A apresentação está carregando. Por favor, espere

A apresentação está carregando. Por favor, espere

Sistemas Operacionais PLATAFORMALINUX PLATAFORMALINUX Ricardo de Oliveira Joaquim TECNOLÓGICOS.

Apresentações semelhantes


Apresentação em tema: "Sistemas Operacionais PLATAFORMALINUX PLATAFORMALINUX Ricardo de Oliveira Joaquim TECNOLÓGICOS."— Transcrição da apresentação:

1 Sistemas Operacionais PLATAFORMALINUX PLATAFORMALINUX Ricardo de Oliveira Joaquim TECNOLÓGICOS

2 Links Links, são referências, atalhos ou conexões lógicas entre arquivos ou diretórios. Estas referências podem ser de dois tipos: Hard links (diretas) ou Symbolic links (simbólicas). Hard Links Ocupam apenas um inode na área de inodes. E são usados quando estas referências estiverem no mesmo sistema de arquivos. A quantidade de links fazendo referência do mesmo arquivo pode ser vista usando o comando ls -l. Inode = é uma estrutura de dados tradicional do sistema de arquivos. Ele armazena os detalhes sobre um determinado arquivo

3 Links O valor quando aparece após as permissões é o número de conexões lógicas. Exemplo: [aluno] $ ls –l doc -rwx r–x r–x 4 aluno grupo Jun 2 14:25 doc.txt Neste caso, o arquivo doc.txt possui 4 links associados a ele.

4 Links Quando qualquer um dos links for alterado, o original também é modificado; visto que são o mesmo arquivo, apenas com nomes diferentes. O original só será eliminado quando todos os seus links também o forem. O formato do comando para formar um hard link é mostrado a seguir: ln arquivo link Não é possível criar um hard links para diretório, e também é impossível criar links diretos entre sistemas de arquivos.

5 Links Links Simbólicos O link simbólico é como um atalho para um arquivo. O ato de se apagar um link simbólico não faz com que o arquivo original desapareça do sistema, somente o vinculo será apagado. Existem vários motivos para se criar um link simbólico, dentre eles pode se destacar: Quando se deseja criar nomes mais significativos para chamadas a comandos. Existe um exemplo prático na chamada.

6 Permissões e Propriedades No Unix, cada arquivo tem "permissões" e um dono, que por sua vez pertence a um "grupo". Exemplo: $ ls -l /bin/ls -rwxr-xr-- 1 root bin Aug /bin/ls

7 Permissões e Propriedades r w x => indicação de permissões do proprietário r - x => permissões do grupo que o usuário pertence r - - => permissões para os demais usuários -rwxr-xr-- 1 root bin Aug /bin/ls Tipo de arquivo Repare agora que no restante da string temos 9 caracteres São em 3 grupos de 3, cada um representado o proprietário, o grupo e todos os demais respectivamente. (-rw-r-xr--) dividindo a string em 3 partes, ficaria assim:

8 Permissões e Propriedades r => significa permissão de leitura (read); w => significa permissão de gravação (write); x => significa permissão de execução (execution); - => significa permissão desabilitada. --- => nenhuma permissão; r-- => permissão de leitura; r-x => leitura e execução; rw- => leitura e gravação; rwx => leitura, gravação e execução. A ordem em que as permissões devem aparecer é rwx

9 Permissões e Propriedades Configurando permissões com chmod chmod (change mode) Para ter uma visão mais clara da forma simbólica com o chmod, imagine que tais símbolos se encontram em duas listas, e a combinação deles gera a permissão: Lista 1 Símbolo u => usuário g => grupo O (letra o maiúscula) => outro a => todos Lista 2 Símbolo r => leitura w => gravação x => execução

10 Permissões e Propriedades Para poder combinar os símbolos destas duas listas, usam-se os operadores: +=> adicionar permissão - => remover permissão = => definir permissão teste.old Para mostrar como essa combinação é feita, vamos supor que você deseja adicionar permissão de gravação no arquivo teste.old para um usuário. Então o comando a ser digitado será: chmod u+w teste.old

11 Permissões e Propriedades Usando chmod com o método numérico Usar o chmod com valores numéricos é algo bastante prático. Em vez de usar letras como símbolos para cada permissão, usa-se números. Se determinada permissão é habilitada, atribui-se valor 1, caso contrário, atribui-se valor 0. Sendo assim, a string de permissões r-x r na forma numérica fica Essa combinação de 1 e 0 é um número binário. Mas temos ainda que acrescentar a forma decimal (ou seja, números de 0 a 9).

12 Permissões e Propriedades 7111 r w x 6110 r w r – x 4100 r w x w x DecimalBinárioPermissão

13 Permissões e Propriedades Para exemplificar, vamos utilizar a permissão rw-, cujo valor em binário é 110, que por sua vez, em decimal corresponde ao número 6. Então, em vez de usar rw- ou 110 para criar a permissão, simplesmente usa-se o número 6. Método numérico, usamos somente um dígito para representar uma permissão, ao invés de três. Com isso a string de permissões r--r--r-- = 444, pois r-- em decimal é igual a quatro. Exemplo: chmod 600 notas.txt => rw

14 777rwx rwx rwx 755rwx r-x r-x 750rwx r-x rwx rw- rw- r-- 644rw - r-- r-- 600rw r-- r-- r-- 400r Permissões e Propriedades


Carregar ppt "Sistemas Operacionais PLATAFORMALINUX PLATAFORMALINUX Ricardo de Oliveira Joaquim TECNOLÓGICOS."

Apresentações semelhantes


Anúncios Google