A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

VEGETAÇÃO Intervenções Ambientais – Prof. Adriano.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "VEGETAÇÃO Intervenções Ambientais – Prof. Adriano."— Transcrição da apresentação:

1

2 VEGETAÇÃO Intervenções Ambientais – Prof. Adriano

3 VEGETAÇÃO É um reflexo das condições naturais do lugar em que ocorre, principalmente do clima. É um reflexo das condições naturais do lugar em que ocorre, principalmente do clima.

4 O clima, o solo e a vegetação Se o clima é árido (desértico), a vegetação é pobre e as plantas são xerófitas (adaptadas à seca); Se o clima é árido (desértico), a vegetação é pobre e as plantas são xerófitas (adaptadas à seca); Se o clima é muito úmido, as plantas são mais viçosas, e a vegetação, mais rica; Se o clima é muito úmido, as plantas são mais viçosas, e a vegetação, mais rica; Se o solo é pobre, deficiente em sais minerais, as plantas são mais raras ou mais baixas. Se o solo é pobre, deficiente em sais minerais, as plantas são mais raras ou mais baixas.

5

6

7 TUNDRA Vegetação rasteira das áreas de clima polar; Vegetação rasteira das áreas de clima polar; Surge no curto verão (cerca de três meses) das regiões polares, principalmente no Pólo Norte, período no qual ocorre o degelo; Surge no curto verão (cerca de três meses) das regiões polares, principalmente no Pólo Norte, período no qual ocorre o degelo; É composta por musgos, líquens, capins e outras plantas herbáceas; É composta por musgos, líquens, capins e outras plantas herbáceas;

8 TUNDRA Exemplos da Fauna: Coruja-das-nevesLobo Ártico Urso Polar Pinguim (Antártida) Rena

9 TUNDRA: Regiões polares, extremo norte da América, Europa e Ásia.

10 TUNDRA Aspecto Fisiográfico

11

12 FLORESTA DE CONÍFERAS Também conhecida como Floresta Boreal ou Taiga; Também conhecida como Floresta Boreal ou Taiga; Ocorre nas áreas de clima frio; Ocorre nas áreas de clima frio; Nas áreas das coníferas, diferente do clima polar, o verão é mais prolongado e ocorre um maior degelo da neve e das geleiras; Nas áreas das coníferas, diferente do clima polar, o verão é mais prolongado e ocorre um maior degelo da neve e das geleiras; Vegetação homogênea (apresenta pouca variedade de plantas); Vegetação homogênea (apresenta pouca variedade de plantas);

13 FLORESTA DE CONÍFERAS Árvores em forma de cone (coníferas); Árvores em forma de cone (coníferas); Pinheiros e abetos; Pinheiros e abetos; Árvores ricas em celulose; Árvores ricas em celulose; Exploradas pelos grandes produtores e exportadores mundiais de papel; Exploradas pelos grandes produtores e exportadores mundiais de papel; Fauna: lobos, martas, linces, ursos, lebres, raposas, aves diversas, etc. Fauna: lobos, martas, linces, ursos, lebres, raposas, aves diversas, etc.

14 FLORESTA DE CONÍFERAS Exemplos da Fauna: Urso Lobo Lebre Raposa Lince Marta Aves diversas, etc.

15 Floresta de Coníferas: Canadá, Suécia, Noruega, Finlândia e Rússia.

16 FLORESTA DE CONÍFERAS Aspecto Fisiográfico

17

18

19

20

21 FLORESTA TEMPERADA Típica das áreas de clima temperado oceânico; Típica das áreas de clima temperado oceânico; Plantas decíduas ou caducifólias: perdem as folhas durante o outono e inverno; Plantas decíduas ou caducifólias: perdem as folhas durante o outono e inverno; Está entre as mais devastadas do planeta; Está entre as mais devastadas do planeta; Algumas espécies de plantas: carvalho, faias, nogueiras. Algumas espécies de plantas: carvalho, faias, nogueiras.

22 FLORESTA TEMPERADA Exemplos da Fauna: Esquilo Lobo Raposa Répteis e aves diversas, etc.

23 Floresta Temperada: Europa Centro-Ocidental, Ásia, América do Norte; pequenas extensões da América do Sul e da Austrália.

24 FLORESTA TEMPERADA Aspecto Fisiográfico

25

26

27

28

29

30

31

32

33

34 PRADARIAS Também chamadas de campos; Também chamadas de campos; Vegetação herbácea, composta basicamente de capim; Vegetação herbácea, composta basicamente de capim; Ocorre em áreas de clima temperado continental e de clima subtropical; Ocorre em áreas de clima temperado continental e de clima subtropical;

35 PRADARIAS Solos normalmente férteis, ricos em matéria orgânica (húmus), porque os campos são formados por plantas anuais, isto é, que têm uma vida curta e fornecem grande quantidade de restos para serem decompostos. Solos normalmente férteis, ricos em matéria orgânica (húmus), porque os campos são formados por plantas anuais, isto é, que têm uma vida curta e fornecem grande quantidade de restos para serem decompostos. Áreas de pradarias são bastante propícias para a agricultura e pecuária; Áreas de pradarias são bastante propícias para a agricultura e pecuária; Grande devastação; Grande devastação;

36 PRADARIAS Exemplos da Fauna: Búfalo Antílope Coiote Inúmeras aves: GaviãoCoruja entre outras.

37 Pradarias: Europa Central, oeste da Rússia, Grandes Planícies Americanas, Pampas argentinos e Grande Bacia Australiana.

38 PRADARIAS Aspecto Fisiográfico

39

40

41 SAVANA Vegetação mista: apresenta os três estratos (arbóreo, arbustivo e herbáceo); Vegetação mista: apresenta os três estratos (arbóreo, arbustivo e herbáceo); Ocorre nas áreas de clima tropical semi-úmido (onde as chuvas se concentram no verão e a época seca – inverno – é bastante marcante); Ocorre nas áreas de clima tropical semi-úmido (onde as chuvas se concentram no verão e a época seca – inverno – é bastante marcante); Conhecida no Brasil como Cerrado. Conhecida no Brasil como Cerrado.

42 SAVANA Apresenta muitas gramíneas (gramas); Apresenta muitas gramíneas (gramas); Entre as gramíneas aparecem arbustos e árvores de raízes profundas, troncos retorcidos e casca grossa; Entre as gramíneas aparecem arbustos e árvores de raízes profundas, troncos retorcidos e casca grossa; Fauna na ÁFRICA: Leões, rinocerontes, elefantes, girafas, zebras, antílopes, etc. Fauna na ÁFRICA: Leões, rinocerontes, elefantes, girafas, zebras, antílopes, etc. Fauna na AMÉRICA DO SUL: capivara, lobo-guará, tamanduá, anta, etc. Fauna na AMÉRICA DO SUL: capivara, lobo-guará, tamanduá, anta, etc.

43 Savana: África Centro-Ocidental, Brasil Central; em menores extensões: índia.

44 SAVANA Aspecto Fisiográfico

45

46

47

48 FLORESTAS TROPICAIS Vegetação mais rica e diversificada do planeta; Vegetação mais rica e diversificada do planeta; Desenvolvem-se em áreas de climas quentes e úmidos: equatorial e tropical úmido; Desenvolvem-se em áreas de climas quentes e úmidos: equatorial e tropical úmido; Abundante radiação solar e chuvas intensas => florestas exuberantes, com plantas muito próximas uma das outras e de vários portes. Abundante radiação solar e chuvas intensas => florestas exuberantes, com plantas muito próximas uma das outras e de vários portes.

49 FLORESTAS TROPICAIS Exemplos de Florestas Tropicais no Brasil: Floresta Amazônica e Mata Atlântica; Exemplos de Florestas Tropicais no Brasil: Floresta Amazônica e Mata Atlântica; Exemplos de árvores de grande e médio porte: mogno, jacarandá, castanheira, cedro, imbuia, peroba, etc. Exemplos de árvores de grande e médio porte: mogno, jacarandá, castanheira, cedro, imbuia, peroba, etc. Outras espécies: palmáceas, arbustos, briófitas, bromélias, etc. Outras espécies: palmáceas, arbustos, briófitas, bromélias, etc. Fauna: riquíssima fauna, tanto de mamíferos, como de insetos, répteis, peixes e outros animais. Fauna: riquíssima fauna, tanto de mamíferos, como de insetos, répteis, peixes e outros animais.

50 Florestas Tropicais: baixas latitudes na América, África e Ásia.

51 FLORESTA TROPICAL Aspecto Fisiográfico

52

53

54

55

56

57

58

59 FORMAÇÕES DESÉRTICAS Clima árido (seco) ou semi-árido; Clima árido (seco) ou semi-árido; Solos arenosos ou pedregosos; Solos arenosos ou pedregosos; Vegetação rara, com plantas xerófitas (adaptadas à seca); Vegetação rara, com plantas xerófitas (adaptadas à seca); Destaque para as cactáceas (cactos); Destaque para as cactáceas (cactos); Ocorre em todos os continentes, exceto na Europa; Ocorre em todos os continentes, exceto na Europa; Fauna: camelos, lagartos, cobras, ratos, etc. Fauna: camelos, lagartos, cobras, ratos, etc.

60 Formações Desérticas: aparecem nos grandes desertos da América, África, Ásia e Oceania.

61 DESERTOS Aspecto Fisiográfico

62

63

64

65 ESTEPES Vegetação herbácea, como as pradarias, porém mais esparsa (espalhada) e ressecada; Vegetação herbácea, como as pradarias, porém mais esparsa (espalhada) e ressecada; Regiões de clima semi-árido (transição entre os desertos e os climas úmidos); Regiões de clima semi-árido (transição entre os desertos e os climas úmidos); Apesar de irregulares, as chuvas são menos escassas que nos desertos; Apesar de irregulares, as chuvas são menos escassas que nos desertos;

66 ESTEPES Aspecto Fisiográfico

67

68 VEGETAÇÃO MEDITERRÂNEA Ocorre nas regiões de clima mediterrâneo (verões muito quentes e secos e invernos amenos e chuvosos); Ocorre nas regiões de clima mediterrâneo (verões muito quentes e secos e invernos amenos e chuvosos); Vegetação esparsa, que possui os três estratos: arbóreo, arbustivo e herbáceo; Vegetação esparsa, que possui os três estratos: arbóreo, arbustivo e herbáceo; Apresenta características xerófilas; Apresenta características xerófilas; Formações dominantes: garrigues e maquis. Formações dominantes: garrigues e maquis.

69 Vegetação Mediterrânea: Sul da Europa e Norte da África (onde estão as maiores ocorrências), sudoeste dos Estados Unidos, região central do Chile, sudoeste da África do Sul e sudoeste da Austrália.

70 VEGETAÇÃO MEDITERRÂNEA Aspecto Fisiográfico

71

72

73


Carregar ppt "VEGETAÇÃO Intervenções Ambientais – Prof. Adriano."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google