A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Testes Públicos de Segurança do Sistema Eletrônico de Votação Giuseppe Dutra Janino Secretário de Tecnologia da Informação/TSE.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Testes Públicos de Segurança do Sistema Eletrônico de Votação Giuseppe Dutra Janino Secretário de Tecnologia da Informação/TSE."— Transcrição da apresentação:

1 Testes Públicos de Segurança do Sistema Eletrônico de Votação Giuseppe Dutra Janino Secretário de Tecnologia da Informação/TSE

2 Agenda Institucional Logística Motivação da Mudança Evolução Testes Públicos de Segurança Indicadores

3 Institucional

4 "Assegurar os meios efetivos que garantam à sociedade a plena manifestação de sua vontade, pelo exercício do direito de votar e ser votado." Missão "Ser referência mundial na Gestão de Processos Eleitorais que possibilitem a expressão da vontade popular e contribuam para o fortalecimento da democracia." Visão de futuro Direcionamento Institucional

5 A maior eleição informatizada do mundo População Seções Eleitorado Mesários Candidatos Partidos políticos 30 Zonas eleitorais Municípios O Processo Eleitoral no Brasil Urnas eletrônicas

6 Haiti Consultoria no Exterior República Dominicana Costa Rica Equador Guiné-Bissau Paraguai MéxicoArgentina Países aos quais o TSE já prestou consultoria

7 Japão Peru Portugal Venezuela Coréia Panamá França Zâmbia UcrâniaEspanha Turquia Delegação Países Africanos Tunísia Áustria Colômbia Estados Unidos da América Consultoria no Exterior Países que procuraram o TSE como referência mundial no processo eleitoral:

8 Honduras Afeganistão Guatemala Timor Leste Filipinas Palestina Polônia Suriname Indonésia Índia Moçambique Itália São Tomé e Príncipe Paquistão Cabo Verde Angola Guiné-Bissau Portugal Nepal Quênia Irã Consultoria no Exterior Países que procuraram o TSE como referência mundial no processo eleitoral:

9 Logística

10 A Logística Eleitoral Área do Brasil: ,5 km²

11 Motivação da Mudança

12 Contextualização Lentidão Falhas não intencionais IMPLICA EM Processo automatizado SOLUÇÃO Falhas intencionais Processo manual Intervenção humana FRAUDE!

13 Evolução

14 Evolução do processo eleitoral Segurança e Transparência 2005 Outras formas de auditoria Outras formas de auditoriaEletrônica Ampliação da transparência Ampliação da transparência Recadastramento dos Eleitores Totalização Informatizada 1ª Urna Eletrônica; Votação eletrônica nas Capitais e municípios com mais de eleitores 1ª Urna Eletrônica; Votação eletrônica nas Capitais e municípios com mais de eleitores Votação eletrônica nos municípios com mais de eleitores; Relatório UNICAMP; Assinatura digital na urna; Cerimônia de Lacração; Publicação dos Resumos Digitais; Entrega Tabela de Correspondência aos partidos; Lei /2002 Cerimônia de Lacração; Voto Impresso; Experiência do Voto Impresso. Relatório UNICAMP; Assinatura digital na urna; Cerimônia de Lacração; Publicação dos Resumos Digitais; Entrega Tabela de Correspondência aos partidos; Lei /2002 Cerimônia de Lacração; Voto Impresso; Experiência do Voto Impresso Acompanhamento do desenvolvimento dos softwares, por 6 meses, pelos partidos políticos, OAB e MP; 2003 Acompanhamento do desenvolvimento dos softwares, por 6 meses, pelos partidos políticos, OAB e MP; Implantação do Registro Digital do Voto (RDV); Lacre dos softwares com assinatura digital dos partidos políticos, OAB e MP para posterior verificação Implantação do Registro Digital do Voto (RDV); Lacre dos softwares com assinatura digital dos partidos políticos, OAB e MP para posterior verificação Sistema Operacional Aberto (Linux) totalmente auditável; Início da Biometria; Publicação dos BUs na Internet; Análises de Segurança efetuadas pelo CTI – Centro de Tecnologia da Informação / Ministério da Ciência e Tecnologia; Sistema Operacional Aberto (Linux) totalmente auditável; Início da Biometria; Publicação dos BUs na Internet; Análises de Segurança efetuadas pelo CTI – Centro de Tecnologia da Informação / Ministério da Ciência e Tecnologia; º Teste Público de Segurança no Sistema Eletrônico de Votação; Análise de Segurança por integrantes da comunidade acadêmica (com notório saber e externos à JE); Implantação da Cadeia de Confiança (UE2009 em diante) 1º Teste Público de Segurança no Sistema Eletrônico de Votação; Análise de Segurança por integrantes da comunidade acadêmica (com notório saber e externos à JE); Implantação da Cadeia de Confiança (UE2009 em diante) Testes Públicos do Sistema Eletrônico de Votação - Edição % de Votação Eletrônica; Fotos também para cargos Proporcionais; Tabela de correspondência. 100% de Votação Eletrônica; Fotos também para cargos Proporcionais; Tabela de correspondência.

15 Testes Públicos de Segurança

16 Objetivo: - Aperfeiçoamento do sistema eletrônico de votação. Período: - Março de Escopo: - Verificar a segurança dos elementos do processo eletrônico de votação. Testes Públicos de Segurança - 1ª Edição

17 - Foram 38 inscritos, individualmente ou grupos; - Atuação dos observadores externos – OEA, TCU, EB, Polícia Civil entre outros. Conclusão: - Os investigadores não conseguiram burlar as barreiras de segurança do Sistema Eletrônico de Votação Testes Públicos de Segurança - 1ª Edição

18 - Instrumento importante de transparência e credibilidade. - Evento público de resultado público Período de preparação: - De 06 a 08 de março de 2012 Período de realização: - De 20 a 23 de março de Encerramento 29 de março de 2012 Testes Públicos de Segurança - 2ª Edição Testes de Segurança dos Sistemas Eleitorais

19 Participantes: - 24 Investigadores organizados em 9 grupos. Estratégia: - 19 planos de ataques propostos. Acesso ao código fonte: - De forma sistematizada, antes e durante os testes. Testes Públicos de Segurança - 2ª Edição Testes de Segurança dos Sistemas Eleitorais

20 Ferramentas: - Acesso irrestrito à Internet, liberdade de utilização de software ou quaisquer outros instrumentos. Participação: - Majoritária do meio acadêmico. Testes Públicos de Segurança - 2ª Edição Testes de Segurança dos Sistemas Eleitorais

21 Grupos: - Universidade de Brasília; - Universidade do Ceará; - Universidade Federal de Uberlândia; - Universidade Federal de Santa Catarina; - Universidade de Taubaté; - Polícia Federal; - Marinha do Brasil; - Instituto Sapientia e - Um Grupo Independente. Testes Públicos de Segurança - 2ª Edição Testes de Segurança dos Sistemas Eleitorais

22 Fraude Inviável - Barreiras de Segurança inúmeras e diversificadas; – Lacres, mecanismos de software, assinatura digital e criptografia, procedimentos, fiscalização externa, (...); - Identificação de rastros;...

23 Indicadores

24 - 94,4% dos entrevistados aprovam a urna eletrônica; - 97,1% consideram positiva a velocidade na apuração; - 87,4% consideram ótimo ou bom os serviços prestados pela Justiça Eleitoral; Pesquisa Instituto Sensus

25 Contato Giuseppe Dutra Janino Secretaria de Tecnologia da Informação Tribunal Superior Eleitoral +55(61)


Carregar ppt "Testes Públicos de Segurança do Sistema Eletrônico de Votação Giuseppe Dutra Janino Secretário de Tecnologia da Informação/TSE."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google