A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Guido Stolfi 1 / 89 Percepção Visual PTC2547 – Princípios de Televisão Digital Guido Stolfi – 8/2013.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Guido Stolfi 1 / 89 Percepção Visual PTC2547 – Princípios de Televisão Digital Guido Stolfi – 8/2013."— Transcrição da apresentação:

1 Guido Stolfi 1 / 89 Percepção Visual PTC2547 – Princípios de Televisão Digital Guido Stolfi – 8/2013

2 Guido Stolfi 2 / 89 Percepção Visual Elementos de Neurologia: impulsos nervosos Fisiologia do Olho Humano Características da Visão Mecanismo da formação da imagem Percepção de Intensidade e Fator Gama Resolução Espacial Resolução Temporal e Cintilação Percepção de Movimento Percepção de Distância Ilusões Ópticas

3 Guido Stolfi 3 / 89 Estrutura do Olho Humano

4 Guido Stolfi 4 / 89 Estrutura da Retina

5 Guido Stolfi 5 / 89 Características da Retina 7.000.000 de Cones – células sensíveis à intensidade e à cor (visão Fotópica) 130.000.000 de Bastonetes – sensíveis apenas à intensidade (Visão Escotópica) 1.000.000 de fibras nervosas no Nervo Óptico Fisiologicamente, é uma extensão do córtex cerebral

6 Guido Stolfi 6 / 89 Características da Fóvea Área central da retina (~2 mm 2 ), responsável pela Visão Central Abrange ângulo visual de ~2 graus Resolução Angular para Luminância: 1 a 2 minutos de grau (1 a 2 mm x 3 metros) Resolução Angular para Crominância: 5 a 10 minutos de grau Freqüência Crítica de Cintilação: 40 a 85 Hz

7 Guido Stolfi 7 / 89 Elementos de Neurologia

8 Guido Stolfi 8 / 89 Elementos de Neurologia Fibras nervosas transmitem impulsos químicos Potencial elétrico é conseqüência do impulso químico Impulsos têm sempre mesma amplitude Intensidade do estímulo afeta taxa de repetição dos impulsos Cada fibra nervosa transmite apenas uma qualidade de estímulo

9 Guido Stolfi 9 / 89 Propagação do Impulso Nervoso Na + K+K+ K+K+ K+K+ K+K+ K+K+ K+K+ Fibra em repouso: Potencial de –75 mV Na + K+K+ K+K+ K+K+ K+K+ K+K+ K+K+ Início do impulso (Paredes da fibra permitem ingresso de Sódio): Potencial de Ação de + 55 mV

10 Guido Stolfi 10 / 89 Propagação do Impulso Nervoso Propagação (paredes da fibra tornam-se permeáveis ao potássio): Potencial retorna a –70 mV Fim do impulso (paredes tornam-se impermeáveis): Potencial de polarização – 70 mV Na + K+K+ K+K+ K+K+ K+K+ K+K+ K+K+ K+K+ K+K+ K+K+ K+K+ K+K+ K+K+

11 Guido Stolfi 11 / 89 Propagação do Impulso Nervoso Bomba Sódio-Potássio entra em ação (período refratário): Potencial de –70 mV Na + K+K+ K+K+ K+K+ K+K+ K+K+ K+K+ K+K+ K+K+ K+K+ K+K+ K+K+ K+K+ Fibra em repouso: Potencial de –75 mV

12 Guido Stolfi 12 / 89 Modelo de um Elemento de Fibra Nervosa g(K) = 20 g(Na) 0 = 4 g(Cl)g(Na) P = 500 g(Na) 0

13 Guido Stolfi 13 / 89 Impulsos Nervosos em Células Sensoriais E = 1000 E = 10 E = 0 T

14 Guido Stolfi 14 / 89 Percepção de Diferenças de Intensidade log T P E = 0E = 1000 100102

15 Guido Stolfi 15 / 89 Tipos de Fibras no Nervo Óptico Estímulo Luminoso Células ON Células OFF Células ON-OFF

16 Guido Stolfi 16 / 89 Exemplo de Processamento Neuronal t 1 Gânglio Bipolar Neurônio Estímulo Sinapse Ativa Sinapse Inibidora Axônio

17 Guido Stolfi 17 / 89 Fisiologia do Olho Humano

18 Guido Stolfi 18 / 89 Distribuição das Células na Retina

19 Guido Stolfi 19 / 89 Estrutura da Retina

20 Guido Stolfi 20 / 89 Retina Ocular

21 Guido Stolfi 21 / 89 Pré-processamento da Retina Agrupamento: várias células contribuem para uma unidade de percepção (ex.: bastonetes) Inibição Lateral: estímulos locais dessensibilizam células vizinhas (filtro passa-altas espacial) Inibição temporal: estímulos ON, OFF (filtro passa-altas temporal)

22 Guido Stolfi 22 / 89 Modelo de Oponentes para Percepção Visual

23 Guido Stolfi 23 / 89 Sensibilidade Espectral da Visão

24 Guido Stolfi 24 / 89 Distribuição de Cones e Bastonetes

25 Guido Stolfi 25 / 89 Distribuição de Cones e Bastonetes

26 Guido Stolfi 26 / 89 Faixa Dinâmica de Percepção de Luminosidade

27 Guido Stolfi 27 / 89 Adaptação à Luminosidade

28 Guido Stolfi 28 / 89 Sensibilidade da Visão para Diferenças de Cromaticidade

29 Guido Stolfi 29 / 89 Mecanismo de Construção da Visão

30 Guido Stolfi 30 / 89 Musculatura do Globo Ocular

31 Guido Stolfi 31 / 89 Movimentos Sacádicos

32 Guido Stolfi 32 / 89 Movimentos Sacádicos

33 Guido Stolfi 33 / 89 Movimentos Sacádicos

34 Guido Stolfi 34 / 89 Mecanismo de Formação da Imagem A 78459610132 1 2 3 4 5 6 7 8 9 t 50 ms

35 Guido Stolfi 35 / 89 Percepção de Intensidade

36 Guido Stolfi 36 / 89 Lei de Weber para Percepção Sensorial Diferença Apenas Perceptível de Brilho Y Y+ Y

37 Guido Stolfi 37 / 89 Fração de Weber

38 Guido Stolfi 38 / 89 Limiar de Percepção Sensorial log T P 100102

39 Guido Stolfi 39 / 89 Faixa Dinâmica de Percepção de Luminosidade (Geral e Local)

40 Guido Stolfi 40 / 89 Sensação de Brilho em Torno de um Ponto de Acomodação L* = Lightness

41 Guido Stolfi 41 / 89 Correção Gama ( = 2,2 )

42 Guido Stolfi 42 / 89 Efeito da Não-linearidade do TRC

43 Guido Stolfi 43 / 89 Ruído Aditivo e Correção Gama = 2,2 = 0 Original

44 Guido Stolfi 44 / 89 Exemplo: Sistema sem Correção Gama Escala uniforme de intensidades aparentes (Lightness)

45 Guido Stolfi 45 / 89 Exemplo: Sistema sem Correção Gama Luminância correspondente à escala uniforme

46 Guido Stolfi 46 / 89 Exemplo: Sistema sem Correção Gama Sinal proporcional à Luminância sujeito a ruído aditivo

47 Guido Stolfi 47 / 89 Exemplo: Sistema sem Correção Gama Percepção visual do sinal sujeito a ruído aditivo

48 Guido Stolfi 48 / 89 Exemplo: Sistema com Correção Gama Escala uniforme de intensidades aparentes (Lightness)

49 Guido Stolfi 49 / 89 Exemplo: Sistema com Correção Gama Sinal proporcional à Luminosidade aparente, com ruído aditivo

50 Guido Stolfi 50 / 89 Exemplo: Sistema com Correção Gama Luminância reconstruída a partir do sinal com ruído

51 Guido Stolfi 51 / 89 Exemplo: Sistema com Correção Gama Percepção visual final do sinal sujeito a ruído aditivo

52 Guido Stolfi 52 / 89 Resolução Espacial

53 Guido Stolfi 53 / 89 Resolução Espacial da Visão

54 Guido Stolfi 54 / 89 Bandas de Mach

55 Guido Stolfi 55 / 89 Carta de Campbell

56 Guido Stolfi 56 / 89 Freqüências Relevantes na Visão 4,2 mm = 1,2 ciclos/grau 1,2 mm = 4,3 ciclos/grau 0,35 mm = 7,5 ciclos/grau 0,15 mm = 17 ciclos/grau 1,5 mm = 3,5 ciclos/grau ( d = 300 mm )

57 Guido Stolfi 57 / 89 Freqüências Relevantes na Visão Linhas de Texto Caracteres Elementos gráficos

58 Guido Stolfi 58 / 89 Resolução Temporal e Cintilação

59 Guido Stolfi 59 / 89 Percepção de Cintilação

60 Guido Stolfi 60 / 89 Mecanismo de Formação da Imagem 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 7 8 4 5 9 6 1 3 2

61 Guido Stolfi 61 / 89 Sensibilidade à Cintilação de Detalhes

62 Guido Stolfi 62 / 89 Diâmetro da Pupila x Luminosidade Ambiente

63 Guido Stolfi 63 / 89 Luminância x Cintilação 10 10.75 19.63 215 39248.4 54.460.6 66.9 30 9.08 15.21 544 91257.6 62.870.2 75.5 100 8.04 11.341608 226868.9 71.981.8 84.9 300 7.07 9.624242 577278.2 81.391.4 94.6 10006.161232088.9102.4 30004.522712096.7110.5 Luminância da Tela (Nits) Área da Pupila (mm 2 ) Iluminamento Retinal (Trolands) Freqüência Crítica p/ 10 o (Hz) Freqüência Crítica p/ 70 o (Hz) 100003.1462800105.1119.2 Relação entre Luminância da Tela de Monitores de Vídeo e Freqüências Críticas de Cintilação, para 95% da População (ISO/TC159/1987) - Campos de Visão de 10 e 70 graus

64 Guido Stolfi 64 / 89 Questão Polêmica Cintilação de 60 Hz é responsável pelo sucesso da Televisão?

65 Guido Stolfi 65 / 89 Percepção de Movimento

66 Guido Stolfi 66 / 89 Percepção de Movimento Movimento Retinal –Imagem do objeto se move em relação à retina –Sujeita às características temporais da visão –Baixa definição espacial, visão periférica Rastreamento Ocular –Olho acompanha a trajetória do objeto –Sujeita às características espaciais da visão –Alta definição espacial, visão central

67 Guido Stolfi 67 / 89 Movimento Retinal e Rastreamento Ocular

68 Guido Stolfi 68 / 89 Mecanismos de Compensação do Movimento Ocular - + - + Comando motor Comando motor SensoresInformação compensada Movimento ocular Informação bruta

69 Guido Stolfi 69 / 89 Percepção de Distância

70 Guido Stolfi 70 / 89 Mecanismos de Percepção de Distância Foco Ocular Visão Binocular (Disparidade) Paralaxe de Movimento Fator de Escala Texturas e Saturação

71 Guido Stolfi 71 / 89 Foco Ocular Informação intensa para curtas distâncias (< 1m)

72 Guido Stolfi 72 / 89 Visão Binocular Informação fortíssima para curtas distâncias (dentro do alcance físico); decresce até distâncias médias (< 100 m)

73 Guido Stolfi 73 / 89 Paralaxe de Movimento Depende da amplitude do movimento; em condições de visualização normal é intensa para distâncias curtas (< 10 m)

74 Guido Stolfi 74 / 89 Fator de Escala Forte para qualquer distância (centímetros a quilômetros); depende de aprendizado 1m500m

75 Guido Stolfi 75 / 89 Texturas / Saturação Estimativa razoável para distâncias longas (até vários km) Perto Longe Muito longe

76 Guido Stolfi 76 / 89 Diferenças na Percepção de Distâncias 2,5 m 0,5 m

77 Guido Stolfi 77 / 89 Compensação da Distorção de Perspectiva ABC

78 Guido Stolfi 78 / 89 Distorção de Perspectiva AB, C

79 Guido Stolfi 79 / 89 Questão Polêmica A Televisão do Futuro será em 3 dimensões?

80 Guido Stolfi 80 / 89 Ilusões Ópticas

81 Guido Stolfi 81 / 89 Ilusões Ópticas (Visuais) Quando a percepção entra em contradição com a realidade física Estudo dos mecanismos da percepção visual Ilusões fisiológicas (intrínsecas) e cognitivas (culturais) Teste de hipóteses

82 Guido Stolfi 82 / 89 Irregularidades do Campo Visual

83 Guido Stolfi 83 / 89 Ilusão de Muller-Lyers

84 Guido Stolfi 84 / 89 Ilusão de Muller-Lyers

85 Guido Stolfi 85 / 89 Mesas de Shepard

86 Guido Stolfi 86 / 89 Justificativa da Ilusão de Muller-Lyers

87 Guido Stolfi 87 / 89 Cultura Circular

88 Guido Stolfi 88 / 89

89 Guido Stolfi 89 / 89

90 Guido Stolfi 90 / 89 Verde Vermelho Preto Branco Marrom Azul Amarelo Roxo


Carregar ppt "Guido Stolfi 1 / 89 Percepção Visual PTC2547 – Princípios de Televisão Digital Guido Stolfi – 8/2013."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google