A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Administração de sistemas operacionais Aula 04 Os níveis de inicialização do sistemas (runlevel) Prof. Esp. Diovani Milhorim.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Administração de sistemas operacionais Aula 04 Os níveis de inicialização do sistemas (runlevel) Prof. Esp. Diovani Milhorim."— Transcrição da apresentação:

1 Administração de sistemas operacionais Aula 04 Os níveis de inicialização do sistemas (runlevel) Prof. Esp. Diovani Milhorim

2 Runlevel – inicialização do sistema Runlevel: No Linux e outros sistemas baseados no Unix o runlevel indica o modo de operação atual da máquina, definindo quais serviços e recursos devem permanecer ativos. O runlevel pode ser alterado a qualquer momento pelo root.

3 Runlevel – inicialização do sistema Runlevel: No Linux os runlevels são numerados de 0 a 6. No nível 0 o sistema está parado, nenhum processo é executado. Este modo entra em ação quando desligamos o sistema via software.

4 Runlevel – inicialização do sistema Runlevel: Nível 1 O nível 1 é chamado de single user mode é um modo de recuperação, onde temos ativa apenas a conta de superusuário. Não é possível usar a rede nem rodar programas gráficos. Neste modo é possível alterar as configurações do sistema, alterar as senhas dos usuários, etc.

5 Runlevel – inicialização do sistema Runlevel: Nível 2 e 3 Nos níveis 2 e 3 já temos o modo de operação normal do sistema. Nestes modos o sistema inicializa em modo texto e depois de logado o usuário pode abrir o modo gráfico se desejar. A diferença entre os dois é que no modo 2 (também considerado um modo de recuperação) não existe suporte a rede.

6 Runlevel – inicialização do sistema Runlevel: Nível 4 O nível 4 geralmente fica vago. Na maioria das distribuições ele equivale ao modo 3, enquanto em outras, como no Slackware, equivale ao modo de login gráfico.

7 Runlevel – inicialização do sistema Runlevel: Nível 5 No nível 5 temos a inicialização com login em modo gráfico, default na maioria das distribuições atualmente.

8 Runlevel – inicialização do sistema Runlevel: Nível 6 O modo 6 é reservado à reinicialização do sistema. Todos os serviços e programas são parados e o sistema é reinicializado via software. O modo 6 difere do modo 0, onde o sistema fica simplesmente parado, esperando ser desligado.

9 Runlevel – inicialização do sistema Runlevel: O arquivo inittab O arquivo /etc/inittab guarda as configurações padrão(default) do processo de inicialização do sistema. Podemos definir neste arquivo: O runlevel padrão. Seqüência de teclas para reinicialização (ctrl+alt+del) Procedimento para falta de energia elétrica Procedimento para retorno de energia elétrica Número de consoles de terminal Número para consoles seriais

10 Runlevel – inicialização do sistema Runlevel: O arquivo inittab É possível configurar o init através do arquivo /etc/inittab. O arquivo segue o seguinte formato: identificação:níveis_execução:ação:processo As linhas começadas com um # são ignoradas

11 Runlevel – inicialização do sistema Runlevel: O arquivo inittab É possível alterar o nível de execução a qualquer momento, modificando o número do nível de execução diretamente no arquivo (segunda linha do exemplo), ou através do comando telinit.

12 Runlevel – inicialização do sistema Runlevel: O arquivo inittab O comando telinit aceita como argumento o nível de execução para o qual se deseja mudar. Exemplo: telinit 2 irá levar o sistema ao nível de execução 2 telinit 1 modo monousuário telinit q fará com que o init releia seu arquivo de configuração (/etc/inittab). Para verificar o nível de execução de um sistema basta executar o comando runlevel

13 Runlevel – inicialização do sistema Runlevel: Modificando os runlevel padrão. Cada nível padrão de execução do sistema tem seus serviços específicos que serão inicializados durante o boot. Quanto mais baixo o runlevel menor a quantidade de serviços disponíveis (exceto o nível 6 – reboot) É possível configurar quais serviços estarão disponíveis e quais serão paralisados em um determinado runlevel.

14 Runlevel – inicialização do sistema Runlevel: Modificando os runlevel padrão. Existem dois estilos de init: o BSD e o SYS-V. Cada um tem suas peculiaridades. O Debian usa init SYS-V. Os scripts são armazenados em /etc/init.d e links são criados em /etc/rc?.d, onde o ? representa o runlevel.

15 Runlevel – inicialização do sistema Runlevel: Modificando os runlevel padrão.

16 Runlevel – inicialização do sistema Runlevel: Modificando os runlevel padrão. Nos diretórios /etc/rc?.d encontramos links simbólicos para os scripts do diretório /etc/init.d. Estes links tem seus nomes iniciados pelas letras K ou S seguidos por um valor númerico de dois dígitos. Antes de entrar em qualquer nível de execução, todos os scripts iniciados com 'K' são executados; esses scripts matam (param) serviços. Todos os scripts iniciados com 'S' são executados; esses scripts iniciam serviços. O número de dois dígitos seguido de 'K' ou 'S' indica a ordem na qual o script é executado. Scripts de menor valor numérico são executados primeiro.

17 Runlevel – inicialização do sistema Runlevel: Modificando os runlevel padrão.

18 Runlevel – inicialização do sistema Runlevel: Modificando os runlevel padrão. Todos os scripts em /etc/init.d/ aceitam um argumento que pode ser: start (iniciar) stop (parar) reload (recarregar) restart (reiniciar) force-reload (forçar-recarregar) Esses scripts podem ser usados mesmo depois que um sistema tenha sido iniciado para controlar vários processos.

19 Runlevel – inicialização do sistema Runlevel: Modificando os runlevel padrão. Caso deseje adicionar novos serviços para iniciar junto com o boot, devemos adicionar o script no diretório /etc/init.d/. Assim sendo, para invocar um script temos: /etc/init.d/ Para inserir este script como serviço de um runlevel temos de adicionar um link para ele no diretório /etc/rc?.d correspondente: #ln –s /etc/init.d/script /etc/rc?.d/

20 Runlevel – inicialização do sistema Runlevel: Atividade 1) Altere o runlevel do seu sistema para o nível 1 utilizando o comando telinit. 2) Adicione o serviço cron ao runlevel 1. 3) altere o runlevel padrão do seu sistema para o nível 3.

21 Runlevel – inicialização do sistema Runlevel: O utilitário rcconf O rcconf é um front-end para o update- rc.d. O rcconf permite você controlar que serviços são iniciados quando o sistema inicia ( :S ), ele irá mostrar uma tela onde você poderá ver o status de cada serviço [*] ou [ ].

22 Runlevel – inicialização do sistema Runlevel: O utilitário rcconf O rcconf trabalha obtendo a lista de serviços de /etc/init.d e observa nos diretórios /etc/rc?.d para determinar se cada serviço está ligado ou não no boot. Se o número NN (de /etc/rc?.d/NNname) não é 20 (padrão), rcconf salva o nome do serviço junto ao seu número em /var/lib/rcconf/services para que seja possível restabelecer o serviço para sua configuração original.

23 Runlevel – inicialização do sistema Runlevel: O utilitário rcconf Instalação: # apt-get install rcconf Atualizar menus: # update-rcconf-guide Utilização: # rcconf Ele irá chamar uma tela demonstrando o que temos de inicialização e marcará para iniciar ou não iniciar (desativar).


Carregar ppt "Administração de sistemas operacionais Aula 04 Os níveis de inicialização do sistemas (runlevel) Prof. Esp. Diovani Milhorim."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google