A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Kraemer CCNA 1 – Meios de Comunicação. Kraemer Meios de comunicação Meios de cobres Meios ópticos Meios sem fio.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Kraemer CCNA 1 – Meios de Comunicação. Kraemer Meios de comunicação Meios de cobres Meios ópticos Meios sem fio."— Transcrição da apresentação:

1 Kraemer CCNA 1 – Meios de Comunicação

2 Kraemer Meios de comunicação Meios de cobres Meios ópticos Meios sem fio

3 Kraemer Meios de cobre fecham circuitos para que a corrente elétrica flua de um lado ao outro Meios de cobre

4 Kraemer Especificações de cabos 10Base5 Thicknet (Backbone) 10Base2 Thinnet Meios de cobre

5 Kraemer Cabo Coaxial Meios de cobre

6 Kraemer Cabo de Par-Trançado UTP Meios de cobre

7 Kraemer Cabo de Par-Trançado STP Meios de cobre

8 Kraemer Cabo de Par-Trançado ScTP (Isolado) Meios de cobre

9 Kraemer Cabo de Par-Trançado UTP STP ScTP Meios de cobre

10 Kraemer Padrões de Par-Trançado T568A T568B Meios de cobre

11 Kraemer Cabeamento Par-Trançado Meios de cobre

12 Kraemer Cabo Direto Meios de cobre

13 Kraemer Cabo Cruzado (Crossover) TXRX Meios de cobre

14 Kraemer Padrão 1000Base-T Meios de cobre

15 Kraemer Padrão 1000Base-Tx Meios de cobre

16 Kraemer Cabo Rollover Meios de cobre

17 Kraemer Lei da Refração Formam-se dois raios: um refletido (igual ao incidente) um refratado (se incidir em 90º, entra e não refrata) Meios ópticos

18 Kraemer Reflexão Interna Total Meios ópticos

19 Kraemer Ângulo crítico Meios ópticos

20 Kraemer Bom duto (a onda é refletida para dentro e na direção correta) O núcleo tem maior índice de refração que o revestimento. A ângulo de incidência é maior que o ângulo crítico. Meios ópticos

21 Kraemer Camadas de Cabo de Fibra Luz emitida por : LED – Diodo Emissor de Luz LAN (850 nm e 1310nm) VCSEL – Laser de Emissão superficial com Cavidade Vertical) MAN e WAN (1550nm) Meios ópticos

22 Kraemer Tipos de Fibra Meios ópticos

23 Kraemer Tipos de Fibra Meios ópticos

24 Kraemer Dispositivos de Transmissão Meios ópticos

25 Kraemer Fibra Duplex Meios ópticos

26 Kraemer Conectores de Fibra Meios ópticos

27 Kraemer Sinais e ruídos em fibras óticas Os revestimentos impedem que a luz saia do cabo A luz não sobre interferência e não afeta outros cabos Os conectores podem dispersar a luz A impurezas de uma fibra absorvem luz, formando energia térmica Meios ópticos

28 Kraemer Sinais e ruídos em fibras óticas O uso de fibras permite estender o uso de Ethernet para redes MAN e WAN A dispersão ocorre quando a reflexão provoca espelhos, dificultando a interpretação de sinal Um acabamento defeituoso (ou rompimento) faz com uma parte da luz retorne Meios ópticos

29 Kraemer Instalação, cuidados e testes de fibras Os equipamentos transmissores e conectores devem emitir/receber sinais com base nos princípios da física (lei de reflexão e lei de refração interna total) A unidade de medida de perda de potência é o Decibel (dB) Um importante medidor (testador) é o OTDR (Reflectômetro Óptico no Domínio de Tempo) Meios ópticos

30 Kraemer IEEE é o principal organizador de padrões de redes sem fio Padrão a 2 Mbps Padrão b (ou Wi-fi) 11 Mbps, Retro-compatível e 2.4 Ghz Padrão a 54 Mbps e 5 Ghz Padrão g 54 Mbps e 2.4 Ghz Padrão n 300 Mbps e 2.4/5 Ghz (MIMO) Meios sem fio MIMO Múltiplas entradas e múltiplas saídas

31 Kraemer Taxa de transmissão e Alcance Meios sem fio

32 Kraemer Taxa de transmissão e Alcance Meios sem fio

33 Kraemer Seleção adaptativa da faixa Meios sem fio

34 Kraemer Access Point Permite roaming Cada célula em geral atende entre 91,44 a 152,4 metros Meios sem fio

35 Kraemer Varredura ativa O nó sem fio procura ligar-se à rede (envia uma sonda com SSID – Serviço de Identificação) O AP com mesmo SSID responde a sonda (autenticação e associação) Varredura Passiva O nó sem fio procura observar Beacon (quadro de gerenciamento) Quando o nó recebe um Beacon com mesmo SSID, então liga-se á rede Atividade Meios sem fio

36 Kraemer Tipos de quadros IEEE A compatibilidade com o padrão (Ethernet) é necessária e acontece no quadro de dados (Payload) No padrão Ethernet o Payload é de no máximo 1518 Bytes. Mas nos padrões pode chegar a 2346 Bytes. Existem 3 tipos de quadros: Gerenciamento associação, autenticação, beacon, etc Controle pedido para enviar (RTS), pronto para receber (CTS) e confirmação Dados Meios sem fio

37 Kraemer Tipos de quadros IEEE WLAN não usam detecção de colisão igual ao padrão Ethernet WLAN CSMA/CA. Confirma (ACK) toda interação, consumindo cerca de 50% da largura de banda Ethernet CSMA/CD Meios sem fio

38 Kraemer Autenticação Em WLAN se autentica o equipamento e não o usuário A Autenticação ocorre na camada 2 Associação Realizado após a Autenticação Uma espécie de liberação do AP para transferir dados Meios sem fio

39 Kraemer Tipos de Autenticação e Associação Não autenticado e não associado: O nó está desconectado da rede e não associado a um AP Autenticado e não associado: O nó foi autenticado na rede, mas ainda não foi associado a um AP Autenticado e associado: O nó está conectado e livre para enviar/receber dados pelo AP Meios sem fio

40 Kraemer Métodos de Autenticação O IEEE admite dois tipos de autenticação: Aberto só é necessário um SSID correspondente Chave compartilhada uso de criptografia Wep. O nó e o AP possuem a chave. Atualmente também se usa WPA gera automaticamente chaves de criptografia. Meios sem fio

41 Kraemer O Espectro da WLAN WLAN utiliza ondas de rádio Essas ondas também sofrem interferência, atenuação e absorção Modulação de ondas: Meios sem fio

42 Kraemer Sinais e Ruídos em WLAN As principais tecnologias que afetam uma WLan são telefones sem fio e aparelhos com Bluetooth Os aparelhos BlueTooth podem usar a frequência de 2.4 Ghz, efetando o padrão b A principal fonte de problema é normalmente a Estação transmissora e a Antena Recomenda-se o uso de antena Omnidirecional (todas as direções) Meios sem fio

43 Kraemer Segurança em Redes sem Fio Onde existe rede sem fio, há pouca segurança As principais soluções envolvem VPN (camada 3) e EAP (Protocolo de Autorização Extensível, na camada 2) Com EAP, a autenticação não é feita pelo AP. Um servidor se encarrega desta tarefa Autenticações EAP: EAP-MD5-Challenge autenticação simples por senha (semelhante ao CHAP) LEAP EAP da CISCO. Troca credenciais e criptografia dinâmica com chaves Wep Autenticações podem ser de Usuário ou de Dados Criptografia Meios sem fio


Carregar ppt "Kraemer CCNA 1 – Meios de Comunicação. Kraemer Meios de comunicação Meios de cobres Meios ópticos Meios sem fio."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google