A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

CARACTERÍSTICAS DO RURAL NA BACIA DO BAIXO TIETÊ PROJETO EDUCADORES AMBIENTAIS carlos roberto do espírito santo.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "CARACTERÍSTICAS DO RURAL NA BACIA DO BAIXO TIETÊ PROJETO EDUCADORES AMBIENTAIS carlos roberto do espírito santo."— Transcrição da apresentação:

1 CARACTERÍSTICAS DO RURAL NA BACIA DO BAIXO TIETÊ PROJETO EDUCADORES AMBIENTAIS carlos roberto do espírito santo

2 O QUE É O RURAL

3 QUAIS PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS DO RURAL NA REGIÃO DA BACIA DO BAIXO TIETÊ

4 DO PONTO DE VISTA AMBIENTAL RICO EM RECURSOS NATURAIS: SOLO, ÁGUA DO PONTO DE VISTA ECONÔMICO ESTRUTURA FUNDIÁRIA CONCENTRAÇÃO ATIVIDADE ECONÔMICA E DE RENDA DO PONTO DE VISTA SOCIAL QUESTÃO DO ACESSO AOS RECURSOS NATURAIS

5 Os paulistas resolveram dedicar-se intensivamente à cultura da cana-de-açúcar, que, por período de mais de meio século, vai ser o produto chave da agricultura paulista.

6 BREVE HISTÓRICO...verificamos maior otimismo com relação ao desenvolvimento da agricultura em São Paulo...a produção de açúcar, principal produto de exportação do Estado, aumentou gradativamento devido ao incentivo da administração, que pôde ser eficaz, por causa da maior procura por açúcar brasileiro no mercado europeu.

7 A fazenda de cana tinha necessidade de grandes reservas de matas, pois era grande o consumo de lenha para as fornalhas do engenho, e também áreas para o plantio de mantimentos Trechos do livro: A LAVOURA CANAVIEIRA EM SÃO PAULO Maria Thereza S. Petrone (1968) Retratando a lavoura canavieira e o processo de produção do açúcar no século XVIII em São Paulo

8 CICLOS ECONÔMICOS CAFÉ DÉCADA DE 20/30 ESTRADA FERRO E CIAs COLONIZADORAS INGLESAS DESMATAMENTO ALGODÃO ANDERSON CLEYTON, SANBRA DESMATAMENTO

9 CICLOS... BOVINOCULTURA CORTE – inicialmente (Swift, Wilson e Armour) – Mouran, T. Maia (Moura Andrade e Tião Maia) Desmatamento LEITE - Nestlé Desmatamento CANA-DE-AÇÚCAR Melhor exemplo de articulação de interesses (poder econômico regional e políticas públicas estaduais e federais) Campestre, Alcomira, Aralco e Univalem (década 1970) Desmatamento

10 CRIAÇÃO DO PLANALSUCAR – (Programa Nacional de Melhoramento da Cana-de- açúcar) – 1971 PROÁLCOOL – 1975 PLANO DE DESENVOLVIMENTO DO OESTE DE SÃO PAULO - (PRÓ-OESTE) PROGRAMA DE EXPANSÃO DA CANAVICULTURA PARA PRODUÇÃO DE COMBUSTÍVEIS DO ESTADO DE SÃO PAULO (PROCANA) PLANO REGIONAL DE PRODUÇÃO DE ÁLCOOL

11 CONHECENDO UM POUCO MAIS O RURAL ÁREA BACIA – ha 42 MUNICÍPIOS POPULAÇÃO EM 2007 – 800 MIL (EST) + DE 90% DA POPULAÇÃO – URBANA ECONOMIA VINCULADA ATIVIDADE AGROPECUÁRIA/AGROINDUSTRIA

12 PERFIL RURAL - Analisados 13 municípios: municípios selecionados Andradina, Guaraçaí, Mirandópolis,, pereira Barreto, Valparaíso, Guzolândia, Guararapes, Araçatuba, Penápolis, Buritama, José bonifácio, Barbosa e Promissão Aspectos: área, propriedades, ocupação, mão-de-obra

13 PERFIL RURAL – municípios selecionados Imóveis acima de 500 ha 3% desses imóveis ocupam 38% da área total Imóveis abaixo de 100 ha 76% desses imóveis ocupam 30% da área total

14 PERFIL RURAL -municípios selecionados INFORMAÇÕES INTERESSANTES SOBRE A OCUPAÇÃO DA ÁREA DA BACIA Grama – 1475 ha Seringueira – ha Café – 883 ha Mandioca – 776 ha Diversidade: ururcum, crotalária, quiabo, tomate (hortaliças), lichia, aspargo, flores, avestruz, jambo, capivara, etc

15 PERFIL RURAL – municípios selecionados Porcentagem da área total da bacia ocupada CANA – 36% PASTAGEM – 46% GRÃOS – 4% FRUTICULTURA- 1,16% BOVINOS – 750 mil AVES – 9,89 milhões PSICULTURA – 17 alqueires

16 PERFIL RURAL 82% daárea ocupada com cana e pastagem < de 10% população (70/80 mil pessoas) no campo Àrea bacia ha CUSTO Social – Econômico – Ambiental REFLEXÕES

17 CRIAÇÃO IAA – 1933 planejamento/projetos/preços/garantia de renda/estoques/quotas produção FUNDO DE RECUPERAÇÃO DA AGROINDUSTRIA CANAVIEIRA PROGRAMA DE RACIONALIZAÇÃO E APOIO DA AGROINDÚSTRIA AÇUCAREIRA FUNDO ESPECIAL DE EXPORTAÇÃO PLANO EXPANSÃO DA INDÚSTRIA AÇUCAREIRA NACIONAL – 1965

18 CRIAÇÃO DO PLANALSUCAR – (Programa Nacional de Melhoramento da Cana-de-açúcar) – 1971 PROÁLCOOL – 1975 PLANO DE DESENVOLVIMENTO DO OESTE DE SÃO PAULO - (PRÓ-OESTE)-1980 PROGRAMA DE EXPANSÃO DA CANAVICULTURA PARA PRODUÇÃO DE COMBUSTÍVEIS DO ESTADO DE SÃO PAULO (PROCANA) PLANO REGIONAL DE PRODUÇÃO DE ÁLCOOL

19 RECURSOS PARA O SETOR SISTEMA NACIONAL DE CRÉDITO RURAL PERÍODO (PRÓALCOOL) MAIS DE US$ 4 BILHÕES FINANCIAMENTO DE 100% EMPREENDIMENTO CARÊNCIA 3 ANOS 12 ANOS PRAZO JUROS 17% AA INFLAÇÃO 37% AA

20 NOVO PROÁLCOOL REESTRUTURAÇÃO PROGRAMA NOVAS LINHAS DE FINANCIAMENTO BNDES AUMENTO % ÁLCOOL À GASOLINA FACILIDADES PARA EXPORTAÇÃO INVESTIMENTOS EM INFRAESTRUTURA PROGRAMA NACIONAL DE BIOCOMBUSTÍVEIS FRENTE PARLAMENTAR SUCROALCOOLEIRA

21 SUSTENTABILIDADE CERTIFICAÇÃO SÓCIO-AMBIENTAL DO SETOR SUCROALCOOLEIRO – EMBRAPA MEIO AMBIENTE QUESTÕES AMBIENTAIS QUESTÕES ECONÔMICAS QUESTÕES SOCIAIS QUESTÕES DE DESENVOLVIMENTO REGIONAL

22 QUESTÕES AMBIENTAIS QUEIMA COLHEITA CANA ESTUDO DO INSTITUTO DE QUÍMICA DE ARARAQUARA – QUEIMADA NO ESTADO DE SÃO PAULO SE EMITE/ANO 46 MIL TONELADAS N PARA ATMOSFERA EMISSÃO CO2 É COMPENSADA PELA ABSORÇÃO DA PRÓPRIA CULTURA EMISSÃO DE OUTROS GASES E MATERIAL PARTICULADOQUE PODEM CAUSAR DANOS A SAÚDE E AO AMBIENTE

23 QUESTÕES AMBIENTAIS DESMATAMENTO/PERDA BIODIVERSIDADE EXPANSÃO CANA EMPURRA OUTRAS EXLORAÇÕES (PRINC. PASTAGENS) PARA REGIÕES DE FRONTEIRA % DESMATAMENTO REGIÃO AMAZÔNICA PASTO E SOJA LEGISLAÇÃO AMBIENTAL – 20% ÁREA EST. RESERVA – REGIÃO AMAZÔNICA 80% INFRAESTRUTURA SETOR IMPACTA MA

24

25 QUESTÕES AMBIENTAIS ÁGUA E SOLO AGROQUÍMICOS REUSO ÁGUA

26 QUESTÕS ECONÔMICAS IEA – ESTUDO ESTADO SÃO PAULO COMPARANDO 2004/5 E 2005/6 ÁREA MILHO SAFRINHA CAIU 17% ÁREA MILHO VERÃO 9,7% SOJA 30% DECRÉSCIMOS AMENDOIM E LARANJA PASTAGEM – 600 MIL ha ÁREA CANA AUMENTOU +-40% 3,6 MILHÕES ha CANA

27 QUESTÕES ECONÔMICAS OPORTUNIDADE – REMUNERAÇÕES DAS EXPLORAÇÕES SECRETARIA AGRICULTURA UBERABA (2005) EM REAIS CANA – 300 A 400 HA/ANO MILHO – 250 A 300 HA/ANO SOJA – 180 A 300 HA/ANO

28 José Graziano ex-secretário agricultura e representante FAO- ESP (23/5/07) SP ocupa 3,5 milhão ha com cana, e, mesmo que esta área triplique estará longe de pressionar áreas com alimentos SÃO PAULO PRODUZ +- 90% DO AÇÚCAR E DO ÁLCOOL DO BRASIL Áreas expansão – oeste SP, MG, MS e GO NÃO BASTA TERRAS – INFRAESTRUTURA FUSÕES E INCORPORAÇÕES – concentração de capitais – fragilidade local e regional

29 QUESTÕES SOCIAIS CONDIÇÕES TRABALHO METAS TRABALHADOR TON/DIA CONTRATAÇÃO, REMUNERAÇÃO, ALOJAMENTO, HIGIÊNE, ETC SOBRECARGA DA INFRAESTRUTURA SOCIAL DOS MUNICÍPIOS TRABALHADOR MIGRANTE – DESORGANIZAÇÃO E DESAMPARO

30

31 QUESTÕES DE DESENVOLVIMENTO REGIONAL EDR ARAÇATUBA E ANDRADINA 30 MUNICÍPIOS – 1,3 MILHÃO ha +- 1 MILHÃO ha AGRICULTURÁVEIS Cana ocupa (2005/2006) – 236,8 mil ha Milho – 47,8 mil ha Algodão – 5,7 mil ha Soja – 41,4 mil ha Feijão – 220 há LUPA/SAA

32 EVOLUÇÃO DA ÁREA PLANTADA NA REGIÃO ARAÇATUBA – PERÍODO MIL HA ALGODÃO 29,6 1,9 MILHO FEIJÃO 26,5 13 SOJA 8,3 26 CANA IBGE

33 VALORIZAÇÃO DA TERRA ENTRE 1999 e 2004 VALORIZAÇÃO DAS TERRAS NO OESTE PAULISTA ALCANÇOU MAIS DE 300% (IEA) Desestímulo à produção Municípios – crise setores tradicionais Pecuária, fruticultura, etc

34 UNIDADES DE PRODUÇÃO AGRÍCOLA (UPAs) e CONTRATOS PRONAF /06 N° UPAs Contratos Araçatuba Bilac Birigui Guararapes VALOR TOTAL CONTRATOS: R$ 3,75 mi TOTAL CONTRATOS (BR): 1,9 mi VALOR LIBERADO(BR): R$ 7,6 BILHÕES

35 RESERVATÓRIOS DAS UHE UHE PROMISSÃO 530 KM2 UHE NOVA AVANHANDAVA 210 KM2 UHE TRÊS IRMÃOS 785 KM2 TOTAL: KM2

36 UHE TRÊS IRMÃOS

37 UHE NOVA AVANHANDAVA

38 UHE PROMISSÃO

39 ASSENTAMENTOS 11 Municípios envolvidos Andradina, Araçatuba, Castilho, Promissão, Suzanápolis, Birigui, Brajo Alegre, Murutinga do Sul, Itapura, Mirandópolis, Pereira Barreto. 30 assentamentos – ha 3,3% da área total da bacia ( ha)

40 ASSENTAMENTOS Em relação à área total dos assentamentos - REUNIDAS – PROMISSÃO – 33% - ANDRADINA – 16,7% - CASTILHO - 16% 3 municípios totalizam + 65% Em relação à área dos municípios - REUNIDAS – 22% - ANDRADINA – 9% - CASTILHO - 7,7%

41

42

43 ASSENTAMENTOS População total BBT mil hab Urbanização em torno de 92-93% Zona rural – 7-8% - 50 mil hab População assentamentos famílias (Incra) 4 pessoas/família – (12.000) hab. Representa +- 1,7% pop. Total % pop. rural

44 ASSENTAMENTOS PROMISSÃO População município mil Pop. Rural : 3 mil hab População assentamentos famílias Representa : 100%

45 COMITÊ BACIA BAIXO TIETÊ REPRESENTAÇÃO DO MUNDO RURAL - 15 ÓRGÃOS ESTADUAIS - 15 PREFEITURAS - SOCIEDADE CIVIL Daep, Saae, Udop, Fiesp, Ciesp, Ufscar/Udop, Afcana, ACPE Ubarana Consórcio Rib. Lageado, Aean, Maçonaria Cooperhidro, Sind. Engenheiros

46 QUESTÕES LIGADAS À ORGANIZAÇÃO DO SETOR RURAL DIVISÕES – ECONÔMICAS, SOCIAIS POLÍTICAS, INSTITUCIONAIS

47 EMPREGOS + 50% EMPREGOS DIRETOS – ÁREA AGRÍCOLA (PRINC. COLHEITA) MIGRANTES BAIXO CONSUMO LOCAL EMPREGOS INDIRETOS – 3 A 4 VEZES MAIS DIRETOS – LOCADOS AO NÍVEL REGIONAL – MAIS QUALIFICAÇÃO

48 REFLEXÕES CERTIFICAÇÃO SÓCIO-AMBIENTAL SETOR SUCROALCOOLEIRO ENVOLVIMENTO LOCAL/REGIONAL DOS SETORES ENVOLVIDOS POLÍTICAS PÚBLICAS MUNCÍPIO/ESTADO/UNIÃO/ENTIDADES ZONEAMENTO REGIONAL SISTEMAS PRODUTIVOS MISTOS (PEC/CANA; FRUTIC/CANA, ETC) FORTALECIMENTO DA AGRICULTURA FAMILIAR (GARANTIA RENDA) FÓRUM DE DEBATES REGIONAL


Carregar ppt "CARACTERÍSTICAS DO RURAL NA BACIA DO BAIXO TIETÊ PROJETO EDUCADORES AMBIENTAIS carlos roberto do espírito santo."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google