A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Charcot na Salpêtrière Hipnose fazia desaparecer sintomas histéricos de conversão (paralisia, cegueira) Sintomas desapareciam apenas enquanto durava o.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Charcot na Salpêtrière Hipnose fazia desaparecer sintomas histéricos de conversão (paralisia, cegueira) Sintomas desapareciam apenas enquanto durava o."— Transcrição da apresentação:

1 Charcot na Salpêtrière Hipnose fazia desaparecer sintomas histéricos de conversão (paralisia, cegueira) Sintomas desapareciam apenas enquanto durava o transe Conclusão: sintomas aparentemente neurológicos, mas doença não era somática

2 Sigmund Freud ( ) Nascido em Pribor (Império Austro- Húngaro) Família mudou-se para Viena em 1860 Forma-se em medicina (neurologia) em 1881 Estuda com Charcot Foge do nazismo para Londres em 1938, morre em 1939

3 Datas importantes na vida de Freud Estuda medicina na Universidade de Viena sob a orientação de Ernest Brücke Artigos em Anatomia – dissecação de enguias Bolsa de estudo para trabalhar com Jean-Martin Charcot Designado professor na Universidade de Viena para a disciplina de Neuropatologia Publica com Breuer os Estudos sobre Histeria Inicia sua auto-análise Publica A interpretação dos sonhos e Psicopatologia da vida cotidiana Profere conferências na Clark Universityconvidado pelo psicólogo acadêmico Stanley Hall, presidente da Universidade. (comenta com Jung na viagem: mal sabem eles que estamos levando a peste)

4 Freud – contribuições abrangentes Cura pela fala –cada sintoma histérico individual desaparecia, de forma imediata e permanente, quando conseguiam os trazer à luz com clareza a lembrança do fato que o havia provocado e despertar o afeto que o acompanhara, e quando o paciente havia descrito esse fato com o maior número de detalhes possível e traduzido o afeto em palavras (1893, correspondência com Breuer) Psicologia do inconsciente –Aparelho psíquico (Id, Ego, Superego) Psicogênese das doenças mentais Sexualidade infantil Interpretação de fenômenos como cultura, arte, guerra, política, etc.

5 Freud – conceitos fundamentais Teoria psicanalítica – Abrange 3 abordagens da vida mental: Dinâmica: forças conflitantes, pulsões de vida e de morte. Econômica: princípio do prazer; dor=aumento da excitação, prazer=diminuição da excitação. Topológica: descrição do aparelho psíquico em Id, Ego e Superego.

6 Três processos fundamentais da vida psíquica: Repressão (Recalcamento): idéias incompatíveis com o princípio de realidade são forçadas em direção ao inconsciente. Transferência: reedição, com o analista (chefe, cônjuge, professor...), das relações afetivas que o paciente teve com os seus pais. Desenvolvimento sexual: determinado em grande medida pelas relações da criança com os pais, ou os adultos mais próximos, ocorre em etapas regidas pelo direcionamento da libido (energia psíquica de caráter sexual) para partes do corpo, ou objetos.

7 Desenvolvimento sexual Fase oral - a libido é centralizada nas atividades de sugar e, posteriormente, morder Fase anal - a criança direciona sua energia para a retenção e/ou expulsão do que há no corpo Fase fálica - caracteriza-se pela atenção às diferenças físicas entre os sexos Fase genital - o indivíduo realizou escolhas objetais, como preferência sexual e escolha de parceiro, e sublimou os instintos de vida e de morte através de uma atividade socialmente reconhecida, como uma profissão

8 Psicopatologia Com grande freqüência, é algum fato da infância que estabelece um sintoma mais ou menos grave, que persiste durante os anos subsequentes Um trauma, ou cena sexual numa das fases do desenvolvimento sexual provoca a doença mental

9 Estudos sobre a histeria (1895, em co-autoria com Josef Breuer) A interpretação dos sonhos (1900) Psicopatologia da vida cotidiana (1901) Três ensaios sobre a teoria da sexualidade (1905) O ego e o id (1905) primeiro trabalho sobre a cura catártica da histeria pela hipnose, ainda fortemente influenciado por Charcot introduz o procedimento de interpretação pelo qual se chega ao conteúdo latente do sonho, de ordem sexual, encoberto pelo conteúdo manifesto interpreta de erros e esquecimentos do dia-a-dia (atos falhos, lapsos, parapraxias) teoria do desenvolvimento sexual em estágios evolutivos: oral, anal, fálico e genital marca a passagem da primeira tópica (sistema consciente- inconsciente) para a segunda tópica (aparelho psíquico composto de id, ego e superego)

10 Aparelho Psíquico (2ª tópica) Id (Isso) – princípio do prazer Demanda para dar conta de necessidades imediatamente Ego (Eu) – princípio de realidade Dar conta da necessidade assim que um objeto apropriado for encontrado Superego Ego ideal – deriva de ações recompensadas e modelos positivos Consciência – internalização de punições e ameaças

11 Metáfora do Iceberg

12 Influências sobre Freud Evolucionismo - DARWIN ( ) Conceitos psicanalíticos decorrentes: - fases de desenvolvimento, - processo de mudança, - fixação e regressão.

13 Conflito - HERBART ( ) As idéias da mente são dinâmicas; possuem energia, de tal modo que se atraem ou se repelem umas as outras. Força da idéia: Idéias tornam-se forças quando elas resistem umas as outras para ocuparem o espaço da consciência. Surge então uma interação dinâmica na qual as idéias misturam-se e associam-se em massas aperceptivas, podendo na pior das hipósteses, ser suprimida abaixo da limiar da consciência.

14 Repressão e resistência - SHOPENHAUER ( ) Conceitos: Idéia de repressão no inconsciente e de resistência ao reconhecimento do material reprimido.

15 Associacionismo - BERKELEY, HUME, HARTLEY E REID (Inglaterra), HERBART (Alemanha) A psicologia associacionista levou à descoberta crucial da associação livre.

16 Perspectiva fisiológica e evolucionista. Hughlings JACKSON ( ) Hierarquia evolutiva do sistema nervoso concepção que lhe permitiu considerar a doença nervosa como uma dissolução - que era o termo de Spencer para o oposto de evolução. A doença ataca inicialmente os níveis superiores e, ao aumentar, passa para os inferiores; estes nunca são perturbados sem que os superiores já tenham sido atacados. Foi descoberto por Freud em 1891

17 Tradição romântica SCHELLING ( ) e GOETHE ( ) A natureza humana não é um produto nem da natureza e nem da racionalidade mas sim das forças históricas. Desvia-se do modo de conhecer próprio das ciências naturais quando estas adotam métodos mecânicos matemáticos e preferem o modo de conhecer das ciências do espírito. Grande interesse pela história ou partes da história, neste interesse ocorre uma preferência pelo encoberto, pelo misterioso, pelo sugestivo, pelo fundo contra a superfície. Orienta-se pelo dinâmico contra o estático

18 Tradição romântica (cont.) Primado da intuição e do sentimento frente a razão e a análise; O irracional atrai mais que o racional O imprevisível mais que o previsível, O multiforme mais que o uniforme, O trágico mais que o cômico, O oculto mais que o presente, O implícito mais que o explícito, O sublime mais que o belo, O interno mais que o externo.

19 Freud e a tríade evolucionista (organismo, ambiente, adaptação) – Posição interacionista ambígua: Natureza e ambiente – e em particular o ambiente social – não apenas estão indissoluvelmente associados como são pólos de uma antagonismo. O desenvolvimento do individuo reflete assim a luta entre o natural - o instinto – e as possibilidades oferecidas pelo ambiente físico e social à atualização da natureza.

20 OrganismoAdaptaçãoAmbiente - Instinto - Ímpeto - Objetivo - Objeto - Fonte - Ato psíquico - Desenvolvimento - Diferenciação - Mecanismo psíquicos - Restrições - Normas ID EGO SUPEREGO - Exigência natural - Conflito - Harmonia - Barreiras sociais - Civilização


Carregar ppt "Charcot na Salpêtrière Hipnose fazia desaparecer sintomas histéricos de conversão (paralisia, cegueira) Sintomas desapareciam apenas enquanto durava o."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google