A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

O ENVELHECIMENTO BEM SUCEDIDO Curso de Medicina Geriatria – 06.03.09.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "O ENVELHECIMENTO BEM SUCEDIDO Curso de Medicina Geriatria – 06.03.09."— Transcrição da apresentação:

1 O ENVELHECIMENTO BEM SUCEDIDO Curso de Medicina Geriatria –

2 Envelhecimento É o conjunto de alterações que ocorrem progressivamente na vida adulta e que frequentemente, mas nem sempre, reduzem a viabilidade do indivíduo

3 Senescência É a perda de função ligada à passagem do tempo, contribuindo decisivamente para o comprometimento da qualidade de vida e da autonomia dos indivíduos idosos

4 Envelhecimento bem sucedido Baixa suscetibilidade a doenças e elevada capacidade funcional (física e cognitiva), acompanhado de uma postura ativa perante a vida e a sociedade

5 O papel primordial do profissional da saúde que se ocupa de pacientes idosos é prevenir situações nas quais há perda funcional, o que é feito atuando-se sobre as curvas 1) Medidas preventivas que diminuem a velocidade de progressão da disfunção ligada à senescência 2) Medidas preventivas e terapêuticas em relação às doenças crônicas 3) Medidas que previnem o aparecimento dos eventos agudos que vão descompensar precocemente o sistema Envelhecimento bem sucedido

6 1. Senescência2. Doença do órgão3. Evento agudoResultado Envelhecimento renalNefropatia diabéticaDesidratação, droga nefrotóxica Uremia Envelhecimento cerebral Doença de AlzheimerSíndrome infecciosa ou metabólica Confusão mental Envelhecimento pulmonar Doença pulmonar obstrutiva crônica Infecção pulmonarInsuficiência respiratória

7 A promoção do envelhecimento bem sucedido Atitudes de natureza preventiva são capazes de evitar ou postergar a incapacidade, fazendo o idoso manter um bom padrão funcional em idades avançadas HIPOTESE DA COMPRESSÃO DA MORBIDADE Ações preventivas primárias Aqueles que evitam o aparecimento de doenças Ações secundárias Diagnóstico precoce de doenças Ações terciárias Evitam a piora funcional uma vez a doença já instalada

8 Prevenção primária Nutrição Exercício físico Vacinação Interrupção do tabagismo Interrupção do alcoolismo

9 Nutrição Desnutrição e perda de peso estão implicados nos estados de perda funcional – Carbohidratos = 55a60% – Proteinas = 10 a 20% 1 g/Kg/dia – Gorduras = até 30% < de 10% gorduras saturadas – Oligoelementos Frutas e vegetais

10 Muitos idosos encontram dificuldade em manter um consumo alimentar adequado por causa de problemas que devem ser identificados e corrigidos D.neuropsiquiátricos – Demência – depressão D.mastigatórios – Falta de dentes D. deglutição Inibidores do apetite – Doenças – medicamentos Fatores sociais – Isolamento – Dificuldades econômicas Sobrepeso e obesidade – Morbidades Cardiovascular Osteoarticular Cálculo do índice de massa corpórea Avaliação do estado nutricional

11

12 EXERCÍCIO FÍSICO : a ausência de uma prática regular de exercícios está relacionada a estados de incapacidade. A prescrição de exercícios visando a prevenção da incapacidade deve ter como objetivos: Romper com o sedentarismo Modificar fatores de risco para doenças causadoras de incapacidade – Sobretudo doenças cardiovasculares Manter ou melhorar – Força muscular – Capacidade aeróbica – Equilíbrio – flexibilidade Trazer benefícios psicológicos – auto estima – Bem estar Integração social

13

14 A prescrição de atividade física a idosos visando a prevenção da incapacidade deve conter Exercícios visando aumento da massa muscular – Exercícios de resistência – isométricos Exercícios aeróbicos, elevando a FC até 60% da FC máxima idade Treino do equilíbrio Exercícios para flexibilidade

15

16 VACINAÇÃO : a imunização é um instrumento precioso para a promoção da saúde em idosos Profilaxia da gripe – Anual Vigilância epidemiológica iniciada em 1947 Isolamento do vírus da influenza de humanos ocorreu em 1933, possibilitando a produção da vacina Vacina pneumocócica – Revacinação 5 anos após 1ª dose Apesar dos AB, índice de mortalidade de 7 a 35% – No Brasil a resistência à penicilina evoluiu de 9.7% para 17.3% de 1993 a 1998 Vacinação contra tétano e difteria – Dupla adulto: 0, 1 e 6 meses. Reforço a cd 10 anos

17

18

19

20 Dependência Forte desejo de consumir (compulsão) Dificuldade de controlar o uso Na ausência da droga ocorrem – distúrbio do sono – Depressão – ansiedade – São os sintomas de abstinência

21

22

23 INTERRUPÇÃO DO TABAGISMO: em qualquer idade traz muitos benefícios. Os recursos farmacológicos devem ser utilizados separadamente ou em conjunto, quando necessário. Reposição da nicotina – Patch transdérmico Dose inicial de 1mg/dia por cigarro fumado (máximo de 21 mg/dia) em doses decrescentes. O tratamento dura em geral, 12 semanas, com doses decrescentes a cada 4 semanas. Bupropiona (ziban – bup – wellbutrin) – Comprimido de 150mg 150mg/dia nos primeiros 3 dias. Em seguida duas vezes ao dia por 10 semanas Tartarato de vareniclina (champix) 0,5mg (3 dias) 0,5mg + 0,5mg (4-7dias) 1mg + 1mg (8º dia até 12 semanas.) Programar o dia e iniciar duas semanas antes

24 INTERRUPÇÃO DO ALCOOLISMO : um bom instrumento para o diagnóstico do consumo excessivo de álcool é o Questionário Cage, traduzido e validado para o português. Duas ou mais respostas afirmativas sugerem consumo excessivo de álcool O (A) senhor (a) já pensou em parar de beber? O (A) senhor (a) sente-se culpado (a) pela forma como bebe? As pessoas o(a) aborrecem comentando seus hábitos de bebida? Alguma vez já bebeu de manhã para afastar o nervosismo? O idoso deve reduzir ou cessar o consumo de álcool. Caso necessário, o NALTREXONE (revia) pode ser utilizado (REVIA): antagonista opióide que diminui o desejo de beber e não apresenta interações medicamentosas importantes. Bem tolerada, tendo como maior efeito colateral as náuseas. O DISSULFIRAM (sarcoton – antietanol) não deve ser utilizado em idosos

25 Sra. M.N.P. – 66 anos – dia HTA há 30 anos - Hipotireoidismo há 30 anos - Períneo e Histerectomia há 24 anos - Cateterismo cardíaco e angioplastia há 5 anos - Hérnia de hiato e colecistectomia há 2 anos - Quedas há 2 anos – 1 ano – 2 meses (trauma no MIE) -Tontura – mal estar na cabeça (pressão) – desequilíbrio – barulho no ouvido Otorrino – Neurologista – Ressonância: lesão expansiva no interior do conduto Auditivo interno esquerdo medindo 12x5x5mm, compatíveis com SCHWANNOMA VESTIBULAR DO LADO ESQUERDO - Litíase renal (3 crises em 20 dias) – hematúria – litotripsia há 6 meses - Obesidade mórbida: já pesou 125 Kg e atualmente 98Kg - Onicomicoses Médicos: cardiologista – urologista – neurologista – endocrinologista – cirurgião digestivo – gastro – clínico Medicamentos: omeprazol 20mg – euthyrox 150mg – adalat retard 20mg – atenolol 100mg – atensina 100mg – captopril 25mg – vastarel 20mg – frontal 2mg (alprazolan) História familiar (pai – mãe – 6 irmãos – viuva há 12 anos (marido tinha 61 anos: hemorragia iatrogênica) – 5 filhas: 47 anos (25 anos – 8 anos) – 45 anos (18 anos- 5 anos) – 39 anos – 31 anos – 26 anos.

26 Prevenção secundária Detecção de doenças (screening) em indivíduos assintomáticos Nem todas as doenças são passíveis de screening e nem todos os exames se prestam a essa função – Deve ter uma prevalência digna de nota e apresentar um período assintomático longo que permita seu diagnóstico na fase pré-clínica

27

28

29

30 Cadernos de Atenção Básica Envelhecimento e Saúde da Pessoa Idosa Capítulo 4 – Promoção de hábitos saudáveis – Alimentação e nutrição Anexo 14 pagina 180

31 Prevenção terciária (reabilitação)


Carregar ppt "O ENVELHECIMENTO BEM SUCEDIDO Curso de Medicina Geriatria – 06.03.09."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google