneo, estimulando sua incorporação pelos ossos.

30

31 Hipertireoidismo – mostrando a exoftalmia.

32 Bócio endêmico – falta de iodo. Obrigatoriedade na adição de iodo no sal.

33 PARATIREÓIDES Pequenas glândulas, geralmente em número de quatro Localização: –Região posterior da tireóide. Hormônio: –Paratormônio

34 Paratormônio: –Estimula a remoção de cálcio da matriz óssea (o qual passa para o plasma sangüíneo), –Estimula a absorção de cálcio dos alimentos pelo intestino –Estimula a reabsorção de cálcio pelos túbulos renais, aumentando a concentração de cálcio no sangue.

35

36 TIREÓIDE - TIROXINA Função: Acelera o metabolismo e controla a taxa de iodo Disfunção: Reduz o metabolismo; Bócio Endêmico (papo) - CALCITONINA Função: Inibe a retirada de cálcio dos ossos Disfunção: Distúrbio de cálcio

37 PARATIREÓIDE - PARATORMÔNIO Função: Aumenta a taxa de cálcio e fósforo no sangue Disfunção: Osteosporose

38 ADRENAIS OU SUPRA- RENAIS Localização: –Duas glândulas localizadas sobre os rins Partes: –Medula –Córtex

39 SUPRA-RENAL Subdivide-se em Medula e Córtex O córtex produz aldosterona, cortisona cortisol e hormônios sexuais A medula produz adrenalina e noradrenalina Córtex Medula

40 Córtex: –Secreta três tipos de hormônios: Glicocorticóides Mineralocorticóides Androgênicos Medula: –Secreta dois hormônios: Adrenalina ou epinefrina Noradrenalina ou nora-epinefrina

41 Glicocorticóides: –Estimulam a conversão de proteínas e de gorduras em glicose –Diminuem a captação de glicose pelas células, aumentando, assim, a utilização de gorduras. –Eleva a concentração de glicose no sangue, a taxa metabólica e a geração de calor. –Os glicocorticóides também diminuem a migração de glóbulos brancos para os locais inflamados, determinando menor liberação de substâncias capazes de dilatar as arteríolas da região; conseqüentemente, há diminuição da reação inflamatória.

42 Mineralocorticóides: –Aumentam a reabsorção, nos túbulos renais, de água e de íons sódio e cloreto, aumentando a pressão arterial. Andrógenos: –Desenvolvimento e manutenção dos caracteres sexuais secundários masculinos.

43 SUPRA-RENAL (Medula) - ADRENALINA Função: Regula a pressão sangüínea, estimula a quebra do glicogênio, põe o organismo em estado de alerta (prontidão) Disfunção: Taquicardia, Bradicardia, Disfunções na taxa de glicose

44 Adrenalina: –Promove taquicardia (batimento cardíaco acelerado), –Aumento da pressão arterial –Aumento das freqüências cardíaca e respiratória, –Aumento da secreção do suor, –Aumento da secreção da glicose sangüínea, –Aumento da atividade mental –Constrição dos vasos sangüíneos da pele.

45 SUPRA-RENAL (Córtex) - CORTISONA, CORTISOL, ALDOSTERONA, … Função: Regulam o metabolismo da glicose e atuam como antiinflamatório; regulam a concentração de Na e K; atuam no desenvolvimento das características sexuais secundárias Disfunção: Anormalidades na taxa de Na, K e nas características sexuais secundárias

46 PÂNCREAS Glândula mista ou anfícrina Porção endócrina: –ilhotas de Langerhans –secretam os dois hormônios: Insulina glucagon

47 Insulina: –Aumenta a captação de glicose pelas células –Inibe a utilização de ácidos graxos e estimula sua deposição no tecido adiposo. –No fígado, estimula a captação da glicose plasmática e sua conversão em glicogênio. Conclusão: –Provoca a diminuição da concentração de glicose no sangue.

48 Glucagon: –Ativa a enzima fosforilase, que fraciona as moléculas de glicogênio do fígado em moléculas de glicose, que passam para o sangue. Conclusão: –Eleva a taxa de glicose sangüínea (glicemia)

49 PÂNCREAS - INSULINA Função: Reduz a taxa de glicose no sangue, facilita absorção de glicose e promove o estoque de glicogênio Disfunção: Diabetes melito; Hiperglicemia

50 PÂNCREAS - GLUCAGON Função: Estimula a transformação de glicogênio em glicose Disfunção: Hipoglicemia A secreção endócrina do pâncreas é feita através de milhares de grupamentos celulares denominados Ilhotas de Langerhans

51 GÔNADAS MASCULINAS e FEMININAS OVÁRIOS TESTÍCULOS

52 GÔNADAS FEMININAS – OVÁRIOS - ESTROGÊNIO Função: promove desenvolvimento das características sexuais secundárias femininas e regulagem do ciclo menstrual - PROGESTERONA Função: promove o desenvolvimento do endométrio (fase proliferativa lútea do ciclo menstrual), preparação do útero para gravidez e das mamas para lactação Disfunção: Atrofia das características sexuais, alteração no ciclo menstrual, aborto espontâneo

53 GÔNADAS MASCULINAS - TESTÍCULOS - TESTOSTERONA Função: promove o desenvolvimento das características sexuais secundárias e promove a espermatogênse (produção de espermatozóides) Disfunção: Atrofia das características sexuais, alteração na produção dos espermatozóides.


Carregar ppt "CONTROLE DO CORPO SISTEMA NERVOSOSISTEMA ENDÓCRINO Ação rápida e fugaz A curtíssimo prazo Efeito localizado Ação lenta porém duradoura A médio e longo."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google