A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Análise de Projetos Determinação do Tamanho ou da Escala do Projeto.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Análise de Projetos Determinação do Tamanho ou da Escala do Projeto."— Transcrição da apresentação:

1 Análise de Projetos Determinação do Tamanho ou da Escala do Projeto

2 Escala do Projeto Determinar o tamanho, ou seja, a capacidade de produção a ser instalada, é uma questão crucial para o empreendedor.

3 Escala do Projeto Uma fábrica de grande capacidade pode representar um potencial de bons lucros, se houver economia de escala e se a demanda para o produto crescer a uma taxa elevada.

4 Escala do Projeto Mas pode representar um desastre para a empresa se a demanda crescer a uma taxa modesta.

5 Escala do Projeto Por outro lado, a empresa poderá implantar uma fábrica menor, prevendo uma ampliação para a hipótese de a demanda crescer a taxas elevadas.

6 Escala do Projeto Se isto ocorrer, a concorrência pode entrar, reduzindo o potencial de lucros e, por sua vez, a própria empresa terá custos maiores com a ampliação do que se já tivesse feito uma fábrica grande de uma só vez.

7 Escala do Projeto Essas considerações genéricas mostram que a decisão acerca do tamanho tem consideráveis influências sobre a capacidade futura de competição.

8 Escala do Projeto Este fato por si só justificaria um estudo cuidadoso para que fosse feita a melhor determinação possível do tamanho. Entretanto, esse estudo nem sempre é realizado.

9 Escala do Projeto Uma razão para que o problema da capacidade de produção seja relegado a plano secundário é o fato de a sua solução depender da pré-determinação dos demais elementos do projeto, tais como mercado, localização, custos de produção etc.

10 Escala do Projeto Ou seja, a determinação da capacidade adequada a ser instalada dependerá de um processo de aproximações sucessivas.

11 Escala do Projeto Como este processo pode ser trabalhoso e de elevado custo, é necessário que seja abordado com critério, isto é, que haja um adequado balanceamento entre os custos de elaboração e análise e o volume de investimentos envolvido.

12 Definição e Medida do Tamanho O tamanho da fábrica (ou de determinado processo) é a capacidade de produção que pode ser atingida pela mesma quando em operação durante um período de tempo normal, do ponto de vista técnico e econômico.

13 Definição e Medida do Tamanho Como o conceito de capacidade é diferente segundo a ótica técnica e econômica, a definição dada só fica completa quando se analisam os dois pontos de vista.

14 Definição e Medida do Tamanho O Conceito de Capacidade de Produção do Ponto de Vista Técnico

15 Definição e Medida do Tamanho Ponto de Vista Técnico Do ponto de vista técnico ou de engenharia, a capacidade de produção que define o tamanho do processo é a máxima produção que pode ser obtida com determinado processo (ou equipamento) durante dado intervalo de tempo.

16 Definição e Medida do Tamanho Neste sentido, o técnico separa o conceito de capacidade nominal do conceito de capacidade efetiva.

17 Definição e Medida do Tamanho A capacidade nominal (Cn) é a capacidade teórica que seria obtida caso todos os equipamentos funcionassem de modo eficiente. Existem,porém, interrupções e/ou perdas de eficiência devido a:

18 Definição e Medida do Tamanho mão-de-obra destreinada, incapaz de operar os equipamentos adequadamente; paradas obrigatórias para fazer face a reparos e/ou manutenções etc.

19 Definição e Medida do Tamanho Verifica-se, assim, que a capacidade efetiva (Ce) do processo de produção é, em geral, bem menor que a capacidade nominal dada. Define-se então um nível de utilização (Nu) como sendo:

20 Definição e Medida do Tamanho

21 Este índice é o que deve ser usado para a determinação do potencial de oferta de determinado empreendimento. Muitas vezes, o que se observa é que o nível de utilização se situa muito abaixo do que é considerado normal para um dado setor.

22 Definição e Medida do Tamanho Isto ocorre em virtude da indivisibilidade de certos equipamentos quando a empresa executa uma expansão não balanceada.

23 Definição e Medida do Tamanho Neste caso, a empresa instala o equipamento principal superdimensionado e deixa para complementar depois os equipamentos secundários.

24 Definição e Medida do Tamanho Outra consideração é a possibilidade de operar o equipamento em dois ou três turnos, fato que depende basicamente do processo ser contínuo ou da existência de demanda que justifique os custos incrementais.

25 Definição e Medida do Tamanho Pode ser também que o processo tenha sido instalado para operar com matérias-primas de oferta sazonal e/ou limitada a certos meses do ano, como ocorre freqüentemente com as matérias- primas de origem agrícola que não podem ser estocadas (como é o caso, por exemplo, da indústria açucareira).

26 Definição e Medida do Tamanho Nesses casos, os técnicos ajustam o conceito de tamanho via consideração do tempo de operação.

27 Definição e Medida do Tamanho Desse modo, mesmo nessas condições, a medida de capacidade técnica reflete a idéia de eficiência operacional nos equipamentos.

28 Definição e Medida do Tamanho O Conceito de Capacidade de Produção do Ponto de Vista Econômico

29 Definição e Medida do Tamanho Ponto de Vista Econômico Do ponto de vista econômico, a capacidade de produção que define o tamanho do processo é o nível de produção que corresponde ao custo unitário médio mínimo de produção.

30 Definição e Medida do Tamanho É evidente que este nível de produção de custo mínimo pode ser considerado sob o critério de custos de produção de curto ou de longo prazo. Do ponto de vista econômico, leva-se em conta o custo de oportunidade dos fatores.

31 Definição e Medida do Tamanho Assim, como já discutido, os custos de produção do ponto de vista econômico são compostos de elementos explícitos e implícitos.

32 Definição e Medida do Tamanho Os custos explícitos são aqueles que aparecem normalmente na contabilidade de custos, tais como: custo da mão­de-obra, depreciações, custo da energia, seguros etc.

33 Definição e Medida do Tamanho Os custos implícitos correspondem a elementos como: retorno normal sobre o investimento, custo alternativo do trabalho e/ou de outros recursos de posse própria etc.

34 Definição e Medida do Tamanho Com base nessa noção de custo, pode-se afirmar que o ponto de vista econômico procura levar em conta não apenas a capacidade física (que é o conceito técnico), mas também os demais fatores econômicos que participam do processo.

35 Definição e Medida do Tamanho Ou seja, procura-se considerar o uso do capital de giro, as ofertas sazonais de matérias­primas, o custo incremental, quando se opera o equipamento de modo mais intensivo.

36 Definição e Medida do Tamanho Por exemplo, a utilização de um processo em mais de um turno corresponde a custos maiores de mão-de- obra e a um benefício fiscal de maior depreciação.

37 Definição e Medida do Tamanho Neste caso, a análise econômica de capacidade procura calcular o resultado líquido destes custos e benefícios para determinar a capacidade de produção da empresa. A grande dificuldade que este critério econômico apresenta é a sua difícil mensuração.

38 Definição e Medida do Tamanho Este é o principal motivo pelo qual o ponto de vista técnico tem sido mais utilizado nos projetos para a indicação do tamanho. Além dos critérios apontados, podem ser utilizados outros critérios para medir o tamanho.

39 Definição e Medida do Tamanho Assim, o tamanho pode ser medido através dos indicadores seguintes: Número de empregados totais e/ou número de operários ligados à produção;

40 Definição e Medida do Tamanho Número de fusos (para o caso do setor têxtil); Volume de faturamento; Total do capital empregado e/ou valor do patrimônio líquido;

41 Definição e Medida do Tamanho Valor total adicionado pela empresa; Volume (ou peso) da matéria-prima consumida etc.

42 Tamanho e Custos Custos de curto e de longo prazos No curto prazo tem-se que a fábrica apresenta: Custos fixos: são os custos que não variam em função do volume de produção

43 Tamanho e Custos Custos variáveis: são os custos que dependem do volume de produção. Para uma utilização muito baixa (ou muito alta) da capacidade de produção, esses custos são mais que proporcionais ao volume de produção.

44 Tamanho e Custos Para utilização dentro de uma faixa intermediária da capacidade de produção, esses custos podem ser admitidos como proporcionais ao volume de produção.

45 Tamanho e Custos Os custos totais, evidentemente, correspondem à soma dos custos fixos com os variáveis para cada volume de produção. O custo total médio de curto prazo é obtido através da divisão do custo total pelo volume de produção.

46 Tamanho e Custos O ponto de custo médio mínimo define a correspondente capacidade de produção do ponto de vista econômico. Esta é a capacidade de produção ótima (ou tamanho da fábrica) quando se considera o ponto de vista de curto prazo.

47 Tamanho e Custos No longo prazo, todos os custos são variáveis, uma vez que podem ser instaladas fábricas de diferentes tamanhos. É preciso saber, então, o que ocorre com o custo médio de longo prazo quando são aumentados os valores dos insumos (ou o volume de produção).

48 Tamanho e Custos Esta pergunta pode apresentar três respostas:

49 Tamanho e Custos 0 custo médio diminui: diz-se neste caso que o processo em pauta apresenta retornos crescentes de escala ou, em outras palavras, apresenta economias de escala.

50 Tamanho e Custos O custo médio permanece constante: nestas condições diz-se que o processo apresenta retornos constantes de escala. Isto quer dizer que o processo não apresenta economias ou deseconomias de escala.

51 Tamanho e Custos c) O custo médio aumenta: isto significa que o processo apresenta retornos decrescentes de escala. Ou seja, diz-se que o processo apresenta deseconomias de escala.

52 Tamanho e Custos As economias de escala podem aparecer em virtude de diversos fatores. Do ponto de vista econômico restrito, pode-se dizer que as economias de escala são devidas à maior divisão e especialização do trabalho.

53 Tamanho e Custos Outra causa pode ser o menor custo unitário na aquisição e no transporte de matérias-primas e outros insumos que são feitos em grandes quantidades e/ou volumes.

54 Tamanho e Custos Firmas de grande tamanho podem apresentar também um menor custo financeiro, associado ao acesso mais fácil ao mercado de capitais (subscrição de ações, crédito bancário etc.).

55 Tamanho e Custos Do ponto de vista técnico, as economias podem ocorrer pelo uso de tecnologia mais avançada. Pode ser também que o aumento na potência e/ou nas capacidades não seja proporcional ao custo de fazer osequipamentos maiores (por exemplo, pode ser mais barato fazer um motor de H.P. do que um motor de H.P.).

56 Tamanho e Custos Isto pode ocorrer também em equipamentos cilíndricos ou esféricos, em que a produção é proporcional ao volume e o custo do equipamento é proporcional à área do mesmo.

57 Tamanho e Custos É com base nesta consideração que os engenheiros elaboraram uma regra aproximada para estimar os aumentos do custo dos equipamentos com os aumentos de capacidade:

58 Tamanho e Custos

59 Onde: C1 e C2 são os custos; X1 e X2 são as capacidades do mesmo equipamento em tamanhos diferentes (X2 > X1 ).

60 Tamanho e Custos Esta fórmula é conhecida como "regra do 0,6", sendo disponível na literatura especializada coeficientes diferentes em função do equipamento e/ou dos processos, principalmente na indústria química e petroquímica.

61 Tamanho e Custos Outra razão técnica para que ocorram economias de escala é o fato de se poder ter uma melhor utilização de equipamentos indivisíveis (ou seja, equipamentos que só são produzidos para operar em escalas predeterminadas pelos fabricantes).

62 Tamanho e Custos Pode ser também que à maior escala estejam associadas maiores economias e/ou rendimentos como: menores perdas, maior padronização, melhor uso dos subprodutos etc.

63 Tamanho e Mercado O mercado a ser atendido pela empresa é outro elemento de relevância para a determinação do tamanho do projeto. Podemos ter três hipóteses:

64 Tamanho e Mercado a) O mercado a ser atendido é igual ao tamanho mínimo do processo; b) o mercado a ser atendido é muito pequeno, de modo que não é econômico instalar um processo de tamanho mínimo;

65 Tamanho e Mercado c) o mercado a ser atendido é suficientemente grande para justificar a instalação de um processo de tamanho mínimo ou maior.

66 Tamanho e Mercado Dinamismo da Demanda A perspectiva de um crescimento rápido na demanda futura poderá justificar agora a instalação de um processo com capacidade em excesso.

67 Tamanho e Mercado Neste caso, haverá uma troca do prejuízo presente (devido aos custos iniciais maiores) pelos lucros futuros que decorrerão dos menores custos, quando a capacidade for plenamente utilizada.

68 Tamanho e Mercado A expectativa de um grande dinamismo na demanda dependerá de fatores tais como: o estágio do ciclo de vida do produto, existência ou não de demanda reprimida etc.

69 Tamanho e Mercado Na fase de crescimento do ciclo de vida, a alternativa de instalar capacidade em excesso pode ser conveniente como um meio de garantir o atendimento futuro e manter afastados os concorrentes potenciais.

70 Tamanho e Mercado Na fase de maturidade pode ser mais adequado o atendimento do mercado através de expansões de menor tamanho. É evidente que a instalação de equipamentos com excesso de capacidade só será vantajosa se os mesmos não

71 Tamanho e Mercado forem divisíveis em unidades de menor tamanho. Distribuição geográfica do mercado A maior ou menor dispersão do

72 Tamanho e Mercado mercado é importante, porque isto influi no custo de distribuição do produto. Ou seja, o fator importante a ser considerado é o preço final para o consumidor.

73 Tamanho e Mercado Se existirem economias de escala significativas, valerá a pena instalar uma única fábrica para atender todo o mercado. Pode ser conveniente também instalar uma fábrica maior com a escala ótima para

74 Tamanho e Mercado atender à maior concentração geográfica do mercado e fábricas menores para atender ao restante do mercado (por exemplo, uma fábrica para atender à região São Paulo-Rio e fábricas menores para as demais regiões do país).

75 Tamanho e Mercado Finalmente, caso as economias de escala não sejam significativas, quando comparadas com os custos de distribuição, será conveniente construir várias fábricas de um tamanho predeterminado (ou mesmo de tamanhos diferentes) nas várias regiões.

76 Tamanho e Localização Os aspectos locacionais são muito relevantes em termos de tamanho. Por um lado, a localização será dependente da distribuição geográfica do mercado e, por outro lado, da existência de economias de escala.

77 Tamanho e Localização Esses fatores influem nos custos de aquisição de fatores de produção e de distribuição do produto, podendo inclusive comprometer a capacidade de competição da empresa a longo prazo. Nestas condições, tamanho e

78 Tamanho e Localização localização devem ser determinados conjuntamente através de um processo iterativo, em que se busca a melhor solução mediante aproximações sucessivas.

79 Tamanho e Recursos A empresa deve verificar se tem os recursos necessários (próprios e de terceiros) para atender à implementação de uma fábrica com tamanho mínimo. Isto porque o custo de entrada pode ser muito elevado, de modo que a empresa

80 Tamanho e Recursos poderá ter dificuldades futuras para saldar seus compromissos e/ou apresentar rentabilidade adequada. É evidente que este problema não tem grande importância na hipótese de a fábrica crescer por ampliações sucessivas.

81 Tamanho e Recursos Se existirem recursos abundantes disponíveis (e/ou incentivos fiscais vantajosos), a empresa deverá procurar construir o maior processo possível. Deve ficar claro, entretanto, que deve ser procurada a maior capacidade que

82 Tamanho e Recursos seja compatível com um nível de risco adequado para a empresa.

83 Tamanho e Aspectos Técnicos Como já foi citado, os aspectos técnicos podem ser responsáveis por economias de escala, em termos de custo menor para equipamentos com maiores capacidades, rendimentos etc. Em virtude desses fatores e dependendo

84 Tamanho e Aspectos Técnicos da oferta preexistente, certos processos só podem ser instalados a partir de determinados tamanhos mínimos. Isto porque, abaixo de certos níveis de produção, os custos podem ser tão elevados que a produção se torna

85 Tamanho e Aspectos Técnicos antieconômica. Muitas vezes, os próprios fabricantes de bens de capital já têm processos e equipamentos padronizados, que partem de determinado tamanho mínimo.

86 Tamanho e Aspectos Técnicos Pode ocorrer também que mude a tecnologia do processo, de tal sorte que o processo convencional fique sendo econômico para escalas pequenas e o processo novo passe a ser mais econômico para grandes escalas.

87 Tamanho e Aspectos Técnicos Outro determinante técnico do tamanho é a distinção entre fábricas orientadas para o processo e fábricas orientadas para o produto. Dependendo do estágio de maturidade do desenvolvimento tecnológico, as fábricas

88 Tamanho e Aspectos Técnicos voltadas para o processo têm garantias de que serão plenamente utilizadas num prazo mais curto ou mais longo. O mesmo não pode ser dito de fábricas voltadas para o produto, sobretudo se não

89 Tamanho e Aspectos Técnicos houver flexibilidade para a produção de produtos alternativos e/ou se o produto ainda se encontrar no estágio inicial de introdução no mercado. Nestas condições, é preferível a construção de plantas de menor escala,

90 Tamanho e Aspectos Técnicos assumindo­se o risco de não se atender parte do mercado.

91 A Escolha do Tamanho Ótimo O Conceito de Tamanho Ótimo Entende-se por tamanho ótimo aquela escala de produção que conduz à mais alta rentabilidade para a empresa em um dado intervalo de tempo.

92 A Escolha do Tamanho Ótimo O tamanho ótimo pode ser entendido também como sendo a escala de produção que conduz à maior razão benefícios/custos para o empresário e/ou para a sociedade. Como o fator tempo é muito

93 A Escolha do Tamanho Ótimo importante, os custos e receitas associados à escolha do tamanho ótimo devem ser analisados ao longo do tempo. Em geral, a análise é feita para um horizonte de planejamento igual à vida útil da fábrica.

94 A Escolha do Tamanho Ótimo Desse modo, o tamanho ótimo será aquele que conduz ao máximo valor atual do fluxo futuro de caixa descontado a uma dada taxa de juros.

95 A Escolha do Tamanho Ótimo A estratégia ótima para expansão será aquela que conduzir ao mínimo valor atual dos custos para prover a capacidade requerida. É evidente que o tempo certo para entrar no mercado (ou ampliar a

96 A Escolha do Tamanho Ótimo produção) é uma consideração vital nesta estratégia. A seleção do tamanho dependerá, basicamente, dos custos.

97 A Escolha do Tamanho Ótimo Em termos de projeto, esses custos podem ser os seguintes: A) custos de construção do processo; B) custo de oportunidade do capital

98 A Escolha do Tamanho Ótimo investido na capacidade instalada; C) custo associado ao tamanho (economias de escala); D) custo de oportunidade associado ao

99 A Escolha do Tamanho Ótimo tempo de construção de uma fábrica nova ou de ampliação da existente; E) os custos de oportunidade associados à falta de capacidade para atender à demanda; e

100 A Escolha do Tamanho Ótimo F) os custos associados à estrutura fiscal e tributária (taxas e/ou incentivos, tais como o Imposto de Renda, critérios de depreciação etc.).

101 A Escolha do Tamanho Ótimo Além desses fatores, deve ser considerada a vida útil do processo, associada à taxa de mudança tecnológica, ou seja, ao grau de obsolescência previsível.

102 A Escolha do Tamanho Ótimo Este fator deve ser cotejado com a perspectiva de crescimento do mercado, como já se comentou. É evidente que a empresa pode querer instalar uma fábrica com capacidade ociosa para poder evitar com isso a

103 A Escolha do Tamanho Ótimo entrada de novas empresas; isto é, para poder garantir uma adequada participação de mercado. Pode ser também que os equipamentos básicos (como um forno de cimento, por

104 A Escolha do Tamanho Ótimo exemplo) sejam instalados com excesso de capacidade em relação ao resto do processo (expansão não balanceada). Neste caso, será possível uma expansão posterior mais rápida e menos cara.

105 A Escolha do Tamanho Ótimo Neste caso, a empresa assume um período com falta de oferta (em que há a possibilidade de entrada de concorrentes) e um período com alta capacidade ociosa. A segunda opção é instalar um processo menor de modo que se maximize

106 A Escolha do Tamanho Ótimo o custo de oportunidade do capital investido. É evidente que a empresa poderá levar em conta também a possibilidade de operar temporariamente em dois ou em três turnos, mesmo que a isto

107 A Escolha do Tamanho Ótimo correspondam custos imediatos maiores. Esta alternativa garante que se atenda à demanda, evitando a entrada de concorrentes.

108 A Escolha do Tamanho Ótimo Em termos de projeto, um roteiro para resolver o problema é o seguinte: a) Pré-selecionar as alternativas viáveis; b) Selecionar os fatores técnicos e

109 A Escolha do Tamanho Ótimo econômicos relevantes para a análise (sendo que os fatores comuns a todas as alternativas podem ser omitidos). c) Estimar os correspondentes custos e receitas para cada alternativa.

110 A Escolha do Tamanho Ótimo d) Calcular o valor atual líquido para cada alternativa a uma dada taxa de desconto e escolher a de maior valor atual.


Carregar ppt "Análise de Projetos Determinação do Tamanho ou da Escala do Projeto."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google