A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

O Inventário Brasileiro de Emissões e Remoções Antrópicas de Gases de Efeito Estufa Curitiba, 21 de novembro de 2007 Newton Paciornik Coordenação-Geral.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "O Inventário Brasileiro de Emissões e Remoções Antrópicas de Gases de Efeito Estufa Curitiba, 21 de novembro de 2007 Newton Paciornik Coordenação-Geral."— Transcrição da apresentação:

1 O Inventário Brasileiro de Emissões e Remoções Antrópicas de Gases de Efeito Estufa Curitiba, 21 de novembro de 2007 Newton Paciornik Coordenação-Geral de Mudanças Globais de Clima Ministério da Ciência e Tecnologia

2 Roteiro Objetivos do Inventário Nacional Diretrizes da Convenção do Clima Metodologia: Diretrizes do IPCC Primeiro Inventário Nacional – Organização – Resultados A Segunda Comunicação Nacional – Organização – Perspectivas

3

4 Importância dos Inventários Retrato das emissões e remoções antrópicas Responsabilidade (histórica) Evolução verificação de compromissos (Anexo I) resultados de políticas Oportunidades e prioridades de mitigação políticas MDL

5 Convenção Quadro da ONU sobre Mudança do Clima Compromisso: (todos os países) –Elaborar, atualizar periodicamente, publicar e por à disposição da Conferência das Partes inventários nacionais das emissões por fontes e das remoções por sumidouros de todos os gases de efeito estufa não controlados pelo Protocolo de Montreal, empregando metodologias comparáveis

6 Convenção Quadro da ONU sobre Mudança do Clima Países listados no Anexo I da Convenção (países industrializados) : –Inventários Anuais Países não listados no Anexo I (países em desenvolvimento) –Inventários periódicos como parte de suas Comunicações Nacionais à Convenção

7 Diretrizes de Inventário Países não anexo I Primeira Comunicação Nacional –Diretriz: Inventário para 1990 ou 1994 –Comunicação brasileira submetida em 10 de dezembro de 2004 –Inventário Brasileiro: 1990 a 1994 Segunda Comunicação Nacional –Diretriz: Inventário para o ano 2000 –Inventário Brasileiro: 1990 a 2000 (->2005)

8 Diretrizes de Inventário Gases de efeito estufa : –Dióxido de Carbono – CO 2 –Metano – CH 4 –Óxido Nitroso – N 2 O –Hidrofluorcarbonos – HFCs –Perfluorcarbonos - PFCs –Hexafluoreto de Enxofre – SF 6 Gases de efeito indireto: –CO, NOx, NMVOC

9 Diretrizes de Inventário Metodologia : –Painel Intergovernamental de Mudança do Clima (IPCC) WG1, WG2, WG3 Força Tarefa em Inventários Nacionais de Gases de Efeito Estufa –Diretrizes publicadas: Diretrizes para Inventários Nacionais de 1995 Diretrizes revisadas de 1996 para Inventários Nacionais Guia de Boas Práticas para Inventários Nacionais de 2000 Guia de Boas Práticas para Uso da Terra, Mudança no Uso da Terra e Florestas de 2003 Diretriz para Inventários Nacionais de GEE de 2006

10 Diretrizes de Inventário Princípios: Inventários –transparentes –abrangentes (completos) –consistentes (no tempo) –comparáveis –acurados e precisos na medida do possível

11 Diretrizes de Inventário Métodos: –Básico (dado de atividade X fator de emissão) –Níveis de complexidade Tier 1 (fatores de emissão default) Tier 2 (fatores de emissão específicos do país) Tier 3 : métodos mais complexos

12 Diretrizes de Inventário Setores : –Energia Queima de combustíveis (CO 2 CH 4 N 2 O) Emissões fugitivas na indústria de carvão mineral e petróleo (CO 2 CH 4 ) –Processos industriais Indústria de produtos minerais (CO 2 ) Indústria química (CO 2 N 2 O) Indústria metalúrgica (CO 2 PFCs) Produção e utilização de HFCs e SF 6 –Refrigeração, espumas, equipamento elétrico

13 Diretrizes de Inventário Setores : –Agropecuária Fermentação entérica ( CH 4 ) Manejo de dejetos animais (CH 4 N 2 O) Cultivo de Arroz ( CH 4 ) Queima de resíduos agrícolas (CH 4 N 2 O) Solos agrícolas (N 2 O) –Mudança no uso da terra e florestas Conversão de florestas (CO 2 CH 4 N 2 O) Abandono de terras manejadas (CO 2 ) Mudança de carbono de solos (CO 2 ) Reservatórios (CO 2 CH 4 )

14 Diretrizes de Inventário Setores : –Tratamento de resíduos Disposição de resíduos sólidos (CH 4 ) Tratamento de esgotos (CH 4 N 2 O)

15 Primeiro Inventário Nacional Organização –150 Instituições –700 Especialistas Coordenações Setoriais Coordenação geral: CGMGC/MCT Procedimentos de Controle e Garantia de Qualidade Verificação de adequação à metodologia Revisão por especialistas não envolvidos na elaboração Seminários de divulgação preliminar Transparência: 15 Relatórios de Referência

16 Primeiro Inventário Nacional Instituições: –COPPE/UFRJ (Energia/Reservatórios) –Embrapa (Agropecuária) –Funcate/INPE (Uso da Terra e Florestas) –Cetesb (Lixo e Esgoto) –Petrobrás –Eletrobrás –USP –UNB –FBDS

17 Primeiro Inventário Nacional Instituições: –SNIEC –SNIC –ABAL –IBS –ABIQUIM –BRACELPA –ABRACAVE –ANFAVEA

18 Primeiro Inventário Nacional Instituições: –Ministérios: Minas e Energia Meio Ambiente Transportes Indústria e Comércio Aeronáutica

19 Emissões de CO Mudança no Uso da Terra e Florestas 75% Emissões Fugitivas 1% Processos Industriais 2% Queima de Combustíveis Outros Setores 6% Queima de Combustíveis Transporte 9% Queima de Combustíveis Indústria 7% Total: Gg

20 Emissões de CH Fermentação Entérica Gado Bovino 68% Manejo de Dejetos 3% Cultura de Arroz 2% Resíduos Agrícolas 1% Mudança no Uso da Terra e Florestas 14% Resíduos 6% Queima de Combustíveis 2% Emissões Fugitivas 1% Fermentação Entérica Outros Animais 3% Total: Gg

21 Emissões de N 2 O Energia 2% Animais em Pastagem 40% Dejetos de Animais 6% Emissões Indiretas de Solos 24% LUCF 2% Fertilizantes Sintéticos 4% Resíduos Agrícolas 9% Solos Orgânicos 4% Fixação Biológica 5% Processos Industriais 2% Resíduos 2% Total: 550 Gg

22 Outros gases de efeito estufa HFC-23: 157 t HFC-134a: 125 t CF 4 : 345 t C 2 F 6 : 35 t SF 6 : 1,8 t

23 Segunda Comunicação Nacional Prazo: dezembro de 2008 ( -> 2009) Conteúdo: –Circunstâncias nacionais –Inventário de emissões e remoções antrópicas de gases de efeito estufa –Providências previstas ou tomadas para a implementação da Convenção do Clima Organização da elaboração do inventário –Base institucional semelhante ao primeiro inventário –Ampla participação de especialistas na execução e revisão dos resultados

24 Segundo Inventário Nacional Principais avanços previstos: –Utilização de metodologias mais detalhadas para os setores mais relevantes no inventário brasileiro Setor de Mudança de Uso da Terra e Florestas –Obtenção de fatores de emissão mais adequados às circunstâncias nacionais, principalmente para os setores mais relevantes ou com maior incerteza Fatores de emissão para o setor agropecuário (Embrapa, UNB)

25 Mudança de Uso da Terra e Florestas Metodologia determinada pelas Diretrizes do IPCC-2006 –Cobertura total de imagens em todos os biomas (1994 e 2002) (492 imagens para cada ano) –Superposição de camadas: Uso da terra (floresta, campo, área agrícola, área urbana,...) Tipo de vegetação Tipo de solo Município –Estimativas de transições entre usos da terra –Balanço de carbono

26 Inventário Nacional X Inventários Estaduais Objetivos (iguais?) Sinergia Consistência Diferenças metodológicas Disponibilidade e qualidade da informação Vantagens e oportunidades

27 Importância dos Inventários (revisitado) Retrato das emissões e remoções antrópicas Responsabilidade (histórica) Evolução verificação de compromissos (Anexo I) resultados de políticas Oportunidades e prioridades de mitigação políticas MDL

28


Carregar ppt "O Inventário Brasileiro de Emissões e Remoções Antrópicas de Gases de Efeito Estufa Curitiba, 21 de novembro de 2007 Newton Paciornik Coordenação-Geral."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google