A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

1. O nome Miquéias é comum no Antigo Testamento e significa quem é como jeová. 2. Natural de Moresete, uma aldeia na judéia que ficava a quarenta quilômetros.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "1. O nome Miquéias é comum no Antigo Testamento e significa quem é como jeová. 2. Natural de Moresete, uma aldeia na judéia que ficava a quarenta quilômetros."— Transcrição da apresentação:

1

2 1. O nome Miquéias é comum no Antigo Testamento e significa quem é como jeová. 2. Natural de Moresete, uma aldeia na judéia que ficava a quarenta quilômetros ao sudoeste de Jerusalém.

3 3. O livro não fala nada sobre o parentesco do profeta, provavelmente a razão se deva a sua família não ser proeminete. 4. O profeta é identificado pela cidade natal porque seu ministério ocorreu em outra localidade. 5. Miquéias é mencionado em Jr

4 6. Contemporâneo de Isaías. Alguns julgam que enquanto Isaías prega à corte real e à Aristocracia de Jerusalém, Miquéias pregava ao povo do interior de Judá. Outros afirmam categoricamente que Miquéias pregou em Jerusalém.

5 1. O primeiro versículo do livro data o ministério do profeta conforme os reis que lhe foram contemporâneos. 2. Jotão = 750 – 732 ( início do ministério no final deste reinado)

6 3. Acaz = 732 – Ezequias =716– 686 (término do ministério no começo deste reinado) 5. A referência ao julgamento de Samaria (1.6) indica que a pregação de Miquéias começou bem antes de 722 a.C., ano em que Samaria caiu sob o domínio da Assíria

7 6. O lamento de Miquéias em , as cidades mencionadas nesta passagem ficam na rota do exército de Senaqueribe quando chegou a Jerusalém em 701 a.C.. 7. A referência em Jeremias cita Miquéias 3.12 como um oráculo proferido durante o reinado de Ezequias.

8 1. Aqueles que entendem as profecias como revelação da parte de Deus das coisas que estão por vir, dão a autoria do livro todo a Miquéias. 2. Aqueles que negam a profecia sobrenatural reconhecem apenas parte do livro como sendo de autoria de Miquéias.

9 3. Os oráculos autênticos de miquéias limitam-se aos capítulos1-3. (Bernhard Stade – 1881) 4. Ewald em 1978 defende uma distinção de períodos entre os capítulos 1-5 e 6-7

10 5. Outros estudiosos consideram acréscimos posteriores somente os oráculos de esperança (2.12,13; ; ). O argumento é que os oráculos de esperança não foram anuncioados por profetas pré- exílicos, pois teria enfraquecido o poder dos oráculos de juízo.

11 1. Miquéias inicia seu ministério anos antes da queda de Samaria em 722 a.C., Nesta época a Assíria era comandada por Salmaneser V. 2. Ezequias, rei de Judá, na época em que Senaqueribi comandava a Assiria, rebelou- se e deixou de submeter-se a Assíria. (2 Rs 18.7)

12 3. Como reação, Senaqueribe ameaçou a independência de Jerusalém (701), mas, durante o ministério de Isaías e Miquéias, Ezequias arrependeu-se de seus pecados e Deus poupou a cidade de Jerusalém. 4. A profecia de Miquéias previa a destruição de Jerusalém pelos babilônicos, o que aconteceu em 586 a.C. e também previa o retorno do cativeiro que ocorreu em 539 a.C.

13 O propósito está declarado no livro 3.8.

14 I – AS PRIMEIRAS MENSAGENS DE DESTRUIÇÃO a) 1.2 – 2.11 Deus está para visitar o mundo como juiz, e Samaria seria sua primeira parada. (1.2-9) O reino do sul também cairia ( )

15 A lista de pecados que torna necessário o julgamento (2.1-5) Ataque aos insensíveis que acumulam terras e os que se proclamam profetas e os apoiam. (2.6-11)

16 III – SEGUNDA MENSAGEM DE DESTRUIÇÃO 1) Capítulo 3 a) Outro motivo para julgamento era o completo colapso dos líderes de judá. Miquéias denuncia em que os direitos humanos estão sendo suprimidos nas cortes judiciais

17 IV – SEGUNDA MENSAGEM DE ESPERANÇA 1) a) O panorama melancólico de degeneração religiosa e social seria sucedido de um futuro mais brilhante. b) Este oráculo de salvação ocorre de modo mais abreviado em Is 2.2-5

18 V – TERCEIRA MENSAGEM DE DESTRUIÇÃO 1) 6.1 – 7.7 a) Desenrola-se um corte judicial em 6.1-8; b) Os montes são chamados para a testemunhar a disputa entre Javé e seu povo; c) Deus alega quebra de contrato;

19 d) A fim de provar a própria boa vontade, Deus menciona o êxodo e a dádiva da terra; e) Miquéias coloca uma declaração nos lábios do povo oferecendo ato religioso que Deus possa pedir, f) A réplica do profeta no verso 8, mostra que eles não entenderam o que ocorria. Não se tratava de manifestações de culto, mas de um estilo de vida reto que valide um relacionamento saudável com Deus.

20 f) A acusação divina torna-se específica em g) A referência a Onri e Acabe indica que os mesmos tipos de corrupção que destruíram o reino do norte agora se disseminam por Judá h) O quadro de traição e opressão encerra-se em 7.1-7

21 II – O PRIMEIRO INDÍCIO DE ESPERANÇA 1) a) Miquéias não pregou destruição e esperança ao mesmo tempo – o que confundiria os ouvintes. Os que preservaram e editaram seus pronunciamentos queriam destacar que o julgamento jamais seria a última palavra de Javé para o povo da aliança

22 1. O povo, em especial a classe alta era culpada de injustiça. ( 2.1,2; 3.1-3, 9-11; ) 2. O resultado era sofrerem destruição e exílio.

23 3. Os cinco oráculos de julgamento. a. Destruição dos lugares e objetos de culto (1.3-7; 3.12) b. Devastação política, incluindo subversão de cidades e envio dos habitantes ao exílio. ( )

24 c. Julgamento pessoal contra ofensores específicos. ( d. Julgamento espiritual, privando os profetas de revelação (3.6,7) e. Julgamento socioeconômico, afetando a fertilidade da terra. ( )

25 4. Oráculos de esperança e livramento a.Livramento a curto prazo dos assírios. (2.12,13; 5.2-9) b. Restauração para a nação no futuro indefinido. (4.1-5; )

26 1. Prólogo O povo 1.2 – 2.13 a) Acusação e julgamento contra o povo ( ) b) Esperança pra o povo (2.12,13)

27 3. Os líderes ( ) a) Acusação e julgameneto contra os líderes (cap 3) b) Esperança da liderança e restauração do Senhor (4.1-8

28 c) Crise atual e livramento ( ) d) Purificação futura ( )

29 4. A nação (6.1 – 7. 20) a) Acusação e julgameneto contra a nação (6.1 – 7.7) b) Esperança para a nação (7.8-20)

30 A menagem teológica está relacionada com o julgamento divino contra o pecado. O Senhor imprime seu juízo contra o povo que quebrara a alinça com ele. Deus se revela como um guerreiro contra o seu povo (Mq 1.3-4). O Senhor deseja que Israel o ame e aja com justiça. Ele o chama devolta para si.


Carregar ppt "1. O nome Miquéias é comum no Antigo Testamento e significa quem é como jeová. 2. Natural de Moresete, uma aldeia na judéia que ficava a quarenta quilômetros."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google