A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Educação de Essencialidades. Há continuidade em nós!!! Vamos conecta la.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Educação de Essencialidades. Há continuidade em nós!!! Vamos conecta la."— Transcrição da apresentação:

1 Educação de Essencialidades

2 Há continuidade em nós!!! Vamos conecta la.

3 EU E O MUNDO SOMOS UM! (ausência de delimitação, todos são apêndices de mim e precisam me servir. Padrão carente, altamente dependente, sempre na expectativa que o outro cuide ou se encarregue dele, a espera de um milagre que o tire das suas dificuldades. Exigente, melindroso, passivo e irresponsável. Muito medo do abandono)

4 No inconsciente estão as bases dos sentimentos, desejos e pensamentos desconhecidos, sendo que estes, nele residem sem dar mostras efetivas ou materiais de si mesmos, mas com tal incidência no comportamento, de modo que o homem, visto pelo ângulo da inteligência, não tem noção de onde residem as causas de seu comportamento.

5 Tornar consciente, aquilo que está no inconsciente.

6 A inteligência possa estar investindo em sua progressividade de forma organizada

7 E então, a inteligência em transição, que não deixava visível o que estava investindo, deparou-se com a realidade.

8 Porém, como o sobrevivente ainda tem mais força que a inteligência em transição …

9 Cap.III- O Bem e o Mal-O Instinto e a Inteligência

10 A Gênese O instinto é a força oculta que solicita os seres orgânicos a atos espontâneos e involuntários, tendo em vista a conservação deles. Nos atos instintivos não há reflexão, nem combinação, nem premeditação. Cap.III-item11

11 A Gênese No homem, só em começo da vida o instinto domina com exclusividade;

12 A Gênese No próprio adulto, certos atos são instintivos, tais como os movimentos espontâneos para evitar um risco, para fugir a um perigo, para manter o equilíbrio do corpo; tais ainda o piscar das pálpebras para moderar o brilho da luz, o abrir maquinal da boca para respirar, etc.

13 A Gênese Todo ato maquinal é instintivo; o ato que denota reflexão, combinação, deliberação é inteligente. Um é livre, o outro não o é. O instinto é guia seguro, que nunca se engana; a inteligência, pelo simples fato de ser livre, está, por vezes, sujeita a errar. Ao ato instintivo falta o caráter do ato inteligente. Cap.III-item12

14 A Gênese Aliás, é freqüente o instinto e a inteligência se revelarem simultaneamente no mesmo ato. No caminhar, por exemplo, o movimento das pernas é instintivo; o homem põe maquinalmente um pé à frente do outro, sem nisso pensar. Cap.III- item13

15 A Gênese Quando, porém, ele quer acelerar ou demorar o passo, levantar o pé ou desviar- se de um tropeço, há cálculo, combinação; ele age com deliberado propósito. Cap.III-item13

16 A Gênese A impulsão involuntária do movimento é o ato instintivo; a calculada direção do movimento é o ato inteligente. Cap.III- item13

17 A Gênese Teoria dos espíritos Protetores Ora, segundo esta hipótese, o instinto não seria atributo nem da alma, nem da matéria; não pertenceria propriamente ao ser vivo, seria efeito da ação direta dos protetores invisíveis que supririam a imperfeição da inteligência, provocando os atos inconscientes necessários à conservação do ser.item14..

18 A Gênese Teoria dos espíritos Protetores Semelhante unidade de vistas não poderia existir sem a unidade de pensamento e esta é incompatível com a diversidade das aptidões individuais. Nesta ordem de idéias, ainda mais longe se pode ir. Por muito racional que seja, essa teoria não resolve todas as dificuldades da questão.

19 A Gênese Teoria da providência Divina Se não nos deparando nas criaturas, encarnadas ou desencarnadas, as qualidades necessárias à produção de tal resultado, temos que subir mais alto, isto é, ao próprio Criador.

20 A Gênese Teoria da providência Divina...se figurarmos todos os seres penetrados do fluido divino, soberanamente inteligente, compreenderemos a sabedoria previdente e a unidade de vistas que presidem a todos os movimentos instintivos que se efetuam para o bem de cada indivíduo. Tanto mais ativa é essa solicitude, quanto menos recursos tem o indivíduo em si mesmo e na sua inteligência. Por isso é que ela se mostra maior e mais absoluta nos animais e nos seres inferiores, do que no homem.

21 A Gênese Teoria da providência Divina Todas essas maneiras de considerar o instinto são forçosamente hipotéticas e nenhuma apresenta caráter seguro de autenticidade, para ser tida como solução definitiva. A questão, sem dúvida, será resolvida um dia, quando se houverem reunido os elementos de observação que ainda faltam. Até lá, temos que limitar-nos a submeter as diversas opiniões ao cadinho da razão e da lógica e esperar que a luz se faça. A solução que mais se aproxima da verdade será decerto a que melhor condiga com os atributos de Deus, isto é, com a bondade suprema e a suprema justiça. (Cap. III nº 19.)

22

23 Instinto Humano Como explicar que um bebezinho minutos depois de nascido, já sabe mamar? Porque será que à mesa, a maioria de de nós fica com água na boca diante de um suculento bife com batatas fritas?

24 Instinto Humano Instinto é essencialmente a parte de nosso comportamento que não é parte fruto de aprendizado. Contudo, nosso ambiente (e, portanto, nosso aprendizado) pode ter uma influência poderosa no modo pelo qual nossos instintos se expressam.

25 Instinto Humano Mas nós não somos almas desgarradas, libertas de necessidades e de experiência corpóreas. Nossas mentes estão profundamente enraizada sem nosso passado evolutivo, nossa razão está engolfada em camadas de instintos, preconceitos, desejos tanto repletos de egoísmo como de generosidade, calçados pela vontade de sobreviver e pela vontade de vontade de reproduzir.

26 LUTA OU FUGA Um estranho atrás de você; Coração bate rápido; Boca seca vontade de correr; Cascata hormonal; Sangue é redistribuído no corpo músculos dos membros; Um animal sem medo teria menos chance de sobreviver.

27 Instinto Humano O comportamento humano está a mercê de muitas forças. Somos empurrados de lado para o outro por várias forças biológicas, cognitivas e culturais. Não somos escravos de nossos genes, mas somos profundamente afetados por eles. O ambiente em que crescemos é fundamental para o desenvolvimento do instinto humano

28 Instinto Humano O que significa ser humano, e o que significa ser um produto da evolução não somente física, mas mental. O instinto, uma mão invisível, esta presente em toda a nossa vida, e revelar sua forma emocional pode melhorar a compreensão que temos de nós mesmos.

29 Autodescobrimento- Joanna de Ângelis pág.166. O ser humano é herdeiro da sua história antropológica, fixado nos atavismos das experiências vivenciadas durante as fases primevas do seu desenvolvimento. Por ser igualmente psicológico, desdobra todos os potenciais que possui em latência e arrebata as amarras ancestrais para libertar o eu adormecido, escravizado aos instintos.

30 Lázaro. (Paris, 1862.) Os instintos são a germinação e os embriões do sentimento; trazem consigo o progresso, como a glande encerra em si o carvalho. A fim de avançar para a meta, tem a criatura que vencer os instintos, em proveito dos sentimentos.

31 EU POSSO! EU QUERO! COMO OUSAS ME CONTRARIAR. (Altamente egoíco, arrogante, caprichoso, individualista, imediatista, atropela os outros e a realidade para impor sua vontade e mando. Nem considera que o outro exista ou possa pensar ou fazer diferente dele. Não enxerga ninguém além de suas vontades, usa o outro para satisfação de suas necessidades, depois o descarta Quer convencer o outro a qualquer custo de sua verdade. Não aceita ser contrariado)

32

33 Instinto e Paixão Sendo o instinto o guia e as paixões as molas da alma no período inicial do seu desenvolvimento, por vezes aquele e estas se confundem nos efeitos. Há, contudo, entre esses dois princípios, diferenças que muito importa se considerem. O instinto é guia seguro, sempre bom. Pode, ao cabo de certo tempo, tornar-se inútil, porém nunca prejudicial. Enfraquece-se pela predominância da inteligência.

34 Instinto e Paixão As paixões, nas primeiras idades da alma, têm de comum com o instinto o serem as criaturas solicitadas por uma força igualmente inconsciente. As paixões nascem principalmente das necessidades do corpo e dependem, mais do que o instinto, do organismo.

35 Paixão O que, acima de tudo, as distingue do instinto é que são individuais e não produzem, como este último, efeitos gerais e uniformes; variam, ao contrário, de intensidade e de natureza, conforme os indivíduos. São úteis, como estimulante, até à eclosão do senso moral, que faz nasça de um ser passivo, um ser racional. Nesse momento, tornam-se não só inúteis, como nocivas ao progresso do Espírito, cuja desmaterialização retardam. Abrandam-se com o desenvolvimento da razão.

36 Conclusão No ponto em que estamos, a inteligência esta bastante desenvolvida para permitir ao homem julgar sadiamente o bem e o mal; e é também deste ponto que a sua responsabilidade e mais seriamente empenhada porque não mais se pode dizer o que Jesus dizia; Perdoa-lhes, Senhor, pois não sabe o que fazem Revista Espírita 1864

37 EU NÃO SOU VISTO, AMADO, VALIDADO! SOU SEMPRE PRETERIDO Padrão humano de se sentir rejeitado, não visto, preterido. Se sente incapaz. Vê o mundo sob a ótica de superior e inferior e desta forma se relaciona, ora se crê superior ora inferior aos outros. Ora se tem em alta conta, ora se crê um Nada

38 . Sente que nada seu tem valor ou vai ser considerado pelo outro. Muitas vezes se reveste de uma pretensa autoconfiança ou superioridade que esta longe de ser sua realidade interna. Não confia em si mesmo, nem em ninguém a sua volta. Tem uma necessidade de agradar e ser aprovado o tempo todo. Extremamente melindroso a crítica ou ausência de validação. Acha que nada que faz é bom o suficiente.

39 Perguntas p/ serem dimensionadas e respondidas. Sobre a rejeição do grupo em relação ao projeto,(pedra no sapato), o que sentimos? Me Coloquei numa sai Justa.

40 Ma: sim rejeitada ROSA: não

41 Perguntas p/ serem dimensionadas e respondidas. Qual a real situação do grupo diante de nossas indecisões?

42 GIO: que grupo? Cansativo, estressante, desistimulante,

43 Há continuidade em nós!!! Vamos conecta la.

44 Perguntas p/ serem dimensionadas e respondidas. A respeito da divisão do grupo de Duartina e Ubirajara, quanto a vir duas vezes por semana, afeta os desempenhos do grupo?

45 RO: não vejo que afete Mesmo que n venha deverá manter contatos As vezes depende do empenho de cada um MARINA: a divisão existe e incomoda Parecer q n há acompanhamento Afeta mas se tivesse no lugar delas eu n viria LUIZ: existe a divisão Afeta o grupo sim Se não se unir deixa de ser um grupo

46 GIOVANA: não senti a divisão Tenho que vir mais vezes A divisão ocorre pelos de Duartina Não sei afeta pois n tenho difucldades c isso Quando falta alguém os outros suprem e isso n afeta Não afeta por ser combinado afeta se n for combinado

47 ROSA: se o principio eh convivência afeta sim, mas tenho dificuldades LORICE: para que o grupo conviva mais, é preciso ter mais relacionamentos e tem que estar mais próximo 2 vezes é pouco para manter o grupo coeso SËRGIO: afeta sim e sempre pegou muito Sem convivência n tem como ser um grupo Existem dificuldades, meios de comunicação (para trocar inf. Temos muitos meios) para conviver tem qestar próximo

48 EDNA: afeta sim pela convivência e pelo n entendimento do que seja um núcleo

49 Perguntas p/ serem dimensionadas e respondidas. Estudar em Ubirajara, conta como Freqüência?

50 MA: sim ROSA: n sei LORI: não LUIZ: se combinado sim se n combinado n GIO: se combinado sim se n combinado n RO: não EDNA: Não SÉRGIO: não

51 Perguntas p/ serem dimensionadas e respondidas. O QUE É A SIDI PARA O GRUPO DE DUARTINA?

52 MA: uma dinâmica ROSA: possibilidade de expansão no núcleo e em mim LORICE: dinâmica e expansão LUIZ: para mostrar para a COMGE e Carlos o nosso raio x

53 GIO: evento do PTS, serve p mostrar um pouco o trabalho, venda de um produto RO: nada, n to nem ai c isso EDNA: divulgação para expansão e conhecimento do PTS

54 Perguntas p/ serem dimensionadas e respondidas. Sobre a rejeição do grupo em relação ao projeto,(pedra no sapato), o que sentimos? Me Coloquei numa sai Justa.

55 Ma: sim rejeitada ROSA: não

56 Perguntas p/ serem dimensionadas e respondidas. Qual a real situação do grupo diante de nossas indecisões?

57 GIO: que grupo? Cansativo, estressante, desistimulante,

58 Perguntas p/ serem dimensionadas e respondidas. Duartina é importante para o projeto?

59 Ma: SIM Rosa; N Gio: N Edna: N Luiz: sim Sergio: n

60 PORQUE E PRA QUE FIZEMOS ESTAS PERGUNTAS?

61 QUAL FOI MEU SENTIMERNTO QDO O CARLOS DEVOLVEU PARA QUE RESPONDESSEMOS?

62 AGORA OLHANDO AS QUESTOES E O PORQUE E PRA QUE FIZEMOS A QUE RESULTADO CHEGAMOS?

63 A RESPOSTA TROUXE O QUE ESPERAVAMOS?

64 NÃO POSSO SENTIR características mais fortes do padrão esquizofrênico. Indiferença, embotamento afetivo, contexto de solidão, dificuldade de desestabilizar sentimentos, muito medo de sentir dor, fragilidade e hipersensibilidade emocional. Dificuldade com os toques, olhar no olho. Criação de realidades paralelas para se convencer que esta tudo bem. Padrão dissociativo – criar um mundo ideal e querer mantê- lo. Comportamentos dissociativos: compõem a não- aceitação de alguns fatores da realidade. Vive de ilusões, buscando tamponar a dor com faz de conta.

65 É possível Ser muito além de qualquer forma manifestação, de qualquer mecanismo criado pela inteligência para revelar a si mesma. É momento da inteligência que se é tocar a si mesma...momento do auto toque, onde é possível fazer o reconhecimento do que verdadeiramente é e perceber que tudo está contido em si mesma. Momento de reconhecer que.... Há vida interior


Carregar ppt "Educação de Essencialidades. Há continuidade em nós!!! Vamos conecta la."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google