A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

E. E. Adventor Divino de Almeida Alunas:Jéssica e Carla Nº22,07 Turma :2ºA Professora: Sandra.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "E. E. Adventor Divino de Almeida Alunas:Jéssica e Carla Nº22,07 Turma :2ºA Professora: Sandra."— Transcrição da apresentação:

1 E. E. Adventor Divino de Almeida Alunas:Jéssica e Carla Nº22,07 Turma :2ºA Professora: Sandra

2 Morfologia da Folha, adaptações especiais

3 Morfologia Externa e Anatomia da Folha Órgão fotossintetizante das plantas. Em geral, nasce sobre o caule ou seus ramos e possui estrutura achatada e fina, de modo que o tecido clorofiliano, responsável pela fotossíntese, fica próximo à superfície. As folhas, embora apresentem grande variedade de formas e tamanhos, são constituídas basicamente de:

4 Limbo - laminar e verde, comumente muito delgado; Pecíolo - espécie de pedicelo, inserido na base do limbo; Bainha - situada na parte inferior do pecíolo. A base com freqüência desenvolve uma bainha e/ou estípulas. A lâmina foliar caracteriza-se por ser achatada e larga. Tal forma otimiza a captação de luz e gás carbônico. A lâmina é de grande importância na identificação do vegetal, pois em cada planta apresenta características específicas de forma, tamanho, tipo de margem, ápice, base, ausência ou presença de tricomas, etc. Quanto à forma, os principais tipos de lâmina são: simples (limbo indiviso) e composta (limbo dividido em folíolos).

5

6 De acordo com o número e a disposição dos folíolos, as folhas são chamadas de: unifoliadas (com um único folíolo unido por um peciolíolo ao pecíolo da folha); pinadas (com folíolos dispostos posta ou alternadamente ao longo da raque, o eixo comum); palmadas ou digitadas (com mais de três folíolos partindo de uma base comum). A nervação ou venação da lâmina foliar também pode ser de diversos tipos:

7 Muitas plantas apresentam ainda uma estrutura delicada de tecido delgado saindo acima da bainha. É a chamada lígula, cuja função é acumular água. Cerca de 40% das dicotiledôneas lenhosas e 20% das espécies herbáceas possuem um par de pequenas estruturas laminares na base foliar. São as chamadas estípulas, que em algumas plantas são tão desenvolvidas que podem ser confundidas com folhas. Na ervilha (Pisum sativum), por exemplo, até realizam fotossíntese. Na maior parte das espécies, contudo, as estípulas tem a forma de pequenas escamas e caem antes das folhas se desenvolverem completamente. Em algumas plantas, as estípulas são perenes e permanecem na base das folhas adultas. No café (Coffea arabica), por ex., são de importância taxonômica, auxiliando na identificação da planta. Também na família Moraceae as estípulas possuem caráter taxonômico.

8 Adaptações especiais das folhas Adaptações morfológicas especiais permitem à folha desempenhar novas funções. Algumas adaptações são: Gavinhas: folhas modificadas com função de prender a planta a um suporte. Ex: ervilha Espinhos: folhas atrofiadas com adaptações a climas secos, evitando a perda de água por transpiração. Ex: cactos. Brácteas: folhas sempre presentes na base das flores. Elas são geralmente pouco vistosas, mas podem ser coloridas, atuando como estruturas de atração de insetos e pássaros. Ex: bico-de-papagaio e primavera.

9

10 Catafilos: folhas reduzidas, que geralmente protegem gemas dormentes. Em alguns casos especiais, atuam como órgãos de reservas, como na cebola e no alho. Folhas de plantas carnívoras: certas plantas apresentam folhas modificadas para a captura e digestão de insetos e de outros pequenos animais. Ex: Nepenthes e Dionaea.

11

12 Referencia: Site: Google


Carregar ppt "E. E. Adventor Divino de Almeida Alunas:Jéssica e Carla Nº22,07 Turma :2ºA Professora: Sandra."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google