A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Fundamentos de Sistema Prof. Ney Kassiano Ramos

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Fundamentos de Sistema Prof. Ney Kassiano Ramos"— Transcrição da apresentação:

1 Fundamentos de Sistema Prof. Ney Kassiano Ramos

2 Histórico Sistema Operacional Conjunto de programas que estabelece um interface entre o usuário e o computador. Kernel Peça do S.O. que isola os programas executados do hardware Gerencia recursos disponíveis (memória, processador, discos etc).

3 Histórico - Unix S.O. desenvolvido no fim da década de 60 nos laboratórios Bell (AT&T) por Ken Thompson e Dennis Ritchie. Muitas universidades americanas adotaram o Unix e o aprimoraram. Dividido em duas partes: userland (programas e serviços) e o kernel. Segue o padrão POSIX.

4 Histórico - Linux Primeira versão oficial (0.02): 5 de Outubro de Criado por Linus Torvalds, finlandês. Baseado no Minix (um Unix).

5 Histórico - Unix Linus escreveu o kernel do sistema. Logo após vários softwares do projeto GNU foram compilados para este. Distribuído sob a GPL desde o início.

6 Kernel do Linux Versões com três números: Major version. Versão estável (par) ou instável (ímpar). Número de série dentro da família.

7 Kernel do Linux Família 2.2 – Alan Cox. 2.4 – brasileiro Marcelo Tosatti. Responsável pela família 2.5 – Linus Torvalds.

8 Movimento GNU e a Licença GPL GNU: criado em 1984 por Richard Stallman do MIT. Visam garantir que o software seja livre. Executar o software para qualquer propósito. Modificá-lo para se adaptar às suas necessidades. Redistribuir cópias, gratuitamente ou não. Distribuir versões modificadas, para que a comunidade se beneficie.

9 Movimento GNU e a Licença GPL Organizado e custeado pela FSF (Free Software Foundation). Conceito de copyleft: método de publicar o software de forma a garantir que ele continue livre, impedindo a transformação em código proprietário.

10 Movimento GNU e a Licença GPL GPL (GNU Public License): elaborada com suporte de advogados para garantir os preceitos básicos. Utiliza do copyright.

11 Movimento GNU e a Licença GPL BSD: desenvolvido pela Universidade Berkeley, na Califórnia. Distribuições hoje contêm tanto programas do GNU quanto do BSD.

12 Movimento Open Source Objetivos muito semelhantes aos do movimento GNU, porém menos radical. Mais tolerante a softwares comerciais.

13 Padronização Linux Standard Base (LSB) Movimento de padronização do Linux. Vários distribuidores. Para estrutura de diretórios é adotado o FHS (File Hierarchy Standard) 2.2. FHS Padroniza a organização de diretórios e conteúdos. Permite predizer a localização dos arquivos em qualquer distribuição.

14 Distribuições

15 Qualquer pessoa pode criar uma distribuição, mais adequada a sua necessidade. Existem milhares de distribuições disponíveis. Diferenciais: ferramentas adicionais, instalação, gerenciamento. Sistemas de pacotes criou linhagens de distros.

16 Distribuições - Conectiva Principal da América Latina. Usa RPM (RedHat Packet Manager) e sistema de atualização APT (Advanced Package Tool). Sede em Curitiba.

17 Distribuições - RedHat Surgiu em Inventor dos pacotes RPM, utilizado depois em outras distros. Várias edições: desktop, pequenos escritórios até grandes corporações. Deu origem a muitas distros atuais. Fedora.

18 Distribuições - SuSe Sediada na Alemanha, surgiu em Principal da Europa. Usa RPM. Além da edição principal, conta com diversos outros produtos. Grandes responsáveis do port para SPARC (Scalable Processor ARChitecture).

19 Distribuições - SCO Antiga Caldera, mudou de nome em Agosto de Existe desde 1996 e sempre teve grande apelo comercial. Uma das primeiras distros a estabelecer parcerias com grandes corporações. Usa RPM.

20 Distribuições - Debian Início em 1993 com a proposta de manter uma distro o mais livre possível. Maior Linux não associado a uma empresa. Usa pacotes no formato DEB. Desenvolveu o APT para atualização de pacotes via Internet.

21 Distribuições - Slackware Primeiro release em Sempre buscou se aproximar o máximo possível do Unix foi umas das distros mais famosas, principalmente no Brasil. Principal característica: simplicidade e pouca sofisticação.

22 Distribuições - Turbolinux Fundada em 1992, fornece soluções para ambientes operacionais Linux. É p principal fornecedor de Linux na Ásia e Pacífico. Inclui softwares multiplataforma e de sistemas distribuídos.

23 Distribuições - UnitedLinux Maio de 2002, pretende ser uma distro global e uniforme de Linux. Composta por: SCO Group Conectiva SuSe Turbolinux

24 Outras Distribuições Mandrake Tech Linux Coyote Linux Kurumin Sentry SmoothWall StealthWall Phlac

25 O Administrador do Sistema

26 O sistema oferece um prompt: Login: [Usuário] Password: [senha] Recomenda-se sempre: senha e usuário com no mínimo 8 caracteres.

27 Entrando e Saindo do Sistema Para sair do sistema: # logout ou # exit ou # ^D (Control+D)

28 Desligando o Sistema # shutdown –h now O comando shutdown (8) também pode reiniciar o computador. # shutdown –r now

29 O Administrador do Sistema (root) root é o nome de usuário administrador do sistema. Identificação igual a zero. Responsável pela manutenção do sistema. Adição e remoção de usuários. Instalação e remoção de softwares. Zelar pela segurança do sistema. Manter os serviços de rede.

30 Estrutura de Diretórios

31 / (também chamado de raiz) No Linux não há drives, tudo fica dentro do diretório raiz (/). /bin Comandos essenciais. Necessário para completar o boot e ter um ambiente mínimo. /boot Kernel(s) do Linux (vmlinuz) para boot. Arquivos estáticos do loader. /dev Arquivos de acesso aos dispositivos do sistema. Dispositivos do tipo caracter ou bloco.

32 Estrutura de Diretórios /etc Configuração de partições e sistemas de arquivos. Configuração para o processo init (8). Inicialização dos shells para todo o sistema. Configuração de rede (protocolos, endereços IP, nomes, serviços conhecidos). Arquivo de usuário e grupos (/etc/passwd, etc/group). Configuração do sistema de log (/etc/syslog.conf) /home Por convenção, é onde ficam os diretórios dos usuários.

33 Estrutura de Diretórios /usr Hierarquia secundária com bin, sbin, lib, etc. /var Dados variáveis. Arquivos de log do sistema e específicos. Caixas de mensagens e Fila de impressora. Na página do manual hier (7) há uma descrição completa da hierarquia de sistema de arquivos do Linux.

34 Primeiros Comandos

35 Limpando a tela e listando arquivos Comando clear (1) ou então Ctrl+L. Comando ls (1) serve para listar os arquivos de um diretório. Se o diretório não for especificado, mostra a listagem do atual. ls -l ls -a ls -t l

36 Alternar entre diretórios Comando cd Não tem uma página de manual própria, pois faz parte do shell. Para maiores informações, ver bash (1). Para conferir o diretório atual, utilize o comando pwd (1).

37 Utilizar a Ajuda O comando help mostra informações de ajuda sobre o comando especificado, sendo um comando do bash (1). O comando man formata e apresenta a página de manual (man page) de um comando ou arquivo. É uma referência rápida e disponível para consultar sintaxes, opções, semântica, etc. Execute os comandos: $ man bash $ man man $ man csh $ man login

38 Utilizar a Ajuda (man) As páginas de manual são organizadas em seções: Programas para Usuários. Chamadas de Sistema. Chamadas de Bibliotecas. Arquivos Especiais. Formatos de Arquivos. Jogos. Miscelânea. Administração do Sistema. É comum escrever comandos na forma man (1), significando o comando man da seção 1 das páginas do manual.

39 Utilizar a Ajuda (whatis e apropos) Uma outra maneira de conseguir ajuda é através do comando whatis (1), que procura por palavras na base de dados do whatis. Outra alternativa: apropos (1). A diferença é que o apropos procura por expressões informadas, enquanto o whatis procura somente por palavras.

40 Criar e Remover Diretórios Comando mkdir (1) cria um novo diretório: $ mkdir nome_do_dir Comando rmdir remove um diretório: $ rmdir nome_do_dir Para remover um diretório com o rmdir é necessário que ele esteja vazio. $ rm -rf nome_do_dir Não há como desfazer a ação (teoricamente).

41 Copiar, Mover e Remover Arquivos Comando cp (1) copia um arquivo para um novo nome ou lugar: $ cp [local(is) de origem] [local de destino] $ cp [arquivo] [novo nome] Comando mv (1) é capaz de mover um arquivo de lugar ou renomear ou mesmo: $ mv local(is) de origem] [local de destino] $ mv [arquivo] [novo nome] Comando rm: remover arquivos ou diretórios.

42 Ligações

43 Ligações Absolutas Comando ln (1). É um nome para um arquivo Um arquivo pode ter vários nomes. Deve estar no mesmo sistema de arquivos. Não pode ser usado com diretórios. $ ln [origem]/[arquivo] [destino]/[link] O comando ls -l mostra quantos links existem para cada arquivo.

44 Ligações Simbólicas É um arquivo que contêm o caminho para outro arquivo. Permite apontar diferentes partições. Geralmente cria-se ligações simbólicas da seguinte maneira: $ ln -s [origem] [destino] $ ln -s [arquivo] [link]

45 Permissões e Propriedades

46 Definir o Proprietário Todo arquivo pertence a algum dono e grupo. Comando chown (1) permite alterar o dono de um ou mais arquivos. O mesmo se aplica ou grupo do arquivo. Utilização: $ chown [dono]:[grupo] arquivo(s) Para alterar somente o grupo de arquivos pode-se utilizar o comando chgrp (1). $ chgrp [grupo] arquivo(s)

47 Tipos de Arquivos Do ponto de vista do sistema, existe 7 tipos de arquivos diferentes: CaractereTipo de Arquivo - Arquivo regular d Diretório l Ligação simbólica b Dispositivo orientado a blocos c Dispositivo orientado a caracteres s Socket (comunicação entre processos) p Pipe (comunicação entre processos)

48 Definir Permissões Comando chmod (1) serve para mudar as permissões de acesso à um arquivo: Representação simbólica Representação octal Comando umask define as permissões padrão de arquivos criados pelo usuário.

49 Permissões Especiais SUID bit (u+s ou 4000 no chmod) O programa será executado com as permissões do dono do arquivo ao invés das permissões do usuário que o chamou. SGID bit (g+s ou 2000 no chmod) Este bit aplicado a um diretório, fará com que qualquer arquivo criado dentro dele tenha o mesmo grupo do diretório. Sticky bit (+t ou 1000 no chmod) Quando aplicado a um diretório, juntamente com mas permissões de leitura/escrita/execução para todos os usuários, somente os donos dos arquivos poderão removê-los. Na forma octal seria: $ chmod 4664 arquivo(s).


Carregar ppt "Fundamentos de Sistema Prof. Ney Kassiano Ramos"

Apresentações semelhantes


Anúncios Google