A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Professor:Pedro José Pimentel Ano - 2010. O maior responsável pelo sucesso ou desastre de um Projeto de Rede chama-se: Cabeamento. Existem estudos de.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Professor:Pedro José Pimentel Ano - 2010. O maior responsável pelo sucesso ou desastre de um Projeto de Rede chama-se: Cabeamento. Existem estudos de."— Transcrição da apresentação:

1 Professor:Pedro José Pimentel Ano

2 O maior responsável pelo sucesso ou desastre de um Projeto de Rede chama-se: Cabeamento. Existem estudos de institutos nacionais e internacionais (ABNT e ISO), mostrando que 80% das falhas físicas da rede é devido ao cabeamento. Seja ele mal instalado, Ou, Mal conservado.

3 Conhecer bem os meios físicos: cabos e equipamentos de tráfego de dados. Fatores como: Atenuação: perda de força do sinal. Blindagem: estrutura do cabo. Custo: valores monetários. Tempo: prazos para deixar tudo funcionando. Técnica: especialidade do Técnico.

4

5 O cabeamento de uma rede deve ser levado a sério. Devem ser usados cabos e conectores de boa qualidade, que devem ser instalados adequadamente. Os cabos não devem ficar expostos para não sofrer dano físico. Não podem ficar expostos ao sol e à chuva. Conhecer os meios de transmissão, meios encapsulados e não-encapsulados. Conhecer as características e normas dos equipamentos utilizados na instalação de redes minimiza os erros e problemas.

6

7 Ligando PCs em Rede com Cabos Coaxial

8 Um dos primeiros cabos utilizados na transmissão de dados entre MicroComputadores; Constituído de: Um condutor metálico de cobre interno; Camada isolante, geralmente de plástico; Malha metálica; Camada de borracha externa.

9 Cabo Coaxial Fino (10Base2) Também Chamado Thin Ethernet IEEE RG58 (50 Ohms) 10 Mbits 30 Nós (0,5 mts Mínimo) 200 Metros (185Mts) Cabo Coaxial Grosso (10Base5) Também Chamado Thick Ehternet IEEE RG75 (75 Ohms) 10 Mbits 100 Nós (2,5 mts Mínimo) 500 Metros Dielétrico

10

11

12 Um Decapador de Fios. Alicate de Crimpagem Coaxial, ou Alicate Comum mesmo.

13 Menos suscetível a ruídos; EMI ( Eletromagnetic Interference ) RFI ( Radiofrequency Interference ) Praticidade na confecção dos conectores; Simples instalação Oxidação dos conectores fácil de ocorrer; Velocidade limitada a 10Mbits; Não se encontra hoje no mercado placas de rede para este tipo de cabo.

14 Ligando Micros em Rede com Cabo Par-Trançado

15 Cabos constituídos de 4 pares de fios entrelaçados, sendo que cada par é composto de um fio positivo e outro negativo. CrossTalk, reduzindo diafonia (ruídos).

16

17 Geralmente as cores encontradas nos cabos par-trançado são: Verde e Branco Laranja e Branco Azul e Branco Marrom e Branco Pode ser encontrado de dois tipos: UTP – Unshielded Twisted Pair (Não Blindado) Cabo mais fino e leve, mais suscetível a ruídos; Indicado para cabeamento interno através de eletrodutos. STP – Shielded Twisted Pair (Blindado) Cabo mais grosso e pesado, menos suscetível a ruídos; Geralmente utilizado externamente.

18 Categoria do cabo 1: possui bitola 26 AWG, é usado para telefonia e padronizado pela norma EIA/TIA-568B. Categoria do cabo 2: muito usado antigamente nas redes token ring chegando à 4Mbps.token ring Categoria do cabo 3: cabo padronizado usado para transmissão de dados utilizando frequência até 16MHz. Uso popular em redes ethernet de 10 Mbps.ethernet Categoria do cabo 4: pode ser utilizado para frequências até 20MHz e foi muito usado em redes token ring a uma taxa de 16Mbps.token ring Categoria do cabo 5: usado muito em redes fast ethernet. Pode ser usado para frequencias até 100MHz a uma taxa de 100Mbps.fast ethernet Categoria do cabo 5e: é uma melhoria da categoria 5. Pode ser usado para frequencias até 125MHz em redes 1000BASE-T gigabit ethernet.gigabit ethernet Categoria do cabo 6: definido pela norma ANSI TIA/EIA 568B-2.1 possui bitola 24 AWG e banda passante de até 250 Mhz podendo ser usado em redes gigabit ethernet a uma taxa de 1.000Mbps.gigabit ethernet Categoria do cabo 7 : foi criado para permitir a criação de rede 10 gigabit Ethernet de 100m usando fio de cobre

19 UTP e STP IEEE BaseT 100BaseT O cabo par-trançado pode ter o comprimento de 100 metros, de um ponto a outro. Isto pela norma, nada impede de se utilizar com distância maiores, só que os fabricantes não garante a estabilidade da conexão e nem o funcionamento a velocidade máxima indicada. (Institute of Electrical and Electronics Engineers) – Pronunciado como I – três – E. Fundado em 1884, o IEEE é uma organização composta de engenheiros, cientistas e estudantes. O IEEE é bem conhecida por desenvolver padrões para a indústria eletrônica e de computadores. Em particular, o padrão IEEE 802 para LANs são os mais bem sucedidos

20

21

22 O Padrão mais utilizado e que garante a taxa máxima de transferência de dados suportada pelo cabo é TIA/EIA 568-A e TIA/EIA 568-B. Este Padrão define a sequência dos fios (cores) dentro do conector RJ-45 e Jack RJ-45 TIA/EIA 568-ATIA/EIA 568-B

23 De acordo com o padrão EIA/TIA 568, cada par de fios no cabo tem uma designação de par e uma designação de cor específicas. A diferença entre os subpadrões T568 A e T568 B é a designação de pares. Ao projetar um sistema de cabos EIA/TIA 568, você pode optar por qualquer um dos subpadrões T568 A e T569 B. No entanto, os componentes que utilizar devem seguir o mesmo padrão no sistema inteiro. Você não deve misturar componentes T568 A e T568 B. É também muito importante determinar qual padrão que está sendo utilizado antes de ampliar um sistema de cabos existente.

24 Menor preço por metro de cabo; Mais flexível para instalação; Taxas de transferência mais altas; Conexão de dois micros sem necessidade de equipamentos como: hubs e switchs. Mais Suscetível a Ruídos; Interferência Eletromagnética Dependendo o local onde for instalar a rede não é indicado: Parques Industriais, onde há muito ruídos, ou seja, motores, bobinas, etc.. Distância limitada a 100 metros.

25 Ligando PC´s em Rede com Fibra Óptica

26 Constituição núcleo e a casca são feitos de sílica dopada ou plástico no núcleo é injetado um sinal de luz proveniente de um LED ou laser que percorre a fibra se refletindo na casca ao redor existem outras substâncias de menor índice de refração faz com que os raios sejam refletidos internamente minimizando assim as perdas de transmissão

27

28 Fibra Multimodo não necessita uso de amplificadores tem capacidade de transmissão da ordem de 100 Mbps a até cerca de 10 km mais empregadas em redes locais Fibra Monomodo alcança velocidades em Gbps a uma distância de cerca de 100 km empregadas em redes de longa distância requer fonte de lazer

29 Conector SC Conector MTRJ/VF-45 Conversor de Mídia

30 Dificilmente iremos encontrar uma rede que utilize apenas fibra para conexão dos computadores, pois o preço ainda é muito alto para isto.

31 Vermelho: Switch p/ Fibra Azul: Conjunto de Servidores ligados com Fibra Amarelo: Computadores Ligados com Fibra Verde: Micros ligados utilizando Conversor de Mídia

32 características de transmissão superiores aos cabos metálicos por utilizar luz tem imunidade eletromagnética ideal para instalação de redes em ambientes com muita interferência seu custo é maior é mais frágil requerendo que seja encapsulada em materiais que lhe confiram uma boa proteção mecânica necessita de equipamentos microscopicamente precisos para sua instalação e manutenção difícil de ser remendada


Carregar ppt "Professor:Pedro José Pimentel Ano - 2010. O maior responsável pelo sucesso ou desastre de um Projeto de Rede chama-se: Cabeamento. Existem estudos de."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google